História Flower Boy - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Jaemin, Jeno
Tags Eutosoft, Jaeje, Jaeno, Nomin, Nominelindo, Saudadesdonana
Visualizações 195
Palavras 653
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Na Jaemin



Não sei como desmonstrar com clareza e na maior parte do tempo não passam de umas palavras confusas e sem sentido...



Tinha que dar tempo.

Eu corri feito louco pela rua, estava rindo sozinho enquanto tenta chegar na floricultura mais próxima.

Já era noite e os estabelecimentos fechavam suas portas, então eu tinha poucas chances de dar certo, mas consegui encontrar um lugar próximo à escola.


Já se preparavam pra fechar, mas pensaram duas vezes ao ouvir a encomenda.


Eu podia ser considerado louco e realmente concordaria com quem dissesse que eu era, afinal eu estava na casa de Jaemin, no quarto dele, sentado na sua cama enquanto todo o cômodo estava tomado por jacintos roxos.

Quase não tinha espaço pra andar com tantos vasos espalhados e Jaemin não estava em casa.

Meu paletó estava em qualquer lugar, minha gravata já não existia, meu cabelo estava bagunçado... Eu estava bagunçado, uma completa bagunça por dentro e por fora.

Fiquei olhando pro nada por tanto tempo que me assustei quando ouvi o barulho da porta.

Assim como Jaemin parecia assustado ao mesmo ver no seu quarto coberto de jacintos roxos.

Me levantei da cama num pulo.


— Oi. - ele sorriu, olhando pra mim e senti meu rosto ficar vermelho.

— Oi. - ele olhou em volta do quarto, para todas aquelas flores espalhadas e ergueu uma sobrancelha. — Desculpar pelo o que?

— Por ter medo.

— Eu te vi com o Renjun mais cedo. Vi quando ele te beijou. - eu arregalei os olhos. — Quer saber como me senti?

— Quero.

— Quebrado em pedacinhos. - ele sorriu triste e coçou a cabeça. — Sei que disse pra dar uma chance de saber se era ele, mas não esperava que fosse doer tanto te ver com outro alguém que não fosse eu.


Eu só queria abraçá-lo com força e impedir que ficasse triste. 


— Eu...

— Não se desculpe. - eu assenti. — Veio até minha casa, queria me dizer alguma coisa?


Jaemin apenas se aproximava de mim e eu sentia minhas pernas tremerem como se estivessem num terremoto.


— Ah... Sua mãe é muito gentil. Ela me deixou entrar com as flores e... Disse que... Iria ao mercado.

— Disse? - perguntou se aproximando mais e mais. — E mais o que?

— Eu te procurei no baile, mas não te achei.

— Fui dar uma volta. - agora ele já estava na minha frente, tocando meu rosto. — Mais o que?

— Você está extremamente lindo com esse blazer. - Jaemin riu e se aproximou, colando a testa na minha.

— Obrigado. Você está extremamente sexy com essa camisa um pouco aberta e esse cabelo bagunçado. - falou sorrindo e mordendo a boca, me deixando envergonhado.

— Nana!

— Desculpe, não deu pra evitar. - ele riu e segurou meu rosto com as duas mãos. — Tem mais alguma coisa pra me falar?

— Renjun é minha tulipa amarela.


Ele não conseguiu esconder o sorriso aliviado do rosto, coisa que me fez segurar a camisa que usava, puxando mais pra perto.


— Jeno, o que eu sou seu?

— Minha flor de lótus, meu crisântemo vermelho, meu cravo branco, meu girassol, meu não-me-esqueças... - pela primeira vez eu olhava Jaemin nos olhos por tanto tempo, sem a intenção de desviar o olhar. — Você é minha tulipa vermelha, Nana.


Foi o suficiente para que ele me beijasse.

Pela primeira vez, Jaemin me beijava de verdade, de forma intensa, mesmo que calma, muito mais que apenas um selar.

E era a melhor sensação do mundo, diferente de tudo o que eu já havia sentido, porque Na Jaemin é diferente de tudo.

É minha tulipa vermelha.


— Meu Deus, eu te amo tanto. - ele ria enquanto olhava pra mim e isso fez com que eu risse também. — Desde esse seu sorriso ao eye smile mais lindo do mundo. Eu te amo, Lee Jeno.


E então me abraçou, tão forte que era como se nada pudesse me atingir.


— Eu também amo você, flower boy.



Mas mesmo essas palavras confusas e sem sentido dizem o quanto eu amo você.


Notas Finais


Na Jaemin eu amo você demais.


Vai ter extra pq odeio números ímpares

Xoxo
*3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...