História Hyung - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Tags 2jae, 3shot, Comedia, Fluffy, Got7
Visualizações 457
Palavras 2.328
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi gente, disse que não demoraria a voltar. Tá ai o segundo capítulo.
Espero que gostem.

Capítulo 2 - Talvez um pouco lerdos demais


Youngjae poderia jurar que qualquer dia desses ia morrer devido a um ataque cardíaco, sentia ele batendo mais forte a cada palavra que seu hyung dizia, a cada sorrisinho que ele lhe dava. Todos os dias, o pequeno Park pedia para deus ter piedade de si, porque Mark Tuan não tinha nem um pouquinho.

Era apaixonado pelo melhor amigo a tanto tempo que nem sequer se lembrava de como ou quando aqueles sentimentos começaram ou como aquele pequeno brotinho que o americano havia plantado em seu peito floresceu tanto ao ponto de sufoca-lo.

Mas vamos ser sinceros, foi impossível não se apaixonar por Mark Tuan e, não estou falando apenas de sua aparência – mesmo ele sendo a coisinha mais linda desse mundo –, mas desde a primeira palavra que trocou com o americano, Youngjae soube que ele era muito mais que um rostinho bonito.

Mark desde o começo foi uma pessoa calma, gentil, sempre oferendo seu melhor sorriso a quem quer que seja, mesmo que as vezes parecesse alguém fechado, as portas de seu coração sempre estariam abertas para abrigar mais um amigo. E, talvez esse fosse justamente o problema. Youngjae não queria ser apenas seu amigo.

Por um bom tempo ficou contente em ter ao menos a amizade do mais velho, as coisas poderiam não ser do jeito que ele queria, contudo parecia ser suficiente. Mas a paixão era uma coisa engraçada, a cada dia ele parecia ficar mais necessitado do mais velho e o sentimento em seu peito parecia o sufocar cada vez mais. Era difícil guardar aquilo tudo para si, queria se sentir leve novamente, queria gritar aos quatro cantos que era apaixonado por Mark Tuan.

E, foi quando Youngjae debatia mentalmente mais uma vez se iria ou não confessar seus sentimentos, que Jinyoung entrou em seu quarto sem ao menor bater na porta. Ele tinha ido ali apenas pedir o carregador, mas ao ver a confusão que seu irmão estava, resolveu sentar-se ao seu lado na cama e tentar conversar.

—Jae, o que tanto se passa nessa cabecinha? —Perguntou fazendo um leve cafune nos cabelos do irmão mais novo.

—Estou cansado Hyung. —  suspirou e Jinyoung soube que o cansaço do garoto não era físico.

—Estou aqui por você, pode me contar o que quiser. — Encarou os olhos do outro em um ato que transmitia confiança.

—Eu não aguento mais o sentimento de estar apaixonado pelo Mark Hyung, é algo que está totalmente fora do meu controle e que só vem crescendo a cada dia. —Falou com os olhos brilhando, queria chorar, era tudo tão agonizante.

—Você tem que contar a ele, bebê. — suspirou — E aí só restam duas possibilidades, ele pode sentir o mesmo ou pode quebrar seu coração, eu sei que as duas coisas são um pouco assustadoras, mas qualquer uma delas é melhor do que morrer engasgado com tudo isso ai dentro de você. 

—Eu sei, hyung. Mas não acho que conseguiria olhar na cara do Mark depois de tudo isso e se ele começar a me evitar? Apesar de tudo ele ainda é meu melhor amigo. — O garoto tentava achar uma forma de contar tudo isso sem acabar com o que já tinham, mas na sua cabeça as coisas sempre terminavam em um Youngjae sozinho e chorando ao som de Lana Del Rey.

—Como você mesmo disse, ele é seu melhor amigo, Jae. Vocês se entendem como ninguém, o Mark hyung não deixaria a amizade de vocês acabar assim. — falou enquanto continuava o cafuné no irmão, sabia que aquilo o acalmava.

—Você não tem como saber, imagina se o Jaebum hyung se apaixonasse por você, vocês continuariam a agir do mesmo jeito? 

—Já aconteceu algo pior que isso. — riu ao lembrar-se do que aconteceu alguns anos atrás. — Eu que me apaixonei por aquele idiota. — confessou e ganhou um olhar surpreso do irmão, por que Jinyoung nunca havia o contado sobre isso antes?

—Como foi isso? Ou melhor, quando? Você se confessou? — as perguntas pareciam não acabar e Jinyoung se ajeitou na cama para responder calmamente cada uma delas. 

—Estávamos no ensino médio. Eu não sei que merda eu tinha na cabeça para me apaixonar pelo Jaebum, hoje quando eu lembro disso é impossível não começar a rir. 

—Ah, mas o Jaebum hyung não é tão ruim, ele é bem legal, gentil e ainda é bonito. É compreensível, hyung. — Youngjae defendeu Jaebum, gostava muito de seu hyung.

—Apronto, agora você está apaixonado pelo Mark e pelo Jaebum? Que péssimo gosto.

—Cala a boca, você namora o Jackson. 

—Você tá passando muito tempo com Yugbam, nunca pensei que seria tão desrespeitado na minha própria casa. — fez o drama que havia aprendido com o namorado, mas Youngjae apenas o ignorou e pediu para que ele continuasse a história. — Okay, continuando, eu me declarei pro Jaebum, ele riu na minha cara, eu fiquei puto, ficamos uma semana sem nos falar, até que o idiota não aguentou de saudades e veio conversar. No final do dia nós já éramos Jinyoung e Jaebum, os melhores amigos, mesmo que meu coração estivesse partido, eu sabia que ia superar. 

—Lindíssima história, me ajudou em nada. — Youngjae disse em tom de deboche e resolveu expulsar Jinyoung do quarto. A verdade era que queria ficar sozinho e pensar mais um pouco em tudo, mesmo que já soubesse que o melhor naquele momento era contar a verdade a Mark.

(...)

 

Youngjae estava nervoso, mais do que pensou ser possível. Um pouco mais cedo naquele mesmo dia, havia ligado para o Tuan marcando de se encontrarem. Ali estava ele agora, sentados um a frente do outro na lanchonete da esquina de sua casa, conhecida por vender alguns sanduiches um pouco suspeitos.

—Aconteceu alguma coisa? — Perguntou um pouco preocupado, Youngjae parecia que ia colapsar a qualquer momento. 

—Não. Quer dizer, sim. — Não fazia nem um minuto que havia aberto a boca e já estava passando vergonha que maravilha. — Você aconteceu, merda. — Resolveu falar de uma vez e esperava que o amigo tivesse entendido, mas parece que toda a esperteza do garoto havia sumido naquele momento.

—O quê? O que eu fiz? —Questionou confuso, desde o momento que chegou ali não estava entendendo coisa nenhuma. — Youngjae, você precisa ser mais claro. 

—Pensei que você fosse mais esperto, Mark. — suspirou, se o mais velho queria escutar aquilo com todas as palavras, ele iria dizer — Eu estou apaixonado por você, okay? Não é algo que eu consiga controlar ou pudesse evitar, mas eu, Choi Youngjae, estou apaixonado por você. Entendeu agora?

—Espera, você tá apaixonado por mim? — perguntou enquanto seu rosto se contorcia numa careta de pura surpresa. Youngjae não pôde evitar rir ao ver a cara do garoto. — Você me assustou, isso é brincadeira né? Idiota. — Mark se juntou a ele nas risadas, mas quando viu que Youngjae havia parado de rir assim que escutou suas palavras, se questionou se tudo aquilo realmente fosse sério, não fazia o menor sentido na sua cabeça.

—Eu também queria que fosse uma brincadeira, mas esse sentimento que me sufoca todos os dias é bem real, hyung. 

—Jae, eu... — Mark não sabia o que dizer, aquele era Youngjae, seu melhor amigo, seu garotinho. 

—Eu sempre soube que era um amor unilateral, você não precisa dizer nada, Hyung. Eu só precisava contar, sabe? Acho que para poder superar ou algo assim. — Disse tudo sem olhar nos olhos de Mark, o americano estava se sentindo péssimo, mesmo que nada daquilo fosse culpa sua, porém sempre prometeu quebrar a cara de quem quer que fosse que quebrasse o coração do Sunshine, nunca pensou que essa pessoa fosse ser ele próprio.

—Vem cá. — chamou o amigo que antes estava sentado a sua frente, para sentar-se ao seu lado. — Eu te amo, sabe? Não do jeito que você quer, mas eu te amo. E esse amor é real e mais forte que qualquer paixão que eu ou você possamos sentir.

—Eu sei, hyung. Eu juro que se eu pudesse escolher, você seria a ultima pessoa do mundo por quem eu me apaixonaria, tipo, ew. — Seu coração estava doendo, mas não tornaria aquilo pior ou deixaria as coisas estranhas entre eles, como Mark disse, a amizade dos dois sempre seria maior que qualquer outro sentimento passageiro.

—Tá falando isso só porque eu não quis te dar uns beijinhos. — seu tom era de brincadeira e Youngjae não pode ter outra reação a não ser revirar os olhos.

—Eu? Deus me dibre, ninguém sabe por onde essa boca passou antes. 

—Bom, não foi pelos seus lábios. — os dois começaram a rir e debater o quão idiotas eram. Ficaram um bom tempo ali, comendo um hambúrguer de origem duvidosa e conversando coisas aleatórias, apenas como Mark e Youngjae, os melhores amigos. 

 

(...)

 

—Eu tô chocado. Pensei que você nunca fosse ter coragem de dizer a ele. Meu bebê cresceu tão rápido. — a cada palavra que Bambam falava, Youngjae se arrependia de ter contado o que havia acontecido no dia anterior.

—Imagina se o Mark o aceitasse, não estava pronto para ver esse nenê namorando. — Yugyeom finge limpar lagrimas e puxa Youngjae para sentar em seu colo. 

—Vocês dois são ridículos e se merecem. — O mais velho tentava se levantar, mas Yugyeom havia o abraçado deixando claro que Youngjae só sairia dali quando ele quisesse. — Você não fica com ciúmes, Bambam? — Questionou tentando irritar os mais novos do mesmo jeito que eles estavam o irritando.

—Claro que não, iti se não é meu bebê com o papai. — Bambam forçava uma voz de criança e agora tirava fotos dos dois. 

—Yugyeom, é melhor você me segurar mesmo, se não eu mato esse idiota que você chama de melhor amigo. 

—Tá bom, parou os dois. — Disse finalmente soltando Youngjae, mas ficando atento para segurar o mais velho caso ele realmente tentasse matar Bambam. — Eu e o Bam também queremos falar algo. 

—Vocês finalmente estão namorando? Sabia, não enganam a ninguém. 

—Cala a boca e escuta, não é sobre a gente, é sobre você. 

—A pronto. O que foi agora? — Youngjae estava curioso, ainda mais porque sabia que, vindo da parte daqueles dois, deveria ser merda.

—Você lembra que que naquele dia do bar, o Jaebum hyung falou que estava gostando de alguém? — Bambam perguntou em um tom sério, mesmo que estivesse com vontade de rir ao lembrar da cara de idiota apaixonado que Jaebum fazia todas as vezes que encarava Youngjae. — Eu sou um bom observador, você sabe. Jaebum hyung está apaixonado por você.

Alguns momentos de silencio sucederam a surpreendente revelação, mas não demorou muito para Youngjae explodir em risadas. De onde aqueles dois teriam tirado isso, não fazia o mínimo sentido, por que diabos Im Jaebum se apaixonaria por si? Ele não teria tanta sorte assim.

—É sério, você não percebeu como ele anda com uma cara de bobão pro seu lado? — Na verdade, Youngjae não havia notado nada, talvez estivesse muito ocupado pensando em Mark. Achava um pouco difícil acreditar no que os mais novos diziam, mas ele sabia que Bambam não falasse uma coisa dessas se não achasse que estava certo e, quando se tratava dessas coisas, ele sempre estava certo.

—Eu tô tentando aqui achar desculpas para não acreditar, mas tu tens um histórico, Kunpimook. Vou passar a prestar mais atenção. — disse, estava cansado de sempre complicar as coisas. — Agora vamos parar de falar de mim. Quando que Yugbam vai se assumir?

(...)

 

Youngjae gostaria de dizer que foi difícil perceber que Jaebum realmente estava agindo de forma meio suspeita ultimamente, mas foi prestar um pouco de atenção que ele viu o quão estranho seu hyung estava agindo. Primeiro que o mais velho havia chegado na faculdade em pleno bom humor em uma segunda feira de manhã, cumprimentou a todos com um belo sorriso e mandou-lhe uma piscadinha. TIPO, UMA PISCADINHA DE IM JAEBUM. 

Todos os amigos estranharam o bom humor sem motivo aparente que Jaebum estava, mas Bambam sempre foi o mais esperto deles. Se aproximou de Youngjae e sussurrou as palavras que faziam tudo se encaixar.

—Ele sabe que o Mark te rejeitou. — Uh, ouvir essas palavras doeram? Claro que doeram, mas o Park mais novo apenas olhou mortalmente para Bambam e depois decidiu dar uma olhadinha em Jaebum, para sua surpresa o mais velho já estava o encarando e ainda teve a audácia de sorrir. Youngjae estava muito fodido, queria levantar e gritar se aquilo realmente fazia algum sentido ou Bambam estava apenas o enlouquecendo. 

Contudo, Jaebum também era esperto, sabendo que Mark não estava mais em seu caminho e notando toda a atenção de Youngjae em si naquele dia. Resolveu ir para a ação, durante o almoço não se sentou próximo a Jinyoung como sempre fazia, ficou ao lado de Youngjae.

—Jae, você tá meio estranho hoje. Aconteceu algo? — Perguntou como quem não queria nada.

—Você chega de bom humor, sorrindo para todo mundo e sou eu que tô estranho? O que aconteceu? 

—Não posso mais estar feliz? — tentou desviar, não poderia dizer que estava nas nuvens porque Mark o dispensou. 

—Claro, é bom te ver assim. Fica até mais bonito. — Uau. Uaaaau. Jaebum não estava esperando por aquilo. Na verdade, nem Youngjae pretendia falar a ultima parte em voz alta, ops. 

—Então quer dizer que você me acha bonito? 

—Mas você é bonito. É tipo, um fato. —Youngjae disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

— Você é lindo, Youngjae. — E a gente ia formar um casal mais lindo ainda. Completou mentalmente. Mas se o garoto estava corado apenas com o elogio, se Jaebum dissesse algo assim poderia o assustar. Ele se sentia com tanta pressa, agora que parecia não haver obstáculos, queria poder ter o garoto em seus braços o mais rápido possível. 

Os dois não sabiam, mas Jinyoung havia escutado tudo e prestava bastante atenção naquela interação um pouco suspeita dos dois. Daria seu jeito de descobrir o que estava acontecendo e, não deveria ser assim tão difícil, afinal, aqueles dois eram seu irmão e seu melhor amigo.


Notas Finais


Eu sei muito dialogo, um pouquinho de drama da parte do Youngjae no começo, mas tudo foi resolvido na base do deboche.
Quem gostou bate palma, quem não gostou, paciência.

Ah e obrigada pelos favoritos e os comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...