História Gather Our Fragments - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jikook Broken, Kookmin, Shortfic, Universo Real
Visualizações 1.004
Palavras 3.120
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláaaaaa


Boa leitura :3

Capítulo 4 - Dois pontos


Fanfic / Fanfiction Gather Our Fragments - Capítulo 4 - Dois pontos

Jungkook’s POV

Uma semana.

Esse era o exato tanto de tempo que Jimin estava me evitando, uma mudança brusca que começou após a conversa que ele teve com Taehyung, eu até aquele momento não estava informado sobre o que eles haviam falado exatamente, mas tinha certeza de que foi sério o suficiente para fazer o Park se afastar.

O que ainda não me deixava aliviado, afinal eu sabia também que Jimin costumava agir como um perfeito predador, ele espreitava no silêncio e deixa a sua presa com a falsa impressão de que tudo estava perfeitamente seguro, até que a fera que antes se escondia saia para dar seu bote, e essa conclusão me deixava sempre nervoso em relação à Jimin.

Odiava me sentir assim, ter uma pessoa que já confie tanto sendo o motivo do meu medo, Jimin havia mudado bastante com o passar dos anos, eu temia que talvez a fama tivesse elevado seu egocentrismo, mas preferia pensar que aquilo estava sendo apenas uma fase ruim, que logo ele perceberia o quanto suas atitudes estão sendo degradantes e voltasse a ser quem realmente era.

Não vou dizer que estava feliz com a distanciação de Jimin, claro que preferia ele assim do que colado em mim e me provocando a cada segundo, porém também não desejava que nos tornássemos dois estranhos depois de tantas coisas que vivemos juntos, afinal antes de um namorado, Jimin era um dos meus melhores amigos, e eu não desejava perder uma amizade tão preciosa como a que tínhamos.

Talvez eu ainda estivesse muito preso ao passado e não soubesse como me adaptar a mudanças da melhor forma, porém ainda sentia falta do amigo com quem eu poderia compartilhar qualquer música que gostasse ou o que mesmo não curtindo os mesmo jogos que eu, se sentava ao meu lado apenas para fazer companhia, sentia falta daquele Jimin que se sacrificava por um amigo até em pequenas coisas e não esse de agora que só se importa consigo mesmo.

Bem, sempre concordei que colocar nosso bem estar na frente de qualquer coisa é importante e essencial, mas da forma que ele fazia não faria bem nem pra ele mesmo, ia além de se colocar na frente, ele praticamente esquecia que as outras pessoas também tinham sentimentos e vontades, o principal motivo que nos levou ao término foi exatamente isso.

Não queria ter que ficar me preocupando tanto assim com uma relação que tinha chegado ao fim, mas todos os acontecimentos não cooperavam para que eu conseguisse superar, principalmente pelo fato d’eu trabalhar, viajar e morar com meu ex. Jin até havia conversado sobre isso comigo, questionando se eu não sentia vontade de pedir para a empresa alugar um apartamento somente para mim por um tempo, porém não aceitei, não queria fugir de nada e aquele dormitório também era minha casa, fruto do dinheiro que ganhamos com nossa música.

Aquele silêncio repentino de Jimin poderia significar alguma mudança de atitude, então eu preferia esperar para saber qual seria o seu próximo passo, mesmo que temesse um pouco saber da verdade, uma parte minha ainda achava que ele se mantinha com alguma carta na manga, uma bomba que estaria perto de explodir. 

— Vai continuar encarando a mesa de som como se ela fosse te dar todas as respostas do universo até quando? — Yoongi hyung me questionou num tom sarcástico, eu havia ido para o estúdio onde ele e Namjoon estavam finalizando algumas músicas, porém minha intenção estava longe de os auxiliar naquele trabalho, afinal meus pensamentos viajavam para bem distante daquele local.

— Acho que até ela me responder. — Falei mantendo o tom brincalhão que ele havia usado.

— Mas você não veio aqui apenas porquê quer bater um papo com a mesa, certo? — Namjoon perguntou me olhando perifericamente, já que estava sentado numa mesa ao lado, com o rosto virado para os papéis e o notebook ali presentes.

— Não, talvez eu quisesse silêncio e companhia ao mesmo tempo. — Respondi meio por cima, sem dar grandes espaços para mais assunto, mas sabia que ele não iria deixar por isso mesmo.

— O que aconteceu? — Indagou o Kim, se virando para mim com uma expressão preocupada. Desde quando eu deixava tantas pessoas alarmadas por causa dos meus problemas pessoais?

— Por que acha que aconteceu alguma coisa, hyung? — Perguntei, mesmo que a resposta para aquilo fosse bem óbvia.

— Acho que a forma que te encontrei na sala há uma semana me dá quase o direito de desconfiar que algo pode ter acontecido novamente. — Falou o que eu imaginei que diria, me arrependia tanto daquela noite que até sentia vergonha quando eles relembravam do que aconteceu.

— O Taehyung me disse que conversou sério com o Jimin, e agora ele está me evitando. — Expliquei rapidamente. — Estou com medo do que o Tae possa ter dito.

— A única forma de saber é indo diretamente na fonte. — Yoongi disse, entrando no assunto.

— Não adianta, o Tae não quer me dizer nada. — Proferi e percebi o Min suspirar de forma frustrada e depois se virar para me olhar.

— Não disse sobre essa fonte. — Sorriu de lado. — Ontem o Jimin veio me questionando como eu faria para me redimir após uma série de erros.

— E o que você respondeu? — Perguntei bastante curioso pela resposta, Jimin estava tentando me pedir desculpas?

— O que eu respondi não é a questão, e sim o que o Jimin está pretendendo, deveria perguntar o que está se passando na mente dele. — Yoongi expressou e logo voltou a dar atenção ao seu trabalho.

— Não sei como chegar até ele depois de tudo que aconteceu. — Falei encarando o chão do estúdio.

— Jungkook, a única forma de tirar suas dúvidas é indo diretamente no Jimin e perguntando, se você quer dar um fim nisso vai ter que tomar essa atitude mais uma vez, porque ninguém pode tomar o seu lugar e ir procurar respostas por você. E nada de perguntar para terceiros, resolva isso com a pessoa certa de uma vez! — Yoongi exclamou e Namjoon assentiu concordando com o mais velho, o Min com certeza era o membro que menos tentava se envolver em nossos problemas pessoais, preferia que nos resolvêssemos sozinhos e amadurecermos com nossos erros ou acertos, porém quando decidia entrar pra jogo, sabia bem como colocar os pontos finais onde era necessário.

— Obrigado, eu vou fazer isso. — Afirmei me levantando e saindo do estúdio.

Dali em caminhei por dentro de nosso dormitório, até chegar no corredor onde nossos quartos estavam, minhas pernas pareciam pesar mais quando meus pés se aproximaram da porta onde ficava o quarto de Jimin e Hoseok, eu sequer sabia que um deles estava ali dentro, mas isso não me impedia de sentir um forte nervosismo correndo por todas as minhas veias, queria conversar mas não sentia coragem para fazer tal coisa.

Mas antes que meus calcanhares me forçarem a dar meia volta e procurar outra forma de resolver aquilo, ouvi a tranca da porta destravar e a maçaneta girar, poucos instantes depois a porta do quarto foi aberta, Jimin levou um leve susto ao dar de cara comigo, mas disfarçou fingindo uma tosse e desviando seu olhar. Que constrangedor para nós dois.

Eu queria falar com você. — Proferimos ao mesmo tempo, deixando ambos ainda mais desconfortáveis.

— Podemos ir para o meu quarto então? Ninguém iria entrar para atrapalhar. — Falei e ele assentiu, já que eu não dividia o quarto com ninguém, seria mais fácil ter total privacidade.

— O Tae te mandou vir falar comigo? — Jimin questionou enquanto andávamos até o meu quarto.

— Não, mas o Yoongi me aconselhou a vir conversar, para resolver logo tudo isso. — Falei quando já estávamos em frente a porta do meu dormitório.

— Entendi, eu não andei facilitando as coisas não é mesmo? — Indagou quase retoricamente enquanto entrávamos no cômodo e eu logo tratei de fechar a porta, mas não de a trancar.

— Pra ser sincero, nem um pouco. — Respondi rindo soprado, vendo o loiro andar até minha cama e se sentar na ponta do colchão. — O que conversou com o Taehyung?

— Acho que eu nunca tinha visto o Taehyung tão bravo com algo, e você sabe que o deixar com raiva não é algo fácil, foi pior ainda perceber que eu causei aquilo. — Falou sem me olhar, encarando apenas suas mãos que estavam deitadas em seu colo. — Nossa conversa foi mais um monólogo, Tae não me deixou falar nada, apenas me deu a maior bronca que eu já havia recebido, nem minha mãe fala comigo daquela maneira.

— Ficou magoado com ele? — Perguntei me aproximando lentamente, sentando ao seu lado.

— Não, eu percebi que estava merecendo aquilo. — Sorriu de forma triste e me olhou rapidamente antes de voltar a fitar suas mãos. — Por que não me dizia o quanto eu fazia você se sentir mal?

— Talvez minha esperança de que você mesmo percebesse que errava e me pedisse perdão fosse maior, eu queria que se importasse comigo, que percebesse que eu não estava feliz. — Afirmei, por muitas vezes quis gritar o quanto me sentia infeliz, entretanto também sentia a necessidade de ver Jimin se importando comigo, percebendo meus sinais. — Mas já aprendi minha lição, ficar calado não é uma solução.

— Eu deveria ter notado! — Exclamou negando com a cabeça. — Porque você é uma das melhores coisas da minha vida, eu não deveria ter te negligenciado ou menosprezado sua importância como fiz, minhas desculpas não são nada agora.

— Mas já seria um começo, desde que sejam sinceras. — Proferi contente por perceber que ele realmente parecia ter começado a entender o quanto suas atitudes foram prejudiciais ao que chamávamos de “nós”, eu conhecia Jimin melhor do que qualquer um, percebia em suas atitudes corporais quando ele entrava na defensiva ou se sentia arrependido de alguma coisa.

— Não foi apenas o Tae que conversou comigo, todos vieram, e me fizeram perceber o quanto eu venho sendo egocêntrico, e que isso está afetando o grupo, ele jogou na minha cara o quanto eu vinha manchando a minha profissão, minhas amizades, as coisas que mais me dão felicidade. — Sorri ao saber que todos tentaram ajudar de sua maneira, eu quis sim que isso fosse apenas algo entre Jimin e eu, mas às vezes a visão e opinião de um terceiro é necessário para que as coisas andem, e nesse caso, os meninos haviam ajudado muito abrindo os olhos do Park. — E mesmo que na hora eu tenha ficado bastante irritado com as acusações, percebi depois de pensar bastante sozinho que todos tinham razão, eu fui um grande babaca.

— Por que pediu para abrirmos nossa relação? Eu não era mais o suficiente? — Indaguei algo que havia ficado preso em minha garganta desde que começamos aquilo.

— Eu que não me sentia mais suficiente. — Retrucou me pegando de surpresa. — Ah Jungkook, você cresceu tanto, uma hora eu me dei conta que não era mais o menino de treze anos que eu tinha que proteger, você estava conhecendo o mundo e ele estava te respondendo positivamente, isso me deixou inseguro. — Mirou seus olhos unicamente em mim pela primeira vez. — Não queria te perder, então meio que pesquisei formas de manter uma relação que está se desgastando, e acabei vendo alguns sites que falavam sobre relacionamento aberto, não era um tópico ou resposta para a minha pesquisa, mas comecei a pensar que aceitar dividir seria mais fácil do que te deixar ir de uma vez.

— Esse pensamento foi idiota em tantos sentidos que eu nem conseguiria listar adequadamente. — Murmurei bastante contrariado ao saber seus motivos.

— Sei disso agora, mas quando fiz a proposta, você aceitou tão rapidamente que achei que era exatamente o que queria, e isso me magoou, porque esperava que respondesse que eu era a única pessoa que você queria. — Disse abrindo mais ainda aquele jogo. — Depois comecei a sentir raiva, e isso se tornou uma erupção gigantesca, porque eu queria que você sentisse ciúmes das pessoas com quem eu ficava, queria que percebesse que eu era o único que lhe faria bem, que não importaria com quantos você ficasse, eu seria o melhor, porém você continuava a não demonstrar nada, isso só me deixava mais irritado, tinha vontade de me vingar. — Arregalei as pálpebras, pasmo com a sua revelação. — Na verdade você estava demonstrando e eu não dava atenção, porque me focava muito em meus achismos sobre o que você pensava para notar o quanto aquilo era horrível para nossa relação.

— Deveria ter conversado comigo, me contado tudo isso, porque eu só aceitei abrir a relação porque pensei que você queria experimentar coisas novas mas ainda sim me manter por perto, me senti insuficiente, porém aceitei porque queria o deixar feliz. — Falei elevando um pouco a voz, havia ficado um tanto nervoso por saber que se tivéssemos conversado na época, nada daquilo estaria acontecendo.

— Eu não estava feliz, isso acabou sendo um grande erro e tudo desandou rapidamente, quando você finalmente terminou comigo, eu não consegui aceitar que não me queria mais junto de você, que meu plano não havia funcionado. — Abaixou a cabeça, parecendo constrangido novamente em falar sobre aquilo. — Fui tão egoísta, uma parte de mim ainda gritava que eu não deveria insistir, mas meu ego falava ainda mais alto, se tornou uma missão pessoal te fazer querer voltar comigo, provar que não conseguiria ficar sem mim.

— Você sabe o quanto isso foi imaturo e desrespeitoso, certo? — Perguntei sério e ele assentiu.

— Percebi isso depois da conversa com o Tae, me senti tão envergonhado por ver que eu estava me tornando alguém narcisista ao ponto de te submeter a situações constrangedoras e desconfortáveis apenas porque eu não aceitava que nem sempre as coisas tem que ser como eu desejo que sejam. — Elevou seu rosto e me encarou por alguns instantes antes de concluir. — Mas o que mais me doeu foi perceber que você tinha razão sobre algo que me disse no dia em que terminamos.

— Sobre o quê? — Questionei curioso.

— Bem, o Taehyung me mandou analisar os meus sentidos quando estou perto de você, tentar notar se ainda sinto o mesmo que sentia no começo do nosso namoro, sabe? Era óbvio que não seria a mesma coisa, porém eu tentei estudar a mim mesmo em relação a você. — Se moveu sobre o colchão, chegando mais próximo de mim. — Não há mais um coração disparado. — Pegou minha mão e a levou para cima de seu peito, seus batimentos estavam normais. — Ou um nervosismo inexplicável que faz as pernas tremerem. — Sorriu triste se afastando novamente. — Eu o amo muito, mas a não existe mais paixão no meu amor, não consegui a evoluir o suficiente.

Jimin riu ironicamente colocando seu olhar para baixo mais uma vez, não posso dizer que não doeu ouvir aquilo, mesmo que eu já soubesse daquela realidade, mas ouvir dos lábios dele tais palavras tinham um peso diferente, porém ainda sim era bom saber que Jimin finalmente havia percebido o que eu já sabia há tempos, que ele já não me amava romanticamente mais.

— Me perdoa, Jungkook? — Indagou após alguns instantes que ficamos em silêncio. — Por favor, me perdoe, eu não queria que tivéssemos pegado esse caminho, por minha culpa estamos assim, mas eu faria qualquer coisa para consertar tudo... — Murmurou me fazendo suspirar, afinal não havia como mudar o passado. — Sei que apenas desculpas não são o suficiente para mostrar arrependimento, mas prometo que vou me redimir, eu vou te mostrar que ainda posso ser o Jimin que você amou.

— Que eu ainda amo na verdade. — Completei sorrindo para ele, quebrando o clima choroso que havíamos entrado.

— Significa que temos chances de voltar? — Perguntou me deixando inerte por alguns segundos, ele ainda achava que íamos voltar?

— Não, isso significa que estou aceitando suas desculpas e abrindo uma brecha para que possa se redimir, mas não vamos voltar. — Respondi tentando ser o mais educado possível, não queria transformar aquilo em mais uma briga, pois como toda pessoa egocêntrica, Jimin tinha um ego muito sensível.  

— Mas você disse que me ama. — Proferiu franzindo o cenho.

— Porém você não me ama! Não de um jeito romântico ao menos, e eu preciso superar o que tivemos, continuar insistindo nisso apenas nos machucaria mais ainda. — Expressei sincero, eu queria resolver aquilo, não transformar nossa relação num vai e vem cansativo, porque eu sabia que seria isso que aconteceria se voltássemos.

— Mas podemos tentar! Você é alguém tão apaixonante, vai acontecer de novo, eu vou sentir de novo. — Veio para perto de mim num movimento rápido, quase subindo sobre minhas coxas. — Por favor, estou com tantas saudades, isso significa que ainda sinto algo.

— Jimin, o que tivemos agora já é passado, o que você está sentindo é apenas saudades porque estivemos por três anos juntos e a comodidade acabou se instalando, vamos ter que aprender a ser apenas amigos novamente. — Disse tentando me manter longe dele, o que não funcionou muito, Jimin continuava apoiando suas mãos e joelhos sobre o colchão ao lado de onde eu estava sentado, com seu rosto indo na direção do meu.

— Eu tenho medo que nunca mais encontre alguém que seja como você, que enxerga a beleza em mim muito além da física, que faria qualquer coisa para me ver alegre, que me perdoa mesmo sabendo que nem sou merecedor… — Proferiu me fazendo o olhar surpreso, percebendo então que os olhos de Jimin estavam marejados.

— Você vai encontrar sim alguém que vai o fazer muito feliz, não seja pessimista assi hyung. — Murmurei levando minha mão até sua bochecha, passando o polegar abaixo de seu olho direito. — Você sempre foi encantador, inteligente e cheio de talentos, tenho certeza que irá ter alguém até muito melhor do que eu.

— Não… — Negou com a cabeça, deixando seu rosto ainda mais perto, à poucos centímetros do meu. — Não vai ser assim, Jungkook. — Senti a ponta de seu nariz encostar na minha, nesse segundo parecia que todo o ar que eu respirava ficou travado nos pulmões. — Ninguém é como você…

Sua fala sussurrada foi a única coisa que escutei antes de ter seus lábios colados aos meus.


Notas Finais


que isso em, Jimin?!

Até o próximo ¬u¬


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...