História Differences make equalities - (Namjin, Vhope, Jikookmin) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, K.A.R.D
Personagens Baekhyun, J.Seph, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sehun, Somin
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 81
Palavras 4.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee. Tudo bom com vocês? Aqui estou eu postando mais um capítulo pra vocês 💙 Espero que gostem. Amo vocês. Como o capítulo ficou grande. Eu dividi ele em duas partes. Uma ficou pra parte 1. E a outra ficou parte 2. Mas a ideia original era só deixar um capítulo ^^
Boa leitura.
~
I purple you 💜

Capítulo 14 - A visita inesperada - parte 1


Só irá se desgastar.


Pov Namjoon on.

Eu sabia que ele estava diferente. Talvez seja pelo o que eu fiz lá? Mas eu não consigo. Eu estou apaixonado por ele. Será que ele acha que estou brincando com seu coração? Não estou. Eu realmente gosto dele.

- O-O que foi? - Ele pergunta baixo.

- Eu fiz algo que te deixou assim?

- Assim como?

- Assim Jin, você sabe. Eu não quero te deixar triste ou bravo. Seja lá o que aconteceu, me conte.

Solto sua mão e ele se senta na cama.

- Eu... Eu estou muito triste - Ele abraça os joelhos.

- Eu te deixei assim? - me aproximo e me sento também.

- Não, é minha vida, meu destino, é triste, tudo é triste, eu odeio, odeio meu pai, odeio minha vida, odeio tudo.

- Você me odeia?

Ele levanta seus olhos pra mim e uma lágrima escorre.

- Não...

- Então você não odeia tudo. Tem alguma coisa que você não me contou Jin? Sobre... Sua vida? Seu... Futuro? Me conte.

Me aproximo limpando suas lágrimas e o abraço.

O Jin deita a cabeça em meu ombro e começo a afagar sua cabeça acariciando lentamente suas orelhas entre seu cabelo. Ele soluçava baixinho e eu envolvo meus braços em seu corpo o puxando mais pra mim. Vendo que ele se acalmava lentamente, coloco meu rosto em seu pescoço. Senti seu perfume único e descolei um beijo gentil em sua cabeça.

- N-Nam... - as orelhas de Jin abaixam quando faço isso.

- Shiiiii - coloco minha mão em seu rosto limpando novamente as lágrima que caiam.

Continuo beijando sua cabeça gentilmente enquanto acariciava sua costa.

Beija-lo é tão bom...

Depois de um tempo quando ele finalmemte parou de soluçar eu paro, nesse momento ele vira seu rosto pra mim. Ele estava vermelho e com a boca entre-aberta. Suas orelhas abaixadas quase não dando para vê-las. Ele da um sorriso mínimo e encosta novamente sua cabeça em meu ombro e começa a ronronar.

- Aí meu Deus que fofo - falo dando uma risada baixa.

- Eu? Fofo? - ele levanta as orelhas.

- Sim. Você. E muito...

- Ninguém nunca me disse isso.

- Todos são cegos então. 

Ele solta o ar pelo nariz sorrindo.

- Obrigado Namjoon.

E então levanta sua mão esquerda até o meu rosto e começa a me acariciar. O toque da sua mão com meu rosto me da arrepios.

Droga Namjoon.

Ficamos daquele jeito por vários minutos. Eu poderia ficar com ele assim para sempre. Depois de um tempo suas mãos param e seu corpo fica mais pesado. Ele acabou dormindo...?

E então eu lentamente faço-o deitar na cama e tento sair da cama sem acorda-lo. Mas suas mãos me seguram me impedindo de sair. Olho pra trás ele estava com os olhos entre abertos. Ele não estava dormindo?

- Nam... Eu me sinto tão bem quando estou com você... Você me dá uma sensação de proteção. De felicidade. Eu não quero ficar só novamente, por favor, não vá. Quando estou só parece que a qualquer momento vou desabar.

Suas palavras fizeram meu coração doer. Eu não sabia que ele se sentia assim. Eu não sabia que ele sofria. Apertei suas mãos que seguravam com força suficiente para confirmar aquele pedido e então me deitei ao seu lado. Diferente de ontem que estávamos no sofá. Hoje estamos na cama. Isso é algo que amigos fariam?

Jin sussurrou meu nome baixinho e se aproximou de mim lentamente até se encostar em mim.

Sua cabeça em meu peito praticamente.

Oh não... Eu não que quero ele ouça as minhas batidas do coração...

- Seu coração está batendo muito rápido Nam... Isso é por mim? - ele afasta um pouco sua cabeça pra me olhar.

Não faça perguntas assim...

- E-Eu não sei - respondo fechando os olhos corado.

Ele então coloca sua cabeça novamente em meu peito e da um suspiro.

Levou um tempo até que eu consiga dormir já que estávamos no horário de almoço e quem dorme essa hora? Eu pelo menos não. Mas se for pra ficar assim com ele. Eu com certeza dormiria o dia inteiro.

Quando acordamos era cerca de 17:00. Abri os olhos lentamente e notei que estava abraçando algo. Levei um susto pois tinha me esquecido de que havia dormido com o Jin. Mas logo meu cérebro processou e me acalmei.

Oh bem. Não podemos dormir o dia inteiro não é?

Tratei de chamar o Jin gentilmente. Logo sou respondido com um "hmmm" e os olhos dele se abrem lentamente.

- Namjoon...? Quanto tempo dormimos?

- Cerca de 7 horas mais ou menos.

- Oh... - ao contrário do que esperei ele apenas me apertou mais em seus braços em vez de me soltar.

- J-Jin...

- Desculpe. Está muito bom. Não quero te soltar.

- E-Eu também...

- Tem... Tem algo que não te contei. Eu tenho que te contar... - Ele então me solta e eu consigo me sentar na cama.

- Diga.

- Eu...

Somos cortados com o som da campanhia. 

Por que bem agora?

Que merda hein.

O Jin rapidamente sai de perto de mim me causando uma sensação ruim. E se tranforma em um gato novamente.

- Depois você me fala?

- Sim - Ele me responde.

Fui atender a porta com um milhão de coisas na cabeça, acabei de dormir com ele... Enfim quando abri a porta lá estavam parados três homens. Dois mais velhos e um mais novo. Tentei sorrir do melhor jeito possível.

- Pois não? - Minha voz saiu um pouco grossa demais. Talvez porque eu estou desconfiado desses caras.

- Ele quer ver seu futuro marido - O homem da direita fala.

Franzi a testa. Eu vou casar e não sabia? Só tem eu e o Jin aqui. E meus pais foram na tal viagem...

- Desculpe. Não tem ninguém aqui que vai casar.

Ou será que...

- Ah tem sim. Príncipe Jin. Conhece? - O outro homem fala e libera suas orelhas que estavam escondidas.

Minha cabeça deu um nó. O Jin? O Jin ele vai se casar?

- Com quem ele vai se casar?

- Comigo - O garoto mais jovem fala.

Analiso o outro de cima a baixo. Ele não parece o tipo que o Jin deve gostar... Ah, quem sou eu pra decidir essas coisas, ele gosta de quem quiser. 

E aí eu percebo que me machuquei com o que pensei.

- E então? Onde está o príncipe? - um dos homens perguntam.

- Como posso saber que são de confiança...?

- Ah vamos. Vai dizer que o príncipe Jin nunca te falou sobre mim? Min Yoongi - O mais jovem que acabo de descobrir o nome se pronuncia apontando pra si mesmo.

Neguei com a cabeça.

- Bem... Confie em nós ok? Não iremos fazer mal ao Jin - O Homem fala - Então... Onde o Jin está?

- La dentro. Entrem.

Dou passagem pra eles e fecho a porta.

- A casa não é tão grande - O homem fala.

- Mas parece ser confortável, isso é o que importa - Yoongi fala.

O que é isso? Porque estão analisando minha casa?

Dou um sorriso amarelo e guio eles até a sala.

- Jin. Seu marido quer te ver - grito para que ele escutasse.

Logo o Jin aparece em forma de gato.

Ao ver os homens ali presente ele paralisa. Primeiramente penso que iria pular no seu tal "marido" de felicidade. Mas depois estranho quando o Jin se destransforma e fala: "O que estão fazendo aqui?"

- Seu pai queria que eu fosse te ver - O jovem fala.

- Yoongi... Certo? - o Jin pergunta.

O que é isso? Ele não sabe o nome do seu marido?

- Certo.

Um silêncio constrangedor preenche a sala e então um dos homens resolve quebrar o silêncio.

- Bem deixaremos vocês três a sós. Voltaremos daqui duas horas.

Eles falam e abrem um portal no meio do nada me fazendo ficar de boca aberta.

- Espera. Duas horas? - O Yoongi pergunta, mas aí já era tarde de mais e os homens tinha sumido - Affs.

- ... E então? Não vão se beijar? - pergunto, mas me arrependo na mesma hora, o Jin me olha assustado e o Yoongi faz uma cara indiferente.

- Nossa mas claro... - o Yoongi logo vira as costas e se transforma em gato - Hmmmmm... - e logo o outro deita no tapete significando que ia tirar um cochilo.

- Pode deixar nós dois a sós por favor? - sua voz lenta e suave percorre por minha mente.

"Deixar a sós"? Eu queria ir, mas ao mesmo tempo eu não queria.

- Vai Namjoon... Por favor - o Jin se transforma em um gato também.

- Tá... Ok... Hum... - me afasto devagar indo pro meu quarto.

Fecho a porta bruscamente e me jogo na cama. Porque ele nunca me disse? Que ia se casar? E eu aqui achando que ele gostava de mim. Ninguém gosta de você Namjoon. Você é um idiota.

Cubro minha cabeça com o travesseiro.

Pov Jin.

- O que quer me falar? - pergunto.

Ele vira o corpo pra mim ainda deitado  e seus olhos me fitam travesseiramente.

"Oh oh isso não é um bom sinal". Pensei.

- Aquele garoto. Kim Namjoon. Tem gostos peculiares.

- Ham? - viro a cabeça confuso, do que ele está dizendo?

- Gostar de seres de espécie diferentes é peculiar não acha?

- Q-Que?

- Não se faça de bobo. Percebi o quanto ele se afetou ao saber que eu serei seu futuro marido. Sem contar as descaradas mal humoradas que ele deu.

- Eu... Eu não sei...

É verdade que ele dormiu comigo agora pouco. E me da beijos e... Droga estou tão confuso.

- Quer testar então? Pois bem, eu te ajudo. Chame ele.

- O que você vai fazer? E também. Ele acabou de ir pro quarto.

- Chame ele. Apenas isso.

Ele disse calmamente e minha mente disse que era pra eu chama-lo. Então gritei seu nome alto.

Não se passou nem dez segundos e o outro apareceu na porta da sala.

- O que? O que foi? Você me deu um susto - Ele apareceu todo atrapalhado na porta.

- Eu e meu amor queremos sair pra curtir a tarde juntos.

O Suga (nome que pediu pra chama-lo) fala e eu me viro pra ele espantado.

Ele secretamente pisca pra mim como um "só concorda".

- É... Hum... Sim. Podemos?

O Namjoon ficou com uma cara indecifrável a minha frente. Logo ele fala: Não é seguro vocês dois saírem essa hora.

- Olha nós somos mais velhos que você e sabemos nos cuidar. Eu apenas quero passar meu tempo com o Jinnie lindo.

"Jinnie"?

O Suga vem até mim e passa seu rosto por minha costa. Eu não sei se foi impressão minha ou o Namjoon mordeu o lábio inferior.

- Huum. Vocês podem passar seu tempo aqui em casa mesmo eu não vou atrapalhar vocês. Não é realmente seguro voces saírem agora.

Olhei pra ele e sem querer sorri, ele realmente se preocupa com minha segurança. Mas o Namjoon não percebeu meu sorriso, já que ele não sabe decifrar sorrisos de gatos.

- Hunf o que acha amor? - o Suga pergunta.

- Tudo bem nós podemos curtir aqui mesmo... 

O Suga contorce a cara em minha direção.

- Amor... - completo.

O Namjoon faz uma cara estranha.

- Então... Vou deixar vocês a sós... Só não sujem o tapete. Se preferirem a cama podem ir lá.

- Não importa o lugar. Sendo com o Jinnie tudo é bom.

Gente o que está acontecendo aqui? Que troca de maliciosidade é essa?

Mano do céu.

- Hum - O Nam confirma sério e logo sai do cômodo.

O Suga esperou 1 minuto e depois disse: Falei que ele estava afim de você.

- Como você conseguiu deduzir isso? - pergunto confuso.

- Fala sério, a cara dele foi a prova de tudo, ele tava se morrendo de ciúmes por dentro.

- Suga eu só passei oito dias na casa dele. É impossível que ele tenha nutrido algum sentimento por mim nesses oito dias.

- Ah? E você não nutriu né?

Engasgo com minha saliva.

- Não precisa nem responder - O Suga fala vitorioso.

- Claro que não! Eu tenho meu compromisso. Se eu não gostei de ninguém até hoje não é agora prestes a um casamento que eu vou gostar - digo.

- Ah sim Jin... Gosta sim... - Ele abaixa a cabeça e encara o tapete - Não é difícil. Quando somos obrigado a namorar alguém a força, fica muito mais fácil você gostar de outra pessoa. É como se no seu coração despertasse a última chance de amar verdadeiramente. Vamos Jin. Pode ser sincero comigo.

Analisei as suas palavras e percebi que não eram mentiras.

- Ao mesmo tempo também de que é difícil você gostar da pessoa que está sendo obrigada a namorar. Não me leve a mal Jin. Você é bonito e parece ser muito legal e gente boa. Mas toda vez que olho pra você eu lembro desse maldito casamento. E isso faz eu não querer me aproximar de você. Esse casamento destruiu o único amor que eu podia sentir...

O outro olhou furiosamente pro tapete, mas logo sua raiva se transformou em tristeza.

- ... O que aconteceu? Você perdeu seu amor por causa desse casamento?

- Meus dois amores - Ele corrigiu - Meus namorados... Que fui obrigado a me separar por causa desse maldito casamento.

- Oh...

Fitei o tapete junto com ele.

- Hum... Você quer saber? Eu gosto mesmo do Namjoon.

- Nossa nem imaginei.

- Mas eu não posso gostar dele...

- Você pode. Se gostar de uma pessoa talvez seu pai possa cancelar o casamento e aí eu também serei livre.

- Está louco? Meu pai vai me matar. Além disso SEU PAI vai matar todo o meu reino. Eu não posso nem pensar nisso.

- Isso é verdade... É. Acho que a sorte não bateu pra gente.

Depois disso ficamos o resto do tempo conversando. Descobri que ele é uma pessoa legal no fundo, mesmo parecendo frio e sarcástico. Temos muito em comum. Talvez não seja tão ruim esse casamento afinal. Ele é bom de papo... O que você está dizendo Jin? Isso é um casamento arranjado. Isso nunca é bom.

- Bem meus guardas virão daqui uma hora para me buscar.

- Tudo bem. Já está quase na hora da janta então vou preparar algo - disse indo em direção a cozinha e me transformo em humano seguido por Suga que se senta em uma das cadeiras.

Resolvi preparar algo simples. E de repente fiquei com vontade de tomar uma sopa. Logo peguei os ingredientes na geladeira e comecei a cortar alguns legumes. Enquanto fazia as coisas era observado por Suga que me olhava desanimadamente.

- Tudo bem? - pergunto enquanto coloco as coisas na panela.

- Você me lembra um dos meus namorados. Ele gostava de cozinhar também.

- Namorados?

- Sim. Um deles sempre cozinhava pra mim...

Ele me deu um sorriso e no mesmo instante o Namjoon aparece na porta da cozinha.

- Oh? Está cozinhando Jin? Nunca te vi cozinhar.

- É pra mim. Meu mozão tem mãos de ouro - O Suga diz provocando o Namjoon.

- Nah, pare com isso - disse corando.

- Saquei - O Nam confirma, sua voz estava mais grossa do que o normal.

O Suga me dá um sorriso travesso querendo dizer: "Não vou cansar de causar ciúmes nele".

O Namjoon parecia que ia pegar algo na geladeira mas eu o interrompi.

- Estou fazendo pra você também Nam - disse gentilmente.

- Ah? - o outro me olha espantado e confuso - Ah ok.

Logo ele ficou parado na porta sem saber o que fazer mas logo o Suga o interrompe.

- Ei, vai ficar aí parado? Venha cá eu não mordo não, quero conhecer o salvador do meu amor - O Suga diz apontando para um dos bancos lá disponível.

O Namjoon da um sorriso pequeno, mas de longe sabia que não era verdadeiro.

Ele logo se sentou e os dois trocaram olhares cortantes.

- Então... Devo agradecer por estar protegendo o Jinnie... - O Suga diz sorrindo.

- Só estou fazendo o que eu deveria fazer - O outro desvia o olhar incomodado.

- Se eu fosse você eu estaria me queixando agora porque eu seria um humano.

- Hã? - o Namjoon faz uma cara de confuso.

- Ora, um homem como o Jin... Na verdade... Um gato como o Jin quem resiste?

- Olha... Primeiramente eu não sou gay. Segundo. Eu sei muito bem que ele é um gato. E agora por cima descubro que ele vai se casar. Não se preocupe eu não estou nem um pouco afim dele.

As palavras do outro passaram como flechas em meu coração. Ele disse isso tão normalmente, então isso é verdade? Ah... Isso... Dói.

- Hum - O Suga confirma - Bom saber que você sabe que ele tem dono.

Depois disso se ficou um completo silêncio só o barulho de eu mexendo na panela ficava no cômodo, e isso já estava me agoniando. Eu não estava aguentando mais. Quando a sopa ficou pronta eu dei graças a Deus.

- Ficou pronto - disse tentando parecer normal.

- Oh meu amor, o cheiro está otimo - O Suga levanta da cadeira e começa a vir até mim.

Percebo ele piscar para mim e aí que eu penso... O que ele vai fazer dessa vez?

Ele me encurrala na parede e aproxima seu rosto do meu.

Coloco minhas mãos em seu ombro para afasta-lo, mas ele é forte e não tem efeito.

- Vou te agradecer por ter feito isso por mim baby.

"Baby"?!

- Suga eu não...

Aperto meus olhos, mas logo ouço uma voz.

- Eu não sei se você "Suga" percebeu... - e logo o Suga é tirado da minha frente e empurrado pra longe enquanto Namjoon entra na minha frente para me "proteger" - Mas o Jin não está nem um pouco a vontade com isso que ia fazer.

- Bobagem ele vai ser meu futuro marido! Quem é você para se intrometer?

- Pode ser seu futuro marido, mas são namorados?

Essa pergunta pegou o Suga de surpresa. O azulado piscou os olhos algumas vezes e enfim falou.

- Claro que sim - Ele cruzou os braços.

- Pois se são namorados deveria saber quando o Jin não está a vontade.

- Gente é melhor par...

Sou interrompido com uma luz surgindo no cômodo e aquele dois homens aparecem.

- Senhor viemos te buscar.

- Senhor está no céu. Eu tenho nome. E é Min perfeito Yoongi.

- Okay Okay. Min Yoongi.

- Melhor - O Suga diz simples - Desculpe amor, outro dia eu tomo a sua sopa - Ele diz e logo arremessa um beijo no ar em minha direção e entra no portal acompanhado dos dois homens ali presentes. Logo o portal desaparece e só fica eu e o Namjoon ali.

- Nossa que confusão - disse saindo de trás do Namjoon e indo até a mesa onde estava a panela de sopa - Pelo menos agora a sopa não está tão quente...

Levo a panela até a mesa e me sento observando o Namjoon ali parado.

- Não vai vir?

- Hum?... Ah ok - Ele olha pra mim e se senta.

Eu pego meu prato e logo coloco um pouco da sopa e entrego pro Namjoon.

- Espero que goste - falo.

O outro pega a colher e lentamente pega um pouco da sopa e leva aos lábios.

Fiquei o observando com receio, mas logo ele sorri.

- Hum... Nossa Jin... Está muito bom!

- Ah? Que bom!

Disse e logo fiz meu prato e comecei a tomar a sopa também.

- Você... Cozinha bem - Ele levanta o olhar pra mim e me da aquele maldito sorriso de covinhas.

Senti meu coração bater mais rápido e apenas consegui responder positivamente com a cabeça. Fixei meu olhar na sopa corado.

- Ah... Então... Quando será o casamento?

Levanto os olhos surpreso, eu não esperava que ele faria essa pergunta...

- Hum... Ah... Daqui uma semana - disse entediado.

- Te agrada esse casamento?

- Hum... Não sei.

Foi aí que eu me toquei. Eu acabei de dizer para ele indiretamente que eu talvez não goste do Suga, agora o outro não podera mais irritar ele.

O mais novo dá de ombros.

- Bem... Estando feliz está bom.

As palavras dele entraram em meu coração e comecei a pensar sobre aquilo. Eu estou feliz?

...

Acabamos de tomar a sopa e eu pego os pratos para lavar.

- Pode deixar eu lavo - O Namjoon diz.

- Não se incomode - digo indo em direção a pia.

- De jeito nenhum. Você cozinha. E eu lavo. É justo não? - Ele diz e estende a mão pra mim com a intenção de pegar no prato que estava segurando, mas sem querer ele pega na minha mão no lugar.

- A-Ah é...? - dou um passo pra trás timidamente, parece que o outro não percebeu que estava segurando minha mão - o-ok - entrego os pratos pra ele que sorri e se dirigi a pia ainda sorrindo.

Pov Namjoon.

É tão bom ver o Jin corando por minha causa. Ele parece um anjo lindo sorrindo de cabeça baixa tentando esconder o rubor. Às vezes eu esqueço que ele vai se casar. Mas eu acho que esse casamento... Eu não sei. Tem algo de estranho no Jin sobre isso. O que aconteceu agora a pouco de ele ficar tão repulsivo em relação ao seu futuro marido... Isso está me confundindo a cabeça. Mas quer saber? Eu vou seguir o que meu coração manda. Eu não me importo de que ele vai se casar ou não. O que passamos juntos ultimamente apenas me faz ter certeza que eu o amo. Toda vez que ele sorri pra mim eu tenho uma vontade inexplicável de sorrir também. Toda vez que ele me abraça, eu me sinto protegido. Toda vez que ele me olha eu sinto o seu olhar doce pra mim. Ele é o único garoto... Que me faz sentir bem estando ao seu lado. Mas não bem em sentido de companhia. Isso também. Mas é mais puxado pra: a pessoa ideal pra estar ao meu lado, em todas as ocasiões, sejam elas más ou ruins. Eu não vou desistir do Jin. Eu estou me apaixonando por ele... Na verdade, eu já me apaixonei não é?

Sou despertado de meus pensamentos com ele recolhendo meu prato pra ir lavar

- Pode deixar eu lavo - falo.

- Não se incomode - Ele diz indo em direção a pia.

- De jeito nenhum. Você cozinha. E eu lavo. É justo não? - Digo e pego no prato que estava segurando mas eu acabo pegando na mão dele no lugar, sinto um formigamento na área que o toquei.

- A-Ah é...? - Ele deu um passo pra trás timidamente, pude notar que ele havia corado - o-ok - ele entrega os pratos pra mim e sorri sem perceber enquanto observo seu rosto corado logo me dirigi a pia ainda sorrindo, aquele garoto mexe comigo. Comecei a lavar tudo e percebi que o garoto ainda estava lá.

- Pode ir fazer alguma coisa se quiser - falo.

- Eu... Hum... Ok.

O garoto não relutou e saiu da cozinha. Isso me aliviou um pouco. Não que eu não queria a companhia dele. Mas desastrado como sou eu estava com medo de quebrar um dos pratos na sua frente.

Felizmente terminei tudo sem quebrar nada, eu demorei um pouco pra lavar a panela, mas no fim consegui e logo sai da cozinha. Jin estava sentado no sofá de costas pra mim com seu celular no ouvido.

- Sério? Você está mesmo? Oh que lindo... Sim eu sempre quis ir num lugar desse tipo, que inveja. QUE INVEJA.

Ele estava dando risadas baixas enquanto conversava com uma pessoa.

Resolvi não escutar a conversa porque é feio então tentei discretamente subir as escadas, mas não tive sucesso, esbarrei o pé em um degrau e isso foi o bastante pra chamar a atenção do Jin. Ele virou a cabeça pra mim surpreso.

Tentei subir de qualquer jeito envergonhado por ter chamado a atenção dele.

- Namjoon espere.

Ouço a voz do Jin e confuso me viro. Ele fazia sinal para esperar. Rapidamente se despediu da pessoa e sorriu pra mim docemente.

Isso foi o bastante para acelerar meu coração.

- O-O que foi? - pergunto confuso.

- Bem... Eu queria ir num lugar Nam...

Jin fez uma cara de dó e eu não falei mais nada além de: então vamos.

.

.

.

Bem... Eu não sei como eu vim parar aqui. Mas acabamos parando no meio de um festival. Daquele que tem um monte de barracas pra vender enquanto pessoas dançam.

- Não sabia que gostava de festivais - falo quase gritando por conta do barulho.

- E eu não gosto. Estou aqui por um motivo.

- Qual motivo?

- Aquele - Jin aponta para um carrinho de sorvete um pouco a frente de nós.

- Queria tomar sorvete?

- Mais ou menos. Nunca ouviu falar sobre o sorvete do YooSoo?

- Ah... Não...?

- É simplesmente um sorvete que trás boa sorte, uni casais, descobre o amor e traz a paz...

Um sorvete desse tipo? Nem mesmo sabia que existia.

Por que ele me trouxe aqui?


Notas Finais


Muito obrigada por lerem!
A parte 2 em breve.
Até o próximo capítulo.
Bye~
~ "Quando estiver sozinho e pensar que eu te deixei, olhe para o céu. E lembre-se da promessa que eu te fiz
~
I purple you 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...