História End of the year in Busan (IMAGINE One Shot: Park Jimin) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Army, Bts, Fanfic, Hoseok, Hot, Jeonjungkook, Jhope, Jimin, Jin, Junghoseok, Jungkook, Kimseokjin, Kimtaehyung, Minyoongi, Namjoon, Oneshot, Parkjimin, Suga, Taehyung, Yoongi
Visualizações 292
Palavras 2.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite..
Meus doces, esse cap vai ser um pouco sobre o passado deles.
Esclarecer um pouco tudo.
Enfim, espero que vocês gostem, o cap 3 vai ser o ultimo e vou preparar melhor com mais carinho e espero impactar vocês.
Boa leitura ❤

Capítulo 4 - You were unblearable?


Fanfic / Fanfiction End of the year in Busan (IMAGINE One Shot: Park Jimin) - Capítulo 4 - You were unblearable?

Como já disse, as nossas famílias são amigas a muito tempo e eu e o Jimin nos odiávamos no começo. Nos conhecemos no dia que estávamos realizando a mudança.

 

Eu estava carregando minha caixa de brinquedos, quando eu vi a caixa voar das minhas mãos e eu caí junto com ela. Quando se aproximou um garoto branco de cabelos pretos, bochechudo.

Jimin - Desculpe.. - Ele disse pegando sua bola com um sorrisinho sapeca observando meus brinquedos caídos. - Quer ajuda?

Eu não respondi e continuei de cabeça baixa catando o que tinha caído.

Jimin - Tá bom… Agora.. - Ele se aproximou um pouco de mim e falou em um tom baixo. - Tenha cuidado! Essa casa é mal assombrada. - Olhei em sua direção e ele  aumentou o sorriso deixando seus olhinhos menores, quase sumindo nas bochechas rosadas. E simplesmente saiu me deixando assustada já que acreditei no que ele disse, o que me fez dormir vários meses com a luz do quarto acesa.

Tinha sido um “ótimo” jeito de começar. Só que os piores momentos vieram depois.

Como quando meus pais e eu fomos jantar na casa dele e ele me trancou no banheiro, ou quando ele roubou as rodinhas do meu patins pra por no dele porque as minhas rodinhas eram vermelhas e as dele eram pretas, e quando contei aos meus pais eles simplesmente me pediram para deixar pra lá porque ele é um menino, o que me deixou revoltada e eu não quis mais deixar ele perto dos meus brinquedos quando eu não estivesse por perto. Também quando ele transformou um aniversário meu em uma verdadeira guerra de comida com o MEU bolo. Mas o garoto era mimado pelo meus pais, então simplesmente consideraram uma brincadeira e me prometeram comprar um outro bolo especialmente pra mim para que eu não procurasse briga. Eu não suportava esse garoto e ele enchia a porra do saco. Ai fodia.

(...)

Quando entramos no fundamental acabamos indo juntos, foi um verdadeiro pesadelo.

Todo mundo no colégio enchiam o nosso saco, principalmente ao amigos dele que ficavam o irritando, dizendo que nós dois éramos namorados e ele simplesmente surtava.  E claro, a coisa que é de lei quando se tem um amigo bonito. Algumas garotas me odiavam por ser próxima dele, e a forma como ele se achava me dava ânsia.

Porém, entre tanto, todavia..

 

Ele foi melhorando com o passar dos anos, foi amadurecendo, deixando de ser um idiota, infantil. Quando chegamos no ginásio foi que eu comecei a ver ele de outra forma, já que ele tinha mudado, não me perturbava mais, não implicava mais comigo. Muito pelo contrário, ele passava muito mais tempo comigo, me ajudava a estudar, saíamos juntos com os nossos amigos em comum, traduzindo, ele não agia mais como um pirralho mimado pro meu lado. Só que eu ainda não tinha chegado a gostar dele, somente comecei a considerar mais ele, confiar cada vez mais nele. Principalmente depois que ele me salvou de uma, que acabou virando uma polêmica.

 

Inventaram de espalhar um falso boato de que eu tinha chamado o Sungjae para um encontro na quadra de basquete e mandaram uma garota para me dizer que estavam me esperando e me entregou uma cartinha: “Estou na quadra te esperando.”

 

E fui achando que era realmente algo. Assim que cheguei vi um garoto sentado de costas pra onde eu estava entrando, continuei seguindo em sua direção e quando ele ouviu meus passos virou em minha direção e foi ai que tive a sensação de terem jogado um balde de gelo em todo o corpo, porque eu realmente gostava dele, Sungjae era do último ano, apesar de nunca ter sido nem um pouco próxima dele era o único naquele colégio que eu tinha vontade de ter algo, mas ele era muito disputado e tinha recém terminado um namoro de 2 anos. E eu sabia que ele gostava de verdade da garota por isso nem contei a ninguém sobre ele e eu senti naquele momento que tinha algo errado além da conta naquilo.

Sungjae – S/n?

 

S/N – Eu mesma... Você me chamou?

 

Sungjae – Bom, na verdade não. Achei que você.. Sei lá, alguém tinha me chamado. Não sabia que era você. – Ele falou com um sorriso um tanto fofo, notei que ele estava um pouco nervoso? Ansioso? Não sei dizer, mas ele apertava as mãos o tempo todo e balançava um de seus pés.

 

S/N – Se enganou... Alguém deve ter feito isso Sungjae. Não foi eu.

 

Sungjae – Isso aqui diz o contrário. – Ele me entregou uma folha com letras que realmente pareciam as minhas. Mas eu nunca tinha escrito aquilo em lugar nenhum. No mínimo o nome dele algumas vezes na mesa da minha sala.

 

Dizia; “Sungjae, soube que você anda meio triste. Então pensei em te encontrar hoje para conversarmos um pouco. E creio que não saiba, mas eu gosto de você. Preciso saber se você aceita ao menos sair comigo. Te espero hoje na quadra de basquete.

S/n.

 

Fiquei em choque já que eu nunca comentei nada disso a ninguém, nem a minhas amigas, só ao Jimin.

 

S/N – Olha Sungjae.. Eu realmente não sei quem fez isso, mas acredite, não fui eu. – Entreguei a carta.

 

Sungjae – É uma pena. – Ele disse, e notei que ele tinha mudado a fisionomia, mas eu não consegui entender o que era. Fiquei sem reação o olhando, com a boca entreaberta, sem saber o que falar. – Achei que era você. Realmente tive essa esperança. – Engoli em seco, começando a sentir minhas mãos gelarem e o coração descompassar.

 

S/N – Para ser sincera... Parte do que está escrito é falso, como a parte que eu queria falar com você ou te encontrar aqui, porém a parte que diz que gosto de você é real. O problema é que nunca contei isso a ninguém. – Eu não conseguia pensar que o Jimin tinha feito isso, ele me conhece como ninguém e sabe que eu mataria ele se fizesse isso. Não tinha sido ele.

 

Sungjae – Não precisa fingir. Se quiser podemos tentar. – Ele falou segurando minha mão e se aproximou de mim, dei um passo pra trás. – Não precisa ter medo de mim S/n. – Ele falou em um tom doentio depois de me puxar contra ele me segurando alí. Já estava me sentindo completamente desconfortável.

 

S/N – Sungjae, desculpe... Mas realmente não pretendo começar assim. – Me afastei um pouco dele sem realmente sair dos seus braços. Ele ficou olhando nos meus olhos uns segundo à mais do normal e aos poucos aproximou seu rosto do meu, olhando fixamente para minha boca, deixando sua boca a centímetros da minha.

 

Sungjae – E como pretende começar? – Ele perguntou olhando agora nos meus olhos. Pude sentir seu hálito em meus lábios, me deixando arrepiada e congelada na posição que eu estava com o coração acelerado. Ele me beijou e eu cedi, impotente.

 

Ele começou a deslizar suas mãos pelo meu corpo, já confiando nele, levantei os braços colocando ao redor do seu pescoço e ele começou a por suas mãos por baixo da blusa, alisando minha pele com seus dedos gelado. Pela falta de ar tivemos que interromper o beijo. Mas ele manteve suas mãos em mim, que logo deslizou para o cós da calça tentando abrir o botão da mesma após levantar minha blusa quase deixando todo meu sutiã a mostra. Segurei as mãos dele.

 

S/N – Sungjae, melhor parar por aqui. – Puxei minha blusa de volta para baixo me afastando dele.

 

Sungjae – Agora que você me provocou você vai pagar.. – Ele vociferou me agarrando, me fazendo sentar em seu colo, fazendo com que eu sentisse sua ereção. Ele segurou um dos meus seios e começou a apertá-lo com força.

 

S/N – ME SOLTA!! – Tentei escapar mas ele me segurou. Comecei a querer chorar sem saber o que fazer, já que era difícil ter alguém naquela área, naquela hora. – Por favor me solta... – E ouvimos alguém chamando meu nome.

 

“S/N !!?? “

 

Reconheci a voz dele na mesma hora, e comecei a gritar.

 

S/N – Jimin!! Socor... – Sungjae cobriu minha boca e tentou me arrastar para o vestiário masculino e notei que já tinha algumas pessoas escondidas observando tudo, e graças a Deus o Jimin chegou a tempo. Ele empurrou o Sungjae fazendo que eu caísse junto com ele, Jimin segurou minha mão e me ajudou a levantar, antes que o Jimin fizesse algo comecei a arrastá-lo pra longe dali.

 

Sungjae – Seu gordo infeliz, vai cuidar da sua vida e solta a S/n. – Ouvimos ele falar logo atrás da gente, parecia que já estava de pé. Jimin se virou ainda segurando minha mão com força. Me fazendo notar que ele tinha entendido que eu não queria briga.

 

Jimin – Quando se trata da S/n o problema também é meu. E você tocar o dedo nela mais uma vez eu juro que não vou me conter e acabo com você. – Ele avançou alguns passos com a mão levantada apontando para o Sungjae, mas o puxei de volta pra próximo de mim. Sungjae começou a surtar e tentou me puxar quando nos alcançou, Jimin virou com tudo socando ele, segurei o braço do Jimin pedindo que ele parasse. Ele avançou comigo indo até o corredor e parou me virando contra ele, que tocou no meu rosto arrumando meu cabelo olhando para cada parte de mim. – Você está bem?

 

S/N – Sim estou.. – Ele me abraçou.

 

Jimin – Vem, vamos na direção. – Ele falou com autoridade ainda me segurando contra ele.

 

Que me ajudou a resolver todo o protocolo que teve. Começaram a inventar a desculpa para proteger o Sungjae dizendo que tudo não passou de uma brincadeira, uma “pegadinha”. Só que tudo tinha sido real, a intenção do Sungjae era me abusar. Só que o Jimin soube usar as palavras certas pra me defender, como meus amigos e os amigos dele também fizeram, nos apoiaram.

 

E acabou que o garoto foi expulso do colégio.

 

Já em casa, Jimin pediu que eu contasse novamente só que com calma absolutamente tudo que houve. E ele me deu um belo sacode.

 

Jimin – Droga S/n ... Tenta ser mais lerda da próxima vez. – Dei o dedo do meio pra ele. – Se fizer isso de novo eu quebro seu dedo. Estou falando sério S/n, se você não o conhecia porque permitiu que se aproximasse de você, e ainda o beijou. – Ele disse “beijou” com um jeito diferente, mas ignorei, deveria ser somente raiva. – Me promete me procurar a próxima vez que tiver a mínima suspeita que algum garoto quer falar com você, além de me contar quem é e tudo mais? – Assenti. Ele ficou ali reclamando um pouco ainda, mas não me largava do abraço e durante esse tempo fez o IMPOSSÍVEL pra que eu não me envolvesse com ninguém. E foi o que aconteceu pelo 1 ano que passou.

 

Isso foi só um dos piores momentos que passamos mas ele ficou ao meu lado. Como quando terminei com um namorado que eu tive a minha primeira vez, ele não sabia que eu realmente namorava esse cara, ele evitou ficar próximo de mim durante o tempo que namorei, e ele me ajudou quando tudo acabou, ele ficou comigo até que eu superei. Sempre que precisei dele, ele esteve comigo, assim como eu sempre estive pra ele. Até mesmo as aulas de dança que começamos a fazer juntos.

 

Foi quando tudo começou a esclarecer pra mim.

 

Em um ensaio, em especial um que estávamos pegando uma coreografia um tanto sensual. Me colocaram com um cara que todos votaram como o melhor da sala. E nos ensaios o Jimin não tirava os olhos de onde eu e o garoto estávamos ensaiando. Até que ele cansou de olhar e foi até onde eu estava e me puxou até onde o professo conversava com os outros alunos.

 

Jimin – Professor, eu e a S/n vamos dançar juntos, o meu par não esta acertando os passos assim como o par dela, e já que é uma coisa mais pra casal acho que só um par iria ser mais interessante. – Ele ficou jogando todas as cartas que tinha pra convencer o professor a deixar que ele e eu dançássemos juntos.

 

S/N – Jimin o que foi isso?! – Perguntei quando ficamos afastados de todos já ensaiando.

 

Jimin – Ele estava muito junto de você, não estava acertando os passos, pegando em sua bunda o tempo todo.. – Ele disse irritado. – Eu já estava pra voar e quebrar aquela cara quadrada dele. – Eu ri mas ele se manteve sério. – Não estou brincando. Ele estava errando de propósito S/n.. Se você fosse mais atenta iria notar.

 

Nesse mesmo dia, foi o dia que voltamos pra casa na chuva. E já na casa dele, após ele reclamar mais um pouco do garoto que era o meu par, comecei a brincar falando que ele estava com ciúmes e ele simplesmente tirou o copo de água da minha mão colocando na mesa e me beijou somente com os lábios, um beijo suave que mexeu com todo o meu corpo. Só que logo depois disso fugi pra casa, e ele fingiu que nada tinha acontecido no dia seguinte. O que me chateou um pouco, mas em parte eu tinha medo do que pudesse acontecer. Deixei pra lá e fiz o mesmo que ele.

 


Notas Finais


Eai? turu bom? :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...