História Forbidden Romance - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe
Tags Ação, Comedia, Drama, Família, Festa, Luta, Mistério, Nalu, Romance, Segredos, Tragedia, Violencia
Visualizações 469
Palavras 3.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu finalmente voltei para minha casa, e ainda fui obrigada à ir na escola :v Resumindo: os professores tacaram muitos trabalhos para fazerem e eu nem sei por onde começar ainda. Mas não quero deixa-los sem um novo capítulo de alguma fanfic, então escrevi a noite para vocês e adiantei os trabalhos a tarde, está tudo sob controle.

Boa leitura, espero que gostem.

Capítulo 7 - Sem compromisso.


Natsu

Eu acabei dormindo por alguns minutos em minha cama. Ultimamente eu tenho ficado cansado com muita mais frequência, mesmo não fazendo absolutamente nada muito exercitante ou cansativo. Acordei após meu celular começar à tocar com à maldita ligação do Gray, tenho certeza que eu dormiria mais se não fosse por isso. 

Chamada de voz: Gray.

Gray-Os planos mudaram. O cliente quer o alvo vivo, e pagará dois milhões à mais por isso.  -disse brevemente ofegante. 

Natsu-Para o quê exatamente ele quer esse homem vivo? -questionou-o na mesma hora se levantando de sua cama. 

Gray-Eu não faço a mínima ideia! Mas esse homem é um cara mau, e nos matamos caras maus... E quando não matamos, sequestramos e entregamos ele para o cliente. Simples. 

Natsu-Eu realmente não sei como aquele velho pode lhe considerar um profissional... Porra! -gritou. - Pode ser apenas uma armadilha para você seu idiota, e se ao trazer esse homem para cá, pode colocar em risco a vida da Lu... Do Jude, você se ferra muito. E todos nós nos ferramos, porque basta apenas uma foto, e todos sabem quem somos e o que fazemos.

Gray-O quê faço então?! 

Natsu-Converse com Jude. Infelizmente não posso mandar em você em situações assim. 

Ligação encerrada. 

Rapidamente joguei meu celular em cima da cama e sai do meu quarto, lembrando-me de trancar a porta. Desci aquela escada e corri para o escritório do Jude, o mesmo estava conversando com alguém no telefone sorrindo. Uma cena bem difícil de se ver quando não está conversando com Lucy. 

Jude-Um momento por favor querida. -disse retirando o telefone de perto do seu ouvido. - O quê você quer? -perguntou firmemente. 

Natsu-Gray mudou os planos da missão sem nos contatar antes. -respondeu rapidamente e Jude suspirou na mesma hora. - O cliente ofereceu-nos dois milhões à mais para manter o alvo vivo. 

Jude-Resolveremos isso tudo nesta casa. -disse firmemente. - Entrarei em contado com nosso cliente, e em seguida passarei para você os novos dados. Mande uma mensagem para Gray, informando-o que o destino desse homem não é o caixão ainda, e sim para minha casa. 

Natsu-Certo. -disse fazendo uma pequena pausa. - Mas enquanto à Lucy? Ela certamente não pode ver o quê vai acontecer aqui. 

Jude-Você é o segurança e o amigo dela agora. Se lembra? -perguntou jogando esse problema nas costas de Natsu. - Ele vai aparecer aqui em poucas horas, então tente tira-la daqui antes e só volte quando eu ligar. 

Natsu-Entendido. -disse retirando-se do escritório e fechando a porta. 

Caminhei rapidamente para a cozinha, avisando Levy e Gajeel brevemente do que aconteceria aqui e eles logo arrumaram suas coisas e foram embora, mesmo não sendo necessário agora. Em seguida subi para o segundo andar novamente, entrando em meu quarto e sentando-me em minha cama, pegando o celular e mandando mensagens para o Gray que entendeu qual era sua missão de agora. 

Solto um suspiro e olho para minha porta que deixei aberta. Lucy estava olhando para meu quarto, "admirando" à bagunça. 

Natsu-Eu sei, não sou a pessoa mais organizada desse mundo. -disse rapidamente chamando a atenção do olhar dela.

Lucy-Qual foi a última vez que arrumou seu quarto? -perguntou segurando sua risada. 

Natsu-Nem me lembro mais. -respondeu. - Quer alguma coisa? -perguntou.

Lucy-Hã... Não. -respondeu desviando o olhar e se afastando da porta. - Apenas fiquei... "Encantada" com essa bagunça toda... Ah, eu vi Levy e Gajeel irem embora, aconteceu alguma coisa? -perguntou. - Pensei que eles queriam assistir filmes hoje a noite. -completou.

Natsu-Levy tem compromissos importantes hoje e acabou se esquecendo. Gajeel foi com ela, porque... São unidos. -respondeu a única coisa que veio em sua cabeça no momento. 

Lucy-Entendi. -disse mostrando um pequeno sorriso e em seguida virando-se e descendo para o primeiro andar.

Mensagem de texto: Gray.

Gray-Consegui pegar o jato novamente, chegarei em mesmo de três horas com o nosso "pacote". Parece que nosso cliente quer vingança, quer tortura-lo. Então mande Jude arrumar os brinquedos, os piores se possível. 

Natsu-Mande uma mensagem para ele, explicando exatamente o quê nosso cliente deseja. Vou estar ocupado com outra coisa, nem estarei aqui. 

Gray-Quando voltar me traga alguma gostosa e vinho. Vamos comemorar, vou conseguir minhas férias finalmente. 

Natsu-Faça e foque apenas em seu trabalho, Gray. 

Desliguei meu celular, não querendo mais ter que atender ligações dele. Em seguida comecei à minha missão do momento, conseguir tirar Lucy de dentro dessa casa e ficar com ela em algum lugar bem distante daqui por pelo menos cinco horas. 

Peguei as chaves do carro dela que trouxe comigo por engano, minha carteira, canivete e minha jaqueta preta novamente, já que a chuva lá fora não está parando. Desci as escadas apressadamente e fui até a cozinha, aonde encontrei-a sentada em cima da mesa, comendo uma barrinha de cereis enquanto olhava para a janela. 

Natsu-Lucy. -disse firmemente fazendo-a virar seu rosto para encara-lo. - Vamos comer fora. 

Lucy-É... Não estou com fome, obrigada. -disse sorrindo e descendo da mesa com um pouco de vergonha, sentando-se na cadeira. 

Natsu-Então que tal... Assistirmos um filme? -perguntou novamente. 

Lucy-É uma boa ideia. -disse rapidamente concordando com a cabeça. - Na televisão vai passar um filme sobre uma garota que ficou  presa em uma ilha, alguma coisa assim, parece ser interessant-

Natsy-Não, eu quero assistir algum filme no cinema. -disse rapidamente interrompendo-a. - Eu nunca assisti um filme no cinema... E sabe, você parece uma boa companhia. 

Lucy-Ok... Que horas quer ir? -perguntou um pouco sem graça. 

Eu realmente devia ter levado à sério o quê Levy me falava sobre comprar livros de como conversar com mulheres. Nem ao menos sei convence-la de um jeito natural, e agora sinto que estou forçando-a à ir comigo no cinema. Mas mesmo assim tenho que tira-la daqui o mais rápido que posso. Jude não pode perder nenhum segundo se quer para montar sua sala de tortura.

Natsu-Agora. -respondeu-a rapidamente. 

Lucy-Não passa filmes à essa hora. -disse rindo. - Podemos olhar na internet, mas acho que só as seis e meia que começa à passar. 

Natsu-Lucy... Eu quero sair com você. -disse firmemente encarando-a, fazendo a mesma parar de rir. - Quero te conhecer melhor, já que parece que não nos conhecemos muito bem. -completou. 

Lucy-Tem razão, temos que nos conhecer melhor... -disse ajeitando uma mexa do seu cabelo, colocando-o atrás da orelha. - Ok, vamos sair. 

Funcionou. 

Ela terminou de comer sua barrinha de cereal e se levantou, acompanhando-me de volta até o seu carro. Nos molhamos um pouco por causa da chuva que não parava nem por um segundo se quer. Ela ainda estava tensa por causa do último acontecimento no carro, mas parece que gostou da ideia de nos conhecermos melhor. 

Lucy-Para onde vamos? -perguntou colocando seu cinto de segurança. 

Natsu-Para onde você quer ir? -perguntou de volta. 

Lucy-Tanto faz... -respondeu. - Bem, já que vamos nos conhecer... Gostaria já de começar a conversar. Sobre as coisas... Que aconteceram nesse carro. -disse com um pouco de sem jeito. - Não quero me envolver com você e você não quer se envolver comigo, então não devemos ficar nesse fogo, me entende? -perguntou respirando fundo. 

Natsu-Claro que te entendo. Apenas estou te chamando para sair, para nos conhecermos melhor. Não é nada demais. 

-x-

Lucy

Depois que eu disse isso, ficou um enorme silêncio entre nós dois. Eu não tentei puxar assunto e nem ele tentou, então apenas me mantive quieta, olhando concentradamente para o lado de fora da janela enquanto ele dirigia para sei lá onde. 

Confesso que não queria estar dentro do meu próprio carro com ele novamente. Mas a ideia de nos conhecermos melhor, me pareceu uma boa proposta para pelo menos nos tornamos amigos e pararmos com essas coisas que fizemos sem pensar direito. E eu tenho certeza que ele não quer nada além de sexo, e uma mulher com uma cicatriz no coração como eu, quer mais do que isso. Então à melhor coisa a se fazer no momento é fugir antes que eu me apaixone. 

Ele ficou por trinta minutos dirigindo, e durante esses trinta minutos não conversamos e quando ele pensou em colocar uma música no rádio, eu apenas tossi forçadamente e parece que ele entendeu meu recado após deixar a ideia de colocar uma música de lado. Quando o carro parou, estávamos em frente à um restaurante "chique". Eu certamente menti para ele quando disse que não estava com fome, porque eu realmente estou morrendo de fome no momento, e no caminho para cá minha barriga roncou algumas vezes, e tenho certeza que ele ouviu.

Lucy-Parece um ótimo lugar para almoçar. -disse olhando. - Mas ao mesmo tempo parece ser caro, e eu não tenho dinheiro para coisas assim no momento... -disse um pouco sem graça suspirando. 

Natsu-Não se preocupe com isso. -disse rapidamente removendo a chave do carro. - Eu sou o dono desse restaurante temporariamente. 

Lucy-Como... Como assim você é dono disso? -perguntou forçando um sorriso. 

Natsu-Eu comprei. -respondeu simplesmente. - Mas não pretendo ficar nessa cidade por muito tempo, então irei vender. Viu? Estamos nos conhecendo. -disse sorrindo enquanto encarava-a. 

Lucy-Não sabia que seguranças ganhavam tanto assim. -respondeu saindo do carro junto com ele. 

Cruzei meus braços e caminhei ao lado dele para dentro do restaurante. Onde uma garçonete nos atendeu super bem ao reconhecer seu chefe. Eu apenas fiquei calada o tempo todo sorrindo, enquanto olhava em volta, notando o quão cara foi apenas para montar esse restaurante. E para cada mesa que olho, só vejo pessoas bem vestidas, ao contrário de mim. 

-Por favor, sentem-se. -disse sorrindo. - Aqui estão os cardápios. 

Sentei-me em uma mesa em frente à ele, e meus olhos pararam na enorme janela que havia ao meu lado, mostrando a bela vista da praia. Sorri com a passagem ao meu lado, mas logo tirei meu sorriso do rosto ao ver os preços dos pratos. Quem pagaria trezentos reais para comer uma colher de arroz com uma pequena folha em cima? 

-Antes que eu me esqueça, o vinho tinto Chateâu Margaux já chegara em sua mesa Senhor. Dragneel. -disse por fim, virando-se e indo atender outros clientes que entravam. 

Lucy-Que belo restaurante... -disse dando sua última olhada em volta. - Por quê comprou esse restaurante? -perguntou forçando um sorriso. 

Natsu-Porque eu gosto do molho de macarrão que eles fazem aqui. -respondeu simplesmente fazendo a loira rir. 

Lucy-Não era mais fácil pedir a receita? -perguntou parando de rir. 

Natsu-Eu pedi, mas é complicado de fazer. -respondeu. - O quê vai querer? -perguntou. 

Lucy-O mesmo que você. -respondeu rapidamente fechando o cardápio. 

-Senhor. Dragneel, quanto tempo que não o vejo por aqui. -disse gentilmente sorrindo. - E ainda trouxe uma bela mulher com você. Seria ela o motivo de ter sumido? Senhorita. Dragneel. -disse e na mesma hora Lucy colocou sua mão em frente a boca rindo baixinho. 

Natsu-Infelizmente não. -respondeu fazendo a loira em sua frente ficar confusa. -  Apenas trabalhando muito, e essa é minha amiga. Lucy. -disse apenas. 

Acenei para ele sorrindo.

-Seja muito bem-vinda, Senhorita. Lucy. Já decidiram o quê querem? -perguntou. 

Natsu-O mesmo de sempre. -respondeu apenas e o garçom virou-se saindo de perto. 

Lucy-Pensei que sair com você não seria divertido. -disse rapidamente sorrindo. - Mas eu estava enganada. Prazer, Senhor. Dragneel, o quê deseja? -perguntou com ironia sorrindo. 

Natsu-Você. -respondeu fazendo-a tirar o sorriso do rosto. - Estou apenas brincando com você. -disse rindo. 

Isso pegou-me de surpresa. Esperava apenas que ele brincasse comigo de volta, e que não me respondesse desse forma séria enquanto encarava-me nos olhos. Não consegui dizer mais nada no momento, mas quando o vinho sei lá o quê chegou, voltamos a conversar normalmente. Natsu Dragneel tornou-se uma pessoa interessante para mim, mas realmente não quero me envolver, pois sei muito bem que ele vai ser apenas mais uma cicatriz. 

Lucy-Você disse que não pretende ficar por muito tempo nessa cidade. Tem planos para algo melhor na sua vida? -perguntou encarando-o. 

Natsu-Apenas quero morar em uma ilha, sem barulho e pessoas. -respondeu desviando o olhar. 

Lucy-Uma ilha. -disse surpresa. - Não parece ser algo barato. 

Natsu-Seu pai é um homem generoso no meu pagamento. -disse rapidamente tomando um pouco do vinho na taça. - Mas e você, o que pretende fazer quando ganhar dinheiro com seu primeiro livro? -perguntou. 

Lucy-Ir para alguma cidade calma, morar em uma casa simples e continuar escrevendo mais livros. -respondeu simplesmente. 

Natsu-Como está indo o seu primeiro livro? -perguntou. 

Lucy-Eu nem comecei ainda... -respondeu rindo. - Mas estou pensando em escrever um livro... Erótico. -sussurrou. 

Ele encarou-me rindo e depois balançou sua cabeça negativamente, voltando à me encarar. 

Lucy-Estou falando sério. -disse respirando fundo enquanto sorria. 

Antes que o nosso assunto continuasse uma mulher com um olhar raivoso caminhou em direção à nossa mesa. Jogando sua bolsa de couro vermelho em cima do Natsu e em seguida deu um tapa na cara dele.

Lisanna-Você é o pior homem desse mundo! -gritou chamando à atenção de todos. - Você não sente vergonha de si mesmo por ainda sair com outras mulheres? Enganando-as com esse seu charme e beleza exagerada?! 

De repente Natsu chutou minha perna, e encarou-me para ajuda-lo nisso, mas eu não sabia o quê fazer para acalmar uma mulher que nem conheço. Em seguida ela bateu suas mãos na mesa e encarou-me.

Lisanna-Não se deixe ser enganada por esse traste! Ele pode ser lindo... Mas não vale nada. -disse encarando-a. - Como ele te enganou? -perguntou irritada. 

Lucy-Perdão... Eu não estou te entendo muito bem. -disse trocando seu olhar toda hora para a albina e o rosado sem saber o que dizer. 

Natsu-Lisanna... Tem que esquecer isso, já faz três meses que rolou isso entre a gente. E no momento eu estou com uma mulher que amo muito, minha futura mulher. -disse deixando-a boquiaberta. 

Lisanna-Você vai se casar com uma mulher que conheceu à dois ou três meses? -perguntou surpresa. 

Natsu-Exatamente. -respondeu. 

Lisanna-Não acredito... Homens canalhas como você não querem se casar! Apenas que foder ela e depois ir embora assim como vez comigo. -disse dando mais uma bolsada nele, enquanto Lucy apenas olhava tudo acontecer de boca calada. - Ele está mentindo sobre isso né? -perguntou encarando Lucy.

Lucy-É a vida... As pessoas mudam, e depois se casam. -disse um pouco incomodada ao escutar o que Lisanna disse. 

Lisanna-Isso não fez sentindo algum. -disse cruzando seus braços. - Bem... Felicidades aos noivos! -disse forçando um sorriso. - Que tal um beijo? -perguntou. 

Na mesma hora peguei a taça de vinho em minha frente e bebi fingindo que nem tinha ouvido o quê ela perguntou. 

Natsu-Quer que eu beije ela na sua frente? -perguntou encarando a albina que apenas concordou com a cabeça.

Assim que ele encarou-me balancei a cabeça negativamente de modo discreto enquanto bebia o vinho. 

Natsu-Lisanna, cresce. -disse rapidamente se levantando. - Vamos embora agora? Perdi a forme. 

Na mesma hora me levantei e comecei a caminhar atrás dele, enquanto aquela mulher ainda nos segui-a de braços cruzados e fazendo cara feia para nós dois. Apenas ignorei-a e parei em frente ao meu carro, esperando ele destrancar as portas. 

Lucy-Como você se mete em coisas assim? -perguntou sussurrando para ele. 

Natsu-Longa história de uma mulher chata e insistente. -respondeu sussurrando. - Agora, confie em mim. 

Assim que encarei-o, ele segurou em minha cintura e puxou-me para mais perto do seu corpo, beijando-me rapidamente. E sem dizer nada abriu a porta do carro para mim, e eu apenas entrei não deixando essa Lisanna ver meu rosto de surpresa e irritada. 

Em seguida ele entrou e pisou fundo no acelerador. 

-x-

Eu fiquei um pouco irritada com o quê ele fez, mas chegando nesse ponto eu não me importo mais. Preciso sentir novas emoções e sensações sem me apegar ou apaixonar. E é exatamente isso que vou fazer, abrir-me novamente para o amor, mas não de uma maneira radical, esperando que quando eu beije uma pessoa ela tenha que ser o amor da minha vida. 

Conhecendo o Natsu um pouco melhor agora, sei exatamente o quê ele quer, sexo sem compromisso. 

Lucy-Você não é nada bom com as mulheres... -disse em voz baixa. - O quê ela foi? Uma mulher de uma noite? -perguntou encarando-o.

Natsu-É, apenas uma noite. -respondeu um pouco incomodado. - Por que à pergunta? 

Lucy-Curiosidade. -respondeu. - Hmm, sempre foi assim? Sabe... Boates, mulheres e sexo sem compromisso. -disse e na mesma hora ele encarou-a de uma forma desconfiada. - O que foi? Apenas estou perguntando para te conhecer. -disse forçando um sorriso. 

Natsu-Há três meses atrás, sim. -respondeu. 

Lucy-E agora? -perguntou-o e na mesma hora ele parou o caro encarando-a. 

Natsu-Agora  as coisas são diferentes. -respondeu rapidamente. - Por quê ficou toda estranha desde que saímos do restaurante? -perguntou. - Acha que ainda sou um "canalha" ou "traste" como aquela mulher disse? 

Lucy-Não. -respondeu-o rindo. - Apenas curiosidade... Hã, tenho quase certeza que você não vai mais em boates ou bares por minha causa, porque desde que eu cheguei aqui você tem ficado na minha cola. 

Natsu-Lucy, aonde exatamente quer chegar com isso? -perguntou curioso. 

Lucy-Eu quero... Eu quero fazer coisas sem compromisso algum. Assim como você quer, certo? -perguntou. - Eu quero, beijar, abraçar, tocar, transar... Tudo sem compromisso. 

Natsu-Você ficou maluca? -perguntou rindo. - Por quê quer sem compromisso? 

Lucy-Porque eu e você nunca vamos dar certo, somos apenas uma pegação boa dentro de um carro. -respondeu e o mesmo parou de rir. 

Natsu-É, acho que é isso que sinto também. -disse tentando pensar melhor no assunto. - Então... É isso que você quer? Coisas sem compromisso algum? -perguntou encarando-a de volta, e ela balançou sua cabeça positivamente. - Isso tudo não é por causa do seu livro erótico não né? -perguntou novamente.

Lucy-Isso vai me fazer ganhar novas experiências, não tinha pensado por esse lado... -resmungou. 

Natsu-Mas você tem certeza disso? Você parece querer se apaixonar... Ter coisas sérias. 

Lucy-Não. -disse sem graça. - Não estou pronta para coisas sérias novamente. Agora, para onde vamos? -perguntou. 

Natsu-Para algum estacionamento deserto. -disse por fim ligando o carro e voltando a dirigir novamente.

É realmente isso o quê eu quero?

Ele começou a dirigir novamente e essa pergunta ficou em minha cabeça. Nas no final, era isso que eu realmente queria no momento, precisava me sentir bem de alguma forma, precisava de alguém  e não necessariamente essa pessoa tinha que me amar ou eu amar ela. 

O carro parou e eu fugi de meus pensamentos olhando em volta. Realmente era um estacionamento de algum shopping que estava vazio. 

Natsu-Lucy. -disse seu nome, fazendo-a encara-lo. 

Fechei meus olhos e respirei fundo. Em seguida tirei minha blusa, jogando-a no banco de trás do carro. Sem dizer nada, e com um pouco de dificuldade passei para o banco do motorista aonde ele estava, sentando-me em seu colo e retirando sua blusa. E antes que ele dissesse alguma coisa, beijei-o e nossas línguas se encontram. Peguei suas mãos que estavam paradas em cima da minha coxa e coloquei-a em meus seios, na mesma hora ele apertou-os, fazendo-me gemer em meio ao nosso beijo. 

Escuto um barulho estranho no vidro e quando olho havia um homem, um segurança. 

Rapidamente sai de cima dele e puxei uma das blusas que estavam no banco de trás. Acabou que peguei a dele, e sem me importar vesti escondendo meu rosto de vergonha. 

-Desculpa atrapalhar o casal, mas aqui não é um lugar adequado para isso. -disse com uma voz firme. - Sugiro que vão para casa, mas por favor não me obriguem à fazer vocês dois tomarem uma multa. Podem até mesmo ser processados se alguém ver. 

Natsu-Sinto muito por isso, não vai acontecer outra vez. Vamos embora agora mesmo... Mais uma vez, sentimos muito. -disse ligando o carro e dirigindo para longe dali.

Lucy-Talvez seja o destino dizendo que não somos bons um para o outro nem dessa forma... -disse sussurrando enquanto ria baixinho. - Preciso colocar minha blusa de volta, pare em um lugar que não tenha ninguém... Vai ser um problema se eu chegar em casa vestindo sua blusa. 

Natsu-E quem disse que vamos para casa? -perguntou fazendo-a olha-lo com curiosidade. 

Lucy-Para onde vamos? -perguntou curiosa. 

Natsu-Motel. -respondeu.


Notas Finais


Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...