1. Spirit Fanfics >
  2. Connected ( Taekook ) >
  3. Mentira atrás de mentira

História Connected ( Taekook ) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Mds eu tô tão pilhada nessa fanfic, ainda bem que ela tem capítulos curtos pq senão seria uma eternidade pra postar hmKkkkkk
Enfim, se tiver algum erro eu arrumo, revisei como pude e tenham uma boa leitura, meus amores

Capítulo 3 - Mentira atrás de mentira


Fanfic / Fanfiction Connected ( Taekook ) - Capítulo 3 - Mentira atrás de mentira

13:23 - Quinta-feira



Kim Taehyung



Ficamos um bom tempo conversando. Ele era um cara legal, para falar a verdade. O seu estilo agressivo mentia muito sobre seu jeito de ser. Ele foi super gentil comigo, até mesmo no jeito de falar. Além de tudo, ele era um grande galanteador. 


Depois de três horas conversando, resolvemos nos despedir e nos falar pelo chat mais tarde. Agora meu primo havia chegado da faculdade enquanto eu fazia os deveres de limpar a casa. 


Eu até tentava disfarçar meus gestos e caras e bocas quando o garoto de cabelos escuros surgia em minha mente, mas era inevitável. Eu me tornei o garoto bobo e apaixonado pelo cara da internet, mas, tão rápido? Eu mal me reconhecia naquela situação.


Mas eu não pensava em nada mais além de pegar na mão dele ao mesmo tempo que ele me levava para casa no maior cavalheirismo. Nada mais que um beijo delicado no fim de um encontro. 


Que merda, por que eu tinha que ser tão desesperado? Eu acabei de conhecer ele, eu não podia criar tantas expectativas para um desconhecido que podia ser qualquer coisa na internet.


Inclusive, eu...


Se eu não me conhecesse, diria que eu fiz isso sem pensar duas vezes. Eu odiava mentir, mas que graça teria se ele soubesse que eu sou o típico garoto bobo do campo que é legal com todos, nunca bebeu, nunca foi a festas loucas e nem transou?


Ao menos ele pareceu mais interessado quando eu disse que eu fumava também. Viu? Ele gostou. E eu gostei dele, eu queria o impressionar. Não queria ser visto como sempre fui. Um garoto submisso a qualquer um que fizesse 1% das coisas melhor que eu. E Jeongguk era esse cara.


Ele tinha piercings, fumava, tinha um estilo oposto ao meu, que eu arriscava dizer que era o tipo de pessoa que jamais teria algo, mas as aparências enganam. Agora eu… Eu no máximo uso óculos para ler. Resumindo, eu era sem sal nem açúcar. Por isso as pessoas gostavam de me usar, porque eu não tinha personalidade o suficiente para ir contra elas. Eu era idiota. Mas ao menos não deixava meus sentimentos se aflorarem no primeiro instante.


O problema era ele, ele me fez fazer isso, e agora, eu corro o risco de me apaixonar pelo garoto que acabei de conhecer. 


Isso estava sendo loucura demais.


Eu só conseguia pensar em como seria nosso primeiro encontro sábado. Eu só pensava em como ele podia me tratar do jeito que eu merecia. Eu só… Queria algo real.


Uma mão foi posta no meu ombro, me despertando da minha imaginação. Me virei a ver quem era, e era meu primo, me entregando o dinheiro que ele estava me devendo. Abri um sorriso imenso o abraçando, eu estava esperando que ele fizesse isso para confirmar o passeio pela cidade que havia marcado com um amigo. A gente só se via quando eu passava as férias lá. Então, sempre dávamos um jeito de nos encontrar e nos divertir.


Subi para o meu quarto, mandando mensagem para meu amigo enquanto subia as escadas. Sim, aquele apartamento tinha dois andares. Não duvidem da família Kim.


Me arrumei apressadamente, colocando uma jaqueta branca e uma camisa preta por dentro. E quando estava pronto, ele já estava na entrada do prédio. Desci feito um louco. Eu não via a hora de o ver finalmente depois de quase um ano sem o ver.


— Para onde vai todo chique- — O interrompi pulando no mesmo lhe envolvendo em um abraço. Ele era meu melhor amigo, não tinha outra pessoa que eu me sentisse mais conectada do que ele — Eu sei, eu sei, eu faço falta na sua vida nesse lugar chato — Me deu tapinhas nas costas, se desfazendo levemente do abraço.


— Hobi, eu preciso te contar tanta coisa…! — Digo empolgado balançando o garoto para frente e para trás, segurando seus dois ombros.


— Mas você me conta tudo desde sempre, o que eu não sei, Kim Taehyung? — Me olhou desconfiado. Fiz uma careta envergonhado. Ele não sabia sobre Jeongguk. Foi de propósito — Tá me escondendo o quê? Hein?


— Eu ia falar isso pessoalmente para saber sua reação, quer dizer, eu vou contar, mas, vamos sair daqui primeiro — O puxei para fora, dava para sentir seu olhar queimando através da minha jaqueta jeans. Ele odiava que eu escondia algo dele sem motivo e eu também não gostava quando ele fazia isso.


Mas é que foi tão rápido que nem me toquei que não havia o contado. Fora que, ele entenderia de qualquer jeito depois de saber.


Seguimos até uma cafeteira aqui perto, seria um lugar mais propício de evitar que ele fizesse um escândalo quando soubesse da novidade. Talvez ele brigasse comigo, eu não sei… Não tiraria sua razão, eu realmente estava botando muita expectativa pra um cara gostoso que encontrei por aí. E pior, na internet.


— Deixa eu adivinhar, vai se mudar para o meu apartamento finalmente? Olha, eu sei que ele é meio pequeno, mas o que um colchão de ar não faz, não é? — Dizia bebendo seu café gelado de caramelo. Eu sei porque era seu favorito e era sempre esse mesmo pedido. Já eu, esperava meu pedido ser entregue ainda. Ri alto da sua alternativa mas neguei com a cabeça em seguida — Ah, o quê? Você sabe que eu não me importo, pode até dormir na minha cama se quiser.


— Não é sobre isso — Umedeci os lábios, girando o mini cardápio a minha frente — É um garoto… — Deixei um sorriso escapar quando eu disse. Hoseok estava surpreso, o que eu esperava, ele com certeza quer que eu fale mais — Pode ser loucura, mas… Eu acho que gosto dele, eu não sei...


— De onde você o conhece? — Ele continuou a bebida. Nem sequer piscava de tão curioso que estava para saber da nova.


— Promete não brigar? — Nunca se sabe, ele poderia causar um escândalo mesmo estando em um lugar fechado. Hoseok podia tudo se o surpreendesse.


— Prossiga, Taehyung… — Lançou um olhar desconfiado para mim, fazendo um barulho de sucção no canudo, me fazendo ficar mais pressionado ainda.


— Eu o conheci na internet… — Murmurei quase inaudível. Ele parou de beber, e me olhou impressionado — Surpresa…! — Fiz jazz com as mãos, não muito empolgado, eu esperava a reação dele.


— Eu sabia que você era burro mas não tanto, que porra é essa, Taehyung? — Ele deixou o copo de lado, cruzando as mãos as apoiando perto do queixo — Você ficou louco? Sabe o quão perigoso é falar com alguém sem nem mesmo saber se ela é uma psicopata ou seja lá o quê!


— Relaxa, a gente fez chamada de vídeo, e… Ele é tão gentil, tipo, se eu te mostrar as fotos dele, você vai ver que ele não tem nada a ver com o que aparenta — Saquei o celular, abrindo o navegador. Hoseok só aguardava me encarando sério — Olha, ele é bonito, né?


— É sim… Mas Tae, você tem certeza que ele é confiável? — Ele parecia preocupado. Eu não imaginava que fosse o deixar assim, achei que ele ia rir e comemorar por eu finalmente ter achado alguém decente.


Quer dizer, possivelmente decente.


— Bem… A gente vai se encontrar mesmo no sábado. Mas relaxa! Ele é legal, ele gostou de mim, acredita? Sabe quanto tempo isso não acontece? Reciprocamente falando — Hoseok ia dizer algo, mas a garçonete havia chegado com o meu pedido. A agradeci e a mesma saiu em instantes — Olha, Hobi, achei que você ia ficar feliz por mim…


— E-estou! Claro que sim, Tae. Mas eu não confio nele — Continuou sua bebida, dei uma risada fraca. Ele sempre me defendia de pessoas que queriam tirar proveito de mim aqui na cidade. Até mesmo quando íamos em festas pequenas, ele sempre afastava os tarados de mim. Ele era quase um irmão mais velho para mim — Quer que eu vou com você sábado? Pelo menos para ver se ele não vai te matar ou algo assim.


— B-bem…


— Vou sim, você queira ou não — Ele se esticou, pegando um pedaço do meu cookie — Quando ia me dizer isso? No natal?


— Ha...Ha... Então… — Cocei a cabeça, desviando o olhar, bebendo um pouco da minha bebida — Conheci ele ontem.


— O quê?! — Todos olharam para a nossa mesa quando ele basicamente berrou, me assustando rapidamente — Taehyung, o que deu na sua cabeça?!


— Humm… O café daqui sempre foi bom, né? — Apontei para a xícara, me virando para a janela.


— Primeiramente, você está num nível muito alto de carência a ponto de se submeter a isso. Segundamente, isso é capuccino — Eu ri com o final da frase. Não importa o que ele fizesse, sempre estaria me fazendo rir.


— Talvez eu esteja… Ele foi o único que não me pediu nudes de todo mundo que conversei naquele lugar — Continuei minha bebida, assoprando algumas vezes antes de a consumir.


— Ainda, querido, ainda… — Ele deitou a cabeça na palma da mão, me observando — Você realmente não aprendeu nada quando passa as férias aqui? Dos lugares que vamos? Ninguém é legal na cidade grande, Taehyung, não somos igual a galera do interior.


— Hobi, relaxa? É só um cara que estou interessado momentaneamente. Se não der certo, o que posso fazer? Simples, volto a ficar vendo vídeos de casais chorando no quarto ao som de Yellow Hearts porque sei que ninguém vai ser suficiente para mim — Digo quase em tom de desespero — Você sabe que eu não tenho sorte nessas coisas…


— Talvez porque você é muito apressado. Tem que começar a aproveitar sua própria companhia e… Quem sabe alguém esteja mais próximo de você do que imagina? — O encarei e ele desviou o olhar. Não entendi, mas fazia sentido. Jeongguk morava em Gangnam também.


E se nos esbarramos em algum lugar daqui? Eu não podia pensar em nada fantasioso que já soltava um riso involuntário no meio do meu rosto. 


— Bom, vamos falar de outra coisa… — Digo mudando de assunto, deixando minha xícara vazia na mesa, sobrando apenas os meus cookies que estava do indo com Hoseok sem nem mesmo perceber — Lembra da reunião familiar que eu vou ter domingo?


— Sim, você me disse… Inclusive, vai me levar também? —  Mordeu o petisco. Sabendo que se eu dissesse não ele ficaria emburrado o dia todo.


— Possivelmente, ainda mais porque sei que você queria ficar com o Jin — Sorri de canto esperando sua reação, que foi mais esperada do que imaginei.


— Ele aceitou?! — Cobriu o rosto não conseguindo segurar a risada eufórico — Quer dizer, ele não liga mesmo se eu sou… Bem, você avisou?


— Ele sabe, relaxa. E mesmo se não soubesse, ele não ligaria em saber que você ainda não fez a cirurgia — Dei de ombros.


Uma coisa que Hoseok sempre se surpreendeu comigo, era o fato de que eu era muito mente aberta para alguém que veio de um lugar onde a maioria das pessoas nem sequer sabia da existência de alguém trans. E quando Hobi se abriu comigo sobre isso, eu o acolhi porque simplesmente não tinha nada de errado. Ele só queria ser aceito como homem, porque ele sempre se identificou como um, mesmo quando criança. Acompanhei sua transição, e digo com sinceridade. Ele ficou mais gostoso do que eu pensava. Com todo respeito, mas Hoseok era um dos caras mais bonitos que eu já conheci na minha vida e eu tinha sorte de o ter na minha vida.


Não só pela aparência. Ele era perfeito, simplesmente, perfeito. Qualquer um queria o ter ao lado. Ele alegrava qualquer lugar que passava e ainda por cima, era um amor de pessoa. 


Eu amava ele, eu não o perderia por nada, ele era meu melhor amigo.


— Mas… Você não estava conversando com aquele tal de Yoongi também? — Perguntei ao relembrar.


— Ele demora para me responder. Ele diz que é o trabalho… Enfim, não vou ficar na seca só porque ele não está disposto — Ele deu de ombros e eu ri cobrindo a boca — O que acha de dormir lá em casa hoje?


— Sério?! Nossa, fazia tempo que não fazíamos isso! — Fiquei tão animado com a ideia. Ele morava duas estações do prédio que eu estava hospedado. Então, era raro eu poder ir na sua casa porque Hobi sempre trabalhava e quase nunca entrava de férias porque gostava da renda extra — Você conseguiu uma folga? Será que é um milagre?


— Eles me deram quase uma semana de folga. Já faz três anos que trabalho lá e eu sempre pedia para não me darem férias, mas dessa vez eles insistiram.


— Você fala de mim, mas e você que se mata há três anos? Precisa de um descanso sim — O chamei a atenção. Mas ele era teimoso, não adiantava nada — E com isso quero dizer, sim, vou te perturbar hoje no seu chiqueiro.


— " Chiqueiro " ? Já olhou para o seu closet? Só tem xadrez naquela porra — Gargalhamos alto, tentando ser sutis, falhando com sucesso — É melhor irmos embora antes que nos expulsem.


— Vamos — Nos retiramos do local após nós dois dividimos a conta. 


Caminhamos por dois quarteirões de Gangnam conversando sobre diversos assuntos. Em determinado momento, fomos até a praça. Ele foi à procura de algum banheiro público, eu assenti e permaneci sentado em um dos bancos. Peguei meu celular e Jeongguk havia me mandado mensagem. Abri rapidamente, lendo com cautela cada palavra sua. Senti meu coração batendo forte somente em ter contato com o mesmo.



— Eu amei conversar com você hoje, garoto do campo

— Você é diferente do que eu pensei… Eu gosto de surpresas

— Não vejo a hora de te ver sábado


Aquelas palavras, aquele jeito, aquele homem, tudo. Absolutamente tudo, era especial. Eu me culpava por estarem deixando levar, mas eu nunca ia saber se daria certo se eu não cedesse.



— Também não vejo a hora de te ver

— O que está fazendo agora?


— Nada de mais, um garoto desempregado e que mora sozinho como eu não tem muito o que fazer diariamente


— Então, eu estou sendo sua diversão?


— De certa forma

— A melhor até agora


— Bobo… 

— Falei de você para um amigo

— Ele disse que não confia em você


— Hum, então sou seu assunto frequente


— Admito que sim


— Bem, é uma pena não ter o agradado quando de fato minha intenção era somente Te agradar


Sorri, evitando transparecer minha felicidade. Olhei para os cantos. Será que era ele?



— Ele vai gostar com o tempo, é questão de conversa.

— Ok, eu estou errado em confiar em você, um estranho que conheci bem dizer, ontem


— Conexão não é questão de tempo, gato

— Pode ser a qualquer momento, a qualquer hora

— Se rolou algo entre nós, não se culpe por sermos tão rápidos

— Apenas acabamos achando nossa cara metade e queremos nos juntar em um só 


Chega, era mais que óbvio. Eu estava caidinho pelo Jeongguk. Ele não ligava que eu fosse um emocionado, na verdade, ele também estava querendo. Estávamos indo direto ao ponto, sem frescura. Era disso que eu estava falando.


Era ele quem eu queria




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...