História E agora? - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima
Tags Kiribaku, Tristeza
Visualizações 30
Palavras 805
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ok, entao eh aqui que a felicidade comeca (prometo) e que as cenas melosas vão acontecer

Capítulo 3 - Parte 3- kasumi


As primeiras coisas que kirishima procurava em um homem, antes de conseguir achar-lo atraente sempre foi sua masculinidade. Como era seu corpo? Parecia que ele malhava muito? Ele era um fracote sentimental? Ele se vestia como homem, falava como homem?

Era por isso que ele nunca tinha se conectado direito com a comunidade que ele é bakugou tinham lutado tanto por. Eles foram em algumas paradas juntos, e a declaração ao público era que ele apoiava todas as comunidades e todos os tipos de pessoas. Porém, na vida real... Era um pouco mais complicado. Ele só achava tudo aquilo; homens afeminados, mulheres masculinas, os 30 gêneros diferentes, muito alienígena, distante. Não foi assim que ele foi criado, e não era aquele tipo de pessoa que ele gostava.

Portanto, quando ele entrou no bar, em uma úmida noite de quarta-feira, pensou 'perfeito. Ninguém em vista que eu possa remotamente me interessar'. Nas 23h daquele dia, tinham exatamente 5 pessoas naquele barzinho fuleira que ele ia para se desestressar. Dois casais, um jogando sinuca e o outro praticamente transando no canto. E um cara. Não fazia o tipo de kirishima nem aqui nem na China.

Ele vestia um casaco aberto de lã, que cobria uma delicada camisa estampada com flores. Ele usava uma calça preta e uma bota de couro limpa de mais para ser verdade. Ele sentava o corpo rechonchudo no bar e tomava uma cerveja gourmet, com um chapeu de abas largas feito de feltro cobrindo sua cabeça.

"Pode ser gay, mas precisa ser assim?" Ele murmura a si mesmo antes de pedir ao bartender uma bebida.

E ele bebe. Por bastante tempo. Beber ajudava a esquecer o que ele tinha feito aquele dia. Uma técnica que ele pegou nos últimos meses com o bakugou. Quando por volta da meia noite, o homem ao seu lado timidamente murmura "hmmmm... Oi... Meu nome é..."

"Cai fora que tu não faz o meu tipo", kirishima respondeu. Um pouco grosseiramente, mas para ser justo, ele estava bem bêbado. A noite continuou assim. Até que ele dormiu, lá no bar mesmo.

E acordou em uma casa estranha, numa cama que não conhecia, com o rosto do homem que viu no bar sobre seus olhos "você tá acordado?" Ele falou, quietamente, quase como para não ser ouvido.

Ele se levanta bruscamente, quase dando uma cabeçada nele. "QUEM É VOCÊ?? O QUE HOUVE ONTEM A NOITE?? EU FUI ESTUPRADO??"

Kirishima descartou esse pensamento assim que o disse, pois percebeu que usava as mesmas roupas da noite passada, enquanto ele usava pijamas.

"Meu nome é kasumi" ele disse "eu te vi no bar"

"Sim isso eu sei."

"Você estava desmaiado. Normalmente, eu não teria feito nada... Mas você é kirishima ejirou. Eu sou muito seu fã"

Naquele momento, kirishima notou o poster dele com o bakugou colado na parede do pequeno quarto "ver você, na televisão, com o bakugou, quando eu tinha dez anos... Foi o que me fez perceber que eu não era hetéro. E foi o que me deu coragem para me assumir"

Ele olhava para o garoto de vinte anos mais ou menos, com o rosto brilhando no sol matutino que entrava pela janela, em uma cena estranhamente bela "você me carregou até aqui então"

"Sim... Meu quirk permite que eu faça objetos terem o peso reduzido a apenas algumas gramas temporáriamente. Eu não sabia onde ficava sua casa, então eu te trouxe até aqui. Um pouco de gratidão pelo homem que me deu coragem para ser quem eu sou hoje"

Ele se comoveu, e pela primeira vez em uma década de carreira, percebeu o quanto ele podia mudar a vida das pessoas. Antes eram só cartas, prêmios, aparições, na televisão. Mas agora que estava cara a cara com ele, era como se tudo tivesse válido a pena.

"Eu fiz café se você quiser ficar" e ele decidiu que sim. Contra todas as chances, ele era como uma lufada de ar fresco dos homens pontiagudos e duros com quem ele geralmente gastava seu tempo. "Pode ser"

Os dois andaram até a cozinha. "Eu não sei o que você gosta, então fiz ovos mexidos. Eu adoro eles, mas nenhum dos meus amigos come pois eles sempre falam que está muito picante"

"Nada é muito picante pra mim", ele respondeu, se gabando. "Ok, ok, como você quiser. Mas não diga que eu não avisei" kirishima procede a morder o que era provavelmente uma das coisas mais picantes que ele comeu na sua vida. "AHHH MEU DEUS GAROTO O QUE TEM AQUI???"

Kasumi calmamente come seus ovos, dizendo "eu aviseeei" os dois riem. Por um bom tempo na verdade. Kirishima finalmente se sentiu leve, sem preocupações. E se lembrou que essa era a primeira vez que se sentia assim em meses. Era certamente a primeira vez que se sentia assim desde que bakugou terminou com ele.

Ele se sentia, finalmente, feliz.


Notas Finais


Eu fiquei feliz com esse resultado. Espero que você também tenha ficado, e se lembre, eu tô tentando criar um ship pro kirishima que não seja o bakugou, se eu conseguir eu deveria ganhar um nobel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...