História Drogas... (Hentai!) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno
Tags Narusaku
Visualizações 256
Palavras 2.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais uma cap! Desculpa se está fic está meio confusa... Muito obrigada por todos os favoritos e comentários vocês são maravilhosos! s2

Capítulo 3 - Como nos conhecemos... (Parte 2)


Fanfic / Fanfiction Drogas... (Hentai!) - Capítulo 3 - Como nos conhecemos... (Parte 2)

...

Ele tirou a camisa e começou a me beijar, agora um pouco mais rápido e com exigência ele precisava daquele momento comigo, ele queria, almejava ele cobiçava... Por que ele me amava...

Minhas pernas envolviam o quadril de Naruto, em quanto suas mãos subiam e desciam pela minha cintura me apertando de leve em quanto eu apertava de leve os cabelos da sua nuca trazendo-o ainda para mais perto de mim, seu corpo por cima do meu era tão excitante e me enviava mensagens libidinosas até meu consciente me fazendo perder o meu controle aos poucos...

Os lábios dele começaram a descer pelo meu pescoço, beijando, chupando me fazendo arrepiar a cada toque... Eu não sabia como reagir aquilo tudo, por mais que tivesse gostando, mas logo a insegurança tomou conta de mim e ele é claro experiente nesse assunto logo notou.

Amor, não precisa ficar assim... – Diz ele sorrindo. – A menos que você queira que eu pare...

Não!... – Falei tão rápido que mal foi notada a insegurança em minha voz, eu consegui chegar até ali, não podia parar agora, pois eu não queria. Minhas bochechas coraram violentamente. Ele apenas riu de leve.

Então, apenas sinta... – Ele respondeu e depois dessa frase eu senti sua mão descer da minha cintura até a barra da minha calcinha e isso fez a minha respiração falhar e logo em seguida ele me encarou ainda com aquele sorrisinho agora um pouco mais malicioso. Era azul contra verde, era loiro contra róseos um choque de duas realidades completamente diferentes, mas havia algo em comum e isso eu podia sentir desde a primeira vez que o beijei, que nossos corpos se atraiam mutuamente de uma forma deliciosa e excitante. – Fica tranquila amor, eu não vou machucar você... Você vai gostar disso... – Aquela frase fez meu rosto ferver, mas eu confiava nele... Eu podia confiar.

Faça o que quiser comigo... – Falei ainda com a respiração um pouco falia.

Você que manda amor... – Diz ele descendo seu rosto até chegar sua boca até a minha cintura a segurando com ambas as mãos em quanto distribuía alguns beijos sobre a minha barriga, até que suas mãos desceram até minhas coxas a apertando de leve indo em direção a parte interna delas... Agora sua cabeça estava por entre  as minhas coxas, seus olhos se levantaram para encarar os meus, como se tivesse totalmente atento as minhas reações... Eu estava completamente perdida, só sentia que precisava de algo... Minha respiração estava ofegante... Então ele com seus dentes puxou a minha calcinha para baixo, a única peça que ainda vestia... E assim que minha calcinha alcançou o chão ele parou alguns segundos para observar cada parte do meu corpo desnudo, ele parecia hipnotizado... Ele mordeu o próprio lábio e veio até mim levando uma das suas mãos até minha nuca deixando nossas testas coladas uma na outra, ele sorria maliciosamente. – Você é só minha... – Diz ele agora colando a sua boca na minha me beijando... Eu sorri durante o beijo, eu fiquei feliz em ouvir aquilo, por mais que tivesse ainda com um pouco de vergonha por ele ter me olhado daquele jeito...

O que eu posso fazer para lhe agradar?... – Perguntei em quanto ele beijava o meu pescoço apertando de leve os meus cabelos. Eu queria ser completamente dele, faria qualquer coisa para vê-lo feliz...

Você já está fazendo isso... – Sua voz soou rouca e perfeitamente sexy. – Eu adoro a sua boca... – Dizia ele. – Adoro o seu pescoço... – Diz ele passando sua mão nele. Joguei minha cabeça para trás, totalmente entregue em quanto ele não cessava com seus beijos deliciosos... Ficamos alguns segundos apenas nos olhando, nossos olhos fixos um no outro sem desviar se quer um momento, o meu mundo parou naquele momento e provavelmente o dele também... – Eu amo você garota... -  Seu olhar era carinhoso sobre o meu, porem cheio de desejo acumulado...

Eu também te amo, muito mesmo... – Falei passando minha mão pelo o seu rosto o trazendo para mais um beijo....

Suas mãos tinham permissão para brincar como ele quisesse com o meu corpo e isso não tardou de acontecer. Sua mão deslizava e apertava suavemente um dos meus seios e isso era uma sensação tão boa, a maneira que ele tocava em meu corpo era tão delicioso, másculo e seguro. Ele se movia e fazia coisas com toda segurança de um homem que sabia exatamente o que estava fazendo, na proporção certa para me levar a loucura...

Sabe qual é uma das melhores partes de fazer amor?... – Ele perguntou sorrindo maliciosamente ainda acariciando o meu seio.

E qual seria?... – Perguntei o olhando em quanto tentava controlar a minha respiração.

Quando usamos a língua... – E nesse mesmo segundo ele abocanhou o meu outro seio em quanto continuava a apertar o outro. Soltei um gemido involuntário, aquilo deveria me assustar, mas ao invés disso, pareceu apenas aumentar a sensação de excitação que eu sentia... Apertei seus ombros com uma certa força...

Humm... Naruto... – Gemi com minha boca entre aberta. Ele novamente desceu seu rosto ate a minha cintura, mas dessa vez eu estava sem calcinha, então eu já imaginava o que ele iria fazer... Seus lábios estavam contra a minha intimidade me dando praticamente um beijo de língua na parte mais sensível do meu corpo, e isso fez uma corrente elétrica percorrer todo o meu corpo me fazendo contrair totalmente desesperada de prazer... Sua língua brincava com minha intimidade chupando, beijando, lambendo... Ele se divertia fazendo aquilo, e eu estava ficando tensa e sentia que algo estava por vir... Tentei sair, aquilo era tão gostoso, mas parecia insuportável de aguentar, mas ele me segurou, mantendo-me presa as suas carícias incontroláveis!

Minha respiração estava tão ofegante e descompensava que apertei os lençóis com força para controlar aquilo que estava por vir, sentia cada vez mais calor e prazer e ainda mais necessidade de liberar meu corpo das agonizantes sensações que eu sentia... Meus músculos estavam rígidos e logo fui tomada por uma onda de sensações que dominou o meu corpo, gemi alto quando senti aquilo tudo... Mas logo em seguida meus músculos relaxaram e eu senti meu corpo tão anestesiado e suado... Mas eu queria mais...

Então aquele foi o meu primeiro orgasmo...

Senti os lábios de Naruto novamente subindo pelo o meu corpo, ele ostentava um sorriso em seu rosto e seu olhar de satisfação masculina por ter me feito gozar... – Ainda não acabou... – Ele disso aquilo por cima de mim mas se levou para se livrar das últimas roupas que estava vestindo. Meu Deus, o corpo daquele homem... Era perdição de toda mulher...

Aquela iria ser a hora em que Naruto seria o Dono da minha virgindade para sempre, e eu gostava dessa ideia...

Vai com carinho... – Falei o olhando, com o meu coração batendo um pouco forte, fazendo minha respiração soar ofegante.

Sempre... – Diz ele me olhando. Seu membro grande e duro estava posicionado na entrada da minha intimidade molhada. Ele entrelaçou seus dedos aos meus, prendendo uma das minhas mãos junto a dele na cama ao lado da minha cabeça. Senti seu membro me invadir lentamente, me alargando e causando um desconforto no início. Ele parou, receoso...

Apenas faça... Por favor... – Falei gemendo no final, eu precisava sentir aquilo... Ergui meu quadril pedindo que ele continuasse.

Dor... Prazer...

Suas investidas eram lentas no começo, mas a partir do momento que a dor me deixou e acostumei com o tamanho de seu membro ... Suas estocadas foram mais fortes... Sentia seu membro cada vez mais rígido e latente crescer entre minhas paredes estreitas e molhadas do meu sexo... Eu apertava sua mão entrelaçada na minha para tentar controlar aquilo tudo, mas você não consegue controlar o “Incontrolável” ... Suas carícias, seus beijos, suas estocadas iriam me fazer explodir outra vez... Sentir sua respiração ofegante em minha pele frágil me fazia arrepiar... Ele encaixou minha coxa em sua cintura, indo ainda mais afundo dentro de mim, gemi um pouco alto, já que Naruto portava um membro bem grande e grosso, mas aquilo não deixava de ser gostoso. Nossos corpos se chocavam de uma maneira erótica e eu sabia que Naruto estava gostando de ficar dentro e mim, já que conseguia escutar ele gemer baixinho entre sua respiração ofegante...

 

Depois daquele dia nós fazíamos sexo quase o tempo todo, era como se eu precisasse daquilo e ele também... Éramos viciados um no outro... Mas tudo que é maravilhoso dura pouquíssimo tempo...

Dois messes depois...

Eu vou lhe ver amanhã? – Perguntou Naruto me olhando sentado no banco do motorista do seu Mustang Branco, ele era apaixonado naquele carro...

Talvez... – Brinquei indo sair do carro, mas ele segurou o meu braço me puxando para si. – Que foi? – Perguntei rindo.

Você se esqueceu de uma coisa... – Diz ele sorrindo maliciosamente, como eu amava aquele sorriso, como eu amava aqueles lábios tão bem esculpidos e deliciosos de se beijar...

Sério?... – Falei fingindo que não sabia o que era. – O que é?...

Deixa eu lhe mostrar... – Diz ele passando sua mão pela minha nuca e me puxando para si, me beijando... Meu Deus, eu nunca iria me cansar daquilo.

Depois que nos despedimos, fui em direção a porta da minha casa girando a maçaneta para entrar... Eu já deveria ter desconfiado que as coisas estavam indo bem demais... Ninguém além de mim e Naruto sabiam de nosso relacionamento, nem mesmo a minha melhor amiga Hinata, já que ela só iria me criticar... A casa parecia vazia e nenhuma luz estava ligada, tudo indicava que não havia ninguém... Subi as escadas até o meu quarto, mas a porta estava destrancada e emanava uma luz de dentro dele... Estranho, eu nunca deixava a porta do meu quarto destrancada...

Entrei meio receosa, e logo vi o perfil do meu pai sentado na beirada da cama de costas para mim...

Pai?... – Perguntei confusa. – Por que está aqui?...

Eu que deveria lhe fazer essa pergunta... – Diz ele dando um gole no copo de uísque, que só foi notado que estava ali quando olhei para a garrafa de uísque escocês na minha cabeceira. Geralmente meu pai só bebia quando estava com ódio de alguma coisa...

Do que você está falando? – Perguntei agora mais confusa ainda.

Você vai embora daqui... – Diz ele empurrando com o pé uma das minhas malas e logo em seguida virando o copo de uísque de uma vez só e se levantando e vindo até mim, senti medo naquele momento, e levei um susto quando a mala bateu com força na parede do meu quarto. – Como você pode ter feito isso comigo Sakura?! – Diz me Pai com muita raiva e com um puro olhar de desprezo para mim, me jogando o bendito saquinho de Heroína que Naruto me deu desde aquele dia... Fazia muito tempo que eu não usava aquilo... Desde a época que Naruto devolveu o meu celular... Pois eu não precisava mais daquilo, pois eu havia achado alguém para curar todo aquele meu descontrole emocional... – Então quer dizer que eu tenho uma vagabunda viciada sobre o meu teto?! – Diz ele rindo sem humor.

Você não deveria ter entrando no meu quarto pai! – Falei um pouco mais alto, eu estava acabada... – E-e eu nem usa mais isso! – Falei tentado o convencer da verdade, mas ele parecia inconsolável a qualquer coisa que eu fala-se... E sinceramente aquelas palavras me machucaram bastante...

Essa é sempre a mesma desculpa que todo drogado tem... – Diz meu pai novamente rindo sem humor me olhando com total desdém. – Você não é mais bem-vinda aqui... – Diz ele completamente convencido daquilo. Eu conseguia ver chamas de ódio percorrer cada centímetro daquelas íris esverdeadas... Eu não me dava muito bem com os meus pais, mas eu senti medo naquele momento... Pois era seguro ali... Eu não queria ir embora...

Nesse mesmo momento minha mãe entra no quarto chorando vindo até mim. – Por que você fez isso com a gente Sakura?! – Diz minha mãe me abraçando forte. – Por que você fez isso consigo mesma?! – Diz minha mãe agora desfazendo o abraço segurando em meus ombros com força, ela estava desesperada... Me olhava tão decepcionada e triste... Senti um amargo em minha garganta, aquilo tudo estava me causando sensações horríveis, eles estavam me fazendo sentir a pior pessoa do mundo... Lágrimas começaram a escorrer dos meus olhos, minha vida estava prestes a mudar completamente e eu não estava preparada para isso... – Você não pode mandar a nossa filha embora, i-isso tem tratamento! – Diz minha mãe me puxando para si novamente, como se não quisesse que eu fosse embora...

Ela não é mais a nossa filha... – Diz meu pai com aquele olhar gélido sobre mim indo até a minha mala e logo em seguida me puxando pelo braço com força e eu sabia que iria deixar uma marca roxa depois... Minha mãe tentou impedir em meio aos gritos o meu pai de fazer o que pretendia, mas era tarde demais... Ele me arrastou a escadaria abaixo e abriu a porta de entrada jogando primeiro a minha mala com algumas das minhas coisas dentro, para depois me jogar no chão da varanda. – Esqueça que teve uma família um dia... Esqueça que teve pessoas que lhe amaram e você não deu valor... – Diz ele apontado o dedo em minha face...

Sabe, nunca se acostume com algo, ele pode escapar de suas mãos a qualquer momento e a única coisa que irá lhe sobrar é o completo desespero e um vazio enorme no peito, mas algo me confortava... Eu sabia que não estava completamente sozinha, eu tinha ele... Juntei o que me restava de forças e levantei colocando a mala sobre um dos meus ombros, e antes que o meu pai pudesse abrir a porta para entrar em casa...

Me desculpe se o decepcionei pai... – Falei limpando as bochechas molhadas. – Mas eu realmente nunca fui a filha perfeita para vocês... E nunca vou ser... – Falei antes de virar em direção a rua, meu pai me encarou por alguns segundos antes de entrar em casa novamente...

...

Não precisa ser assim amor... – Diz Naruto passando suas duas mãos sobre as minhas bochechas encharcadas de lágrimas. – Eles nunca foram seus pais de verdade... – Estava sentada no colo de Naruto de frente para ele que estava sentado no banco do motorista do seu carro. Ele me consolava carinhosamente...

Eu sei que não, m-mas doí pensar que ele fez aquilo comigo!... Eu não tenho para onde ir agora... – Falei soluçando em meio ao choro que não cessava.

Não fala assim... – Diz ele colocando mexendo em meu cabelo colocando uma mecha atrás da minha orelha, em quanto sorria carinhosamente para mim. – Eu vou cuidar de você... – Diz ele se aproximando mais um pouco de mim colando a minha testa na dele... – Você é a minha garota agora...

Eu me senti tão segura em seus braços e com suas palavras... – Você está falando sério?... – Perguntei o olhando ainda com lágrimas querendo sair de meus olhos.

Eu nunca falei tão sério... – Diz ele sério. – Eu te amo... E não pense se quer um momento que isso não seja verdade, você entrou na minha vida para mudar tudo... Você entrou na minha vida para me mudar... – Diz ele distribuindo selinhos pelo o meu rosto. - E diante do paraíso mais profundo e de um amor puro e sincero, compartilharei meus sonhos e desejos ao teu lado, por que você é só minha...

 

Pena que você mentiu Naruto....


Notas Finais


S2...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...