História Day after day - Taekook - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Kooktae, Kookv, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 72
Palavras 1.298
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!! Como vão?

Desculpa a demora... Essa semana foi meio puxada no colégio, recuperação de bimestre, e acabei ficando de exatas 😔✊ porém sigo firme e forte, com mais um capítulo lindo e gostosinho pra vocês 💜

Boa leitura ♡♡♡

Capítulo 33 - Eu preciso que você entenda


Fanfic / Fanfiction Day after day - Taekook - Capítulo 33 - Eu preciso que você entenda

Duas semanas mais tarde...

• Narrado por Jeon Jungkook •

Já faz pouco mais de duas semanas que vi Taehyung pela última vez. Pode não parecer muito tempo, mas para mim era. Pareciam dois séculos... Ele prometeu que não demoraria para vir me visitar, mas, pelo visto, se esqueceu completamente disso.

Yoongi estava bravo por eu acreditar em Taehyung, e, novamente acabar quebrando a cara. Nem contei a ele o que aconteceu na noite passada.

Estava deitado na cama, com o corpo completamente esticado, abraçando o ursinho de pelúcia entre meus braços, encarando a parede branca, a qual estava virado, com o corpo ainda dolorido.

- Jeon Jungkook? - ouvi a porta do cômodo ser aberta, e uma voz grossa ecoou pelo lugar ao adentrar o quarto.

Virei o rosto para encarar o homem que estava parado no batente da porta, esperando eu olhar para ele na minha demorada forma de me acomodar na cama para tê-lo em minha visão pouco conturbada, para não doer mais do que já estava doendo. 

- Tem visita para você. - falou me direcionando um olhar de dó.

Logo meus pensamentos chegaram em Taehyung e me apressei em levantar, mesmo ainda sentindo um incômodo sobre mim.

- Não precisa me olhar assim. - falei por último.

Me sentei na cama ainda tendo um pouco de dor, deixando o ursinho sobre a colcha, calçando meus chinelos. Levantei caminhando em direção ao homem vestido de preto, um dos seguranças da clínica, e me coloquei para fora do quarto quando ele fechou a porta. Me levou para uma sala ao lado da recepção, perto daquele corredor em que me trancaram no último quarto. Odiava ter que sair do meu depois de algum acontecimento ruim. Todos me olhavam com pena, e isso era irritante. Eu preferia ficar deitado debaixo das cobertas, assim ninguém teria que lembrar de mim. Abriu a porta em minha frente, me dando uma ampla visão do lugar. Uma mesa de madeira no centro da sala, com duas cadeiras do mesmo material, uma de frente para a outra, e em uma delas, sentado Taehyung, com os braços sobre a mesa, segurando o celular em suas mãos, encarando o aparelho em sua frente.

- Tae! - corri até o moreno, de cabeça baixa, percebendo o homem fechar a porta atrás de si e ficar pelo lado de fora da sala apertada.

O mais velho bloqueou a tela do celular, dando total atenção a mim, deixando o aparelho sobre a mesa. Se levantou da cadeira em que estava sentado, esperando eu me aproximar dele na minha pequena corrida. Não conseguiria correr tão rápido depois de ontem. Até que dei sorte por não estar mancando. Veio até mim me acolhendo em seus braços quentes de forma carinhosa. Me apertou em aconchego, como se transmitisse todo seu amor em um pequeno gesto. Levou sua destra aos meus cabelos, segurando minha cabeça apoiada em seu ombro, acariciando meus curtos fios, cortados há pouco tempo. Me encaixei em seu corpo, esquentando-me em seu peito acolhedor. Fechei os olhos, o abraçando tão forte que não pude evitar um suspiro de saudade.

- Senti sua falta... de novo. - completei.

Percebi ao soltar um riso soprado.

- Eu sei. - deixou um beijo calmo em minha cabeça, se afastando minimamente de mim.

- Convencido! - dei um leve tapa em seu peito.

Riu. Pegou em meus braços, os examinando com os olhos.

- Não tirou as faixas ainda? - reparou em meus pulsos.

Mordi o lábio inferior.

- Achei que você ia tirar... - respondi sem-graça.

Sorriu em um suspiro.

- Senta aqui. - pegou uma cadeira, indicando para eu ficar ali.

Aproximou outra dela, a deixando uma de frente para a outra novamente. Sentei na cadeira de costas para a janela, e Taehyung, em minha frente. Pegou em meu pulso direito, começando por retirar o esparadrapo para desenrolar a faixa.

- O que é isso? - segurou meu braço, olhando diretamente para uma marca roxa na minha pele na parte de cima dele.

Engoli a seco.

- E-eu bati.

Olhou para mim confuso, retraindo as sobrancelhas.

- Onde?

- Na cama. - falei a primeira coisa que me veio à mente.

- Bateu o braço na cama? - perguntou ainda desconfiado.

Dei de ombros em afirmação.

Levou o olhar para o meu pulso esquerdo, fazendo a mesma coisa que fez com o outro. Logo passou para os tornozelos, tirando a faixa enrolada em cada um.

- Jungkook. - levantou a barra da minha calça, revelando outro hematoma roxo - Que marcas são essas?

Não queria falar pra ele. Não queria o preocupar mais uma vez.

- Eu bati. - voltei com a mesma desculpa - Nem percebi...

Me deu um olhar inacreditado, levantando da cadeira. Jogou as faixas que havia colocado em cima da mesa em um cestinho de lixo perto da porta. Voltou ao meu encontro se sentando na cadeira novamente, apoiando os cotovelos nas coxas, deixando as mãos cobrindo sua boca.

- Vou perguntar mais uma vez...: - o encarei nervoso, e desceu seus braços, os colocando deitados sobre as pernas - Que marcas são essas?

Neguei com a cabeça.

- Eu já disse que bati. - insisti.

- Bateu... ou bateram em você?

Era impossível tentar enganar Kim Taehyung.

Levantou de onde estava sentado, dando um curto passo até mim, colocando suas mãos sobre a minha camiseta, na tentativa de levantá-la.

- Taehyung... - tentei impedí-lo.

Levantou o tecido, revelando algumas marcas roxas e vermelhas sobre o meu peito, trilhando até meu abdômen. Abriu a boca surpreso com os vários machucados espalhados pela minha pele. Marcas vermelhas da cinta e as roxas feitas com as próprias mãos. Logo tratei de abaixar minha camiseta novamente, tendo a cabeça baixa e os braços sobre o tecido. Não queria encará-lo. Não sei o porquê, mas estava morrendo de vergonha.

- Quando foi isso? - perguntou se ajoelhado na minha frente, como se me pedisse para olhá-lo.

Senti uma lágrima solitária descer do meu olho esquerdo.

- Ontem. - levei minha canhota à minha bochecha, retirando a pequena gota dali.

- Te trancaram naquele quarto de novo?

Balancei a cabeça em negação.

- Foi em outro... lá em cima. - mexi meus lábios em nervosismo por lembrar da tarde passada - Me amarraram em uma camisa de força... - não conti um curto tremor, seguido por uma pequena lágrima - me jogaram no chão, e... - agarrei meus braços, engolindo a saliva em minha boca.

Se levantou rapidamente, encaixando minha cabeça em baixo de seu pescoço, a prendendo na direção de seu coração com sua canhota, fazendo-me ouvir as batidas do seu coração, o qual guardava todo o amor que tinha em mim. Ele sabia que isso me deixava melhor.

- Eu vou cuidar tão bem de você... - começou a mexer a mão, acariciando meus cabelos.

Conseguia ouvir seu coração bater dentro de seu peito, forte e com batidas rápidas, provavelmente agoniado por me ver assim. Era a única coisa que me acalmava... sentir suas mãos grandes sobre minha pele e ouvir seu coração, como uma melodia que tocava sempre no mesmo ritmo.

- Você vai voltar? - perguntei já mais calmo.

Pode parecer estranho, mas Taehyung me acalmava de todas as formas, em qualquer estado.

Se sentou na cadeira à minha frente, olhando em meus olhos.

- Não. - respondeu simplista.

- Tae... - balancei a cabeça como se negasse alguma coisa - eu não aguento mais ficar aqui. Ainda mais sem você...

- Jungkook, eu não posso mais voltar para cá.

- Por que? - fui direto.

Olhou no fundo dos meus olhos, implorando para que eu o compreendesse.

- Eu não consigo entender... - balancei a cabeça suavemente em negação.

- Mas eu preciso que você entenda.


Notas Finais


rsrs oi gente, no próximo capítulo o Taehyung vai explicar o motivo dele ter saído da clínica e como ele vai salvar o Jungkook daquele lugar. ai ai sofro 😔✊✊

Até o próximo capítulo, anjos 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...