História Crônicas de colegial - Capítulo 7


Escrita por: e Alone2378


Notas do Autor


❤️❤️❤️❤️

Capítulo 7 - Eu não sou lerda


Subo na moto e escuto a Camila falar:

- Você não disse que nunca mais ia subir nessa moto? - Ela diz com um sorriso de canto

- Cala a boca e pilota, otária - Eu digo passando meus braços em sua cintura

- Nossa, grossa - Ela me responde dando partida na moto

Pelo menos dessa vez ela seguiu o caminho sem dar grau e nem acerelar demais

[...]

Desço da moto e tiro o capacete, entregando o mesmo à Camila, dizendo em seguida

- Vamos logo sua tartaruga, eu tô com fome - Eu falo enquanto ela anda calmamente

Vou até ela e puxo ela pelo braço, levando até dentro da lanchonete. Vou até o balcão me adiantando, e pegando um cardápio, seguindo até uma mesa vazia e me sentando

- Tem coxinha de charque - Eu falo apontando pro cardápio enquanto a Camila se senta

- Vai querer coxinha de que? - Ela me pergunta

- Põe isso no plural, porque eu vou querer mais de uma - Eu digo virando a página do cardápio

- Nossa quanta fome - Ela fala rindo

- Óbvio, eu vomitei mais cedo, e a única coisa que eu comi foi aquele negócio ruim que você me deu

- Açaí não é ruim tá?! Você que não tem bom gosto

- Existe algo chamado opinião própria, eu tenho a minha e você tem a sua - Eu digo fechando o cardápio - Escolhi

- Ótimo, qual você quer?

- Duas coxinhas de frango, uma de charque e uma de frango com catupiry - Eu falo normalmente enquanto ela me olha boquiaberta

- Tudo isso? - Ela diz surpresa

- Tô em fase de crescimento amadah

- Que fase de crescimento pelo amor de Deus kirida

- Vai logo pedir minhas coxinhas que eu tô morrendo de fome

- Eu ein, mandona - Ela fala se levantando e indo fazer o pedido - Você quer o que pra beber?

- Coca

- Duas coxinhas de frango, uma de charque, uma de frango com catupiry, uma lata de Coca cola e um copo 350ml de suco de maracujá - Ela fala com o atendente que anota tudo

Ela então volta até mim, e se senta novamente

- Rayssa, você me beijou só pela coxinha, ou você queria fazer isso? - Ela fala olhando nos meus olhos

- Eu queria

- Entao por que não fez antes?

Eu então paro de olhar para as pessoas passando e olho para ela

- Hmmm... Vamos mudar de assunto, você tem 17 né?

- 17 o que?

- 17 anos sua anta

- Ah não

- Como não? Você tá no segundo ano do ensino médio, óbvio que tem 17 anos

- Na verdade eu repeti no 9°

- Entendi...

- Você tem 17 mesmo né?

- É, 17 anos

Assim que eu termino de falar, uma garçonete com um fardamento um pouco vulgar, um decote nos seios, e a parte de baixo curta, aparece e entrega o suco, quase esfregando os seios na cara da Camila

Eu não sei o porquê mas eu senti uma raiva dessa garçonete ainda mais quando ela ajeitou novamente sua postura e a Camila não tirou o olho do seu corpo

- Amadah? - Eu digo chamando a garçonete antes de ela sair

- Ah... Oi, em que posso ajudar? - Ela diz se voltando a mim

- Poderia fazer o favor de não esfregar mais esse seu silicone na cara da minha namorada? Obrigada, de Nada - Eu digo dando o sorriso mais falso que existe

A garçonete engole seco e abre levemente a boca tentando arrumar palavras mas apenas concorda com a cabeça e sai dali envergonhada com a situação

Camila então se inclina até mim e sussurra no meu ouvido:

- Hmm... Namorada né - E e eu me dou conta do que acabei de dizer, ficando mais vermelha que tudo

- Ah, esquece 

- Uh, ciúmes - Ela diz e começa a rir

- Cala a boca - Eu falo irritada 

- Vem aqui calar a minha boca - Ela diz e dá um sorriso sem vergonha 

- Continua falando e eu quebro a sua cara - Eu falo revirando os olhos

- Tá bom, desculpa amor - Ela fala e eu reviro os olhos 

Um garçom aparece com o nosso pedido e põe na mesa, a Camila olha para ele confusa e pergunta: 

- Cadê a garçonete gostosa que veio trazer meu suco? 

Eu olho para ela com uma expressão de raiva, mas não digo nada 

- Ela teve alguns problemas e teve que ir para casa mais cedo - O garçom diz e vai embora

- Eu só não vou embora agora por que eu quero comer coxinha - Eu falo pegando uma coxinha e tacando ketchup 

- Desculpa, esqueci que não tô mais solteira - Ela diz levantando as mãos em rendimento e toma um pouco do seu suco

- Hm - Dou uma mordida na coxinha que estava na minha mão 

Ela fica calada mexendo no celular até eu terminar de comer, ela me olha assustada e diz: 

- Não achei que você fosse comer tudo 

- Falei que tô em fase de crescimento - Eu falo dando de ombros, pegando meu celular e levantando 

- Deus me livre, come igual pedreiro - Ela diz rindo e se levanta também 

Nós pagamos a conta e saímos do recinto, vamos até o estacionamento, ela monta na moto, põe o capacete e me dá o outro 

- Nada de dar grau, se não, eu dou na sua cara - Digo fazendo ela rir 

Monto na moto, ponho o capacete e abraço a cintura dela, ela liga a moto e acelera, me fazendo abraçar sua cintura ainda mais forte 

[...] 

Solto ela, tiro o capacete e desço da moto procurando a chave de casa no meu bolso

- Você não perdeu a chave, né? - Ela diz tirando o capacete e descendo da moto 

- Não, tá aqui - Pego a chave que estava no bolso de trás esse tempo todo e eu não percebi

- Ah sim, a sua mochila ficou lá em casa, eu te entrego amanhã no colégio, ok? 

- Ok, obrigada pelo passeio, até mais - Sorrio e me viro pra abrir o portão de casa 

- Não vai se despedir de forma digna? - Ela diz me fazendo rir 

- De forma digna? Como assim? - Me viro para ela e faço um expressão de dúvida

- Você é lerda assim ou tá fingindo? - Ela diz e começa a rir 

- Eu não sou lerda - Digo cruzando os braços e fazendo bico

- Você fica tão fofa quando está brava - Ela diz rindo mais ainda - Enfim, vou indo, se cuida - Ela se aproxima e me dá um selinho 

- Sai - Digo empurrando ela - Eu ainda não esqueci aquela história da garçonete - Digo me virando e entrando dentro de casa

- Depois a gente conversa, beijo - Ouço ela dizer enquanto entro em casa 

Subo as escadas e vou até o meu banheiro pra tomar banho, hoje foi até um pouco divertido com a Camila, tirando a parte de que ela estava dando grau com a moto

Saio do banheiro e entro no meu closet, escolho usar um short curto e uma blusa rosa, saio do meu quarto e desço as escadas, minha irmã mais nova está na sala, acho que ainda não percebeu minha presença, já que está com toda sua atenção nesse vídeo game

Vou até o sofá e me sento um pouco distante dela e começo a vasculhar minhas redes sociais... Nada de interessante, desligo a tela do celular e ponho ele na mesinha de centro, cruzando as pernas como índio em seguida

- Que jogo é esse - Eu pergunto sem olhar pra ela

- ...

Ela não me responde, parece que se desligou do mundo, está tão focada no jogo que nem nota minha presença

- Graziele! - Eu grito, e ela se assusta, deixando cair o controle do vídeo game

- Poha, que foi?! - Ela fala se virando para mim irritada

- Que jogo é esse?

- Você me fez morrer pra isso? - Ela diz revirando os olhos - Puta que pariu mano, é GTA San Andreas - ela fala pegando o controle do vídeo game do chão

- Quê?

- Um jogo aí - Ela fala então voltando a jogar e eu bufo irritada

Pra que serve irmã se nem pra se comunicar, nem pra tirar do tédio é útil?

Uma semana depois...

Hoje é quinta, a semana passou bem rápido, eu saí com a Camila mais de duas vezes... Saímos para comer pizza, e depois fomos no cinema ver um filme de terror e foi um dos momentos mais hilários da minha vida, a Camila ficou morrendo de medo do filme.

Agora estou indo para o colégio, dessa vez estou indo de Uber porque não estou afim de andar, estou vestindo uma calça jeans azul, uma camisa branca qualquer, um moletom preto e meu querido tênis branco.

- Chegamos - O moço do Uber diz, eu pago e saio do carro 

Entro na escola, passando pelos corredores até chegar no meu armário, pego o meu caderno e uma caneta preta, vou até a sala, me sento, ponho o fone e fico ouvindo música 

- Chega pra lá - A Camila chega me empurrando para o lado e se sentando na mesma cadeira que eu 

- Ai Camila, que susto - Eu falo tirando um fone e fazendo ela rir - Tá querendo me matar é? 

- Desculpa, oque cê tá ouvindo aí? - Ela diz pegando meu fone - Ah, Taylor Swift, qual o nome dessa música? 

- Cruel Summer 

- Top, deixa eu escutar contigo

Ficamos na sala ouvindo música, até que o Sr. Heffley,  professor de filosofia aparece e a Camila volta para o seu lugar

- Turma, vocês irão fazer uma redação de 35 linhas dando a sua opinião sobre a Terceira Guerra Mundial... Comecem aqui na sala, se não der tempo o prazo para entregar será de 4 dias - O professor diz, escreve a data de entrega no quadro negro, e se senta 

Começo a escrever a redação, estou tão concentrada que nem percebo que a Azzy faltou hoje... Oque será que aconteceu? 

[...] 

Me assusto com o sinal, indicando que a aula acabou, eu já tinha escrito 23 linhas, então, resolvi deixar para terminar em casa

- Enfim, não esqueçam de fazer a redação, ela vale 60% da média - O professor diz amigavelmente, pega suas coisas e sai da sala 

- Ei, quer que eu te acompanhe até em casa? - A Camila aparece do nada 

- Quero - Eu digo pegando minhas coisas para sair da sala

Saímos da sala e andamos calmamente pelos corredores até chegar no meu armário, coloco meu caderno e a minha caneta no armário e ela põe suas coisas no armário dela, que por sinal, fica ao lado do meu 

- Vamos - Ela diz e sai me puxando pelo braço em direção a saída do colégio

- Quando você vai entender que eu sei andar sozinha? - Eu falo irritada fazendo ela soltar meu braço 

- Tá, desculpa amor - Ela diz e continua andando 

- Não entendo porque ao invés de segurar a minha mão de uma vez, você sempre sai puxando o meu braço - Digo e começo a rir fazendo ela rir junto 

- Ah, vamos logo Rayssa - Ela diz e sai andando 

- Tá bom, apressadinha - Digo e saio andando também 










Notas Finais


❤️❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...