História Depressão de Hiddleston - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Benedict Cumberbatch, Chris Hemsworth, Tom Hiddleston
Personagens Benedict Cumberbatch, Chris Hemsworth, Personagens Originais, Tom Hiddleston
Tags Romance
Visualizações 15
Palavras 795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quero dizer que a demora é por conta que não tenho costume de sempre escrever. Mesmo assim peço desculpas.

Capítulo 3 - Bons Tempos


Deitado em sua cama, ele olhava para o teto enquanto ele pensava no almoço que teve com a nova estagiária Patrícia Widukind. Se lembrando quando ele ficou a sós por ela por 5 minutos, ele abre um sorriso frouxo, querendo aparecer mas sem forças para isso. 

Se sentando e colocando seus chinelos gelados, ele anda devagar pela casa. Sendo um sábado, não precisaria fazer nada. Tomando um banho quente, ele começa a lembrar do sorriso dela, a delicadeza de como seus lábios se faziam aquela linda vista de seus dentes brancos. Tendo um pequeno e pouco carnudo, seu desejo era tanto que quase podia sentir o gosto deles.

A água batendo em meu rosto parece quase um abraço.. como será o abraço dela?.. Se questiona Thomas, com um sorriso leve. 

Seu raciocínio acaba sendo novamente interrompido por batidas fortes na porta. Elas eram duas e uma parada, duas e uma parada. Repetindo isso por três vezes. Desligando depressa o chuveiro e saindo molhado dali, sua toalha estava apenas esconde suas sua cintura para baixo.

Benedict: Eu não acredito que você toma banho a essa hora. Hoje está um dia lindo, Tom, vamos passear! (Vendo aquele seu amigo todo animado, Tom apenas respira fundo enquanto encharca seu chão.) 

Thomas: Não deve ser uma boa hora. Acabei de sair do banho e ainda está um sol forte lá fora e - (Ben o interrompe e diz.)

Benedict: Chega cara. Você vai se arrumar agorinha e vamos ir no parque. Vai antes que eu chute sua bunda desse apartamento. (Com seu comentário um tanto exagerado, faz tirar algumas risadas de Tom. Deixando seu amigo esperando na sala, ele se arruma depressa e os dois saem para fora. Entrando na sua BMW M3 branca, eles colocam o cinto e Ben diz durante o caminho.) Tu não sabe o quão feliz eu estou agora. 

Thomas: Eu apenas sai de casa, isso não é algo tão especial. (Olhando para a janela com um olhar vazio, Thomas não olha um segundo se quer para Ben.) 

Benedict: Você não saie a quase 1 mês de casa. O mundo continua Thomas, sei que é difícil mas ele continua. (Deixando que a música toque mais alto, o rádio toca uma sequência muito eclética de músicas de 2012. Ao chegarem ao ponto de encontro, eeles estacionam o carro e andam até a fonte central. Vendo uma mulher sentada ali, os dois fazem o mesmo.) Está vendo essas coisas? (Respirando fundo e soltando o ar, isso faz com que Tom ria um pouco.) Os pássaros cantando, as pessoas fundos e amando. Falando em amor, soube que você gosta de alguém? (Corando rapidamente, ele diz em defesa.)

Thomas: Do que adianta se ela ama outro. (Abraçando seu amigo, Ben o consola dizendo.) 

Benedict: Existe várias pessoas a sua volta, foque nas pessoas que você tem que tudo sairá bem. (Com um sorriso amigo, eles passam o dia conversando e tomando sorvete. Aquilo melhorou o humor de Thomas e isso fez com que ele queira ir andando para casa. Passando pela calçada, ele vê uma moça no chão, mais especificamente, era a estagiária nova. De patins e segurando seu joelho ralado, ela derramava algumas lágrimas.) 

Thomas vai até ela ajudar, se sentando ao teu lado e dizendo.

Thomas: Você está bem? Machucou mais alguma coisa? (Seus olhos cheios dágua pareciam brilhar ao olhar para ele.)

Patrícia: Sr. Hiddleston.. (Dizendo surpresa mas com dor, ele ajuda ela a se levantar. A sentando em um banco de ponto de ônibus, ele pega sua garrafa d'água e derrama devagar em seu joelho.) Não estava nos meus planos machucar desviar de um esquilo achando que teria sucesso. (Rindo dela, ele diz.)

Thomas: Esquilos não machucam uma mosca. O máximo que eles fazem é comer noz, a não ser que você seja uma noz, então tenha medo. (A fazendo rir, o coração dele se enche de alegria. Aquilo dá uma leve esperança em alguém que acreditava que estava morta.) Quando minhas irmãs se machucavam, eu sempre cuidava delas. (Sorrindo e olhando para baixo, seus olhos começam a encher de lágrimas.)

Patrícia: Eu sinto muito, Sr. Hiddleston. (Tentando disfarçar sorrindo e limpando rapidamente, ele diz.)

Thomas: Não kkk não se preocupe. (Com seu joelho doendo e suas mãos raladas, Patrícia lhe dá um abraço por alguns segundos. Foi o abraço mais longo que Thomas poderia sentir.) Obrigado.. (Dizendo como um suspiro, ele a abraça com força.)

Patrícia: Meu pai também faleceu ano passado, minha mãe sempre foi muito ausente na minha vida então.. eu tive que me apoiar em amigos. (O soltando e encarando, ela termina.) É um momento horrível, mas eu acho que acabamos de virar amigos então.. (Rindo dela, ele diz.)

Thomas: Obrigado, de novo, eu.. (Deixando o silêncio dizer por suas palavras, Thomas sente deu coração doer mas dessa vez por algo bom.) 




Notas Finais


Obrigada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...