História Entregando-se ao inimigo (VERSÃO CEMREN) - Capítulo 81


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Visualizações 261
Palavras 1.464
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se preparem a partir daqui as coisas vão 🔥

Capítulo 81 - LXXXI


Fanfic / Fanfiction Entregando-se ao inimigo (VERSÃO CEMREN) - Capítulo 81 - LXXXI

 

Camila entrou no castelo apressada, fazendo pouco caso de Lauren que ria dela. Ela estava composta ao contrario de Lauren que tinha a roupa toda amassada, a camisa com botões estourados, o colete em frangalhos, o cabelo bagunçado. Camila deu a língua a ela ignorando-a, e ocorreu quando viu Lauren partir atrás dela. O caso é que havia se atrasado para dar de mamar aos bebês; a essa altura Noah já deveria estar fazendo escândalo. Ela dispensou a criada que cuidava dos bebês na torre e apanhou o filho no colo. Heloísa estava irritadinha com fome, mas Noah era birrento. Lauren passou pro banho enquanto ela alimentava o menino, se vestiu com um sorriso no rosto observando-a. Camila acariciava o cabelo do menino de leve, enquanto ele mamava.

Lauren: Vai descer?- Perguntou,, fechando a camisa, tinha o cabelo molhado já penteado.

Camila: Não, estou cansada. Ainda vou amamentar Heloísa, e preciso de um banho.- Respondeu- Se importa se eu jantar aqui em cima hoje?

Lauren: Claro que não, mandarei trazerem aqui.- Se aproximou dela beijando sua testa- Sabe que só vou porque vão questionar minha ausência.

Camila: Então sugiro que vá antes que Vero apareça na porta.- Lauren fez uma careta, e ela sorriu. Lauren lhe beijou a testa novamente e saiu.

Camila olhou Noah, o menino adormecera. Ela se levantou pondo-o no berço, e apanhou Heloísa. A menina se pôs a mamar satisfeita, os olhinhos claros vagando. A verdade é que Camila queria ficar sozinha, estava triste. Era a único que Sofi tinha e falhara, perdera depois de tudo. No fundo ela sempre soube que ia perder, mas a cada dia que conseguia resistir, pensava que podia ser o último: Lauren não ia aguentar, agora tudo tinha se perdido, ela não tinha mais arma nenhuma. Não fazia sentido recomeçar; ela não cedera nem após meses de abstinência, começar do zero seria inútil. Heloísa dormiu mais depressa que o irmão, então Camila foi pro banho. Cada marca em seu corpo era como um lembrete de que ela fora fraca. Ela se vestiu, e quando voltou pro quarto já havia uma bandeja farta nos pés da cama, que tinha os lençóis feitos. Faminta que estava jantou, desprezando a bandeja em seguida. Apagou os candelabros do quarto deixando apenas a lareira, e foi pra debaixo dos lençóis. Se sentia triste, não por ter transado com Lauren, mas por não poder mais ajudar Sofi. Estava em um misto de sono e tristeza quando Lauren entrou. Lauren não disse nada ao ver as luzes apagadas, se aprontou pra dormir entrando debaixo das cobertas em seguida.

Lauren: Ei.- Disse em tom baixo, se virando pra ela. Camila a olhou- Por que está tão triste meu anjo? Ela sorriu de canto.

Camila: Não é nada.- Disse, beijando a mão dela. Lauren observou por minutos acariciando o rosto dela ternamente, e ela não disse nada apenas manteve o olhar nela. Deus, a amava em cada pedaço!

Então ela abaixou os olhos, e Camila sentiu a mão dela abrindo a sua, em seguida depositando a chave de metal fria na palma, e fechando os dedos dela em cima.

Camila: Está fazendo isso por que venceu?- Perguntou, observando-a.

Lauren: Não.- Disse, pondo o cabelo dela atrás da orelha- Estou fazendo isso porque nada que eu faça e te entristeça tanto pode ser certo.- Ela tocou seu nariz com o dedo, Camila abriu um sorriso, e Lauren sorriu junto- Bem melhor assim.

Camila: Obrigada, obrigada, obrigada.- Disse, pulando em seu colo e enchendo-a de beijos. Lauren riu da espontaneidade dela- Eu vou conversar com ela, e ela não vai fazer de novo, eu prometo.- Disse, lotando seu rosto de beijos novamente.

Lauren: Eu...- Interrompida por um selinho, ela riu de novo.- Eu sei.- Ela riu abraçando-a- Mas posso pedir uma coisa?

Camila: O que quiser.- Disse.

Lauren: Deixa pra ir lá falar com ela amanhã, quando amanhecer.- Disse, apanhando a chave de sua mão. Camila a viu pôr a chave na mesa da cabeceira- Eu tenho saudades demais pra ser capaz de deixar você sair daqui agora.- Disse, fungando no ombro dela. Ela sorriu.

Camila: Tudo bem.- Disse, dando um selinho demorado- Sei de algo que ajuda a matar o tempo e a saudade.- Sussurrou mordendo seu nariz, Lauren sorriu.

Lauren: O que?- Perguntou dando corda. Mas Camila não respondeu; ela mostrou. Inclinou o rosto tomando seus lábios em um beijo. Lauren não prolongou a conversa retribuindo e cercando-a com os braços, em um abraço forte.

[...]

Vero: Uma flor por seus pensamentos.- Disse, alcançando Demi no corredor.

Demi: O jardim é cheiro de flores, se eu quiser uma, é só buscar.- Disse, divertida.

Vero: O que há?- Insistiu.

Demi: Estou entediada.- Disse, dando de ombros- Cada um tem o que fazer, e agora Ian está preso a guerra, quer lançar uma ofensiva o mais cedo possível... Enfim.

Vero: Chega a ser pecado.- Disse, virando-se de frente a ela trancando o corredor, Demi ergueu a sobrancelha- Deixar de lado uma mulher bonita como tu, seja qual for a razão.- Ela ergueu a mão tocando seu maxilar, estava fria como sempre.

Demi: Vero... Tens noção de que perderias a mão se Ian visse isso?- Perguntou, se aproximando dela. Demi fez menção de passar por ela, mas parou ao seu lado virando o rosto de modo que seu hálito batesse no rosto dela. Vero manteve o olhar a frente sorrindo de canto- Ou o que faria se soubesse o modo como andas me assediando ultimamente?

Vero: O que ele faria sabendo que tens me correspondido?- Perguntou, dando corda.

Demi: Terias coragem Vero?- Perguntou, parecendo intrigada virando o rosto pra ela.- Tu és casada.

Vero: E minha esposa confia em ti como amiga.- Rebateu, Demi sorriu.- Não me desafie Demi. Amo Lucy, mas não sou conhecida por ter limites.

Vero apanhou o braço dela que foi arremessada contra a parede. O principal: Ela a beijou, pior ainda Demi correspondeu. Não era Ian; não tinha seu calor, seu cheiro, seu gosto... Mas isso não era ruim. Os lábios de Demi estavam frios, como se ela tivesse estado com gelo na boca por muito tempo; ela gostou disso. Suspirou se afundando no beijo, as mãos subindo por suas costas moldando o corpo dela no seu. Demi enlaçou as mãos nos cabelos dela, enlaçando os corpos rígidos pressionando-a. O perfume de Vero a instigava, fazia ela querer mais. Veronica apanhou seu maxilar com uma mão, prendendo seu rosto e mordeu seus lábios, não com força só por fazer, antes de voltar a devorar sua boca. Aquilo durou minutos, até que...

Lauren: Viu Vero?- Perguntou, a voz de longe. As duas se separaram, os rostos ainda juntos, os lábios entreabertos ofegando, se encarando... Esperando.

Criado: A vi naquela direção, senhora.

Camila: Eu vou subir, vou ver os bebês.- Avisou, a voz ecoando pelo corredor.

Demi: Guarde isso como recordação.- Sussurrou nos lábios dela, que sorriu.- Me solte.- Vero afrouxou as mãos, então com um sopro de vento, ela havia sumido. Ela riu passando a mão no cabelo, limpando os lábios em seguida.

Vero: Recordação...Sei.- Murmurou, pra si própria- ESTOU AQUI, LAUREN!

Na torre...

Diana olhava os bebês. Estavam acordados, quietinhos, os olhos distraídos. Ela correu, abriu as gavetas procurando em todos os cantos, até que encontrou. 11 frasquinhos de vidro com um liquido branco, opaco. A seiva da flor, ela sorriu consigo mesma apanhando os dois.

Diana: Contos de fadas nem sempre tem finais felizes, Camila.- Disse, enquanto tirava a tampa de um dos frascos. Ela o substituiu por um bico de mamadeira.

Em outro corredor...

Demi: Mila!- Chamou, aparecendo atrás dela. Camila se virou assustada.

Camila: Precisa parar de fazer isso.- Disse, pondo a mão no peito.

Demi: Me dá um abraço?- Perguntou com um sorriso angelical. Angelical demais.

Camila: É claro.- Ela sorriu e abraçou a outra. Demi sorriu apertando o abraço- Aconteceu alguma coisa?- Perguntou ainda abraçando ela.

Demi: Não, eu só precisava disso.- Disse, se demorando no abraço mais um instante- Na verdade, Ian precisava disso.- Ela se separou baixando o rosto brevemente. O perfume que possuía era o de Camila agora- Enfim, obrigada.- Ela deu as costas e sumiu.

Camila: De nada.- Disse, estranhando e deu as costas, subindo a escadaria.

Camila estava distraída pensando em tudo. Sua vida estava perfeita, amava Lauren e ela retribuía. Seus bebês são saudáveis. Sofi estava livre novamente Apenas a sombra da guerra que estava por vir a assustava, mas todos dispensavam essa hipótese; com Ian ninguém se machucaria. Ela abriu a porta do quarto, e seus olhos se arregalaram. Nos pés da cama havia um frasco/mamadeira com um conteúdo branco, que Camila conhecia bem.

O pior: Do outro lado do quarto. Diana tinha Noah no colo, e tinha outro frasco/mamadeira daqueles, e oferecia a menina.

Camila: NÃO!- Gritou, apavorada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...