História Get free - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Lynn, Lysandre, Rosalya
Tags Amor Doce, Amor Doce University Life, Castiel, Drama, Harem, Hentai, Lysandre, Romance, Yaoi
Visualizações 64
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Sophie - Born to be wild


Sexta-feira 22/02/2019

Saio correndo da sala, precisando desesperadamente de ar fresco. E um cigarro. Nos últimos dias Lysandre e eu conversávamos apenas o necessário e, de repente, ele age daquele jeito? Que diabos foi aquilo? 

- Gatinha, você por aqui. Seu curso não fica no outro prédio?

Me viro e vejo Castiel se aproximando descontraidamente, enquanto pega um cigarro do bolso. Se aproxima de mim e acende meu cigarro também.

- Obrigada. - sorrio - Só estava explorando o campus, é bem grande aqui. 

Ele assente e senta no chão, do meu lado, soltando a fumaça pelas narinas. Parece que cada movimento dele é milimetricamente planejado de forma que seja o mais sensual possível. Todos os meus instintos me gritam que esse garoto é encrenca, mas eu os ignoro com sucesso. Carpe that fucking diem, bitch.

-Sabe, eu tinha uma queda por você na época do colégio - Ele diz, enquanto esquadrinha meu rosto, congelando seu olhar em meus lábios; os lambo lentamente - de propósito.

- Sei disso... Não é como se você tentasse esconder. - Sorrio - Lysandre queria te matar. - Ele ri, jogando a cabeça pra trás. Deus. Que rosto perfeito.

- Eu gostava de irritar ele também... Mas você tinha aquele ar inocente e tímido, apesar de ser nervosinha, que me atraíam muito. - Castiel me encara com sua típica expressão de predador. - Por outro lado, esse seu jeito selvagem parece bem melhor. Fica bem em você.

- Selvagem?

- Você sabe... Pouco se fodendo, se entregando pro que tiver vontade.

Dou um trago e solto a fumaça, sorrindo e desvio de seu olhar. 

- Lysandre preferia que eu fosse mais boazinha, acho que ele está decepcionado com a mudança.

- Qual a graça em andar segundo as regras, Sophie? Nenhuma. É entediante, normal e estressante. Por isso que o mundo tá cheio de gente com vontade de jogar tudo pro alto e sair sem rumo: eles seguiram as regras durante muito tempo... 

- Vou seguir seu conselho, rockstar, e manter meu lado selvagem. 

- Se quiser, a gente pode dirigir em uma estrada sem rumo ao som de "Born to be wild" - Ele sorri, passando o braço por meus ombros.

- "A gente"?

- Como eu disse, gatinha, esse seu lado me atrai. Quero conhecê-lo melhor. Explorar um pouco, quem sabe. - Sorrio e subo em seu colo, o prendendo entre minhas pernas. Ele parece surpreso, de início, mas sorri e passa uma mão em minhas costas, enquanto apaga o cigarro com a outra.

- Pode começar a explorar se quiser, rockstar, sou toda sua. 

Castiel aperta minha cintura com as duas mãos e começa a lamber meus lábios fechados lentamente; eu sorrio e ele morde meu lábio inferior. Solto um gemido baixo, apertando seus cabelos. Ele enfia a língua aos poucos, explorando minha boca enquanto coloca uma mão por baixo da minha camiseta e sutiã, apertando meus seios, um de cada vez. Sinto seu pau pulsando em minha entrada e rebolo sobre ele.

Enfio minha língua com mais violência em sua boca e Castiel solta um gemido gutural, puxando meus cabelos. Abre meu zíper e enfia a mão entre minhas pernas enquanto mordo seu pescoço de leve.

- Caralho Sophie... Você tá pingando, gata. - Ele lambe os próprios dedos com vontade e me beija novamente, fazendo com que eu sinta meu próprio gosto. - Hmm, você gosta? Hahaha, é claro que gosta, safada. - Suas mãos apertam minha bunda, me posicionando em cima de sua ereção e eu mordo os lábios, segurando um gemido. Castiel beija meu pescoço de uma forma muito erótica enquanto me esfrego em seu pau, por cima das roupas. 

De repente somos interrompidos por seu celular tocando um rock muito alto. Ele me olha e eu sorrio, fazendo um gesto com a cabeça para que ele atenda.

- Fala. - Ele fica claramente bravo por ter sido interrompido. - Eu sei...Ok...Chego em quinze. Empata foda do caralho.

Castiel encosta sua testa na minha e eu acaricio seus cabelos.

- Tudo bem, pode ir, a gente termina isso depois.

- Eu queria te beijar desde o dia em que você me falou que estava sem calcinha durante o show... E agora sou interrompido por causa de uma maldita reunião da banda. - Castiel me dá um selinho enquanto fecha meu zíper - Vou compensar pra você, baby. - Penteio seus cabelos com os dedos, tentando melhorar a bagunça que fiz e sorrio.

Castiel me dá a mão pra me ajudar a levantar do chão e, talvez sem perceber, não a solta enquanto caminhamos até a saída do campus; vamos em direções opostas. Depois de alguns passos eu grito seu nome e ele se vira.

- DEIXEI UMA MARCA ENORME NO SEU PESCOÇO! - Ele assente negativamente, sorrindo e passando a mão pelo pescoço. 

 

Uau. Que caralho aconteceu agora?! Em um minuto eu estava sofrendo pelo Lys e no outro, me atracando com Castiel no chão. Não que eu esteja reclamando... O ruivo tem pegada e é absolutamente lindo, com um olhar de molhar calcinhas - como diria o Alexy. Ainda assim, que loucura!

 

 

- MALDITA! VOCÊ ACABA DE SER PROMOVIDA À VADIA SUPREMA. - Alexy grita da cozinha, enquanto traz duas cervejas. Liguei pra ele e Rosa passarem a noite aqui, ela não pôde porque estava ajudando o Leigh com algumas coisas da loja.

- UHUUUL - Grito rindo muito alto.

- Que pena que vocês foram interrompidos. Adoraria ver seu pai livrando sua cara na delegacia depois de você ser presa por atentado ao pudor, DANDO PRO CASTIEL NO CAMPUS, EM PLENA LUZ DO DIA!

- Você só diz isso porque queria estar no meu lugar.

- Deus me livre! Mas quem me dera... O cara é um gostoso. Aliás, que tipo de magia negra você faz pra conseguir esses caras perfeitos, Lynn?

- Hmm... Talvez minha boceta seja doce. 

- Urgh! - Alexy faz uma careta que me tira gargalhadas

- Alex, você acha que o Lys ainda sente alguma coisa por mim? Quer dizer... Aquele encontro no porão foi no mínimo estranho. - Coloco minhas pernas em seu colo e ele as acaricia lentamente.

- Soph, eu não sei. Talvez ele esteja confuso, da mesma forma que você está por ter o reencontrado. Ele foi seu primeiro amor e ainda quem tirou sua virgindade, pelo amor. Vocês tem uma conexão muito forte, querendo ou não. Ninguém esquece o primeiro.

- Talvez eu devesse perguntar, sabe, sem rodeios. Preciso de um ultimato pra que eu siga logo em frente.

- É melhor do que ficar fazendo suposições. Essas coisas só fodem com a nossa cabeça.

Três cervejas e 5 episódios de sex and the city depois, Alexy e eu apagamos em minha cama.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...