1. Spirit Fanfics >
  2. Fogo Em Chamas (KakaIta) >
  3. Fire On Fire

História Fogo Em Chamas (KakaIta) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, galeris ❤️... Vim aqui trazer essa ficzinha em comemoração ao aniversário de uma pessoa muito especial... @laizaum, com um dia de atraso mas acho que da pra perdoar né kakakakaka parabéns meu amor, você é muito especial pra mim, foi muito gratificante ter te conhecido e ter tido a oportunidade de conhecer o seu talento também. Admiro demais a pessoa esforçada que você é, admiro sua escrita em níveis absurdos, amo sua originalidade, seu jeito divertido, sua risada escandalosa kkkkkkkkkkk meu pai eu consigo ouvir. Também amo o fato de você ser ariana e eu te amar kkkkkkkkk. Enfim, eu desejo toda a felicidade do mundo pra você, toda a inspiração pra escrever e muito sucesso porque tu merece ❤️❤️❤️

Espero que goste do dengo hahaha tem bastante safadeza e em uma próxima eu trago konohana, agora sem mais delongas, vamos ler ❤️

Capítulo 1 - Fire On Fire



Capítulo Único



Reino Da Água, Século XV 


Kakashi Hatake era um homem de respeito, e certamente abaixo do rei, o mais confiável nos domínios da Água. Diante de tal fato, não era difícil entender porque fora escolhido a dedo pelo monarca, para assumir o comando de seu exército. 


Conhecido por suas técnicas de combate avançadas e refinadas, não havia um só guerreiro que não temesse o seu nome e a a lâmina afiada de sua espada por aquelas terras. Salvo uma exceção: Itachi Uchiha, o general do exército do reino do fogo. 


A muito tempo Uchihas e Senjus viviam em pé de guerra, pois a rivalidade entre os dois reinos fora declarada desde os primórdios de suas fundações. Por séculos o cenário que se perpetuou por ali foi o de mais puro caos, morte e destruição. Não havia escrúpulos, tampouco previsão para que os combates chegassem ao fim. Não havia esperança, e até mesmo as crianças já eram doutrinadas desde muito cedo, a como se portarem em um campo de batalha. 


Todavia, graças a dois homens com pensamentos parecidos, cujo a paz era o objetivo em comum, os reinos fizeram um tratado. Hashirama Senju, e Madara Uchiha, concordaram em dar um fim definitivo a guerra, desde que os reinos fossem completamente separados por uma floresta. Ninguém da Água adentrava os domínios do Fogo. Ninguém do Fogo se atrevia a entrar na Água. E a única forma de quebrar o tratado, seria se alguém invadisse o território do outro. Pois embora estivessem em um período de trégua constante, os dois reis jamais seriam amigos.


Contudo, a rivalidade entre os povos permanecia intacta, e mesmo com o fim do contato, um ainda ouvia falar no outro com ódio e rancor. Um ciclo de vingança, que se estenderia até que as gerações avançassem o suficiente para esquecer tudo o que se passou, todo o sangue derramado. 


Itachi e Kakashi, portanto, a anos não tinham a oportunidade de verem um ao outro . E certamente teriam esquecido a existência um do outro, não fosse a raiva que os consumia. Raiva essa que foi colocada a prova, em um episódio que marcara suas vidas para sempre. 


Certa vez em uma caçada, atacado por um grupo de lobos, Kakashi acabou por ultrapassar os limites do Fogo. Quase morto, inconsciente e completamente sem esperança de que fosse sair daquela situação, não esperava ser encontrado, entre tantas pessoas, justamente por seu maior inimigo. 


Mesmo hesitante, e certo de que deveria dar fim da vida do homem por ali mesmo, Itachi carregava  consigo uma compaixão que o impedia de agir de forma tão cruel. Não poderia ser covarde ao ponto de lutar com um homem que não tinha forças para se defender. E determinado a cuidar da recuperação de Kakashi, até que o mesmo estivesse em bom estado para explicar o que fazia por aqueles domínios, e enfim lutar consigo, o levou a uma gruta, onde o Hatake ficou sob os seus cuidados.


Foi um longo período, e embora ainda claramente se odiassem, suas barreiras foram expostas, com a proximidade com a qual tinham de lidar. Embora grato por ter salvo a sua vida, Kakashi queria que tudo aquilo acabasse logo, pois não gostava da forma como o seu corpo reagia aos cuidados do general. Um estranho conforto, decorrente de uma excitação, que por vezes ele preferia ignorar. 


Mas em uma noite, viu suas paredes ruírem, quando Itachi molhado da chuva, se livrou da maioria de suas vestes. E enquanto cuidava de Kakashi – o obrigando a se alimentar – tomado por um impulso que não sabia dizer de onde vinha, o general da Água se entregou aos seus anseios. Para sua surpresa, foi correspondido, e ali ambos souberam que não havia mais espaço para rivalidade. Se tratava apenas de desejo. Um constante desejo, que ardia como o próprio fogo. 



°°••°°••°°••°°••°°


Minha mãe disse que sou muito romântico

Eu quase comecei a acreditar nela

Então eu vi você e eu sabia


Itachi se banhava nas águas cristalinas, da piscina natural que se localizava no interior da gruta, quando ouviu o relinchar do cavalo. Não demorou até o corpo truculento passasse pela entrada da estrutura cavernosa, surgindo em seu campo de visão. Sentia saudade, fazia um bom período desde a última vez, e estava ansioso por vê-lo e sentí-lo novamente. 


Nadando para um pouco mais próximo da margem da piscina, observou enquanto o homem retirava as peças de suas roupas, sem dizer uma palavra. Kakashi – quando não precisava cumprir com suas obrigações como guerreiro – era calmo, tanto que por vezes lhe dava desespero, e o deixava ainda mais ansioso. Itachi desconfiava que fazia aquilo para torturá-lo. O Hatake sabia que estava sendo observado, e tinha completa ciência de que o Uchiha ansiava por tocá-lo, pois o seu sentimento era o mesmo. 


No entanto, permitia-se divertir-se com os olhos negros sobre si, quase o consumindo sem pudor algum, enquanto se despia. E quando se viu livre de todas aquelas peças, caminhou até a água, exibindo o físico invejável resultante de anos de treinamento. 


Talvez seja porque eu fiquei um pouco mais velho

Talvez seja por tudo o que passei


– E então, qual foi a desculpa que arrumou dessa vez? – O Uchiha perguntou, assim que Kakashi entrou na água, submergindo o corpo na mesma, e reaparecendo com os fios molhados, a centímetros de distância dele. 


– Amigo moribundo – colocando uma mecha do cabelo negro de seu amante atrás da orelha, fixou o olhar no seu de forma intensa. Itachi queria tanto beijá-lo e sentir todo o calor que emanava daquele corpo. – E você, o que inventou dessa vez? – Dizendo isso segurou sua nuca, e percorrendo o nariz por toda a extensão de sua pele alva, depositou uma mordida na região, arrancando um gemido sôfrego da boca do Uchiha, ao passo em que a barba grossa do mais velho lhe roçava. 


– Caçada noturna. – Sussurrou impaciente, desejando mais. – Por Deus, Hatake eu senti tanto sua falta. – Ao ouvir tais palavras, Kakashi não ponderou em atacar os lábios molhados com volúpia, desfrutando daquilo que a meses desejava. As mãos de Itachi percorriam-lhe o tronco de forma impaciente, e logo o calor e a excitação tornaram-se mútuos. 


Eu gostaria de pensar que é como você se apoia no meu ombro

E como eu me vejo com você


Nunca houve um momento em que ambos declarassem suas paixões através de palavras, pois tudo o que tinham de dizer um ao outro resumia-se a gestos, tão calorosos quanto as chamas de uma fogueira. De forma vagarosa, com as palmas das mãos, o general percorria as coxas do Uchiha, o fazendo mesmo embaixo d'água, sentir os estímulos provocantes em sua região íntima, que ficava cada vez mais rígida para si. A boca gélida do grisalho agora percorria o pescoço alvo, em busca de regiões sensíveis para deixar suas marcas, e aos gemidos roucos, o Uchiha não resistiu ao impulso de entrelaçar as pernas em torno de sua cintura, roçando o pênis contra o abdômen definido de Kakashi. 


Eu não digo uma palavra

Mas ainda assim, você tira o meu fôlego e rouba as coisas que eu sei

Lá vai você, me salvando do frio


– Você é tão quente, Uchiha. Fico louco com a personalidade indecente que assume quando está no calor dos meus braços. – Dizendo isso abraçou o corpo esguio com força, chupando o lóbulo de sua orelha. – Nem ao menos parece aquele homem que tentou me matar tantas e tantas vezes. – As mãos foram em contato com as nádegas, suspendo para cima com facilidade. Logo o dedo estava alcançando a zona erógena, rodeando a entrada apenas para provocar. 


– E por acaso isso é um tipo de vingança? – Itachi indagou, fixando os olhos nos seus. A boca praticamente tremulava entreaberta, enquanto sentia a carícia naquela região. – Quer me torturar seu generalzinho desgraçado? Que seja me colocando de quatro, e se enterrando em mim, com muita grosseria. – Kakashi riu, fervendo com as suas palavras. Ele também estava duro afinal. Não suportava ouvir palavras tão profanas saindo da boca daquele Uchiha arrogante. 


– Você é mesmo um moleque muito atrevido. – Dizendo isso lhe deu outro beijo, suspendendo seu corpo com facilidade, para que pudesse andar até a beira da piscina. 


O fogo em chamas normalmente nos mataria

Mas com todo esse desejo, juntos, somos vencedores


Quando alcançaram terra firme, o corpo de Itachi não tardou a ir ao chão, quando o grisalho o deitou sobre ele. 


– Hatake… – suspirou o seu nome, assim que as próprias mãos foram erguidas e presas acima de sua cabeça. O chão de areias e sutis pedrinhas não parecia um problema para o seu corpo preparado para enfrentar até mesmo um exército furioso, e mesmo se não fosse, Itachi duvidava muito que todo aquele calor que parecia arder de dentro para fora, lhe permitisse sentir algum desconforto. Com Kakashi não existia desagrado, só uma incessante onda de sensações prazerosas demais para serem contidas. – Eu gosto quando sua boca me chupa assim… – Sentia a língua afoita percorrer seu abdômen, deixando um rastro quente por onde passava. Por vezes nos mamilos, fazendo suas pernas estremecerem e o membro latente implorar por atenção. Por outras nas protuberâncias rígidas da barriga. 


– Não imagina por quantas noites eu sonhei com o seu gosto, Uchiha, bem aqui na ponta da minha língua. – Era a visão do próprio paraíso ver o maior se apossando de si com tamanha franqueza. Kakashi lambia e chupava as regiões macias de sua pele, encaixado entre suas pernas, e Itachi sabia bem onde ele desejava chegar. – Olha só como você está duro, general. Você quer mesmo uma atenção aqui, não é? – Partindo dos testículos, usou a língua para lamber até a ponta do pênis melado. 


– Ah… Hatake por favor… – Desesperado por mais, apoiou os cotovelos no chão, e manhoso esperou que o grisalho desse continuidade. Sem tardar, Kakashi não ponderou em segurar o falo com firmeza, e o engolir com vontade. 


Eles dizem que estamos fora de controle e alguns dizem que somos pecadores

Mas não os deixe estragar nossos belos ritmos


O Uchiha bradou alto, se contorcendo inquieto. Kakashi não era adepto a sutilezas, e suas habilidades com a língua e as mãos eram incontestáveis. Não desviava o olhar do seu enquanto o sugava com languidez. 


Era como se todo o sangue de seu corpo estivesse fervendo, pois a cada novo caminho que a língua do Hatake percorria, ele ardia de uma forma diferente. Os gemidos impossíveis de controlar, tornavam o eco de sua voz grossa presente por toda a gruta. Aquilo instigava Kakashi a ir além, a forma como Itachi se entregava a ele, deleitando-se em seus prazeres com tamanha carnalidade, sem pudor algum, o levava ao delírio, e a cada nova reação causada no mais novo, sentia-se estimulado a fazê-lo alcançar o seu pico o mais rápido possível. 


Queria sentí-lo o apertando, ao se afundar nele. Era muito bom sentir sua grandeza dentro de sua boca, enquanto o lambia de forma desvairada, fitando seus olhos negros, e o fazendo estremecer no processo. Mas nada se comparava a dominá-lo por completo, profanando o seu corpo, que mesmo resistente e tão bem definido, ainda assim se tornava frágil e vulnerável quando faziam amor.


Porque quando você me desdobra e diz que me ama

E olha nos meus olhos

Você é a perfeição, minha única direção

É fogo em chamas


– Querido, eu acho que vou… – suas palavras não precisaram ser concluídas, e nem puderam, pois bastou mais alguns movimentos sutis na ponta de sua glânde, para que vertesse o seu líquido espesso. Seus dedos se agarraram as pedras do chão íngreme, em uma tentativa de aliviar-se, ao passo em que os músculos estremeciam. – Kakashi… – Sorriu ofegante, ao ver que agora o general capturava última gota de seu fluído. 


– Vem aqui. – Esticou a mão puxando Itachi para perto si. 


Com as pernas uma em cada lado das suas, ainda sentindo a fraqueza causada pelo recente orgasmo, se agarrou aos ombros largos, sentindo os braços fortes ao seu redor, enquanto lhe beijava a boca com volúpia. Seu gosto ainda estava presente nos lábios de Kakashi, e lhe causava espasmos lembrar-se que a poucos segundos havia se derramado em sua boca. Os dois corpos se moviam com desespero, como se fosse possível se fundirem um ao outro, tamanha era a necessidade que os possuíam. 


– Uchiha, eu preciso de você, não aguento mais, não posso mais suportar. – Disse próximo ao seu ouvido, fazendo Itachi rir rouco, quando a glânde úmida tocou-lhe a entrada. Seu corpo estava tão relaxado, que não foi difícil se encaixar. 


Como se o saboreasse suas feições, e se embebedasse com as expressões que o moreno assumia, enquanto o penetrava lentamente, Kakashi não conseguia deixar de fitá-lo. O mesmo com o Uchiha que com os cotovelos apoiados nos ombros do mais velho, acariciava os fios acizentados. O rosto era tão perfeitamente emoldurado, que parecia uma escultura. Desde o queixo bem desenhado, até a cicatriz abaixo dos olhos, adquirida em batalha. Os olhos negros, a pinta abaixo do lábio inferior, até mesmos as sutis rugas e linhas de expressão adquiridas pela idade, o conjunto em um todo, era perfeito. Ainda mais quando mantinha a concentração em si, juntamente a face banhada em deleitamento. 


– Você é tão grande, Hatake… – Apertando os olhos com força, Itachi mordeu o lábio ao sentí-lo ganhar espaço dentro de si. – Senti falta disso. 


Aplicado em extravazar toda a sua luxúria, o Hatake se manteve calado, deixava que os gestos falassem por si. Queria ver Itachi, sentir Itachi, deliciar-se dele com todas as possibilidades expostas. A mão pesada foi até a base de seus fios ébano, acima da nuca, os puxando com fúria, conforme o moreno passava a se movimentar em seu colo. Seu interior era quente, sedoso, extremamente apertado, e lhe espremia de um jeito alucinante. Foi involuntário o movimento de sua mão livre, que contornando a cintura do Uchiha o acompanhou, enquanto o mesmo subia e descia pela extensão de seu pênis.


Como em uma dança luxuriosa Itachi aumentava a velocidade de seus movimentos, se permitindo ser dominado pelo comprimento do maior, que lhe penetrava com fúria. Cada estocada era como alcançar o ápice de seus delírios. As mãos já trilhavam caminhos errantes sem que ele soubesse ao certo o que estava fazendo. Sua razão parecia não existir, e o sons de seus gemidos ecoando pelo ambiente se comparava a uma melodia provinda do reino dos céus. A língua invadia a boca do general, sugando-lhe a medida em que os lábios macios se movimentavam colados nos seus.


Quando brigamos, nós brigamos como leões

Mas então, nós amamos e sentimos a verdade


– Itachi, você me deixa louco… é tão apertado. Eu amo foder você desse jeito. Amo sentir você sentando para mim...– sussurrou entre o beijo, aproveitando para morder o lábio inferior e na sequência o queixo do menor, que com o corpo suado, suspirava com o esboço de um sorriso em seu rosto. – Eu quero te comer de quatro. Quero meter em você até que perca sua razão. Quero te fazer gozar só com o meu pau entrando e saindo do seu corpo, hm?  


– Kakashi… – ávido por mais, fitou-lhe no fundo dos olhos que praticamente imploravam para que o fizesse de uma vez. – Que seja feita a sua vontade. 


Um meio sorriso travesso se abriu nos lábios do Hatake, que se retirou de dentro dele brevemente, só para que o moreno se posicionasse como planejaram. O corpo curvilíneo agora virado para si, incitava-o. Ele precisava preenchê-lo, fazê-lo gritar, possuí-lo da forma mais primitiva possível. 


Segurando o próprio falo percorreu sua entrada, introduzindo a glânde, apenas para retirar logo depois, e provocar o Uchiha que resmungou em protesto. 


– Ande logo com isso, Hatake. Não me faça inverter as posições. – Mal terminou de falar e sentiu as mãos pesadas se firmarem em suas ancas, e novamente o ardor de ser invadido com brutalidade. Aquilo fez o Uchiha revirar os olhos, mordendo o lábio. Os dedos apertavam com força o solo abaixo de si, tentando conter a vontade excruciante de gritar feito um animal, mas parecia impossível quando o Hatake lhe possuía com tanta ânsia. 


– Você não seria capaz, Uchiha. – Kakashi rosnou, enroscando os dedos nos fios negros, formando um rabo de cavalo, que ele puxava enquanto arremetia com violência. – Sabe por que? – Um gemido em resposta, e ele continuou: – Porque embora no campo de batalha nossas forças se igualem a de dois leões, aqui dentro dessa gruta, você é minha presa. E gosta disso. Não gosta, Itachi? – Puxou-lhe os cabelos com mais força, fazendo o Uchiha gritar. Era tão aprazível ouvir sua voz chamando o seu primeiro nome em um momento tão sujo. – Gosta de sentir meu pau entrando e saindo assim, com vontade, bem fundo. Gosta de gritar o meu nome, não é? Adora se submeter ao seu general. 


– Kakashi! 


– Diga o que eu sou. Diga quem manda. Diga a quem você pertence, Itachi! – Bradou alto, dessa vez se agarrando a cintura do Uchiha, inclinando o corpo sobre o dele. 


– Você é meu general, e eu sou inteiramente submisso a você. – Com o corpo dando os primeiros indícios de que atingiria o seu ponto alto, Itachi passou a acompanhá-lo nos movimentos, empurrando os quadris na mesma frequência em que recebia as estocadas fortes. – Ah, Kakashi… Isso! Mete com força!


– Você ama quando eu sou rude com você, não é? Uchihazinho insolente. – A mão do grisalho foi até sua garganta, pressionando e o privando de ar. 


Nós perdemos nossas mentes em uma cidade de rosas

Nós não vamos tolerar nenhuma regra


Corpos entorpecidos pela lascívia, devotos da libertinagem que suas almas incansavelmente procuravam encontrar uma na outra. Envaidecidos com o prazer que podiam dar e receber. Dois homens completamente alheios ao que estava acontecendo no mundo lá fora. Homens que se despiam não apenas das suas vestes, mas de seus próprios princípios, pelo sentimento de carnalidade e amor. Uma chama tão intensa que seria capaz de queimar qualquer um que ousasse se aproximar.


Eu não digo uma palavra

Mas ainda assim, você tira o meu fôlego e rouba as coisas que eu sei

Lá vai você, me salvando do frio


Movimentos sincronizados. Luxúria, gozo, deleitamento, apetite. Kakashi não parou de se afundar no interior macio de Itachi, até que o mesmo estivesse preenchido com o seu sêmem. E foi sentir os jatos de seu líquido quente transbordando por suas pernas, que o Uchiha também atingiu o seu apogeu, caindo de bruços, com o corpo pesado em cima do seu. 


O fogo em chamas normalmente nos mataria

Mas com todo esse desejo, juntos, somos vencedores


Ficaram um tempo naquela posição, recuperando os fôlegos, e sentindo as batidas de seus corações voltarem ao seu ritmo normal, em silêncio. Até que os corpos esfriassem. 


Eles dizem que estamos fora de controle e alguns dizem que somos pecadores

Mas não os deixe estragar nossos belos ritmos


– Itachi… – Sussurrou baixinho, enquanto depositava um trilhar de beijos molhados pelas costas largas do moreno, marcando cada pequena pinta que ele tinha no local. – Eu te amo. –  De repente os olhos que estavam fechados até então, se abriram, e sentindo uma euforia repentina lhe tomar, o Uchiha precisou respirar fundo. 


– Nunca me disse isso antes, Kakashi. – Com certa dificuldade virou o corpo para que pudesse fitá-lo, e então fez com que o mesmo se deitasse no chão ao seu lado, para observá-lo com mais liberdade. – Por que está dizendo agora? 


– Porque eu senti vontade, Uchiha. – O grisalho sorriu, e seus olhos brilharam ao avaliar bem o homem diante de si. Era tão bonito que chegava a ser insuportável. Os cabelos negros recaiam sobre a pele clara fazendo um perfeito contraste. Mesmo sério, ainda carregava aquela feição apaixonada que o derretia todo. Tudo em Itachi era suave como as notas de uma música. E enquanto o observava abismado, com a cabeça apoiada na mão, sustentada pelo cotovelo, Kakashi só conseguia pensar no quanto havia se tornado um devoto dele. – Eu te amo do primeiro fio de cabelo, até a última gota de sangue. É detestável amar você, mas acredite, eu não abriria mão disso. 


– Eu juro que achei que nunca fosse me dizer. – Lhe dando um selinho na boca, se aconchegou em seu braço, enroscando a perna na sua. – Por que demorou tanto? 


– Tive medo de que você me achasse ridículo. – Confessou. 


– Como posso te achar ridículo, se eu sinto o mesmo? Droga, Kakashi, eu também amo você. Isso é um inferno. – O abraçando com um pouco mais de força, Kakashi depositou um beijo em sua cabeça. – O que faremos agora, quando o mundo se voltar contra nós e nos acusarem de traição? 


– Aí seremos nós contra o mundo. Acho que damos conta disso, não é? – O mais novo riu pelo nariz e concordou. 


– É bom estar aqui com você. – Com um longo suspiro aliviado, Itachi fechou os olhos, e acabou por adormecer em poucos minutos, sentindo as carícias dos dígitos do mais velho por sua pele. 


Porque quando você me desdobra e diz que me ama

E olha nos meus olhos


Embora a brisa que vinha de fora os embalasse, aquela noite ambos se sentiram aquecidos. Porque assim era o seu amor, quente como uma fogueira. O suficiente para que vivessem quantas vidas fossem necessárias, e nunca faltasse calor. 


Você é a perfeição, minha única direção

É fogo em chamas




Notas Finais


Bjs amores até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...