História Histórias Cruzadas - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Canadá, Justin Bieber, Pattie Mallette, Romance
Visualizações 74
Palavras 2.818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem! ♡




Obs: frases em itálico + aspas são pensamentos.
Obss: frases em CAPS LOCK são gritos.
Obsss: POV = Point Of View = Ponto de Vista

Capítulo 22 - Capítulo XXII


Fanfic / Fanfiction Histórias Cruzadas - Capítulo 22 - Capítulo XXII

- Justin's POV -

 

JB - “Que porr* tá acontecendo? Parando pra pensar agora, não me lembro mesmo de Blair ter me dito em nenhum momento que Tyler era o pai do bebê. Mas ela também nunca me disse que ele não era… Porque? Que merda é essa? Ele conheceu ela quando ela já estava grávida? De 1 mês?”

Começo a fazer as contas… Lembrar dos momentos...

"JB - Nunca paramos para realmente conversar sobre a sua gravidez.

B - É porque não tem muito o que falar.

JB - Você vai ficar com o bebê?

B - Me desculpa mas eu não consigo falar disso agora.”

---

"JB - Você acha que é o quê? Menino ou menina?

B - Eu… Eu não sei.

JB - Não está curiosa?

B - Juro que não estava, até esse chute... Me desculpa.

JB - Desculpa porque?

B - Por tudo.

JB - Eu já te desculpei.”

---

"B - Independente do que aconteça, nunca esqueça que eu amo você.

JB - Blair, que papo é esse? Aconteceu alguma coisa?

B - N-Não… É só que… Só me promete que não vai esquecer disso ok?

JB - Blair…

B - Me promete.

JB - Tá, eu prometo. E eu também amo você, sempre vou amar.”

---

JB - “Não… Não tem como… Ela teria dito algo…”

Chego em casa. Sr. Paul mal estaciona o carro e eu já abro a porta e saio correndo para dentro procurando por Blair. Ela está na cozinha, acabando de colocar a mesa.

 

- Blair's POV -

 

Justin entra meio molhado em casa, e parece furioso.

B - O que aconteceu? Você está com o nariz sangrando… Não me fala que você foi atrás do Tyler…

JB - FUI BLAIR, EU FUI.

B - Porque você está gritando?

Meu coração começa a disparar.

JB - DE QUANTOS MESES VOCÊ ESTÁ GRÁVIDA?

B - 5 meses… Por favor, para de gritar.

JB - CINCO MESES? CINCO? É CLARO QUE VOCÊ TÁ DE CINCO MESES.

Ele pega um vaso que estava perto dele e arremessa na parede.

Me assusto e começo a chorar. Imediatamente começo a sentir o bebê chutando.

B - PARA COM ISSO!

JB - DE QUEM É ESSE FILHO, BLAIR? DE QUEM? ME FALA.

B - Justin…

Não consigo parar de chorar.

Ele pega um prato, que estava na mesa dessa vez, e também joga na parede.

JB - ME FALA! PORQUE EU JÁ SEI QUE DO TYLER QUE NÃO É.

B - Eu nunca te disse que era do Tyler…

Eu estou começando a ficar com medo. E estou chorando incontrolavelmente.

JB - E TAMBÉM NUNCA PENSOU EM ME DIZER QUE ERA MEU?

Fico quieta apenas chorando.

JB - ESSE FILHO É OU NÃO É MEU, BLAIR?

B - Justin…

Ele quebra mais um copo.

B - PARA DE QUEBRAR AS COISAS! VOCÊ TÁ ME ASSUSTANDO!

JB - ESSE FILHO É OU NÃO É MEU, BLAIR?! ME RESPONDE!

Eu nunca vi ele tão bravo assim na minha vida.

B - SIM!

Ele fica parado me olhando. Está vermelho, ofegante e parece que vai explodir a qualquer momento.

B - SIM, ESSA CRIANÇA É SUA.

Ele leva as mãos até a cabeça. E depois olha pra mim, parece que está ficando cada vez mais nervoso.

Meu bebê não para de me chutar, e eu não sei mais o que está acontecendo sinto que vou ter um negócio a qualquer momento.

JB - Você é completamente louca.

B - Não fala assim… Por favor.

Tento me aproximar dele, não consigo segurar minhas lágrimas nem por um segundo se quer.

JB - Você não ENCOSTA em mim. Você é MALUCA.

B - Justin, você não sabe como foi. O que eu passei…

JB - EU SEI QUE ESSE TEMPO TODO VOCÊ ESTEVE DO MEU LADO, VOCÊ NÃO ME FALOU NADA. EU SEI QUE VOCÊ TÁ GRÁVIDA HÁ 5 MESES E VOCÊ NÃO ME FALOU NADA. CINCO MESES. CINCO MESES!

B - Eu nem sabia que estava grávida no começo, e depois você estava com a Hailey e você tinha parado de atender as minhas ligações e teve uma época que eu achei que você me odiava. E eu nunca queria falar pra você nesse período porque não queria você pensando que eu estava atrás do seu dinheiro ou sei lá… E depois-

JB - HAM, E DEPOIS? E DEPOIS HEIN BLAIR?

B - A gente tinha outras vidas, e nunca daria certo. Eu estava com o Tyler, você estava com outras meninas, vivendo aqui e eu lá no Canadá. Além do mais, você tem toda uma carreira construída, eu não quero atrapalhar você… 

JB - BLAIR, VOCÊ IA DEIXAR OUTRO CARA ASSUMIR O MEU FILHO.

B - JUSTIN, PRA COMEÇAR, QUANDO A GENTE TRANSOU NO DIA SEGUINTE VOCÊ JÁ FICOU TODO ESTRANHO E COMEÇOU A AGIR DIFERENTE COMIGO. DEPOIS QUANDO VOCÊ TINHA A OPORTUNIDADE DE FICAR COMIGO, VOCÊ NÃO QUIS. VOCÊ ESCOLHEU A HAILEY. DEPOIS, MAIS UMA VEZ VOCÊ DESAPARECEU DA MINHA VIDA, SEM DAR NENHUMA EXPLICAÇÃO, NENHUM MOTIVO. ME DEIXANDO SOZINHA MAIS UMA VEZ QUANDO EU PRECISAVA DE VOCÊ. VOCÊ ACHA MESMO QUE EU IA APARECER DO NADA, ESTRAGANDO A SUA VIDA PROFISSIONAL E PESSOAL FALANDO “OI, VOCÊ VAI SER PAI”? ME DESCULPA SE APESAR DE TUDO EU TAMBÉM TAVA PENSANDO EM VOCÊ. E SIM, DEPOIS EU FIQUEI SEM CORAGEM. SEM CORAGEM DE OLHAR NOS SEUS OLHOS E TE DIZER QUE EU ESCONDI ISSO POR TANTO TEMPO DE VOCÊ. SEM CORAGEM POR TER SIDO A PESSOA QUE FEZ ISSO COM VOCÊ. EU ODEIO SER ESSA PESSOA E TENHO ME CASTIGADO TODOS OS DIAS POR ISSO. ME DESCULPA TÁ LEGAL? EU NÃO FIZ NADA DISSO POR QUERER.

Dessa vez eu quem estava gritando absurdamente, mas quando para pra respirar percebo que o bebê está chutando incontrolavelmente então resolvo me acalmar, na medida do possível.

B - Eu nunca faria nada pra te machucar, nunca faria nada pra te ver triste. Eu amo você de verdade e só quero o seu bem e a sua felicidade. Eu errei e estou aqui assumindo o meu erro pra você. Mas você não está nem tentando olhar pelo meu lado, pelo que eu passei também.

Não consigo decifrar ele, além de, claramente nervoso.

JB - Eu não quero mais te ver.

Ele fala baixo.

B - Que?

JB - Eu não quero mais ver você.

Ele fala olhando nos meus olhos.

B - Justin, por favor, pensa um pouco no que você tá falan-

JB - EU ODEIO VOCÊ, BLAIR.

Fico muda.

JB - EU TE ODEIO. O QUE VOCÊ FEZ É UM ABSURDO QUE EU NÃO CONSIGO NEM FALAR. EU NÃO QUERO MAIS OLHAR NA SUA CARA, EU DESPREZO VOCÊ.

Meus olhos começam a encher de lágrimas novamente.

JB - A PIOR COISA QUE ME ACONTECEU FOI TER REENCONTRADO VOCÊ. OLHA A MERDA QUE TÁ ACONTECENDO AGORA, A SITUAÇÃO QUE EU TO TENDO QUE PASSAR. EU NÃO CONSIGO EXPRESSAR A RAIVA QUE EU SINTO POR VOCÊ.

É isso. Pra mim deu.

Saio correndo tentando desviar dos cacos no chão, pego minha bolsa e corro até a garagem.

Pego a chave de um dos carros e entro correndo antes que o Sr. Paul me alcance. Dou partida e saio correndo para qualquer lugar menos ali.

Nunca me senti tão mal na vida.

 

- Justin's POV -

 

Sento em meio aos cacos que estão no chão. Estou tentando me acalmar mas não consigo, estou chorando de nervoso e olhando a bagunça que ficou pra trás.

Sr. Paul entra correndo em casa.

S.P. - Sr. Justin, a srta. Blair pegou um dos carros e saiu correndo!

JB - Como assim, pra onde ela foi?

Meu coração dispara e logo minhas lágrimas secam.

S.P. - Eu não sei, eu tentei correr até ela mas ela foi mais rápida.

Me levanto e resolvo ir até a garagem ver qual carro ela pegou para tentar encontrá-la.

Antes que eu consiga chegar até a porta da entrada, vejo as coisas de Blair caídas no chão. Devem ter caído da bolsa quando ela tentou sair correndo…

JB - O que é isso?

Um envelope aberto no chão em meio as coisas dela.

Pego o papel e começo a ler.

Me sento no chão, de novo junto aos cacos e começo a chorar.

JB - Eu vou ser pai… De um menino.

Estou chorando, e dessa vez uma alegria imensa me consome. Não consigo explicar o que estou sentindo nesse momento, nunca me senti assim.

JB - Um menino.

Choro ao mesmo tempo que estou sorrindo.

Eis que olho a minha volta. Os cacos de vidro e porcelana espalhados pelo chão. Um pouco de sangue ali e aqui. O jantar esfriando no fogão. Eu. Sozinho. Chorando.

JB - O que foi que eu fiz?

"JB - EU ODEIO VOCÊ BLAIR. EU TE ODEIO. O QUE VOCÊ FEZ É UM ABSURDO QUE EU NÃO CONSIGO NEM FALAR. EU NÃO QUERO MAIS OLHAR NA SUA CARA, EU DESPREZO VOCÊ. A PIOR COISA QUE ME ACONTECEU FOI TER REENCONTRADO VOCÊ. OLHA A MERDA QUE TÁ ACONTECENDO AGORA, A SITUAÇÃO QUE EU TO TENDO QUE PASSAR. EU NÃO CONSIGO EXPRESSAR A RAIVA QUE EU SINTO POR VOCÊ.”

JB - Eu não acredito que falei essas coisas pra ela… Eu não acredito.

E minhas lágrimas se transformam em lágrimas de tristeza e desespero. Parece que tudo está desmoronando na minha frente e não sei como arrumar.

Enxugo as lágrimas. Me levanto. Vou até a porta.

JB - Paul, vou sair. Não precisa ir junto, vou procurar Blair. Se ela voltar para cá, me ligue imediatamente.

Vejo que o carro que está faltando na minha garagem é minha Mercedes, então é atrás desse carro que vou.

 

- Blair's POV -

 

Não consigo parar de chorar. Meu bebê não para de chutar, eu não consigo enxergar nada pelas minhas lágrimas e pela chuva. Estou muito nervosa e confusa! Eu esperava que ele fosse ficar chateado, mas nunca esperava que ele fosse reagir tão mal assim.

B - Ele me odeia!

Não paro de falar sozinha.

B - De todas as coisas possíveis, ele me odeia. E eu nem esperava isso, então não sei nem como agir. Mas tá tudo bem, vai ficar tudo bem, nós vamos ficar bem. Todo esse tempo éramos eu e você contra o mundo, e vamos continuar assim! Não precisamos dele.

Falo enquanto passo a mão na minha barriga tentando acalmar meu bebê pra ver se ele para de me chutar. Acho que ele está tão estressado quanto eu.

 

- Justin's POV -

 

Está chovendo demais. Não consigo enxergar um palmo na minha frente, quem dirá achar o carro que Blair está.

Ligo para Scooter.

S - Fala.

JB - Vou resumir. Eu e Blair brigamos MUITO feio porque eu sou o pai da criança. Eu falei coisas horríveis pra ela e ela resolveu pegar o meu carro e sumir. Mas ela não tem ninguém aqui, ela não conhece nada aqui e estamos no meio de uma tempestade.

S - UOU, UOU, UOU, UOU. VOCÊ VAI SER PAI? 

JB - Sim.

S - QUE?

JB - Eu juro que depois a gente se aprofunda nesse assunto. Eu preciso encontrar a Blair, ela e meu filho estão num carro no meio de uma tempestade num lugar que ela não conhece nada nem ninguém.

S - Já tentou ligar pra ela?

JB - Claro, e ela não me atende.

S - Quer que eu avise as autoridades sobre o seu carro? Assim é mais fácil de encontrar.

JB - Faz isso agora, por favor.

S - Beleza, tchau.

Continuo procurando Blair incansavelmente ao mesmo tempo que fico ligando no seu celular sem parar. Ela não me atende.

Estou arrependido das coisas que disse pra ela. Claro que ainda acho que ela errou e deveria ter me contado antes, mas nesse tempo sozinho no meu carro estou parando para analisar a situação melhor. E eu realmente tenho que prestar atenção no lado dela também. Eu realmente escolhi a Hailey, sumi por um tempo, e deixei ela. Nós dois erramos. Mas eu não odeio ela, nunca odiaria, nem sei como fazer isso. Então porque disse todas aquelas palavras horríveis? Estou sentindo muita agonia, só quero olhar nos olhos dela de novo e dizer o quanto a amo. O quanto ela é tudo pra mim. E o quanto nós vamos ser felizes juntos, eu, ela e o nosso filho.

Já faz meia hora que estou procurando Blair e não consigo encontrá-la. Fui em todos os lugares que achei que ela estaria, inclusive na casa da Hailey, e nada. Ela não atende o celular e eu já devo ter ligado umas 50 vezes.

Meu celular toca.

JB - BLAIR?

S - É o Scooter.

JB - Ah, fala.

S - Encontraram seu carro.

JB - AONDE ELA TÁ? ME FALA, TO INDO.

Scooter respira fundo.

S - 1924 De la Vina St.

JB - To indo.

S - Te encontro lá.

Saio correndo com todas as minhas forças.

Já sei tudo o que vou falar para Blair, e espero que ela quem aceite minhas desculpas dessa vez.

10 minutos depois.

Vou me aproximando do endereço que Scooter me passou.

JB - Acho que o GPS me mandou pro lugar errado.

Conforme me aproximo mais consigo ver Scooter embaixo de um guarda-chuva do lado da ambulância.

JB - Mas como assim? 

Saio do carro e vou correndo para perto de Scooter.

JB - Que que você tá fazendo aqui? Que endereço é esse?

Olho para o lado e encontro meu carro. Ou o que sobrou dele.

Começo a chorar. Sem parar e sem nem piscar.

Saio correndo empurrando todas as pessoas que estão no meu caminho.

Só consigo ver as peças do carro embaixo do caminhão. E começo a me desesperar.

JB - CADÊ ELA?

Ninguém me responde.

JB - CADÊ A MENINA QUE ESTAVA DIRIGINDO O CARRO?

Uma pessoa se aproxima com um guarda-chuva.

JB - EU NÃO QUERO GUARDA-CHUVA, EU QUERO ELA. CADÊ A BLAIR?

Scooter aparece do meu lado e tenta me acalmar.

JB - EU TO FALANDO SÉRIO CARA, CADÊ ELA?

S - Olha pra mim.

JB - É SÉRIO, CARA.

Não consigo parar de chorar.

JB - ELA TÁ CARREGANDO O MEU FILHO.

Scooter limpa o rosto pois também estava chorando.

Ele me leva até uma ambulância que estava mais afastada.

E lá está ela.

Deitada na maca. O monitor ainda mostra batimentos cardíacos, então ela ainda está viva.

Me sento ao lado dela e começo a passar a mão no seu rosto. Cada carinho que faço vou me sujando mais e mais de sangue.

O paramédico me olha com um olhar triste.

JB - ELA TÁ GRÁVIDA. ALGUÉM TE AVISOU QUE ELA TÁ GRÁVIDA? PORQUE ELA ESTÁ. CINCO MESES. UM MENINO.

O paramédico concorda com a cabeça sem dizer nada.

JB - BLAIR, OLHA PRA MIM. BLAIR.

Com muito esforço ela abre os olhos e olha pra mim. Está com uma máscara de oxigênio então não consegue dizer nada.

JB - ESCUTA, EU AMO VOCÊ TÁ? NADA DAQUILO QUE EU DISSE É VERDADE, EU TAVA NERVOSO, NÃO ESTAVA PENSANDO. EU AMO VOCÊ.

As lágrimas rolam pelo meu rosto incontrolavelmente e eu não consigo expressar o desespero que estou sentindo.

JB - VOCÊ PRECISA MELHORAR PORQUE A GENTE TEM UM FILHO PRA CRIAR AINDA, ENTENDEU? A GENTE VAI TER UM MENINO! UM MENINO!

Juntando mais forças ainda ela faz um sinal de positivo com a cabeça.

JB - VOCÊ JÁ SABIA NÉ. EU VI O ENVELOPE ABERTO. ENTÃO MELHORA PORQUE A GENTE AINDA TEM UMA VIDA INTEIRA PELA FRENTE. MUITA COISA PRA CONSTRUIR JUNTOS.

Tento beijar o rosto dela e só me sujo cada vez mais de sangue.

Ela ergue a mão, com muita dificuldade, tira a máscara de oxigênio da boca e me olha nos olhos.

B - S-Salva o n-nosso fi-filho…

JB - NÃO. NÃO PRECISA DISSO. VOCÊS DOIS VÃO FICAR ÓTIMOS, E A GENTE VAI PODER SER UMA FAMÍLIA JUNTOS. A GENTE VAI FINALMENTE PODER FICAR JUNTOS. NÓS TRÊS.

Ela tenta segurar em mim com a outra mão.

B - Me-me prom-promete…

JB - BLAIR…

Vejo os olhos dela se fechando devagar, só esperando uma resposta minha para se fecharem.

JB - EU PROMETO. MAS VOLTA PRA MIM.

E ela finalmente fecha os olhos. O paramédico já coloca a máscara de volta nela.

JB - Por favor, volta pra mim...

Não consigo parar de chorar ao mesmo tempo que meu olhar está vidrado nela.

Paramédico - Senhor, eu preciso que você se retire da ambulância. Precisamos levá-la pro hospital o mais rápido possível.

JB - Eu vou junto.

Paramédico - Só podemos permitir membros da família na ambulância.

JB - Mas…

Scooter - Vem logo pra ela poder ir.

Scooter me puxa para fora da ambulância, e logo as portas se fecham e ela se vai com a sirene ligada.


Notas Finais


O que vocês acham/esperam que vá acontecer?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...