História Fly, the sky is the limit - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem da minha história, estou procurando ser o mais original possível e quero criar algo que divirta vocês.
Nesse primeiro capítulo não acontece muita coisa apenas apresento um pouco a personagem e pontos da história, mas nos próximos a história vai ficar mais interessante, então, espero que gostem.

Capítulo 1 - O começo - Dia comum


Fanfic / Fanfiction Fly, the sky is the limit - Capítulo 1 - O começo - Dia comum

"Caminhava em uma floresta de coníferas esverdeadas que caracterizavam bem a estação presente, um verão. Eram árvores belíssimas e exalavam um cheiro doce, suas flolhagens criavam um aspecto sombrio ao ambiente, mas não transmitia-me sentimento algum de medo, ao contrário me fazia cada vez mais adentrar-me na floresta.

Parei. Olhei para minha esquerda e fixei meu olhar em um singelo lago de águas límpidas que possuíam um aspecto esverdeado por resultado do reflexo da árvore em sua superfície. Sentei-me a sua margem e comecei a bricar com a água, passeando com meus dedos por sua superfície e afundando um pouco mais para conseguir tocar algumas plantinhas que não se encontravam nas profundezas do lago, enquanto olhava meu reflexo tremulando na água por causa das ondinhas que provocava com meus dedos. De repente meu reflexo se duplicou, existia outro reflexo idêntico ao meu, e estava ao meu lado. Quando olhei para o lado pude observar que uma garota, da qual fisicamente era idêntica a mim, me observava com olhos de ternura. No momento em que ela abriu a boca para me pronunciar algo, um barulho perturbador ecoa em minha cabeça: Triiiim.... triiiim...."

Renesmée: O que é isso?! - minhas mãos procuram de modo desordenado a origem do barulho e quando encontram apertam um botão que encerra-o - Que despertdor irritante! Justo agora que o sonho estava ficando interessante, aff...

Ergo meus braços e começo a me espreguiçar para esticar meus músculos. Depois deste ritual matinal de encorajamento para me levantar, descubro-me e levanto em um único impulso.

Depois de me arrumar, desço as escadas lentamente, apoiando no corrimão para não cair: nunca acordo por completo quando levanto, preciso de um tempo para meu corpo também acordar. 

No andar de baixo minha mãe já está de pé preparando nosso café da manhã, enquanto meu pai assiste ao telejornal na sla de estar.

Renesmée: Bom dia!

Mãe: Bom dia querida! Como passou a noite? Dormiu bem?

Renesmée: Sim, dormi muito bem.- respondi um pouco amoada

Pai: Hum... e essa cara de cão chorão aí? - diz com um sorriso sarcástico no rosto

Meu pai adora me provocar.

Renesmée: Cão chorão nada! Só estou com sono, e também não consegui ver o final do meu sonho de novo.

Pai: O mesmo de todos os dias?

Renesmée: Sim, esse mesmo. Toda vez meu despertador toca quando ele está interessante.- faço um biquinho de chateação.

Meu pai me olha divertido, e com um ar de sarcasmo me responde:

Pai: Pois bem, talvez devesse ir para a cama mais cedo e conseguiria ver essa parta "tão interessante" antes do seu despertador tocar, não? 

 Renesmée: Eu não fico acordada até tão tarde está bem pai.- fico brava com sua brincadeira 

Ele ri com minha reação, meu pai adora me irritar e apesar de ficar brava eu também gosto.

Mãe: Muito bem, já chega vocês dois. Venham vamos comer o café da manhã ou irão se atrasar para seus compromissos.

Ao dizer isso, minha mãe calmamente se senta e aguarda até que nos sentemos junto dela para acompanhá-la no café. 

Como tudo com bom gosto, a comida de minha mãe é deliciosa, ela faz os melhores ovos mexidos que eu já comi. Ela faz tudo com carinho e esmero. Minha mãe é maravilhosa! 

Após comer subo, escovo os dentes e saio a pé a caminho da escola. Ela não é longe de minha casa por isso vou andando, além do mas eu também prefiro, pous assim consigo obsrvar com calma a paisagem, sentir a brisa fria que rebate meus cabelos e dá-me um calafrio no corpo, além de sentir as fragrâncias matutinas, das flores desabrochando e mostrando sua belesa natural para os olhos dos observadores curisos como eu, que param e as observam mostrar seus pétalas delucas e distintas. E assim prossigo meu caminho para a instituição escolar da qual frequento, iniciando mais um rotineiro dia de minha vida. 

"Porém tudo pode mudar antes mesmo que eu perceba, e nunca mais vou ouvir falar em rotina."




Notas Finais


Obrigado por ler esse capítulo até aqui!
Espero não ter errado muito em questões ortográficas e tals, kkk.
Espero que tenham gostado, e mais uma vez obrigado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...