História Dangerous I know & Love - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias IKON, Park Hye Min (Pony)
Personagens B.I, Bobby, Chanwoo, Donghyuk, Jinhwan, Junhoe, Park Hye Min (Pony), Personagens Originais, Yunhyeong
Tags Drama, Fanfict, Ikon, June, Junhoe, Musica, Romance
Visualizações 20
Palavras 3.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - Capítulo 25


Pony se vestiu rapidamente. Seu cérebro estava girando, tentando pensar no que poderia dizer a seus pais, algum argumento que poderia oferecer, alguma coisa que pudesse fazê-los ouvi-laquando falasse sobre  Junhoe. Mas ela não tinha nada. Seu cérebro era uma zona livre de pensamento.

Ela queria que esse primeiro encontro fosse bem. E agora... Ela estava tão ferrada. Seus pais estavam esperando na área de recepção quando pony se sentiu corajosa o suficiente para sair de seu quarto. Sua mãe estava sentada em uma poltrona coberta de vinil, enquanto seu pai ficou apertando queixo, olhando para os panfletos pregados em um quadro de avisos.

Hye min gemeu interiormente - seria um longo dia.

— Bem — Disse a mãe dela, brilhantemente — vamos ver esse campus de vocês. Mostre-nos a faculdade de música, querida.

Pony foi grata a sua mãe - pelo menos ela estava tentando.

Ela mostrou-lhes as salas de ensaio, onde a orquestra da faculdade ensaiava, e a sala onde eles realizavam suas apresentações de peças de finais de semestre. Eles olharam os outros edifícios da  faculdade, academia, e a biblioteca. Finalmente, eles entraram na  lanchonete. Hye min esperou pelo interrogatório de seu pai para começar. Ele  começou com as perguntas fáceis: como ela estava com seus professores, ela estava estudando muito,como era sua companheira   de quarto, se ela estava mantendo suas notas.

Bom, sim, agradável, e sim.

Houve uma longa pausa.

— Então, conte-nos sobre esse menino... — Disse seu pai.

— Ele tem um nome — pony   sibilou de volta.

— Conte-nos sobre junhoe— Sua mãe disse secamente. — De onde ele é?

— Ele é local.

— Hmm — Disse seu pai, como se ser um local, era motivo de desaprovação profunda. — Qual é o seu curso?

— Ciências Econômicas e Empresariais, com especialização em matemática. — Pony golpeou esse para fora.

Seu pai não pestanejou.

O coração de Hye min afundou. Esperava que, com ambos os pais sendo professores matemática, junhoe iria ganhar alguns pontos.

Não tão longe.

— E ele está em sua classe Introdução aos Negócios?

— Sim, fomos designados para trabalhar em um projeto juntos. Ele é muito inteligente — Murmurou Pony . — Ele é um estudante muito bom.

— Qual é a média de seus pontos?— Disse seu pai, com um ar de descrença aguçada.

— Realmente elevado: 4.0, eu acho — Ela disse, com o tipo de exagero que poderia ser chamado de uma absoluta mentira. A verdade era que Pony não tinha nenhuma pista. Ela só sabia que sem junhoe estaria reprovada em Introdução aos Negócios.

— Isso é bom, querido — Disse sua mãe, que parecia estar  agindo como um árbitro entre o marido e a filha. — Há quanto tempo vocês estão vendo um ao outro?

— Vendo, pois é apenas a quinta semana do semestre, eu diria que a resposta fala por si mesmo — Retrucou o pai.

—hye? — Levou sua mãe, encorajando-a.

— Cerca de três semanas.

— Quase três semanas! E ela já está dormindo com ele!

— Agora, Ernie...

— Não, Monica. Eu tenho vergonha dela - e por isso você também deve ter. Nós te ensinamos melhor do que isso, hye min. 

Ele se levantou abruptamente e saiu.

Pony  sentiu lágrimas empoçarem em seus olhos. Ela piscou- as, apressadamente. Sua mãe afagou sua mão.

— Dê-lhe tempo, querida. Ele vai se acalmar.

— Eu realmente gosto de Junhoe, mãe.

— Eu sei, querida. E ele gosta de você?

Hye min acenou com a cabeça, mas sua mãe pegou o olhar de incerteza no rosto de Pony   .

— Oh, querida! Você está dormindo com ele e você não tem certeza de como ele se sente sobre você?

Pony  balançou a cabeça e olhou para baixo. Sua mãe a pegou em um abraço, ignorando os olhares curiosos    dos outros alunos que estavam fazendo fila para o almoço.

— hye min, querida! — Disse a mãe dela, colocando o cabelo de Pony  atrás das orelhas e olhando nos olhos dela. — Você está... Você está dormindo com ele, porque acha que vai fazê-lo gostar mais de você? Ele te disse isso?

— Não! Não, mãe, não é assim. Eu só... Eu realmente gosto dele —Ela repetiu sem convicção. — Ele é realmente incrível, se você só der uma chance a ele.

— Bem, eu certamente gostaria de conhecê-lo mais — disse a mãe, bastante friamente. — Mas eu acho que é melhor não ser hoje, não com o humor do seu pai. Vamos, vamos encontrá-lo e, em seguida, podemos almoçar.

Comida era a última coisa na mente de Pony , quando seu estômago revirou infeliz. Ela deixou o refeitório com sua mãe. O plano era descer para que eles pudessem ver um pouco mais da área, e os pontos turísticos ao redor do campus.

Seu pai estava esperando do lado de fora com um olhar de raiva reprimida em seu rosto. Pony se sentia mais como uma prisioneira que estava sendo escoltada por seus guardas que uma filha com seus pais.

Ela teria alegremente afundado através do solo nas regiões inferiores do inferno, porque nada era pior do que este purgatório. Naquele momento ela viu HwaMin e Vin caminhando em direção a ela, de mãos dadas.

Hwamin acenou.

— Quem é essa, querida? — Perguntou sua mãe.

— Minha companheira de quarto, HwaMin. E Vin, o namorado dela.

— Ela parece legal — Disse sua mãe em um tom neutro.

— Ela é — Concordou pony, miseravelmente.

— Oi, hye! — Cumprimentou hwamin. Ela estendeu a mão para a mãe e o pai de Pony. — Vocês devem ser o Sr. E a Sra.Park. Hye min estava tão animada com sua visita. Sou HwaMin, sua colega de quarto, e este é Vincent Vescovi.

Todos eles apertaram as mãos. HwaMin não pôde deixar de notar o estranho silêncio e os olhares furiosos. Ela balbuciou, impotente, tentando encontrar alguma maneira de preencher o abismo do antagonismo surdo que parecia estar se aprofundando a cada segundo.

— Então — Ela disse, sua voz cheia de preocupação por Hye min— Vocês já viram o nosso salão de concerto impressionante?

— Sim, foi muito impressionante — Respondeu a mãe de Pony 

— Ótimo! — Tocou HwaMin meia oitava maior do que o habitual. — E vocês estão indo conhecer Junhoe agora porque hye  disse que todos iam para o almoço?

Houve um silêncio sepulcral, e o coração de Pony afundou em  suas botas.

— Nós já nos conhecemos — Ralou o pai dela com os dentes cerrados.

— Oh, super — Disse HwaMin, lançando olhares nervosos em direção a Pony .

— Bem, vamos deixá-los ir apreciar a sua visita — Disse Vin, puxando suavemente a mão de hwamin— Diga oi a june por nós.

— Tudo bem — Murmurou Pony. — Tchau.

— Vejo você mais tarde, hye — Disse HwaMin, com um último olhar desesperado em Pony, e um sorriso demasiado brilhante para seus pais.

— Ela parece legal — Disse sua mãe de leve.

Seu pai não disse nada, simplesmente caminhou em frente, como se estivesse determinado a deixar o campus contaminado tão rapidamente quanto possível.

Pony e seus pais passaram um almoço miserável em um pequeno restaurante italiano, mastigando o seu caminho através dos alimentos que nenhum deles queria, e, provavelmente, não poderiam sentir o sabor. A conversa, tal como era, foi feita pela mãe de Hye min. Na primeira oportunidade, Pony foi ao banheiro e mandou uma mensagem para junhoe.

P: sinto muito sobre o meu pai. Tendo almoço do inferno no Benito. Vejo você mais tarde? HM xx

Ela esperou por um momento, mas ele não respondeu.

— Bem — Disse sua mãe, quando ela voltou. — Isto foi... Bom.

Nem Pony nem o pai dela comentaram

— Nós temos que fazer isso de novo algum tempo. Talvez quando Harry estiver livre. Ele gostaria de ver onde é sua escola,Hye.

— Claro, mãe — Resmungou Pony , sem muito entusiasmo.

— E nós vamos vê-la na Ação de Graças. Isso é apenas daqui a cinco semanas. Você vai estar pronta para alguma comida caseira até então, eu tenho certeza, não é, Ernie?

— Hmmph — Ele disse, em seguida, levantando-se para pagar a conta. Ambas o observaram andar até o caixa.

— Talvez você devesse voltar para casa em um par de semanas — Disse a mãe dela, soltando sua voz. — Ele vai se acalmar até então. Vai fazer os dois bem.

— Eu não posso, mãe — pony disse. — Eu tenho um...concerto chegando. Eu não posso perder os ensaios.

Pony sentiu uma minúscula partícula de alívio - ela não tinha contado a eles sobre 32° Norte. Ela não podia imaginar como seu pai reagiria se soubesse que estava cantando em bares e saindo com pessoas como Changhwa

— Não, não, claro que não. Bem, era apenas uma ideia. Você é bem-vinda a qualquer hora, querida, você sabe disso. Bem, vamos deixá-la de volta nos dormitórios e ir embora agora. São umas boas três horas de carro e você sabe que seu pai não gosta de dirigir no escuro.

— Claro, mãe. Sem problemas. Obrigada por ter vindo.

— E Hye min fale com o seu jovem - junhoe. A honestidade é tão importante em um relacionamento. Você deve dizer a ele como se sente. 

Lisanne baixou a cabeça. — Eu sei. Obrigada, mãe.

Elas seguiram seu pai em direção à saída, mas um som alto e muito familiar fez olhar para fora da janela ao mesmo tempo. Pony não sabia se devia rir, chorar ou correr quando viu  junhoe parar no meio-fio. Ele olhou para ela, antes de retirar o capacete.

— Meu Deus! Isso não é...? — Disse a mãe. 

— Oh, merda!— Murmurou ppony .

Ela viu como junhoe hesitou na porta do restaurante por um breve momento. Em seguida, ele a puxou e caminhou dentro.

— Hey, baby — Ele disse lhe lançando um sorriso. — Eu pensei que podia dizer adeus a seus pais antes de saírem, e ver se você queria uma carona para casa.

Ele virou-se para olhar para o pai de hye min, cujo rosto estava ficando de branco para vermelho ao roxo com uma velocidade surpreendente.

— Fique longe da minha filha!

— Eu não posso fazer isso, senhor — Respondeu junhoe, de maneira uniforme, mas com firmeza.

O pai de Pony ficou boquiaberto.

— Eu sinto muito que nós nos encontramos do jeito que fizemos, e eu não tive a intenção de desrespeitar você - nenhum de vocês - mas sua filha é muito especial e eu me preocupo com ela. Eu vou embora quando ela me disser, não você.

Ao longo de seu discurso, junhoe manteve a voz baixa e calma, mas não havia dúvida ao desafio em seus olhos quando ele olhou para o pai de Pony. Seu pai começou a xingar e rugir, mas foi sua mãe, que colocou uma mão suave em seu braço e respondeu.

— Bem, certamente não foi a melhor das circunstâncias, Junhoe, mas agradecemos a você pedir desculpas. Você parece muito... — Elaolhou seu percing e tatuagens apreensiva — ...como um jovem inteligente, então eu espero que você possa entender quando digo que nós não queremos nada além do melhor para a nossa filha...

— Ela merece isso —Junhoe disse, com veemência.

— Sim, ela merece — A mãe de Pony concordou, um pequeno sorriso em seus lábios se contraindo. Ela estendeu a mão. — Foi um prazer conhecê-lo - mais formalmente.

Um leve rubor coloriu as faces de junhoe, e ele esfregou a mão sobre a parte de trás da calça jeans antes que apertassem as mãos. O pai de Hye min  ficou em silêncio indignado quando sua esposa beijou Pony e deu-lhe um abraço apertado. — Eu acho que você tem a resposta para a sua pergunta, querida — Sussurrou a mãe dela. — Agora, pelo amor de Deus, esteja segura nessa moto.

Em seguida, ela arrastou o marido até o carro. Pony podia ouvir a voz dele elevada por quase metade de um quarteirão. Junhoe soltou uma golfada de ar, e se virou para ela com um sorriso espantado.

— Uau!— Pony disse suavemente.

O sorriso de junhoe suavizou quando olhou para ela.

— E você veio sem armadura! Meu herói!

— Sim, nós, os heróis, fazemos esse tipo de coisa — Ele disse calmamente, mas o brilho nos olhos se afastou.

— Você é definitivamente o meu cavaleiro branco — Ela disse, em pé na ponta dos pés e o beijando nos seus belos lábios.

Ele deixou cair o nariz em seus cabelos e acariciou seu pescoço, causando a hye min um tremor.

— Isso quer dizer que você era uma donzela em perigo — Ele perguntou, deixando-a ir.

— É melhor você acreditar!

Ela falou tão rapidamente que junhoe não pôde deixar de rir.

— Essa foi a mais longa manhã de toda a minha vida. — pony suspirou quando olhou para ele. — Obrigada por ter vindo me resgatar. Eu não quis dizer para você fazer isso quando eu mandei uma mensagem - mas estou realmente feliz que você fez. — Ela olhou para ele, pensativa. — Você realmente encantou a minha mãe.

Ele sorriu para ela, claramente encantado.

— O que posso dizer, bone... hye? Mulheres me acham irresistível.

Pony riu e deu um tapa de brincadeira em seu braço.

— Oh, pelo amor de Deus - apenas me chame de 'boneca'. Eu posso viver com isso.

— Sim?

— Mas ser irresistível para as mulheres não está indo funcionar com meu pai, então é melhor você vir com um plano B.

 Junhoe não parecia perturbado.

— Não precisa, baby. Sua mãe é o meu backup. E se ela for como a minha mãe era, ela vai falar com ele.

Pony ficou surpresa - ela nunca tinha o ouvido falar de seus pais antes. — O que ela era? — Ela disse, timidamente.

Junhoe sorriu, mas seus olhos estavam distantes. — O nome dela era Rebecca e meu pai era Adam. Mamãe era a melhor. Merda em linguagem de sinais - sempre confundia 'amarelo' com 'eu te amo', que era muito estranho às vezes, mas ela tentou realmente. Ela sempre disse que eu podia fazer qualquer coisa que quisesse fazer. -Seu sorriso desapareceu.

— Vamos, eu vou levá-la de volta para os dormitórios.

— Desculpe — Hye min disse, passando a mão pelo queixo para o copo do pescoço.

— Está tudo bem — Ele disse em voz baixa.

Eles viajaram de volta para o dormitório em Sirona, com os braços de Pony enrolados em torno da cintura de junhoe. Ela ainda estava chocada com o comportamento de sua mãe - até mesmo ao ponto de não ficar muito preocupada sabendo que sua única filha   estava andando em torno de uma motocicleta.

Pony mantinha uma mão em concha vagamente sobre a dela para seções da curta viagem, mas quando eles chegaram, seu humor parecia ter mudado novamente. Assim que pony tinha desmontado e retirado o capacete, ele agarrou sua cintura e a puxou para si, beijando-a com avidez, em seguida, mordendo na base do pescoço, logo acima de seu ombro.

— Posso ir com você? — Ele rosnou contra sua pele. — Eu realmente quero você, hye. 

Ela podia sentir sua necessidade quando ele balançou os quadris contra ela.

A pilha de lição de casa que ela tinha a esperando tinha concorrência para o puro desejo em sua voz. Se desenrolando dele, eles correram através da recepção e subiram as escadas de dois em dois.

Foi a coisa mais difícil do mundo para pony encontrar a chave em sua bolsa, enquanto junhoe estava pressionando beijos quentes na curva de seu pescoço. Eles quase caíram pela porta quando ela finalmente abriu.

— Muito ansioso! — A voz cáustica de hwamin vagamente penetrou na neblina sensual de pony. — Eu diria para obterem um quarto, mas acho que vocês já têm.

Junhoe xingou baixinho e discretamente se ajustou, enquanto Pony tentava acalmar seu coração martelando.

— Oh, desculpe,  hwamin— Ela disse sem fôlego. — Eu pensei que você estaria com Vin.

— Não, ele tem uma coisa de fraternidade essa noite. Acho que você está presa comigo.

Junhoe fez uma careta e puxou Pony em direção a ele. — Eu vou sair agora,hye.

— Onde você está indo?

— Casa. Me envia mensagem mais tarde?

— Não posso ir com você?

Ele balançou a cabeça e uma expressão que pony não  reconheceu escureceu seus olhos. 

— Não, boneca. Não esta noite. Nós podemos fazer algo  amanhã, talvez?

— Eu gostaria disso.

Sentindo-se confusa com olhos de julgamento de HwaMin sobre ela, pony o beijou levemente nos lábios. Não foi o suficiente para Junhoe. Ignorando HwaMin, beijou pony profundamente, em seguida, apoiou a testa na dela.

— Mais tarde — Ele disse em voz baixa, e escorregou para fora da porta.

Hwamin ignorou o rosto brilhante de Pony. — Ele parece...Entusiasmado.

— Hum...

— Como foi o almoço? Seus pais se divertiram?

Pony sabia que hwamin estava pescando, mas ela não se importava.

— Quer dizer além deles chegarem cedo e encontrar junhoe seminu no meu quarto?

Olhos de hwamin se arregalaram.

— De jeito nenhum! Bem, isso explica a estranheza.

Pony assentiu.

— Foi horrível. Papai praticamente jogou junhoe para fora e não falou com ele ou qualquer coisa. Passei toda a manhã me sentindo como uma vadia ou uma criminosa ou algo assim. Mamãe estava   tentando fazer com que meu pai se acalmasse, mas foi muito intenso.

Hwamin olhou chocada e solidária, tudo ao mesmo tempo. — Eu pensei que as coisas pareciam meio tensas quando eu te vi.

Pony riu sem alegria.

— Sim, você pode definitivamente dizer que elas estavam tensas.

— Oh merda! E então eu tinha que ir e colocar o meu grande casco nele e perguntar se eles o conheceram! Sinto muito, hye! Eu não tinha ideia.

Lisanne encolheu os ombros.

— Não se preocupe com isso - por esse ponto eu não achava que as coisas poderiam ficar piores. Mas, em seguida, junhoe apareceu no restaurante onde estávamos almoçando.

— Oh. Meu. Deus! O que aconteceu?

— Ele me salvou.

— O quê?

— Sim. Montado em sua bicicleta e disse ao meu pai que a única pessoa que poderia fazê-lo sair era eu. — A voz de pony caiu para um sussurro. — Ele disse que eu era especial e que gostava de mim.

O rosto de hwamin poderia ter sido usado em um cartaz para uma exposição de Edvard Munch. Ela ficou chocada. Ou atordoada. Espantada. Horrorizada. Atônita. Desnorteada. Estupefata. Talvez até perplexa.

— Oh uau! De verdade?

— Sim, ele foi incrível.

— Oh meu Deus! — Ela repetiu fracamente. — Essa é a coisa mais romântica que eu já ouvi! Esse garoto está totalmente em você.

Pony sorriu.

— Eu sei.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...