História Dusk Till Dawn (Ziam) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


olá, amor da tia. tudo bom? como passou de aniversário do zayn?

eu passei enaltecendo, ouvindo as música tudo

boa leitura <3

Capítulo 3 - Third


Fanfic / Fanfiction Dusk Till Dawn (Ziam) - Capítulo 3 - Third

Zayn e Liam foram os últimos a acordar na manhã seguinte. E vieram a fazer isso quando a cama em que estavam começou a balançar de repente, pessoas começaram a gritar, bater palmas, e até mesmo panelas. O moreno não sabia se agradecia aos amigos que tinha, ou se mandava todo mundo pra casa do caralho, com todo respeito.

Quando Liam abriu os olhos, seu desgosto estava mais do que eminente. Pelo namorado e unicamente por ele, respirou fundo e os fechou novamente, dizendo aos céus que não mataria nenhuma daquelas pessoas que estavam pulando em sua cama, dentro de seu quarto. Ele precisava de paciência.

"Saiam do meu quarto." Pediu, os olhos ainda fechados.

"Pode dormir, pode cochilar. Nós não queremos seu sono atrapalhar." Todos diziam – lê-se gritavam – de forma ritmada.

"Saiam do meu quarto." Pediu mais alto, massageando as têmporas. Que agonia.

Ninguém parecia estar lhe dando atenção, nem mesmo seu namorado que ria com os outros.

"Saiam do meu quarto porra!" Gritou finalmente, fazendo todos calarem a boca. Suas orelhas estavam queimando de nervoso assim como seu rosto.

"Calma, amor. Eles já estão saindo, né gente?" O moreno articulou em silêncio um tanto exasperado para que todo mundo saísse dali.

"Eu disse que não era uma boa ideia." Tristan murmurou do batente da porta. Ele sequer havia entrado.

Quando a porta fez o clique ao fechar, Payne cobriu o rosto com as mãos. Ele não estava chorando, só estava nervoso demais para conseguir olhar para Malik sem parecer prestes a matar alguém.

"Lee?" Zayn chamou, não tocando o outro. "Você ta bem? Desculpa não ter trancado a porta, eu esqueci."

"Você não fez nada de errado." Murmurou, se levantando para seguir até o banheiro. Poderia parecer frescura, mas não era. Suas mãos estavam até tremendo. Ele odiava com todas as forças que entrassem em seu quarto, mexessem em suas coisas e acima disso que subissem em sua cama.

Payne conseguia ser bem virginiano¹ às vezes.

Zayn aproveitou o tempo que Liam estava no banheiro para ir falar com seus amigos. Ele não sabia se deveria se desculpar ou não, mas sabia que precisava dizer alguma coisa. Com bafo mesmo. Foda-se.

"Seu namorado é esquentadinho." Louis já foi dizendo.

"Não, ele não é." Respirou fundo, buscando as melhores palavras para dizer o que precisava. "Da mesma forma que você não gosta quando te contradizem, ele não gosta que invadam o espaço dele. E é isso."

"Ta, mas precisava gritar daquele jeito? A gente só queria começar o dia animados, fazer uma brincadeira."

"Pra você poderia ser tranquilo brincar assim, mas pra ele não é, Lou. E gostaria que respeitasse isso, ou pelo menos não o julgasse como sempre tem feito. Queria entender o que acontece."

Louis não disse nada, mas era visível seu incômodo. Ele evitava o olhar do amigo como se estivesse sem graça, mas jamais admitiria.

"Não to querendo te humilhar, muito pelo contrário. Eu gosto de você o suficiente pra te corrigir quando acho que ta errando, afinal, amigos são pra essas coisas, pra dizer o que não queremos ouvir. Só peço que não se sinta mal. Apenas... aja como se não tivesse acontecido nada demais. Foi uma coisa de momento."

"O Liam ta bem?" Harry se aproximou com Alison em suas costas.

"Sim." O moreno garantiu. "Ele é virginiano, se é que me entende."

"Acho que entendo." O cacheado garantiu, franzindo o cenho para a cara de merda do de olhos azuis.

"Eu vou subir. Até daqui a pouco."

Malik subiu as escadas rapidamente e trancou a porta do quarto depois de entrar. Liam ainda estava no banheiro, era possível ouvir o chuveiro ligado e a água caindo no chão, mas nada além. Nenhuma bela canção sendo sussurrada.

Bateu na porta.

"Posso entrar?" Perguntou alto para garantir ser escutado.

"Entra."

Lentamente, o moreno colocou a cabeça para dentro do banheiro, e então o busto, e por fim os pés. Fechou a porta novamente e parou apoiado na madeira, observando o namorado.

"Você ta bem?" O mais velho perguntou.

"Entra aqui." Pediu já abrindo o box.

"Vou escovar os dentes." Pegou sua escova e colocou pasta, dando início à escovação.

"Eu não to puto com você. Na verdade acho que to puto por ter ficado puto com todo mundo." Riu sem humor. "Eles só queriam fazer uma coisa legal, mas eu estraguei."

"Você não estragou nada." Respondeu depois de cuspir. "A culpa não é de ninguém, eu acho. Você não gosta que entrem no seu quarto, e ok. O quarto é seu. Mas ao mesmo tempo eles não sabiam disso. Foi uma falha na comunicação, coisas assim acontecem quando se quer fazer surpresa pra alguém. Você pode acabar sendo surpreendido."

Seguiu até o castanho, não ligando de estar descalço, e entrou no box. Sem delongas seu corpo não tão quente fora envolto pelos braços bem quentes de Liam, que logo escondeu o rosto na curva de seu pescoço.

"Eu amo você." O castanho murmurou, depositando um beijo na pele alheia.

"Eu vou estar com você do crepúsculo ao amanhecer, lembra? Sem pausa de descanso porque não tem como precisar descansar de algo que não te cansa. Você é o melhor namorado, desse seu jeitinho. Não é por acaso que eu te amo, e nem unicamente pelo seu rostinho de anjo." Zayn dizia, alisando as costas do mais novo sob os diversos jatos de água quente.

Liam à princípio não disse nada, só se manteve ali, recebendo o carinho. Era realmente gratificante ter o moreno ali, bem ali. O confortando, dizendo que suas paranóias não eram sua culpa e que elas tinham sim sentido e fundamento, enfim. O olhando simplesmente. Mas o mais importante; dizendo que o amava daquele jeito meio incerto e instável, e que era ok ser assim.

Porra, não tinha como não amar Zayn Malik.

>

"Gente, quem lembra do primeiro domingo com os alunos novos?" Normani se manifestou durante o café, já querendo rir.

"Depende. Foram tantos acontecimentos." Willow respondeu, tentando esconder sua boca cheia.

"O mais épico. Envolve nosso querido aniversariante."

"Não, esqueçam isso." Zayn gesticulou com uma das mãos.

"Lembro!" Niall soltou uma gargalhada, não demorando a ficar vermelho. Também, branco daquele jeito. "Meu Deus."

"O que aconteceu?" Liam perguntou, curioso.

"Eu falo." Dinah ergueu as mãos, bebendo um gole de seu suco antes de continuar. "A Selena tinha que estar aqui pra ajudar, ai céus."

"Ela ta viajando, né?" Harry fez um bico.

"Foi assim. Estávamos todos na sala de convivência tentando agir como seres sociáveis, até que o Zayn chegou." Riu baixinho. "Todo simpático, sorrindo, e disse oi. Ninguém respondeu. Ninguém mesmo. Tava todo mundo hipnotizado, e quando percebemos isso começamos a rir. Ele não entendeu nada, tadinho. Só foi ficando vermelho pensando não sei no quê."

"Eu pensei que tava, sei lá, com a cara suja. Quase fui embora de tanta humilhação." O Malik comentou, bebendo um gole de seu chá na sequência.

"Vocês ficaram hipnotizados?" Liam franziu o cenho, não entendendo.

"Vai dizer que você não? Olha pra esse garoto, além de lindo ele transmite uma energia tão boa, tão leve." Zendaya comentou, as mãos no peito como se tocasse o próprio coração.

"Ah, é? Nunca percebi nada, não. Só achei ele bonitinho, só. Nada muito uau." Payne começou a dizer sério, mas terminou rindo.

"Ata." Zayn rolou os olhos levemente, se esticando para alcançar uma das coxinhas de brócolis que haviam sobrado.

"Me contem mais coisas que eu deveria saber." Liam pediu.

"Zayn quis te matar quando você me disse que ele 'tava se recuperando'." Louis fez aspas com os dedos.

"Como assim? Se recuperando do que?" Willow perguntou.

"Eu não acredito, Louis." Zayn cobriu os olhos com uma das mãos.

"Contem essa história direito." Dinah exigiu.

"Teve uma vez que Zayn e eu estávamos brigando-"

"Brigando não. A gente tava discutindo." O moreno corrigiu.

"Ta, discutindo." Rolou os olhos. "E o Louis apareceu na hora errada. Eu bati a porta na cara dele, mas quase em seguida saí pra fumar e ele ainda tava lá esperando. Fingi não vê-lo e tranquei a porta, aí ele gritou porquê que eu tinha trancado se ele ia entrar-"

"Aí ele disse que se o Zayn quisesse que eu entrasse, que ele abrisse a porta, mas que achava ser difícil porque ele tava se recuperando." Fez uma pausa. "E pegou no pau por cima da calça! Que merda eu pensaria?"

"Meu Deus, Liam! Seu depravado." Tristan arregalou os olhos pro amigo.

"Sou mesmo. Se acharem ruim levanto agora mesmo e-"

"Ta tudo bem, amor. Você não precisa provar nada pra ninguém." Zayn tocou o braço mais novo dando tapinhas falsos.

"Não foi o que você me disse naquele dia, mas tudo bem. Posso aceitar isso e meu coração continua aberto."

"Isso que eu chamo de evolução." Tristan comentou. "Parabéns, casal."

"Do que você ta falando?" Liam arqueou uma das sobrancelhas.

"Quer mesmo que eu diga?"

"Se perguntei acho que sim, né?"

"Tudo bem, acho que essa evolução é só com o Zayn."

"Eu também acho." Harry acrescentou. "Mas acho também que podemos lidar com isso, né?"

"Mas que merda vocês estão falando?!"

"Você só e gentil comigo." Zayn respondeu. "É isso?"

"Sim." Niall se manifestou em alto e bom som.

"Vocês são irritantes, como que querem a minha gentileza? Vão se foder."

"Liam!" Malik o advertiu.

"Não vou me desculpar."

"Pelo menos ele é gentil com o Zayn, né?" Brad comentou. "Acho que já ta de bom tamanho."

"Sim, até porque se não fosse, ele iria ver." Louis estreitou os olhos.

"Eu to brincando, idiotas." Liam riu, logo ficando sério. "Mas não me irritem."

Os demais ergueram as mãos em rendição para encerrar o assunto. Zayn sorriu de lado, orgulhoso, e deixou um beijo na bochecha do namorado antes de beber o último gole de seu chá. Estava delicioso.

>>>>

Os convidados foram embora logo após o café-da-manhã. Zayn e Liam se despediram dos amigos com abraços e sorrisos, e assim que fecharam a porta subiram para o quarto. Os Payne haviam saído para almoçar na casa da irmã de Karen, então o jovem casal estava sozinho em casa. Que pecado.

"Vamos assistir The End Of The Fucking World? Tem temporada nova." Malik perguntou, já se livrando dos sapatos para deitar na cama do mais novo.

"Vamos estudar." Trancou a porta do quarto e seguiu até a cama, fazendo o mesmo que o namorado.

"Estudar? Estudar o que?" Permitiu que Liam se aconchegasse ao seu corpo.

"Anatomia."

Zayn soltou uma gargalhada.

"Eu to falando sério." Payne respondeu tentando não rir.

"Você quer estudar a anatomia do meu corpo, é isso?"

"Não só a sua, mas a dos nossos juntos também." Plantou um beijo no pescoço alheio, sorrindo com o arrepio que passou.

"Uhm, e como faria isso?" Se permitiu fechar os olhos.

"Provavelmente eu começaria com os meus lábios." Levou uma mão de Zayn até seus lábios, traçando uma série de beijos úmidos dali até um de seus ombros. "Então com os meus dedos e depois deixaria que me estudasse da forma que quiser."

"Qualquer forma?"

"Qualquer forma."

"Creio que podemos começar os estudos agora." Se virou de frente para o mais novo e envolveu seus cabelos por entre os dedos.

Liam sorriu com malícia e firmou as próprias mãos na cintura alheia, subindo-as pelas costelas conforme um beijo se dava início. A forma como seus lábios e línguas se encaixavam era surreal, pareciam peças de um quebra-cabeças único.

Debaixo do cobertor tudo esquentava gradativamente. O calor do beijo era transmitido para os rostos, descia pelos pescoços, bustos, abdômens, e então chegava ao mais importante; às ereções. Aquele contato era tão delicioso que os dois garotos já estavam ridiculamente duros.

Ah, os hormônios da puberdade.

"Porra." Zayn murmurou ao tocar o pau alheio por dentro da cueca. "Tão gostoso."

"Faz isso." Liam pediu entre dentes, investindo seu quadril quase que inconscientemente contra a mão do outro.

Malik umedeceu a destra com saliva e a retornou ao pênis do namorado, inciando uma masturbação lenta e torturante. A forma como o outro gemia, as expressões que fazia, vistas daquele ângulo, não tinham preço. E foi por isso que resolveu aumentar a velocidade.

"Zayn." Prendeu o lábio inferior entre os dentes, os dedos se fincando na pele alheia em busca de controle.

"Abre os olhos." O outro pediu, subindo e descendo seu punho com avidez pelo membro do outro.

"Me chupa." Liam pediu, obedecendo a ordem do outro, de qualquer forma.

"Ainda não." Com certo esforço retirou sua própria cueca. "Tira a sua."

"Porra, vem aqui." Se lançou sobre o corpo do outro ao se livrar da peça de roupa e retomou o beijo de forma desajeitada, mas que logo se acertou.

"Preciso que me obedeça." Zayn firmou os dedos nas carnes do outro, tendo a total noção de que pela força investida poderiam surgir possíveis hematomas.

"Às suas ordens." Foi colocado novamente de frente para o mais velho, que rapidamente retomou a masturbação.

"Olha nos meus olhos enquanto te dou prazer." Sem mais delongas, o moreno deu início a uma masturbação dupla, descendo e subindo sua destra pelas duas ereções juntas. Puta merda, como isso era bom.

Não tinham mais diálogos. Os dois garotos gemiam sem pudor, os olhos presos uns nos outros, vez ou outra desviando para seus paus juntos.

"Puta merda." Zayn arfava, a boca semiaberta roçando pela de Liam conforme sua mão trabalhava firme.

"Continua." Liam pediu, os dedos presos no outro como que para mantê-lo minimamente são, ou simplesmente não tão insano.

E o Malik continuou. Foi até onde aguentava, observando a forma como Payne parecia cada vez mais perto de um orgasmo. No entanto, parou propositalmente antes de tê-lo alcançado. Sorriu maldoso.

"Zayn." O castanho gemeu pela falta de contato repentina, os olhos piscando demoradamente e os lábios rosados, inchados. Uma visão do paraíso.

"To aqui." Sorriu sem mostrar os dentes, limpando a mão no lençol conforme descia sobre o corpo do outro.

O mais novo nada disse. Se contentou em observar o outro sem saber o que esperar, e até tentou conter as borboletas que surgiram em seu estômago quando recebeu um beijo em sua glande, mas sem muito sucesso. Seu corpo inteiro se arrepiou como se tivesse levado um choque.

O mais velho, por outro lado, soltou um riso fraco e ergueu os olhos para captar as reações do outro, terminando por sorrir satisfeito. Ele parecia tão entregue, tão à vontade... parecia estar num sonho. Com um sorriso carinhoso, espaçou e flexionou as pernas do outro, se colocando entre elas.

Observando a beleza alheia daquele ângulo, Zayn separou as montanhas com as mãos e passou a língua meticulosamente² pelo anel de músculos de Liam, que estremeceu. Incentivado, continuou. Contornou a entrada do outro antes de pressionar um beijo no local, e fez o mesmo com o períneo³. Sem pressa alguma começou a lamber, ora suavemente, ora com a língua mais rígida.

"Zayn." O castanho envolveu numa das mãos sua ereção, subindo e descendo lentamente. "Porra, amor."

Era ótimo como Malik se sentia incrível em proporcionar prazer ao garoto que amava. Ver como ele parecia estar em outra galáxia, a galáxia criada e regida pelo amor dos dois.

Payne não sabia explicar nem para si mesmo como se sentia. Era algo novo ter a língua do outro ali. A cada pequeno movimento era como se uma flor desabrochasse em seu estômago, quase como quando o mais novo lhe pressionava as costelas para fazer cócegas; A reação em resposta não estava sob controle.

"P-para de me torturar." Pediu, prendendo o lábio inferior entre os dentes ao ter sua entrada violada. Seus dedos estavam presos ao lençol com tanto afinco que os nós estavam esbranquiçados.

"Você disse que eu poderia te estudar como quisesse." Ergueu a cabeça apenas para olhar o mais novo, sorrindo antes de iniciar um boquete.

"Porra, porra." Liam soltou um gemido contido, os olhos rolando ao sentir tão de repente o calor da boca alheia em seu pau.

Vários minutos se passaram ali, daquele modo. Era uma real tortura – para ambos –, e foi por isso que o moreno tomou a liberdade de pressionar finalmente um dos dedos contra a entrada do outro sem parar de chupá-lo.

"Zayn." A voz do castanho saiu num gemido sôfrego. "E-eu vou..."

Em resposta Malik o chupou com mais empenho, até senti-lo se desmanchar em sua boca. Seus ouvidos quase gozaram junto dos gemidos que o mais novo liberava, a fricção de seu quadril contra o colchão em busca de atenção para sua ereção sendo o suficiente para fazê-lo vir também, os olhos fixos no rosto alheio.

Que bagunça.

"Agora é a hora que você me fode."


Notas Finais


virginiano¹: grande parte das pessoas do signo de virgem tem alguma mania com arrumação, organização e/ou limpeza, mas existem exceções;

meticulosamente²: analisar ou fazer algo prestando atenção nos mínimos detalhes, em cada milímetro, por exemplo;

períneo³: camada fina de pele localizada nos homens entre o ânus e os testículos

e aí, o que achou desse capítulo? hwudhehe uma putariazinha de leves, e tal. espero que tenha gostado

até a semana que vem!

um cheiro

com amor, nessa <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...