1. Spirit Fanfics >
  2. Dragon fighter (versão anime) >
  3. Episódio 02

História Dragon fighter (versão anime) - Capítulo 2


Escrita por: Ridara

Notas do Autor


O último não foi tão bom mais é que é a minha primeira vez então boa leitura:)

Capítulo 2 - Episódio 02


Eu estava treinando fazendo flexões com um braço só eu treinava todos os dias por quê eu queria ser o mais forte de todos eu tenho cicatrizes dos meus treinamentos mais elas não são muitas elas só me deixaram ainda mais forte 

- 996...997...998...999...1000 - contei caindo no chão ofegante mais mesmo assim eu me levantei e fiquei treinando dando socos e chutes na árvore

- você tem treinado muito ultimamente - disse o senhor Hiroshi aparecendo atrás de mim ele já estava com 82 anos mais ele ainda era bem forte mais o cabelo dele tinha caído

- é eu disse que queria ser o mais forte de todos e é isso que eu vou ser, eu vou ser o mais forte de todos - disse ainda dando socos e chutes na árvore até que ele segura a minha mão

- essa árvore não é um bom adversário pra você - disse ele então ele soltou a minha mão e eu me afastei um pouco então ele entrou em posição de luta - lute comigo

- eu não vou bater em um velhinho e além do mais... - antes que eu pudesse terminar a frase ele me acertou um golpe no abdômen que me fez ficar com falta de ar e ficar de joelhos no chão gemendo de dor 

- nunca subestime seu inimigo por quê ele pode ser velho, ser baixinho ou ser mulher mais de um jeito ou de outro ele pôde te dar uma surra, vem deixa eu te ajudar - disse ele estendendo a mão então eu peguei a mão dele e ele me ajudou a levantar - vamos continuar

Então nós ficamos treinando por um bom tempo e ele pôde já estar bem velho mais ele ainda é muito forte e rápido 

- suas habilidades melhoraram muito - disse ele enquanto treinavamos 

- obrigado - disse então eu consegui acertar um soco no abdômen dele então ele bateu em uma árvore

Então eu tentei acertar outro soco nele mais ele deviou então eu acabei acertando a árvore e arranquei um pedaço dela mais mesmo assim ela não caiu então eu tentei acertar um chute nele mais ele abaixou e outra vez eu acertei a árvore e nisso ele caiu mais antes que ela caísse em cima dele eu segurei ela e eu não sei como eu consegui segurar ela com uma mão só e ela tinha o peso de uma pena então eu me assustei e joguei ela e fiquei olhando pras minhas mãos então ele se levantou nessa hora nós ouvimos uns gritos vindo do vilarejo então nós fomos ver o quê era e quando chegamos lá nós vimos que ele estava sendo atacado por umas pessoas estranhas que soltavam fogo pelas mãos os protetores do vilarejo lutavam com eles mais era inútil eles eram muito fortes 

- temos que ajuda-los! - gritei então ele afirmou com a cabeça e nós fomos ajudar os outros 

Quando chegamos eu vi que a Aiko estava com problema com um deles sim protetores também podem ser mulheres mais a Aiko é a única de todos nós eu e ela somos amigos a muito tempo e nós somos muito parecidos ela tem cabelos azuis claros curtos e olhos verdes alguns até acham que nós somos irmãos de tão parecidos que somos mais nós não somos irmão por quê eu não tenho nenhuma irmã mais a Aiko sempre foi como uma irmã pra mim mais chega de enrolação eu corri pulei e acertei um chute nele o quê fez o mesmo atravessar uma das cabanas então me aproximei da Aiko e me agachei ao lado dela e ela tinha alguns ferimentos que não eram muito grandes mais estavam sangrando 

- você está bem? - perguntei preocupado

- tô - disse ela então eu peguei ela no colo(no estilo noiva) - o quê você tá fazendo? - perguntou ela corada

- preciso levar você pra um lugar seguro - disse então um dos protetores se aproximou

- a montanha do norte lá é seguro e é pra aonde o pessoal do vilarejo foi leve ela até lá - disse ele

- mais e como vai ficar vocês? - perguntei

- nós vamos ficar bem vai! - disse ele então apareceu um deles e começou a lutar com ele então eu olhei pra trás e vi que o meu avô já tinha derrubado um então ele se veio até mim

- eu te dou cobertura vai! - disse ele então eu corri em direção a montanha do norte 

Enquanto eu corria eu percebi que a Aiko não parava de me olhar mais eu nem liguei o quê eu mais queria naquele momento era levar ela até a montanha do norte e mante-la segura então nós chegamos no montanha do norte 

- por favor cuidem dela - disse então eu entreguei ela pra um deles ela tava muito fraca e pelo que pareceu ela não queria que eu a soltasse então ela desmaiou nesse momento eles levaram ela o mais rápido possível então eu ouvi um som estranho então eu olhei pra trás e vi que era um deles então eu entrei em posição de combate

- ora, ora então nós finalmente te encontramos - disse ele com um sorriso maléfico no rosto

- quem são vocês!? e o quê querem comigo!? - perguntei irritado

- nós somos um grupo de seres poderosos que nasceram com poderes de fogo nós somos os Dākudoragons(tradução: dragões sombrios) e o quê nós queremos é o seu coração - disse ele apontando pra mim - e nós vamos pega-lo 

Então as mãos dele começaram a pegar fogo e ele avançou na minha direção em uma grande velocidade e tentou me acertar um golpe mais eu desviei então ele tentou me acertar vários vezes mais eu desviei de todas e acertei um soco no abdômen dele o quê o fez ir longe então ele firmou os pés no chão e deslizou e bateu em uma árvore eu ainda não sabia de onde eu tinha tirado tanta força então ele deu uma risada maléfica 

- você realmente é o que o Sr.Kai fala - disse ele limpando o sangue que escorreu pela sua boca com o polegar - mais, chega de brincadeira! - gritou ele então ele jogou um bola de fogo em mim mais eu consegui desviar mais então eu escutei o grito dos outros e quando eu olhei pra trás eu vi que o fogo quase acertou ele por pouco - você não devia ter se desviado

- (droga, se eu me desviar ele vai acertar o pessoal do vilarejo) - pensei então ele jogou outra bola de fogo em mim mais dessa vez eu não desviei eu fiquei parado e ela me acertou em cheio no abdômen e queimou a parte de baixo da minha camisa mais eu permaneci em pé mesmo a dor sendo insuportável

- sabe nós podemos manipular o fogo do jeito que nós quisermos então - disse então ele lançou fogo na minha direção e o fogo se espalhou pelo meu corpo inteiro menos a cabeça e me prendeu eu não conseguia me mexer e ele queimava a mim e as minhas roupas enquanto eu gritava de dor - eu posso usa-lo do jeito que eu quiser!

- Akira! - gritou uma pessoa do vilarejo

Então eu fechei os olhos e vi um fogo azul então eu abri eles de volta e comecei a absorver todo o fogo então ele mudou de cor pra azul então ele envolveu o braço direito enseguida foi absorvido pela palma da minha mão então eu soltei uma rajada de fogo poderosa que não era fogo comum mais sim era um fogo azul que queimou aquele cara inteiro em segundos então eu caí de joelhos no chão enseguida tudo ficou escuro

QUEBRA NO TEMPO A NOITE.

Acordei em uma cama eu olhei pro lado e vi a Aiko ela estava com alguns curativos então eu me sentei na cama 

- Akira! - gritou ela pulando em mim e me abraçando - que bom que você tá bem 

- o quê aconteceu? - perguntei 

- o pessoal do vilarejo disse que você tinha desmaiado depois de ter soltado um fogo azul pelas mãos - respondeu ela

- e o senhor Hiroshi? e o resto do protetores do vilarejo!? - perguntei me aproximando dela

- ei calma todos estão bem, quando você fez aquilo o resto deles recuaram, e a propósito é o senhor Hiroshi que tá cuidando dos outros agora - respondeu ela então eu dei um suspiro aliviado - então como você fez aquilo?

- eu não sei - respondi desanimado olhando a minha mão então eu fechei e abri ela então eu dei um suspiro - isso é muito confuso

- o quê? - perguntou ela

- isso que aconteceu, uma hora eu acho que sou uma pessoa normal e na outra, eu derrubo uma árvore com dois golpes e solto fogo pelas mãos, isso é muito confuso - respondo então ela me abraça mais ela me abraça do outro jeito de um jeito que enfiasse a minha cara entre os enormes seios dela então eu corei violentamente mais não conseguia me mover eu tinha paralisado

- tudo bem, sei que deve existir uma explicação pra isso - disse ela fazendo carinho na minha cabeça como as mães fazem então nós afastamos mais ela continuou com as mãos nos meus ombros - não precisa ter medo sempre estarei aqui por quê eu te amo

- eu também te amo Aiko, você sempre foi como uma irmã pra mim não só por você ser muito parecida comigo mais também por você sempre estar lá quando eu precisava, obrigado - disse então ela deu um sorriso muito lindo 

- posso dormir com você? - perguntou ela

- como assim? - perguntei

- é que as outras camas estão ocupadas - respondeu ela 

- tabom pôde dormir comigo - disse então ela corou

- sério? - perguntou ela 

- sim, afinal é super normal - respondi normalmente

- tá bom - disse ela então ela deitou do meu lado e nós dormimos

QUEBRA NO TEMPO NA MANHÃ SEGUINTE.

Acordei abraçado em uma coisa estranha então eu senti algo macio então eu apertei por quê eu não sabia o quê era então eu olhei e vi que o quê eu tava abraçado era a Aiko 

- (pêra se eu tô abraçando a Aiko então o quê eu apertei foi...) - pensei então eu me toquei no que eu tinha feito e dei um berro e caí da cama então eu ma afastei rapidamente até encostar na parede

- Akira, o que aconteceu você tá bem? - perguntou ela então eu me levantei num pulo extremamente corado

- s-sim eu tô bem, n-não se preucupe Aiko - gaguejei

- será que tá bem mesmo? você tá vermelho, eu acho que tá com febre - disse ela se levantando e vindo até mim pra tocar a minha testa mais eu desviei

- t-tá tudo bem Aiko eu tô bem talvez seja por causa do calor - disse ainda corado 

- mais nem tá tão quente assim - disse ela confusa

- acho melhor agente ir logo - disse saindo do quarto então eu vi o senhor Hiroshi na mesa ele tinha uma expressão séria - o quê aconteceu? - perguntei pra Aiko mais a mesma só abaixou o olhar

- Akira, preciso conversar com você - disse ele então eu me sentei a mesa

- o quê foi senhor Hiroshi? - perguntei a ele 

- você sabe que eu cuidei de você quando você chegou aqui desnutrido não sabe? - perguntou ele - eu te alimentei, te dei roupas novas, te treinei e cuidei de você como se você fosse o meu próprio filho 

- sim eu sei por quê? - perguntei não entendendo o quê tava acontecendo ali

- estou te dizendo isso por que chegou a hora de você deixar o vilarejo - explicou ele

- o quê!? - exclamei batendo na mesa e ficando de pé - como assim deixar o vilarejo!?

- calma não é pra sempre, é só por um tempo - explicou ele 

- quanto tempo exatamente? - perguntei me sentando

- até você descobrir quem você é - respondeu ele

- mais como eu vou descobrir quem eu sou se eu não sei nem pra onde ir? - perguntei

- é por isso que ela vai com você - disse ele apontando pra Aiko que estava encostada na parede com os braços cruzados e o olhar baixo - ela sabe o caminho até uma vila onde as pessoas irão saber o quê dizer a você

- mais e o vilarejo? - perguntei

- não se preocupa todos ficarão seguros - disse ele então ele segurou a minha mão - você cresceu muito deis de que eu ainda tinha cabelo, eu sempre protegi a sua retaguarda mais chegou a hora de você proteger a sua própria retaguarda quando estiver lá fora e proteger ela  - disse ele então uma lágrima

- eu vou sentir saudade - disse então eu segurei a mão dele com a outra mão

- eu também vou, vocês partem amanhã - disse ele então eu soltei a mão dele

- ok - disse me levantando

- e lembre-se do que eu te disse quando estavamos treinando - disse ele então eu parei e olhei pra ele

- ok - disse então fui arrumar a minhas coisas

QUEBRA NO TEMPO NO DIA SEGUINTE.

Eu e a Aiko estávamos carregando duas grandes mochilas e nós estavamos nos despedindo dos outros eles estavam muito tristes por termos que partir eles diziam que iriam sentir a nossa falta

- nós também vamos sentir falta de vocês - disse a Aiko

- nós não sabemos quanto tempo aproximadamente iremos ficar longe mais nós prometemos a vocês que iremos voltar - disse então os protetores do vilarejo se aproximaram

- nós sabemos que vão e até lá iremos proteger esse vilarejo com toda a nossa força - disse um deles então eu concordei com a cabeça

- tchau pessoal - disse a Aiko

- tchau pessoal - disse então todos disseram tchau então nós entramos na floresta

- (e é aqui que a minha grande aventura começa, posso não saber o que eu sou mais eu tenho certeza que a experiência que eu vou ter nessa grande aventura vai ser inesquecível) - pensei enquanto caminhava pela floresta

CONTINUA...


Notas Finais


me desculpem por isso mais até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...