1. Spirit Fanfics >
  2. Confissões Bêbadas >
  3. Capítulo Único

História Confissões Bêbadas - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo Único


   Era uma segunda-feira, logo após o jogo da discórdia. A produção do BBB havia lhes enviado um cooler com bebidas e algumas comidas do iFood. Caio estava extremamente nervoso com o fato de Rodolffo estar — novamente — no paredão e o dia da eliminação estar tão próximo. O fazendeiro acabou exagerando — muito — na bebida e ficou bêbado além da conta. Restava a Rodolffo tomar conta de seu neném.

   Caio era um dos únicos brothers ainda presentes do lado de fora da casa. Ele estava deitado em um dos divãs macios que ficavam na grama enquanto observava as estrelas com olhos sonolentos. Rodolffo que continuava sóbrio se aproximou de Caio e sentou-se ao seu lado.

— Ei! — Rodolffo chamou a atenção de Caio que olhou para o cantor e deu um sorriso bêbado — Vamo dormir que já tá tarde.

   Para a surpresa de Rodolffo, Caio o obedeceu imediatamente e se levantou cambaleando do divã. Para evitar acidentes o cantor passou o braço em volta da cintura de Caio e colocou um dos braços do menor em volta de seu pescoço para que ele se apoiasse em Rodolffo. Quando chegaram ao quarto, Rodolffo deitou Caio na cama, tirou o sapato e a bota ortopédica do mesmo, o cobriu e se deitou ao lado de Caio. Por alguns minutos os únicos sons ouvidos no quarto eram os roncos de Gilberto e João Luiz.

— Posso contar um segredo procê? — Caio sussurrou enquanto se virava para Rodolffo.

— Sim, claro que pode Bastião. — Rodolffo respondeu e mesmo com a falta de luz do quarto percebeu que Caio sorria.

— Cê promete que não vai contar pra ninguém? Promete de mindinho? — Caio perguntou parecendo preocupado e Rodolffo foi obrigado a segurar uma risada com a fofura de Caio.

— Prometo. — disse o cantor oferecendo seu dedo mínimo para o menor segurar.

   Caio e Rodolffo entrelaçaram seus dedos mínimos e Caio sorriu.

— Agora sim eu posso te contar. Eu tô apaixonado pelo Rodolffo. — o menor sussurrou e Rodolffo ficou em silêncio, sua única reação sendo um arregalar de olhos.

— Não esquece, cê não pode contar isso pra ninguém. Viu? Nóis fez promessa de mindinho. Principalmente pro Rodolffo, cê não pode contar pra ele, acho que ele não ia gostar de saber disso não! — o fazendeiro tagarelou.

   Rodolffo ficou em silêncio, apenas olhando em choque para a pessoa a sua frente. Até que ele tomou coragem pra falar.

— Acho que ele ia gostar de saber disso, ele ia amar na verdade.

— Cê acha? — Caio perguntou com a voz esperançosa.

— Eu tenho certeza.

   Depois disso os dois ficaram em silêncio, apenas ouvindo o som de suas próprias respirações. Alguns minutos depois Caio caiu em um sono profundo e sem sonhos enquanto Rodolffo repassava em sua mente cada palavra dita pelo menor. Antes de cair no sono Rodolffo pediu a Deus que aquilo tudo fosse verdade, não apenas os devaneios de um bêbado.

   Caio acordou com uma ressaca fodida. Sua cabeça parecia ter sido martelada pelo tanto que doía. O fazendeiro repassou rapidamente os acontecimentos da noite anterior e logo desejou ter continuado a dormir. Ao se lembrar do que havia dito a Rodolffo, sua dor de cabeça pareceu triplicar, a música alta do despertador e a forte luz em seus olhos não ajudavam também. Caio esperava sinceramente que Rodolffo tivesse levado tudo aquilo na brincadeira. Por mais que o amasse, Caio não queria ser responsável pelo fim de sua amizade.

   Rodolffo já havia acordado há muito tempo, ele estava sentado do lado de fora da casa enquanto fumava seu cigarro de palha. Ele estava tentando colocar seus pensamentos caóticos em ordem. O que o estava deixando confuso não era o paredão que estava a cada minuto mais próximo, não. Na realidade o que estava alugando todos os seus pensamentos — ou melhor, quem — era um lindo fazendeiro de grandes e lindos olhos castanhos. Apenas pensar no que Caio havia lhe dito na noite anterior o trazia um sentimento de esperança.

"Eu tô apaixonado pelo Rodolffo."


   Essas frase se repetia sem parar na mente de Rodolffo, várias teorias se formavam e desmanchavam em questões de segundos. Rodolffo precisava ter uma conversa sincera com Caio, ele precisava saber se o que havia ouvido na noite anterior era verdade. E precisava fazer isso tudo antes do paredão, porque mesmo que achasse que não iria sair ainda existia uma chance.

   Caio não queria evitar Rodolffo justo no dia da eliminação, ele não faria isso com seu melhor amigo. Mas ele também não iria mentir dizendo que não se sentiu aliviado quando lhe chamaram ao confessionário para ver o médico. Ele poderia adiar ver Rodolffo apenas mais um pouquinho.

   Quando Caio entrou mancando na cozinha sem a bota ortopédica e com um sorriso enorme no rosto, Rodolffo não pôde deixar de sorrir junto. A felicidade de Caio era contagiante. Caio olhou para o cantor e seu sorriso aumentou ainda mais, esquecendo qualquer vergonha que ainda sentia pelo que havia dito na noite anterior, Caio andou até Rodolffo e colocou os braços em volta do pescoço do maior o abraçando. Sem hesitar, Rodolffo abraçou a cintura de Caio e puxou o corpo do menor para mais perto de si. O cantor respirou fundo e sentiu o perfume viciante do menor lhe invadir as narinas e tomar conta de todos os seus sentidos e pensamentos. Caio era um vício, um vício do qual Rodolffo não pretendia se livrar.

   Caio olhava para todas as direções menos na de Rodolffo, os dois estavam sentados do lado de fora da casa, bem afastados dos outros participantes. O fazendeiro mordia nervosamente o lábio inferior e Rodolffo o encarava com desejo muito mal disfarçado.

— Cê não vai falar nada não? — Rodolffo quebrou o silêncio.

Caio olhou nervosamente para Rodolffo.

— O que cê quer que eu fale?

— O que cê disse ontem a noite foi verdade? — Rodolffo perguntou enquanto se inclinava para mais perto de Caio no sofá.

   Caio engoliu em seco com a proximidade de Rodolffo, o menor acenou positiva e nervosamente com a cabeça e desviou o olhar para a boca do cantor.

— Posso te contar um segredo também Caio? — Rodolffo sussurrou enquanto erguia o queixo de Caio para que olhasse em seus olhos — Eu tô apaixonado por você Caio.

   Caio arregalou os olhos e Rodolffo sorriu para a cena adorável a sua frente. O cantor colocou a mão na cintura do menor e acariciou a bochecha do mesmo, Rodolffo se aproximou de Caio até que suas bocas estivessem a um centímetro uma da outra.

— Eu vou te beijar. — Rodolffo disse e esperou uma resposta de Caio. Uma resposta que não veio — Você não vai se afastar ou me xingar? — o sertanejo perguntou confuso.

— Eu só tô esperando você me beijar. — respondeu Caio.

   Sem se importar com as câmeras ou em ver se algum dos outros brothers os observava Rodolffo colou seus lábios nos de Caio.

   Os lábios do fazendeiro eram ainda melhores do que nos sonhos de Rodolffo. Suas bocas se moviam em sincronia, os dois lutavam pelo controle do beijo, mas no fim Rodolffo ganhou. O maior mordeu levemente o lábio inferior de Caio que entreabiu os lábios, dando passagem para a língua de Rodolffo. A boca de Caio era maravilhosa, o sertanejo esperava ter mais chances experimenta-lá mais vezes.

   Os dois foram obrigados a separarem suas bocas para recuperarem o ar. Eles ouviram o som de palmas e assobios e olharam para os outros brothers. Caio abraçou Rodolffo envergonhado e escondeu o rosto no ombro do maior. O cantor apenas riu e abraçou Caio de volta. Quem diria que uma confissão bêbada os levaria a isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...