1. Spirit Fanfics >
  2. CLOSED EYES >
  3. Dois

História CLOSED EYES - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Dois


Fanfic / Fanfiction CLOSED EYES - Capítulo 2 - Dois

Oh, I don't know, what can I do?

What else can I say

It's up to you

I know we're one, just me and you

(What is Love - Jaymes Young)
 

A música soava baixinho em seus fones de ouvido. A melodia suave, acalmava seu coração que, mais uma vez, estava apertado por conta dos inúmeros cenários que criava em sua mente. Jungkook tentava manter a respiração controlada enquanto, deitado em sua cama, tinha o braço erguido para ter sua tatuagem em seu campo de visão, analisando-a.

Desde que marcou em sua pele o símbolo de sua esperança, Jungkook se via cada vez mais ansioso e preocupado. Pela sua cabeça passava todo tipo de possibilidade do que aconteceria quando sua alma encontrasse a da pessoa a quem estava destinado. E se ele não fosse bom o suficiente? E se sua alma gêmea estivesse muito longe de si? E se a pessoa não quisesse se encontrar com ele? E se essa pessoa nem mesmo existisse?

Eram raros os casos das pessoas que, em seus momentos de Visão, enxergavam apenas escuridão e nada ouviam. Eram raros, mas existiam. Os "Partidos" como eram chamados, ganharam esse nome por conta da conhecida lenda do fio vermelho. E, como o nome sugere, assim eram chamados por terem seu fio rompido, por não terem a sua alma gêmea. A possibilidade de ser um deles assustava Jungkook mais do que qualquer coisa.

Mais do que tudo, Jungkook ansiava por alguém para amar. Alguém que o amasse e com quem ele poderia dividir o resto dos seus dias. Era tudo o que ele queria e a possibilidade de ter isso tirado de si, era sufocante e o aterrorizava.

Completamente absorto em seus pensamentos, não ouviu quando leves batidas soaram em sua porta e não viu quando aos poucos, seu amigo adentrou o quarto. Namjoon caminhou lentamente pelo cômodo, chegando aos pés da cama onde o amigo parecia estar em transe. Sentou-se na ponta do colchão e sorriu para o garoto quando este pareceu notar sua presença.

- Oi hyung. - Jungkook disse simples, se apoiando nos braços para sentar-se na cama - Nem vi você chegar.

O mais novo sorria, mas Namjoon o conhecia melhor que ninguém. O sorriso fraco e forçado não conseguia disfarçar a ausência do brilho característico nos olhos de Jungkook.

Namjoon sabia que seus olhos, sempre repletos de milhares de pontos de luz, só se tornavam turvos quando sua mente estava embaçada. Ele sabia que tinha algo errado.

- Oi - respondeu, comprimindo os lábios em um sorriso compreensivo - O que aconteceu?

- Como assim? Não aconteceu nada. - tentou desviar do assunto.

- Jungkook... - começou pacientemente - Eu te conheço. Sei quando você não está bem. - falou firme, fazendo com que o mais novo abaixasse o olhar envergonhado, olhando para suas mãos que estavam repousando em seu colo - Então te pergunto de novo: o que aconteceu?

- Nada aconteceu mesmo, hyung. Eu estava só pensando.

- Às vezes você pensa demais. Precisa ter cuidado para não se perder aí dentro desse seu cabeção. - falou bem humorado, tentando aliviar um pouco o clima e tocando de leve a testa do amigo com o indicador. O mais novo riu, mas seus olhos ganharam um brilho diferente quando o sorriso foi morrendo aos poucos e eles começaram a marejar. - Me conta sobre o que estava pensando.

Jungkook não respondeu de imediato. Parecia não saber por onde começar. Mais uma vez, pareceu perdido dentro de sua própria mente, mas Namjoon reparou quando seu olhar recaiu sobre a tatuagem recente e seus dedos contornaram a flor delicada que estava desenhada ali. Então ele entendeu.

Sempre se preocupou com o mais novo e com a quantidade de esperança que depositava na sua Visão. Sabia que o dia em que isso aconteceria estava cada vez mais próximo e sabia também que isso trazia todo tipo de paranoia para a cabeça do garoto.

- Eu já te disse que você não precisa se preocupar tanto com isso, Jungkook. - disse tomando as mãos do mais novo nas suas - Você precisa ter um pouco mais de fé.

- Para você é fácil falar. Você e o Seokjin hyung parecem um casal tirado direto de um filme de romance. São perfeitos um para o outro.

Namjoon suspirou e entrelaçou seus dedos nos de Jungkook, tentando chamar sua atenção até que ele o olhasse nos olhos.

- Jungkook olha para mim. Sim, eu e o Jin estamos bem e somos felizes agora, mas isso não quer dizer que nossa trajetória até aqui foi fácil. Nós já brigamos muito e tivemos muitos desentendimentos até chegarmos onde estamos hoje. Você sabe disso. E sabe que a Visão não foi fácil para nenhum de nós dois.

Namjoon teve sua primeira visão dois anos antes. Assim como Jungkook, ansiava para conhecer sua alma gêmea. Estava pronto para receber de braços abertos a pessoa que fosse a escolhida. Qualquer pessoa. Por isso não se assustou quando, na sua primeira vez, enxergou com a alma e viu pelos olhos de um homem. Para ele não teve problema algum. Mas do outro lado do fio, a história foi diferente.

O garoto foi rejeitado inúmeras vezes por um outro alguém que estava em negação e não aceitava o que o universo tinha preparado para si. Foram meses de muito sofrimento e angústia. Namjoon se sentia insignificante. Se sentia insuficiente. Mas, principalmente, se sentia culpado por não poder fazer feliz a sua outra metade, por decepcioná-lo tanto.

Depois de muito insistir, ele acabou desistindo. Não o procurava mais e deixou que seguisse com sua vida. Aceitou o seu destino, aceitou que viveria como um Partido. Só não contava com seu coração que, mesmo com tão pouco, se apegou tanto à Seokjin. Ele o deixou ir, mas seu coração foi levado junto.

Seokjin, eventualmente, acabou percebendo o erro que estava cometendo. Se deu conta do quanto estava abrindo mão em prol de uma convicção que nem mesmo era sua, que havia sido colocada em sua cabeça. Se deu conta do quando o garoto tímido com sorriso fácil o havia cativado. Se deu conta do quanto de seu coração já pertencia há Namjoon mesmo antes de entregar-se a ele.

Então desvencilhou-se de seus preconceitos e lutou muito para ganhar o garoto de volta. Demoraram muito tempo para se acertar, mas sempre souberam que, de fato, suas almas foram feitas para estarem juntas, unidas como uma só.

Jungkook sabia de toda essa história. Acompanhou de perto o sofrimento do seu hyung e, muitas vezes, o abraçou enquanto ele chorava. Escutou todos os seus medos e inseguranças e o apoiou em todas as decisões que tomou. Viveu tudo isso com ele e, por isso, admirava tanto a história de amor que ele e Seokjin haviam construído.

- Eu sei, hyung, eu sei. - falou apertando as mãos do amigo - Me desculpa por falar assim, como se tivesse sido tudo tão fácil. É só que...

- Você tá com medo. - Namjoon completou quando o mais novo deixou a frase morrer.

- Eu tô morrendo de medo. - suspirou, soltando uma risada sem humor algum - E se a pessoa não gostar de mim? Se me achar feio ou sem graça? Se não quiser ter nada comigo? E se eu for um partido? Eu sei que é raro, hyung, mas eles existem. E se eu for um deles? Eu não vou aguentar, hyung.

Jungkook falava praticamente engolindo o espaço entre as palavras. Mal conseguia respirar e seus olhos se arregalavam cada vez mais conforme despejava ali todos os seus medos. Namjoon ria pacientemente, negando diversas vezes com a cabeça enquanto escutava o amigo falar

- Jungkook! - falou rindo. Então segurou o garoto pelos ombros e balançou-o para frente e para trás, tentando tirá-lo de sua própria cabeça cheia de suposições. - Se acalma! Respira.

Então, acompanhando os movimentos do mais velho que inspirava e expirava demoradamente para o guiar, o garoto conseguiu se acalmar.

- Desculpa de novo, hyung. É que eu tô nervoso. Meu aniversário tá cada vez mais perto. Eu não sei o que esperar da minha Visão. Eu não sei como lidar com tudo o que tá passando pela minha cabeça.

- Eu entendo, Kook. Entendo mesmo, mas você sabe que me preocupo com você. Às vezes acho que você coloca expectativa demais na sua Visão.

- Você tem razão - concordou - Mas eu não consigo mudar isso. Acho que, desde que entendi o que era a Visão e que um dia ela aconteceria comigo, eu espero por isso mais do que qualquer coisa. Parece que tudo o que eu fiz esses anos todos foi pensando nisso.

- É normal você estar ansioso para isso, acho que todo mundo fica. Mas você precisa entender que, por mais que seja importante, a Visão não é tudo. Existem Partidos que se encontram por aí e se apaixonam. Mesmo sem estarem conectados, encontram uma forma de se amar. Então não se preocupa quanto à isso. - falou calmamente olhando nos olhos do mais novo, tentando passar-lhe segurança - Se você for mesmo um Partido, isso não quer dizer que você não vai ser feliz.

Jungkook concordou lentamente com a cabeça e pareceu um pouco mais aliviado. Então um outro pensamento cruzou sua mente e ele assumiu uma expressão amuada novamente.

- Mas, Namjoon hyung, e se eu tiver uma alma gêmea mas essa pessoa não quiser ficar comigo? O que eu faço?

O mais velho sentiu seu coração apertar. Pensar na possibilidade de Jungkook ser rejeitado pela pessoa a quem estava destinado o deixava com medo. Temia pelo amigo. Não queria vê-lo sofrer assim como ele próprio havia sofrido.

- Você não está ligado à alguém a toa, Jungkook. Se a outra ponta do seu fio vermelho está atada a alguém, vocês estão destinados a ficarem juntos. O percurso pode ser longo e difícil, mas vocês vão chegar no destino final. Juntos.

Jungkook sentiu-se aliviado, sentiu um peso ser retirado de seus ombros e, finalmente, relaxou sua expressão. Ele abriu o que Namjoon julgou ser o primeiro sorriso sincero desde que começaram a conversar e então se inclinou para frente, abraçando o mais velho.

- Tem razão, hyung. Você sempre tem razão. - Falou e os dois riram juntos, abraçados - Obrigado. 

- Você sabe que não precisa agradecer. - Se afastou e levou a mão até os cabelos escuros e macios de Jungkook, bagunçando-os - Agora vamos descer, a gente tá atrasado.

Os dois se levantaram e saíram do quarto, ainda conversando animadamente e rindo enquanto desciam as escadas. Jungkook passou pela cozinha e se despediu de seus pais, que cozinhavam juntos o jantar enquanto bebiam vinho e escutavam as músicas antigas de que gostavam. Então, junto de seu amigo, saiu pela porta e entrou no carro, indo em direção à escola.

No banco do passageiro, a cabeça de Jungkook ainda se ocupava com as possibilidades para o que aconteceria consigo em seu aniversário. Estava distraído, observando através da janela embaçada pela chuva as ruas vazias da cidade. Já era noite e o temporal que caía sobre eles não contribuía para que houvesse muitas pessoas andando por aí. Mas, em meio à seus devaneios, se espantou quando pararam em um sinal vermelho e, na calçada ao seu lado, viu alguém passar correndo.

- Esse aí só pode estar louco. - Namjoon falou divertido - Sair andando numa chuva dessas... Com certeza vai ficar doente.

- É... - Jungkook respondeu vagamente. Sua mente já havia voltado para os pensamentos de antes.

Os passos apressados ecoavam na rua vazia e faziam barulho ao caírem pesados nas poças d'água espalhadas pela calçada. Carregava nos braços os inúmeros livros, cadernos e partituras que sempre levava consigo e fazia o melhor para protegê-los da chuva forte que caía sobre si. Gradativamente o caminhar rápido se tornou quase uma corrida, até que, com as roupas e os cabelos completamente encharcados, chegou aos portões de entrada da escola.

- Meu Deus, Jimin! - Hoseok exclamou exacerbado, correndo até o amigo que caminhava pelo corredor deixando um rastro de pequenas poças por onde passava - Você tá louco?

Jimin tremia por inteiro, o corpo molhado reclamando do frio. Pequenas gotas escorriam lentamente pelos cabelos escuros que, agora, caíam sobre a testa. Suas roupas estavam molhadas e ele abraçava com força seu casaco, onde enrolou seus papéis para protegê-los da chuva. Abriu lentamente o embrulho improvisado, temendo o que encontraria por baixo do tecido grosso.

- Ai, graças a Deus. - suspirou aliviado, olhando para seus livros que, a não ser por algumas margens um pouco úmidas, estavam a salvo. - Tá tudo certo, não molhou nada. - Falou sorrindo para o amigo que o encarava com uma expressão preocupada no rosto.

- Não molhou nada? Só molhou você né, seu idiota! - falou dando um tapinha de leve no braço do mais novo que abaixou o olhar e se encolheu por conta da bronca.

Hoseok sempre se preocupava com o amigo. Ele era muito dedicado, mas, muitas vezes, esquecia de cuidar um pouco de si mesmo. Não o surpreendia em nada ver que Jimin estivesse tão preocupado com seus materiais mas não se importasse nem um pouco com o fato de estar todo molhado no tempo frio que fazia, arriscando ficar doente.

- Eu não queria esperar passar a chuva, não queria me atrasar. - falou dando de ombros.

O mais velho não respondeu, apenas ficou parado o olhando com uma expressão conformada no rosto. Sabia que não ia adiantar tentar conversar. Já tiveram essa conversa milhares de vezes e o amigo nunca o escutava.

- Tudo bem, Jimin. Vou fingir que suas prioridades não estão meio invertidas e vou deixar a conversa para depois. Eu tenho uma muda de roupa na minha mochila, vou pegar para você e você vai se trocar. Não quero que fique doente.

Jimin sorriu e seguiu Hoseok pelo corredor, ainda pingando.

- Obrigado, Hobi hyung.

Sabia que o amigo estava certo. E agradecia por ele se preocupar tanto consigo. Era bom ter alguém que se importasse com ele, era bom ser importante para alguém.

Mesmo que fosse raro, Jimin gostava quando se sentia importante.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...