1. Spirit Fanfics >
  2. Exist For Love - (BruAbba-AbbaBru JJBA) >
  3. Aurora boreal

História Exist For Love - (BruAbba-AbbaBru JJBA) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu fiz um tribute com essa música e um edit de BruAbba que você pode encontrar no YouTube. Vou deixar o link na descrição.

Capítulo 1 - Aurora boreal


Fanfic / Fanfiction Exist For Love - (BruAbba-AbbaBru JJBA) - Capítulo 1 - Aurora boreal

 "Querido Leone,

Veneza já não possui o brilho que possuía quando retorno à visita-la durante o natal e ano novo. Aqueles fogos que assistiamos às colinas perto de minha casa na praia, já não possuem a alegria que possuíam com sua presença. Para a mais sincera verdade, vinda de mim, apenas um mentiroso, não há nada em minha vida que possua a alegria dos seus olhos. Não há nada em minha vida que permaneça viva, todos os meus resquícios se foram ao vento com sua deixa. Todo o meu eu, se despedaçou com a sua ida. Toda a minha vida se foi com a sua, em um piscar de olhos. 

O seu cheiro amadeirado ainda reside ao meu lençol de cetim branco. E meus dedos ainda sentem a suavidade dos seus fios. Assim como meus lábios ainda se recordam do gosto de creme que outrora sua boca possuía. Meu corpo ainda se aquece com as doces memórias que não ousam se apagar, e eu as agradeço por isso. É tudo que me restara de você. Memórias.

O tom caramelado do fim da tarde em Nápoles me lembra você, Leone. Me lembra sua risada que ecoava serena em um som melódico e ritmado pelas paredes desse cômodo agora frio. Lembra seu disco de alguma banda gótica turca, que você esquecera em minha escrivaninha, canção esta que mais tarde viria à ser nossa melodia. Nápoles lembra à você, Leone. Lembra à seu cheiro. À seu calor. À seu toque gentil contra meu corpo desnudo. Lembra sua fidelidade. Lembra minha mentira. 

Porque se um dia eu viria à me arrepender de algo dessa profana vida, seria apenas de não admitir que amava você. Admitir que eu não pertencia à Trish como ela alegava pertencer à mim. Admitir que eu desejava curar seus ferimentos um à um, deslizando meus lábios por sua pele, e deixando que minha língua viesse a purificar estas feridas. Admitir que eu era apenas seu e de mais ninguém. 

Sinto sua falta.

Com amor, seu Bruno."

--x--

_Bucciarati, parabéns pelo casamento! -Mista esboçava um sorriso enorme aos lábios carnudos, e ao seu lado, minimamente contente, estava Giorno, segurando nas mãos menores apenas um envelope curioso. Fitou-me descontente e murchou o sorriso, entregando-me aquele embrulho simples.-

_É de Abbacchio. Pediu para que fosse entregue à você pessoalmente. Lamentou não comparecer ao evento.


"Meu Bruno, somente meu e de mais ninguém...

Sinto muito não comparecer à seu casamento. Houveram alguns imprevistos não planejados com meu coração atualmente abalado. Por favor, não se culpe. Aproveite sua festa. 

Aqui jaz apenas minhas lembranças. Nossas memórias. Nossa amizade. Jamais desejei sua infelicidade, mi amore. Jamais.

Embora ainda me afeta relembrar que esta não se encontra comigo. E que você, que um dia viera a me acompanhar à meus desejos mundanos, já não se encontra presente para me alegrar com o doce da sua risada, e o mel dos seus lábios. 

Despeço-me aqui, Bucciarati. 

Ao amanhecer da manhã seguinte, farei companhia à aurora boreal que estampa os céus do Sul de Tóquio. Partirei com o nascer dos raios, para uma viagem sem volta ou prévia. Deseje-me sorte, precisarei. E volto a parabeniza-lo pelo noivado. Fique bem, meu Bruno. 

Sinto sua falta, e creio que sempre sentirei. 

Pois este tempo todo, e para todo o restante, eu existo para amar você.

Com amor, Seu Leone"

--x--

  O céu parecia mais uma pintura de eras modernas. Com uma coloração única, em tons mistos de alaranjado, roxo, lilás e caramelo. Eu fitava o fim da tarde desesperançoso, sentindo cada músculo se tensionar todas as vezes que meus pés alcançavam o piso de madeira na varanda, apenas para empurrar um pouco mais minha cadeira de balanço. A brisa fria adentrava o recinto aberto, denunciando que mais tarde viria à chover, mesmo que aos céus estivesse estampado aquele desenho feito à mão por Deuses. Meus pensamentos apenas se deram um fim quando notei a presença esguia se aproximando de meu local de descanso. Os fios esbranquiçados e aos lábios somente um batom escuro como de seu costume.

_Bruno Bucciarati? -Senti o coração ameaçar falhar naquele instante, embora eu outrora tivesse dificuldades com a audição devido à idade, diante daquela silhueta tão familiar e nostálgica, o soar daquele timbre ecoava em meu consciente, fazendo cócegas em meus tímpanos e plantando borboletas em meu estômago.- Eu sou Yahiro Abbacchio. Filho adotivo de Leone Abbacchio. E venho comunicar ao seu senhor, o falecimento de meu pai.


Notas Finais


Eu tô triste. E tô chorando.
Agora vejam o video, deu trabalho fazer:
https://youtu.be/EEsUZvKgsIE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...