1. Spirit Fanfics >
  2. Herdeiros Perdidos >
  3. Tempos perdidos.

História Herdeiros Perdidos - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Fala meu amado povo. Olha a surpresa maravilhosa que eu trouxe para vocês.

Herdeiros Perdidos está de volta e se Deus quiser eu vou até o final.

Capítulo 13 - Tempos perdidos.


Em quanto isso na mansão as coisas não estavam muito boas.

— Eu já pedi descul…. — Takao tentou se desculpar mais uma vez mais Midorima tapou a boca do mesmo.

— Eu já ouvi, não precisa ficar repetindo isso toda hora. — disse revirando os olhos. — E por favor faça silêncio. — disse sem olha-lo.

O moreno concordou e ficou em silêncio por alguns segundos e então sussurrou.

— Acho que você ouviu coisas. Não tem ninguém aqui além de nós. — disse tirando a mão do esverdeado de sua boca.

— Não, na verdade tinha sim. Mas acho que já foram. — disse enquanto mexia em seu óculos.

— Certo, mas agora podemos pegar o que você tanto queria? — pediu segurando o braço do rapaz.

— Por que? Por acaso está com medo? — questionou.

— O quê? Eu? Com medo? Nunca. — mentiu. — Mas podemos ir logo? — disse e novamente segurou o braço do esverdeado com mais força.

Midorima continuou a olhar para Takao que mantia sua máscara de corajoso, que realmente poderia enganar a muitas pessoas, mas conhecia ele tão também que caia nesse truque.

— Tá certo, vamos. — disse e sorriu minimamente, coisa que raramente fazia.

Começou a caminhar com calma sendo seguido pelo moreno que estava colado em si. Assim que chegaram na sala logo subiram as escadas que davam para o primeiro andar.

Midorima lembrava muito bem daqueles corredores, como poderia esquecer? Tanto ele quanto os irmãos viviam correndo e brincando para logo serem repreendidos pelos pais ou empregados.

— Para onde devemos ir? — perguntou perdido.

O rapaz não respondeu, apenas começou a andar em direção a um dos vários quartos que aquele corredor continha, Takao o seguiu andando com cuidado para não esbarrar em nada, mas acabou batendo de cara com as costas do esverdeado que havia parado subitamente.

— O que foi? — questionou com raiva e quando não obteve resposta ficou realmente preocupado. — Shin-chan você está bem? — perguntou tocando no ombro do mais alto.

— Estou. — disse em um tom rouco bem familiar para moreno.

Um tom que só foi ouvido por ele quando Midorima e ele era mais jovem, mas mesmo assim o tom ainda era diferente.

Antes de Takao perguntar novamente o esverdeado caminhou um pouco mais a frente entrou em um quarto, foi ai as o moreno entendeu a reação do rapaz.

O local era grande e com muitas prateleiras cheias de livros empoeirados e destruídos pelas traças, uma comoda no fim do quarto fez o rapaz se aproximar ainda mais. Suas antigas coisas estavam todas espalhadas, antigas faixas que colocava ao redor dos dedos da mão esquerda, alguns de seus antigos óculos e um porta retrato com sua foto junto com seus irmãos, a foto foi tirado no mesmo dia em que Kuroko havia chegado na mansão.

O azulado estava em seu colo tentando pegar seu óculos, enquanto os outros tentavam chamar a atenção do bebê que nem ligava para os outros.

— Esses são seus irmãos? — perguntou aparecendo ao lado do esverdeado.

O mesmo apenas concordou e pegou um pequeno objeto que estava na cômoda, em seguida deu as costas e começou ir em direção a saída.

— Não vai querem a foto? — o moreno perguntou, mas não obteve resposta.

Mesmo não sabendo se era ou não para fazer isso, Takao retirou a foto do quadro e saiu do quarto.

— Para onde vamos agora? — perguntou já conseguindo acompanhar o rapaz.

— Vamos embora, não quero ficar aqui por mais tempo. — disse sério e em silêncio seguiram até mais uma das passagens secretas daquela casa e saíram sem fazer nenhum barulho.

Os dois começaram a caminhar e se afastavam cada vez mais do terreno daquela casa, mas algo estava estranho e Takao percebia isso, Midorima estava mais quieto que o normal e isso o estava deixando preocupado.

— Shin-chan. — chamou pelo mais alto preocupado.

— Eu estou bem, só me deixa em paz. — disse frio e continuou a andar.

Takao não falou mais nada, apenas deixou o esverdeado com seus pensamentos. Os dois saíram daquela casa e seguiram para a parte mais afastada da floresta.

Certamente aquela casa mexeu com Midorima, as lembranças invadiam seus pensamentos e não gostava nada disso, odiava quanto tinha sonhos e lembranças de anos atrás, odiava aquele lugar mais que tudo, mas queria descobrir o que seu pais tanto escondia deles.

Aquela havia se tornado sua missão de vida e não desistiria até encontrar alguma coisa.


Notas Finais


Eu sei que alguns de vocês querem uma terceira temporada de My Luck, mas eu estou sem ideias ultimamente e também estou trabalhando em histórias de minha própria autoria, e logo irei posta-las aqui.

Mas sobre My Luck, eu não sei se vou fazer a terceira temporada tenho que pesará muito no caso. Pois ela é uma história que me deixa exausta e se eu continuar a com ela do jeito que estou eu irei estraga-la e eu não quero isso.

Por isso quero refletir muito e se eu sentir que a história vai para um caminho bom eu irei continuar. Ale aguardem e apreciem a volta dessa fanfic. Beijo amore😚😙♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...