História Cores quentes - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Midoriya Izuku (Deku), Mina Ashido
Tags Deku, Izumina, Mina
Visualizações 126
Palavras 2.224
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá jovens como estão?

Capítulo 15 - Eri


Fanfic / Fanfiction Cores quentes - Capítulo 15 - Eri

Mina não ouviu as sirenes e nem Aizawa chegando para salvar seus alunos, tudo que a rosada ouvia era a respiração fraca de Izuku, o moreno foi queimado do tronco para cima suas queimaduras eram graves e junto com seus braços deixaram o esverdeado perto de um estado critico.

-Ashido – Aizawa chamou, o professor envolveu Izuku em suas bandagens e o colocou em seus braços, a rosada continuava ao lado namorado enquanto o professor corria na direção das sirenes.

Os alunos foram examinados e dispensados os feridos ou Mina que acompanhava o namorado foram mandados imediatamente para o hospital, Jiro e Hagaruke estavam em estado critico por conta do gás, Momo se feriu ao confrontar um Noumu, Izuku estava em estado alarmante.

O esverdeado desmaiou antes que chegassem a ambulância e foi medicado com oxigênio e tratamento para suas queimaduras, seus braços eram a parte mais complicada para os médicos que tentaram de todas as maneiras colocar os braços no lugar. Mina foi na ambulância e não falou nada apenas chorou enquanto o namorado lutava pela vida.

Izuku nunca sonhou com uma cidade destruída mais lá estava ele, o esverdeado estava em uma cidade japonesa em caos com diversas pessoas voando e atacando civis enquanto poucos heróis respondiam com suas individualidades.

-olhe para isso – uma voz sinistra chamou a atenção do esverdeado.

Havia um homem.

Ou ele parecia ser um homem, sua aura era assustadora e opressora vestia um terno e gravata e flutuava diante do caos, seu sorriso causava calafrios á Izuku, havia uma pessoa ao lado do homem, um homem magro de cabelos longos.

-não faça isso – pediu o homem magro.

-hora meu irmão – o homem de terno sorriu – vamos colocar ordem no caos.

O homem de terno esticou os braços e suas mãos brilharam, as individualidades sumiram, os dois lados pararam de combater e os oprimidos se voltaram para os agora sem poderes e os atacaram de maneira brutal.

-isso é errado – o homem magro avisou.

O homem de terno sorriu e Izuku conseguiu ver seus olhos vermelhos cheios de malicia e tremeu, só havia uma pessoa com aquela individualidade no mundo, aquele que All might jurou combater e aquele que feriu o símbolo da paz. Aquele que Izuku deveria enfrentar e derrotar um dia.

All for one.

Mina ligou para sua família.

A rosada preferiu avisar sua família que estava bem e não deixar seus pais desesperados com as noticias sobre o ataque contra o acampamento da UA, sendo assim a rosada ligou para a mãe assim que Izuku foi instalado em seu quarto.

-mãe?- a rosada perguntou ao ser atendida.

-Mina? Você está bem? Izuku está com você? O que houve?- sua mãe perguntou.

-eu estou bem mãe, mas – a rosada lutava contra suas lagrimas – Izuku foi atacado pelos vilões e está no hospital ele.....ele me protegeu do fogo e – as lagrimas começaram a cair sem serem convidadas e de repente Mina não conseguia mais falar.

-estamos indo – sua mãe afirmou.

Inko a mãe de Izuku chegou primeiro, a Midoriya mais velha chegou no momento em que o esverdeado foi levado para a cirurgia com a Recovery girl, a mulher mais velha chorava e quando notou Mina ela a abraçou forte e perguntou como a rosada estava.

-estou bem – Mina afirmou – Izuku me salvou.

A esverdeada chorou novamente e Mina a abraçou.

Sua família chegou quando Inko conseguiu se acalmar, Hikari abraçou a mãe de Izuku confortando a mulher, seu pai abraçou Mina tão forte que a rosada sentiu seus ossos estalando, seus irmãos a abraçaram a seguir até Shinji que apertou a irmã mais nova contra si.

-você está bem mesmo Pink?- Shinji perguntou, Makoto e Mika abraçaram as pernas da irmã preocupados com a irmã estar envolvida em algo como ataque de vilões.

-ele salvou minha vida – a rosada afirmou baixo o bastante para só o mais velho ouvir – ele levou o golpe por mim.

Shinji abraçou a irmã novamente e logo depois Hikari abraçou os dois, seus pais levaram Inko para tomar um café procurando acalmar a mãe do jovem que passava por uma cirurgia, Mina ficou sozinha com os irmãos e Shinji se sentou ao lado da irmã com Mika a abraçando e Makoto ao seu lado.

-havia um vilão com poder de fogo – Mina contou relembrando a batalha – ele capturou o Bakugo e corremos para recupera-lo – a rosada suava e Mika a apertava – eu estava perto e ele levantou a mão, eu vi as chamas e senti o calor- a rosada levou a mão aos cabelos fofos – de repente Izuku estava na minha frente e rolou para longe – começou a chorar.

-está tudo bem One-chan ele é um herói vai ficar bem – Mika começou a fazer carinho na cabeça da irmã.

Enquanto Mika a abraçava, Recovery girl saiu do quarto de Izuku, a enfermeira encarou a rosada e suspirou esperava encontrar a mãe do esverdeado ali não quatro crianças, nunca em sua vida curou feridas tão sérias quanto as de Midoriya e sinceramente não esperava curar todas e nem foi assim.

-ele está instável – a mulher contou – mas.

-mas?- Mina perguntou, Recovery girl suspirou.

- seus braços foram tão danificados que se houver outro ferimento desses, não vou ser capaz de manter eles presos ao corpo – suspirou – suas queimaduras são sérios e vão precisar de tempo mais vão ficar cicatrizes ele precisa aprender a conviver com elas, suas mãos estão danificados ele não pode forçar mais socos por enquanto.

A rosada ficou sem palavras e Shinji ajudou Recovery girl a chegar até a mãe de Izuku para contar as novidades, Mina entrou no quarto, acompanhada dos irmãos, Izuku dormia com seus braços enfaixados e suas cicatrizes brilhavam com a luz do hospital, o esverdeado mantinha a expressão tranquila e respirava pesadamente.

Mika e Makoto devem ter ficado assustados ao verem o estado do cunhado, Mina refletiu que por mais que os irmãos tivessem poderes eles eram apenas crianças e as cicatrizes de Izuku eram algo difícil de se ver para dizer o mínimo.

-ele parece tranquilo – Mika afirmou e tocou a mão ferida do cunhado.

Aquilo deve ter sido um baque para ela, afinal Izuku e Mina eram os exemplos vivos que a mais nova dos Achidos usava para querer passar para a UA e ver um de seus ídolos naquele estado deve ter sido um soco no estomago.

Era um soco até para Mina que estava treinando para ser uma heroína, o namorado salvou Kouta e ela própria mais em troca ficou em um estado tão calamitoso que Mina achava difícil encara-lo por mais de cinco minutos sem desviar o olhar para seus braços ou queimaduras.

Essa era a vida de um herói. Esse era o futuro deles.

Um suspiro preocupado indicou que a mãe de Izuku e seus próprios pais haviam retornado, os adultos ficaram olhando para o esverdeado enquanto Inko chorou no peito do filho, acariciou seu rosto e lhe beijou a testa.

-a Recovery Girl me disse que você salvou um garotinho –a mulher falou com o jovem adormecido – você é meu herói Izuku – chorou – acorde logo para eu te parabenizar por isso.

A cena era de cortar o coração, sua mãe se aproximou de Inko e abraçou a Midoriya mais velha enquanto seu pai abraçou seus irmãos e os trouxe para junto de si, temendo perder os pequenos.

- eu vou cozinhar algo para quando ele acordar – Inko afirmou – ele vai estar com fome.

-eu te ajudo – Hikari ofereceu e se virou para os filhos – você fica com ele Mina?.

-claro – a rosada tentou sorrir.

Mika insistiu em ficar com a irmã, por isso Mina arrumou duas cadeiras e se sentou ao lado da cama de Izuku vendo o namorado respirar devagar e recapitulo o desastroso ataque dos vilões em sua cabeça, Jiro e Momo estavam no mesmo hospital e já em seus quartos a rosada prometeu que as visitaria assim que a mãe de Izuku voltasse.

-imaginei que você estaria aqui – a voz do professor Aizawa fez Mina se virar.

Seu professor não estava sozinho trazia uma garotinha pela mão, cabelos brancos e olhar assustado a mesma criança que Izuku e Mina resgataram em um beco escuro, Eri era seu nome a pequena tentou sorrir para Mina e se aproximou da cama de Izuku.

-sensei?- Mina questionou  presença do herói profissional.

-Eri insistiu que pode ajudar – explicou.

-me desculpe por isso – a pequena disse e tomou o lugar de Mika ao lado de Izuku, à pequena colocou seus lábios nós de Izuku e seu chifre brilhou. O corpo de Izuku foi envolvido pelo brilho, Mina escondeu os olhos com o braço e quando os abriu novamente o corpo de Izuku estava curado.

Totalmente curado não havia mais cicatrizes além das que o esverdeado já possuía e uma única marca de queimadura no braço, além disso ele estava em perfeito estado Eri separou o beijo e sorriu para o trabalho que fez.

-ela pode restaurar alguém á sua forma antiga – Aizawa esclareceu – ou rebobinar.

Mina encarou a pequena incrédula que Eri detinha tamanho poder, mas não pode encontrar palavras para agradecer o que a pequena tinha acabado de fazer, por isso se limitou a abraçar a pequena garota pela cintura e a sorrir tão largamente que foi difícil imaginar que seu sorriso cabia no rosto.

-obrigado Eri- chan você é a melhor – Mina disse levantando a pequena que corou.

-ele deve acordar – logo respondeu tímida.

Abaixo do quarto de Izuku na sala onde as enfermeiras se reúnem uma nova funcionaria se destacava, possuía os cabelos dourados e dentes longos e trocava seu uniforme colegial por um de enfermeira na verdade a enfermeira que acabará de golpear e trancar no armário.

-estou ansiosa para te ver Izuku – a loira babou.

Mina decidiu passar a noite ao lado do namorado feliz pelo esverdeado ter se recuperado graças a Eri a rosada esperava que Izuku acordasse logo por isso aceitou a refeição da mãe do namorado e pediu aos seus pais para ficar, foi autorizada a ficar assim como Mika.

As duas Ashidos conseguiram montar camas bem confortáveis com cadeiras e seus casacos, Mina usava o casaco verde do namorado que sua mãe havia trago para quando o filho acordasse, os médicos chegaram Izuku e garantiram que ele só precisava de uma boa soneca agora que ele ficaria bem.

Mina tentou dormir. Mais seus sonhos foram cheios de fogo, gritos, lutas e pior Izuku caindo ferindo em sua frente diante dela, Impotente era assim que a rosada se sentia diante da situação que insistia em se repetir em sua cabeça.

Acordou com o barulho da porta e viu com os olhos semiabertos uma enfermeira entrar no quarto, possuía os cabelos loiros e os olhos maníacos e Mina a reconheceu de imediato, a vilã que beijou Izuku.

Mina decidiu agir na hora certa apesar de seu coração estar pulando no peito enquanto a vilã se aproximava no garoto adormecido, uma faca brilhou em sua mão e a vilã começou a sorrir de maneira bizarra.

-sou eu a Toga de novo, Izuku – ela levantou a faca – te limparam isso é mal vamos te deixar sangrando de novo – a vilã desceu a faca.

Mina agiu como Izuku teria agido agarrou o pulso da vilã e forçou a mesma a largar a faca, a vilã respondeu com um golpe usando as unhas arranhando o rosto da rosada enquanto rolava para trás.

-você de novo – rosnou Toga.

-essa fala é minha – Mina devolveu tensa.

A vilã atacou, era rápida e suas unhas afiadas conseguia tirar sangue de Mina se a acertasse por isso a rosada se aproveitou de sua agilidade e leveza para esquivar da maior parte dos assaltos da vilã, girou seu corpo e socou o queixo de Toga que recuou antes de respondeu com um golpe no tronco de Mina que recuou até Izuku.

-fique longe do meu namorado sua psicopata de terceira – Mina provocou.

A vilã sorriu e atacou Mina, a rosada se esquivou e usou sua individualidade, uma pequena porção de ácido com potencia para queimar e não matar, por isso Mina atingiu com força o estomago da vilã e viu com certa satisfação a roupa da mesma se desfazer.

-isso doeu – Toga rosnou e puxou uma segunda faca da cintura – eu vou cortar você.

-pode vir vadia, vou te ensinar a não beijar o namorado dos outros.- a rosada devolveu.

Toga atacou com sua faca e Mina respondeu com ácido, agarrou a lamina e deixou que a vilã a cortasse apenas para derreter a lamina, acertou Toga com um chute e recebeu outro em troca as duas se encararam e Mika começou a acordar.

- você não o merece – Toga rosnou e correu na direção de Mina.

A rosada se preparou para socar a vilã, mas a mesma se esquivou na ultima hora e saltou pela janela quebrando o vidro e despertando Mika de vez, a mais nova arregalou os olhos ao ver o quarto bagunçado e sua irmã ferida no rosto.

- mas o que aconteceu?- a menor perguntou.

Mina cuspiu e sorriu para a irmã.

-uma vadia louca – afirmou.

-você acabou com ela – uma terceira voz se fez presente.

Izuku havia despertado e estava sorrindo, seus olhos verdes encaravam Mina com amor e admiração, a rosada derramou lagrimas antes de pular no namorado ao lado da irmã.

Seu herói despertou.


Notas Finais


Oq acharam do cap? e do poder da Eri?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...