História Goblet of Blood - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, CL (Chaelin Lee), EXO, G-Dragon, Girls' Generation, HyunA, I.O.I, Park Bom, Red Velvet, Super Junior, TWICE
Personagens Chanyeol, Chen, Dahyun, G-Dragon, Heechul, HyunA, Jennie, Jeon So-mi, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kai, Lee Chaelin "CL", Lee Donghae, Lisa, Park Bom, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, Suho, Taeyeon, V, Xiumin, Yeri
Tags Bangtan Boys, Bts, Sobrenatural, Taekook, Vampiro, Vkook
Visualizações 240
Palavras 4.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooooi!!
Enfim, sobre a semelhança do caçador de vampiro com uma séria que estão comentando, eu não tenho conhecimento sobre ela, pois não assisti. Portanto, me inspirei em TVD nas características do caçador, mas há bastante diferenças entre em minha história e a série.
Cada capítulo revela sobre os personagens, então espero que estejam gostando.
Boa leitura ♥♥

Capítulo 4 - Vampire Hunter


Fanfic / Fanfiction Goblet of Blood - Capítulo 4 - Vampire Hunter

Como de costume, fui acordado pelo barulho maldito de cima do meu teto. Não tenho ideia de que horas são e só o que sinto é raiva.  

Decidi subir lá em cima e resolver de vez o que era. Se possível, irei matá-lo. Nossa natureza não permitia matar os animais por serem sagrados, mas eu já estava de saco cheio. Talvez pelo momento de raiva, mas tentarei eliminá-lo de todas as formas para que não voltasse mais.

Mas, um pensamento me ocorreu: e se não for um gato? Talvez um bicho muito pior que isso. Não sei. Só descobrirei se subir lá.

Levantei da cama e abri as grandes janelas de vidro, tirando as cortinas da frente. Fui à pequena varanda. Pisei na mureta e me levantei, agarrando a ponta do telhado e subindo de vez no telhado.

Quase caí, porque me desequilibrei com a surpresa daquela cena que estava adiante de mim.

Não era um gato… Pensando melhor, ele era gato.

Bem gato…

Jeon JungKook estava em cima do meu telhado, com uma pedra nas mãos, arranhando o teto. Parecia fazer desenhos ou coisa assim, não pude ver bem o que era pelo ângulo que me encontrava.

Mas como ele fora parar ali?

 

— Annyeonghaseyo — Falei baixo, em meio aquele silêncio.

O moreno estava agachado com um pequeno pedaço de tijolo em suas mãos, o esfregando em meu telhado. Mesmo após minha chegada, ele continuava com o que estava fazendo e parecia ignorar minha presença. Quando finalmente, ele largou o que fazia e me olhou lentamente.

Passamos minutos encarando um ao outro. Ele olhou para algo que estava atrás de mim e sua expressão se tornou de terror. Virei-me rapidamente para saber o que havia atrás de mim, mas não avistei nada. Quando me virei para frente, JungKook não estava mais presente.

Não é possível. Como ele fora parar ali em cima e como saiu tão rapidamente?

Caminhei, cambaleando até onde ele estava anteriormente e meus olhos se arregalaram com o que viram. Possuía uma mensagem no telhado.

Nela dizia: “Estou de volta, Taehy.”

Não pode ser... Só ela quem me chamava assim.

Meu coração acabou acelerando e eu estou confuso. Precisava de mais respostas, porém, não as obtinha. O que eu faria agora?

HyunA estava de volta à cidade e me procurando. Na verdade, me encontrou. Eu preciso vê-la. Como ela entrou aqui? Como irá se proteger? Com quem está? Seu namorado vampiro? Impossível. Sempre fora impossível qualquer ser maligno entrar em nossa cidade. Até nossa chuva continha verbena, a proteção era rígida.

Jeon JungKook, Jeon Somi e seus companheiros. Eles... Ela só pode estar com eles.

Então, quer dizer que JungKook é vampiro. Os vampiros possuem agilidade e correm numa velocidade extrema, por isso ele saiu daqui de cima em um segundo.

Não consigo acreditar no que está acontecendo. Como irei tirar aquele recado marcado de cima do meu telhado? Talvez JungKook vinha retocar ele quando se apagava pelo tempo, por sua culpa passava péssimas noites.

Desço de meu telhado e volto ao meu quarto, fechando as janelas e as cortinas.

Um objeto em cima de minha cama me causou curiosidade.

Vou até ela e vejo um livro marrom, com uma aparência de desgaste com o tempo. Parecia ter sido escrito há anos atrás. Suas folhas eram amareladas, mas estavam em um bom estado para ler. Um bilhete estava nas primeiras páginas e nele estava escrito “Esconda e proteja o livro”.

Talvez HyunA tivesse pedido para JungKook me entregar. Se ele está comigo agora, deve ser importante, irei proteger a todo custo. Seu título estava em símbolos, com certeza fora escrito há muitos anos.

Folheio as páginas com curiosidade para saber seu conteúdo, seu idioma era em coreano e vi pela capa que esse volume foi atualizado em 2015 e a versão original fora escrita em 1700.

Suas páginas continham imagens de uma cidade, fotografias, grandes textos e frases de pessoas que com certeza já estão mortas. Continha documentários de pessoas comentando sobre algo que teria acontecido.

O sono está tomando conta de mim agora, mas amanhã, depois que chegar da faculdade, irei ler esse livro até não querer mais.

                                                    

Acordei num pulo com o despertador. Me vesti, lavei o rosto e escovei os dentes correndo. Desci para a cozinha, onde possuía uma mesa grande de vidro, cadeiras altas, uma bancada e uma prateleira de vinho, que cobria toda a parede. As paredes da cozinha estão pintadas em tons de branco e cinza claro e escuro. Todos acordaram mais cedo, alguns haviam se retirado de casa e o resto estava comendo o café da manhã. Apesar de tudo, somos uma família unida e ver a casa cheia é sempre bom.

— O pó dos livros te fez muito bem, Taehyung. Acordou animado. — JongDae estava usando seu iPad, mas não pensou duas vezes antes de deixá-lo de lado e vir me importunar, pois percebeu minha correria.

— Me deixa em paz. — Falei, pegando os lanches e uma maçã.

— Bom dia para vocês meninos, espero que consigam ter paz um dia. — Jennie Kim colocou as bandejas de frutas na mesa.

Parando em frente a mesa, observava aquelas pessoas, algumas de sangue, outros são bruxos e se tornaram nossa família. Ainda não os apresentei para vocês. Já falei dos meus dois irmãos mais velhos e de meu pai, são caçadores e eu terei que me tornar um. Toda família continha bruxos, que eram convertidos pela nossa religião, bruxos sem casa ou sem família, eles sempre apareciam procurando por onde morar. E também tinha o caso de namorados dos nossos bruxos, caso eles queiram casar ou morar juntos, escolhem em qual família farão parte. E nós os acolhemos, caso a pessoa aceite ser bruxo de nossa família. É um padrão de sociedade que toda família segue.

Entre eles, tem meu primo de sangue Kim SeokJin, ele não precisou de batismo. Seu namorado decidiu ser de nossa família e se converteu, possuindo o mesmo sobrenome que nós.

Kim Namjoon nasceu em outra cidade e estava fazendo intercâmbio nos Estados Unidos. Ele retornou e veio morar em nossa cidade sozinho. Não faço ideia de como ele conheceu o Jin, pois eles nunca comentam quando são questionados. Mas eles são fofos juntos e eu gosto muito dele.

Kim Jisoo e Jennie Kim também são um casal, elas sempre foram amigas desde o ensino fundamental e Jennie decidiu morar conosco.  Quando elas brigam, uma joga feitiço na outra e o alvo sempre é o cabelo, celular ou roupas. Da última vez, Jennie jogou fogo na roupa de Jisoo, e ela estava com a roupa no corpo. Ninguém se intromete nas discussões delas, pois são muitas. HyunA uma vez foi tentar ajudá-las e acabou com o cabelo pela metade. As meninas se desculparam depois e se ofereceram para devolver seu cabelo, mas HyunA se recusou. Não queria um cabelo de feitiço e sim, um natural.

Kim Minseok e Kim Junmyeon são bruxos trazidos pelo meu irmão. De primeira vista não gostei deles e com o passar do tempo, continuo não gostando. Para mim, eles são metidos. Andam com o meu irmão para todo lado e me importunam também e fazem brincadeiras sem graça. Sempre os evito dentro de casa. Gostaria de que não tivessem aceitado eles em nossa família, mas como está na Bíblia, temos que ter coração bom e receber à todos.

Kim Taeyeon e Kim HyunA são irmãs, mas por parte de pai. HyunA morou conosco desde os dez anos, Taeyeon veio há uns dois anos atrás. Sua mãe lhe teve como golpe de barriga e, quando seu pai quis terminar o casamento, sua mulher o matou, não aceitando o fim — mas suponho que ela o matou porque não queria perder o dinheiro e que ele sustentasse outra.— Nesse tempo de casamento com a mãe de Taeyeon, ele se encontrava com a mãe de HyunA. Com a notícia de sua morte e com sua filha recém-nascida, decidiu se vingar pelo amante e as duas bruxas brigaram, o que resultou em suas mortes e duas crianças órfãs.

Taeyeon tem vinte e oito anos e HyunA vinte e cinco. As duas sempre se deram bem, Taey vivia com sua avó e decidiu vir morar conosco. Porém, ela é traiçoeira e corre atrás de homens ricos. Não querendo comparar, mas sua mãe fora igual. Talvez seja de família.

Quando HyunA fora embora de casa, Taey contou mentiras sobre sua irmã. Foi quando descobri que ela era falsa.

Kim Yerin, para mim, era uma desconhecida. Eu tentava me comunicar, mas ela ignorava. Me disseram que ela possuía um amor por mim, mas sabia que eu não corresponderia sua paixão. O pior de tudo isso, era que ela tinha razão. Não a via como algo mais, apenas como mais uma que entrou para nossa família. Então, deixava a garota em paz na dela, já que a mesma também não fazia questão de manter contato.

Kim Jongin simplesmente apareceu em nossa porta e disse que seria de nossa família. De onde veio? Ninguém sabe. Ele nem sequer fala sobre si. Mas correm boatos que ele não fora aceito pela família Lee. Já havia se transformado, estudava e às vezes sumia e voltava dias depois para casa. Eu pelo menos não sei nada sobre ele, mas meu irmão deve saber, pois eu via os dois conversando.

Kim Hyoyeon mora conosco desde pequena, é mais velha que eu e melhor amiga de Taeyeon. Estuda na mesma Universidade que frequento, mas em um curso diferente. Era bem presente na vida das garotas de nossa casa e é cuidadosa com todos.

Entretanto, são eles a quem fui obrigado  considerar como família. Considerava o Namjoon como irmão e o amava, mais do que meu próprio irmão. Outros eu apenas suportava e o resto eu nem via passar pela casa.

Em nossa sociedade sobrenatural, todos têm suas famílias, mas somos uma das famílias importantes da cidade.

Na família vizinha, segunda mais influente, são comandada por três irmãos caçadores: Charein, DongHae e Aerum. Eles passavam mais tempo no hospital. A mais nova, Lee Aerum, estava estudando medicina na mesma Universidade que eu. Havia mais deles, porém eu quase não os via.

E a terceira família é a Park. Não tenho conhecimento sobre, mas eles são ignorados em nossa sociedade, até mesmo pelos humanos — que não são sobrenaturais — e não são considerados importantes. A líder é Park Bom e Park HyungSik. As pessoas comentavam que eles namoravam há muito tempo e estavam noivados. Porém, ninguém sabe ao certo.

Também há rumores de que existe uma briga antiga entre Park Bom e Chaerin e que elas são inimigas. Mas elas negam isso e quando são vistas juntas, estão sempre de sorrisos e elogios — causando rumores de que são falsas. As pessoas acham elas falsas. Tenho dois amigos, que gostaria que se mudassem para minha família, o Park Jimin e Park Chanyeol. Combinamos de nos transformar juntos, na mesma semana, entretanto, eu já estava desanimando dessa ideia. Como vocês sabem, não sinto vontade de me transformar e acho vampiros interessantes.

                                                                   

Chegando na Universidade, saí correndo do táxi, batendo a porta forte sem querer e corri para dentro. Hoje cheguei mais cedo e estou à procura dele. Olho por todos os cantos. No banheiro, dentro da classe e nada. Nenhum sinal dele. Então, entrei na classe de aula sentando em minha cadeira, aguardando a chegada do moreno.

Entretanto, minutos se passaram e os alunos começavam a chegar e se sentavam em seus devidos lugares. Meu primo Jin e seu namorado Namjoon chegaram. Sinto a ansiedade passar pelo meu corpo, porém, me mantenho calmo.

Ele não veio.. Será que só esteve na cidade para me avisar sobre HyunA? Quantas dúvidas ainda irão surgir em minha mente? Estava tão ansioso para hoje, e agora, desanimei da aula e não consigo mais me concentrar. Meus pensamentos estão a mil. A cada pessoa que passa em frente a porta, me prende a atenção, na esperança de que seja ele.

Será que ele sabia que depois daquele dia eu saberia o que ele é, e por isso decidiu ir embora da cidade? Que droga. Mal o conheço e já estou preocupado.

Estou contando os minutos para que a aula acabe e o tempo parece que não quer passar.

Sinto meu celular vibrar e vejo que o número é de casa. Namjoon tocou meu braço mostrando seu celular, que também estava recebendo ligação de nossa casa.

Fui o primeiro a me retirar da classe, dizendo que não estava bem e Jin e Namjoon saíram logo em seguida. Eles conseguiram facilmente, pois são bruxos e consegue manipular com o contato de olhos nos olhos.

— Por que estão nos ligando? — Namjoon falou, ao acompanhar meu passo rápido.

— Vou retornar a ligação, esperem! — Parei em na frente deles.

Não atenderam minha ligação, porém mandaram uma mensagem. Ao abri-la fiquei incrédulo com o que avistava.

“Venham para casa os três Kim, Taeyeon decidiu fazer a transição”.

Mostrei a mensagem aos dois à minha frente e saímos correndo dali.

Só podia ser brincadeira... O que ela está pensando? As cerimônias de transformações para caçador são lentas e chatas. Todos tem que ficar de pé o tempo todo. Taeyeon nunca demonstrou interesse para se transformar e, do nada decidiu isso?

                                                                    

Chegamos em casa e recebemos duas notícias: a primeira, Taeyeon se transformaria daqui algumas horas, pois toda transição era feita na madrugada; a segunda, Kim Hyoyeon estava desaparecida há alguns dias e ninguém notou, somente Taeyeon.

Jennie estava encostada na parede, no corredor vazio, avaliando toda a cena que estava ocorrendo.

— Jennie Kim, o que está havendo aqui? — Indaguei.

— Eu sinceramente não tenho conhecimento disso, mas acho que algo muito sério aconteceu à Hyoyeon e Taeyeon está querendo se vingar dela, virando caçadora. Minhas suspeitas são: as duas são melhores amigas, como Taeyeon quer Hyoyeon só para si, talvez Hyoyeon tenha namorado com um vampiro e agora Taey quer lhe matar.

— Hyoyeon namorando um vampiro? É impossível a vinda deles aqui. — Tentei disfarçar o que já sabia, causando impressão de curiosidade sobre o assunto.

— É isso o que todos pensam. — Disse cruzando os braços e avaliando meu rosto.

— Como assim, Noona? — Tentei ao máximo não passar imagem de que estava curioso sobre.

— Deixa isso quieto, você não deve se preocupar. — Tentou sair do corredor, mas eu a impedi.

— Não, eu quero saber. Vocês eram próximas? — Me coloquei à sua frente, interrompendo sua saída.

— Sim, eu escutava Hyoyeon dizer que gostava de vampiros e híbridos. Taeyeon sempre parecia brava com esses tipos de comentários e dizia que se ela chegasse perto de um, ela terminaria a amizade. Então foi essa a conclusão que tive, porém, espero que não espalhe isso.

— Não vou dizer nada, mas não acho que seja isso. Ou que seja só isso. Sempre tem algo a mais.

— Sim, eu sei. — Disse por fim, pensativa.

— Que história é essa de vampiros? Você conheceu um? — Indaguei, me lembrando desse detalhe.

— Infelizmente sim, uma vampira.

Eu iria lhe fazer mais perguntas, porém Jisoo chegou, o que fez Jennie saltar e se assustar.  

— Atrapalho? — Disse ao se aproximar.

— Não, só estava questionando os motivos desse acontecimento repentino de Taeyeon. Estou de saída, meninas. Annyeong! — Me retirei do corredor.

Todo mundo nessa casa parecia esconder algo. Jennie estava escondendo algo, eu também.

                                                                      

A madrugada se aproximava e todos estavam com trajes para o evento. Roupas no tom de cinza claro ou branco.

Haviam mais bruxos de nossa família no local, mas que não moravam conosco. Pois, para uma transição de caçador, fazia-se necessário a presença de muitos bruxos.

Estamos na capela da Igreja. O cálice ao centro e Taeyeon se posicionaria em frente a ele. Todos nós estávamos prontos esperando-na e envolta do cálice, com as luzes de velas.

Com a chegada de Taeyeon, ela se posicionou em seu devido lugar e os bruxos começaram a repetir palavras num coro.

Não conseguia entender, pois são feitiços dito em voz alta.

Passaram-se vinte minutos e ainda tinha muito o que vir.

Quando finalmente, dois bruxos da nossa família tiveram que cortar uma de suas mãos para derramar o sangue no cálice.

Foram Jin e Namjoon. Eles sempre tinham assistido a transição, assim como eu e nunca participado. Então eles ofereceram a mão ao bruxo que estava realizando o processo do feitiço e ele lhe fez um corte médio na mão dos dois. E então, eles fecharam a mão com força, fazendo o sangue escorrer por ela e assim, caindo no cálice.

Logo depois, três caçadores deviam fazer o mesmo e meu pai não estava presente, pois ele sempre participava com os meus dois irmãos. Entretanto, pediram para que eu fosse o voluntário, porém neguei e recebi olhares reprovadores.

Eu não sabia o que eles estavam fazendo naquele feitiço. E se estavam ligando a vida dela em Jin e Namjoon? Para caso houver outras guerras, se matassem ela, eles iriam juntos. Eu penso muito e posso pensar em bobagens como essa, mas não confio em bruxos, a não ser o Jin e seu namorado, somente.

Para mim, os bruxos são loucos e querem que nós sigamos uma doutrina que eles acham correto. Nunca sabemos o que há por trás desses feitiços. Mais uma característica minha: desconfiado. E desconfio de tudo.

Enfim, tivemos que aguentar mais quarenta e cinco minutos em pé. Minhas pernas doíam. Na verdade, não só as minhas. Jennie foi uma das voluntárias a cortar a mão, caso queira saber quem fora no meu lugar.

Finalmente, depois das velas se apagarem e acenderem a cada dez minutos, eles deram-lhe a permissão de beber o cálice de sangue. E assim, ela o fez, tomando todo o líquido que possuía nele.

Como de costume, tivemos que observar outra transição dolorosa. Foram gritos exagerados que saíram daquela garganta, mas depois se cessaram.

Esse costume de receber estranhos na família e convertê-los no batismo, participar de reuniões de família com papos de bruxaria e ver transições de caçadores é algo bem cansativo. Gostaria de ser um humano comum, como todos os outros. Tenho esse desejo enorme.

Existem muitos humanos que gostariam de ter uma vida sobrenatural, enquanto eu, desejo ter a vida que eles possuem. Mal sabem eles que não estão perdendo nada.

Por fim, fomos liberados da sala, enquanto Taeyeon era ajudada na recuperação. Todos saíram e parabenizaram-na.

Eu esperei para que todos se retirassem e fui até ela, que estava sentada, com os dedos no cálice dourado o observando.

— Veio me parabenizar ou me impedir de algo? — Seus olhos ainda continuavam no cálice em suas mãos.

— Não vim te parabenizar. Se transformar é uma perca de tempo. E te impedir do que? — Lhe respondi em tom grosso.

— De matar HyunA. — Taeyeon ficou alguns segundos em silêncio pensativa e lançou esta resposta por fim.

— Teve notícias da sua irmã? — Cruzei os braços, chegando mais próximo da garota de cabelos pretos, que agora me encarava.

— Ela não é minha irmã desde que se transformou. — Me lançou um olhar desafiador, pensando que eu entregasse as respostas que queria.

— E ela se transformou? Como sabe disso? Então fora por isso que decidiu adiantar a sua transição assim tão cedo? Para se vingar?

— Não, mas agora que você deu a ideia, vou adicionar isso na minha lista também. Tem muito deles que quero morto. Irei fazer igual ChaeRin, viajar países matando todos e HyunA será a segunda de minha lista. — Ao ouvir isso, fiquei aliviado, pois quando tocam no nome de HyunA, penso que estão sabendo de sua volta.

Ultimamente venho sendo curioso, pensativo e medroso. Quando tocam em assunto de vampiros, penso que já sabem de algo. Se eles forem pegos, serão mortos. Não quero que JungKook morra, ele não parece ser ruim.

Preciso falar com Jennie, ela sabe de algo e tenho que descobrir.

— Qual o real motivo da sua transformação repentina? — Perguntei para a morena.

— Vocês logo descobrirão, eu acho.

— Boa sorte pra você então, em sua caçada.

Me retirei da capela e entrei para dentro de casa. Kim Hyoyeon retornou para nossa casa. Os mais velhos lhe deram broncas e ela fora punida.

— Oi Taehyung. — Se aproximou de mim, me interrompendo meu trajeto para o quarto.

— Oi, precisa de algo? — Nunca fomos amigos e nem próximos, só para pequenas frases como “bom dia” e “boa noite”.

— Não, só queria saber mesmo se Tae se transformou.

— Sim, vocês não são mais amigas? É feio isso Hyoyeon, sabia?

— Feio? O que?

— Se aproximar das pessoas só quando está sozinha sem amigos. — Lhe dei as costas subindo as escadas, mas parei pelo caminho e voltei alguns degraus voltando com minha atenção para ela. — Ah, é feio também sair de casa sem avisar e sumir sem dar sinal de vida. Você pode ser da nossa família, mas é por batismo e terá que se transformar em caçadora ou bruxa. E ainda assim, somos responsáveis por você, então, seja mais agradecida. — Retornei a subir lentamente as escadas.

— Seria mais agradecida se dissesse onde HyunA está? — Ela falou em sussurro.

Travei em meio caminho e quando olhei para trás, ela não estava lá. Desci os degraus da escada rapidamente olhando ao redor e nenhum sinal dela.

— Acho que temos muito para conversar amanhã. Boa noite, Taehyung. — Me virei para trás e minha atenção fora atraída para cima, nas escadas. Como ela fora parar ali? Ela não passou por mim em nenhum momento. E depois de ter dito isto, subiu para seu quarto lentamente.

Jennie havia conhecido uma vampira e guardou segredo, comentando somente comigo. JungKook sabe o paradeiro de HyunA e sumiu. Taeyeon decide se transformar repentinamente e Hyoyeon…

Kim Hyoyeon se transformou em vampira, por isso passou dias fora. Já vi essa cena antes. Eles são rápidos e correm em cinco segundos. JungKook fez isso aquela noite no telhado.

E Taeyeon pode ter descoberto isso e agora quer matá-la, mas não acho que o motivo seja sobre a doutrina de nossa religião e que é pecado ser vampiro. Sempre tem algo a mais, que eu irei descobrir amanhã. Mas o que falta, é ela desaparecer, como fez JungKook.

Ao subir em meu quarto, retiro aquelas roupas de tecido pesado e uso meu roupão para dormir. Sinto minha cabeça pesada de tantos pensamentos e dúvidas surgindo. Gostaria de tirar um tempo para ler o livro que me fora dado, mas não estou bem para isso.

                                                                          

Talvez tenha passado uma hora desde que dormi e despertei com um barulho, aquele mesmo som de antes. Era ele. Meu coração acelerou e eu saltei da cama rapidamente. Me preocupei em cair de lá de cima por ansiedade, mas abri a janela e fui para fora, subindo na pedra de mármore e agarrando no telhado. Com força, subi.

E fora a cena mais linda que vi. JungKook com um cálice na mão. Esse, era prata e havia sangue nele. Sangue humano.

E porventura, aquela cena não me assustava nem um pouco, se era essa a intenção que o moreno queria provocar em mim.

Estava lindo… De calça jeans rasgada justa e uma camisa de botões na frente e três deles estavam desabotoados.

— Taehyung. — Sua voz soou rouca e baixa em meio aquele silêncio da madrugada.

— Você não foi para a aula hoje. — Pensei em mil coisas para lhe responder, porém, a presença dele me deixava de fato nervoso e desajeitado. Essa fora a única coisa que consegui dizer.

Mas não obtive nenhuma resposta, o que me deixou envergonhado. Gostaria de ter pulado dali mesmo. O moreno me avaliava e eu não reconhecia seu olhar. Então, olhei para o cálice em sua mão com curiosidade.

— Eu sei que é feio não oferecer às pessoas o que estamos tomando, mas acho que você não gostaria de experimentar. — Respondeu, percebendo minha curiosidade.

Eu quase não pude entender o que ele falou, pois sua voz era muito baixa e às vezes parecia que estava cantando em sussurros.

— Eu sei o que você é. — Tentei me aproximar, mas foi tentativa falha, o telhado era escorregadio.

— O que eu sou? “Gato.. Bem gato?” — Respondeu em tom irônico.

— Mas como… — Ele era vampiro e conseguia ler minha mente? Acabei corando, JungKook me dava impressão que gostava de me ver calado, pois só me deixava sem palavras e sem jeito. Sem contar seu jeito esbanjador, convencido e frio, que estava me irritando. — Vampiro.  — Disse por vez.

— Isso não te assusta? — De repente, ele estava a minha frente, pouco centímetros de meu rosto.

— Não, eu gosto de vampiros. — Eu lhe observava de perto. Que lindo. Ah não, ele com certeza vai saber disto.

— Eu não costumo dar às pessoas o que elas gostam. — Se aproximou mais.

— Por favor JungKook, não vá embora.


Notas Finais


Bom, chegamos ao fim do capítulo e quero agradecer a cada comentário.
Todos comentários me alegram e eu espero responder à todos da melhor maneira, pois não sei me expressar muito bem em palavras. Para os leitores silenciosos, comentem também, quero saber o que vocês acharam do capítulo, gosto muito de ter esse contato com todos vocês.
Espero que tenha gostado, até o próximo capítulo! ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...