1. Spirit Fanfics >
  2. I Believe In a Thing Called Love >
  3. Capítulo 74

História I Believe In a Thing Called Love - Capítulo 74


Escrita por:


Notas do Autor


olha... nao gostei, mas vai assim mesmo rs

Capítulo 74 - Capítulo 74


Anthony’s POV

Eu estava sentado em uma poltrona que ficava num lugar perfeito, eu poderia ver a hora que a Esther voltasse e ela não conseguiria me ver aqui.

Eu não sei quanto tempo fiquei esperando, por vezes até me senti meio idiota, mas eu precisava ver isso. Eu estava com muito frio porque desci e não peguei casaco nem nada, e não quero votar agora com a Helena lá e buscar.

Sei que ela não vai voltar tarde por causa do trabalho, mas no fundo eu não acreditava tanto nisso.  Era por volta das onze horas quando vi um taxi parando do lado de fora eu estava até ignorando quando percebi que era ela ali, de inicio foi um alivio, mas logo apareceu um homem ao lado dela.

Eu segurei minha vontade de ir até ela e fiquei apenas observando eles entrando juntos de volta no hotel. Eu não posso acreditar, eles estão subindo juntos? Eu até me levantei pra enxergar melhor, eles entraram no elevador, os dois!!!

Tem tanta coisa passando pela minha cabeça... Eu no fundo achava que a gente ainda podia ter volta, ela está tão estranha ultimamente. Mas agora que eu vi isso me lembra até quando eu estava com ela, não mudou nada, só parece que ela está repensando ou que algo está acontecendo, mas não, a mesma indiferença. Como ela pode e justo com esse cara?

Eu queria estar enganado, mas a Clara disse que ela disse que era alguém que ela não via há muito tempo e que se chamava Jack. Agora estão subindo, tá passando tanta merda pela minha cabeça.

Achei que essa viagem ia ser complicada por causa da Helena e por estar sem o Everly, mas esse ponto ai já é demais.

Fiquei mais um tempo lá embaixo pensando e pensando, a horas passavam e aquele cara não voltava mais. Isso não é a cara da Esther, porque ela está fazendo isso então?

Já era de madrugada quando resolvi voltar para o meu quarto, é ridículo eu ficar aqui. Eu não estava com cabeça pra mais nada e estava torcendo para que a Helena já estivesse dormindo.

Abri a porta e fui entrando tentando não fazer barulho, mas era inútil o abajur estava acesso e ela estava sentada na cama muito bem acordada.

- Onde você foi? Eu estava te esperando. – disse calma, bem diferente.

- Helena, eu não to com cabeça pra discutir.

- Eu sei, eu sei. Eu estava errada. Desculpe, eu não sei o que deu em mim.

Olhei para ela e ela parecia sincera.

- Vamos esquecer isso ta bem? – se aproximou e me beijou rapidamente, mas eu mal pude retribuir – Vamos pra cama – chamou.

- Já vou, eu to precisando de um banho.

- Quer que eu te acompanhe? – passou seus braços pelo meu pescoço.

- Não, eu realmente preciso de um banho. Me espere aqui está bem.

Ela concordou eu fui para o banheiro e comecei a encher a banheira, seria uma bela desculpa para o meu banho ser mais demorado, eu preciso tirar aqueles pensamentos da minha cabeça.

Não sei quanto tempo se passou, meus dedos já estavam enrugados o suficiente, me sequei e me troquei ali mesmo e fui indo em direção ao quarto.

Quando abri a porta eu levei alguns segundos para entender o que estava acontecendo.

- Achei que tinha descido pelo ralo da banheira.

Não era a Helena e sim a Esther, ela estava sentada na minha cama e assistindo a TV, mas não pode ser, porque ela estaria aqui?

- Esther?

- Presente! – era ela, era o jeito dela falar e tudo mais. – Anthony você tá legal? Você parece meio desligado.

- To. Mas... Por que você está aqui?

- Você queria que eu viesse. Não se lembra? Eu posso voltar para o meu quarto.

- Fica.

Que doideira.

- Eu tenho que ir dormir, amanhã eu acordo bem cedo, você queria me falar alguma coisa?

- Nada em especifico. Mas fica.

- Você vai ficar parado ai na porta?

- Tem razão. Você já jantou?

- Anthony, são três da manhã – ela riu – Eu já estou pensando no café da manhã.

Realmente é a minha Esther. Eu me aproximei e me sentei ao seu lado, ela se virou ficando de frente pra mim.

- Não está com frio?

- Não aqui dentro. Você tá?

- Um pouco, se importa se eu conversar com você deitada e coberta?

- Claro que não – eu ri

Ela se deitou e ficou olhando pra mim como se esperasse eu dizer algo, ela está ficando aqui de boa vontade? Que coisa estranha.

- Você sabe que você está bem esquisito né. Tá esperando alguém? - Perguntou com um sorriso divertido.

- Que pergunta! – me deitei me juntando a ela – Você não vai reclamar de ficar aqui?

- Eu to com preguiça de voltar para o meu quarto. Não está me expulsando né?

- De jeito nenhum.

- Ah bom, pois eu vou acordar mais cedo e voltar para o meu quarto, acho que a Clara vai aparecer lá de manhã.

- Já acostumei com isso.  – apoiei minha cabeça na minha mãe para que eu pudesse observa-la melhor.

- Isso não é hora de lavar o cabelo, você sabe né? Agora fica tudo pingando.

- Não está pingando coisa nenhuma, menina – eu não conseguia esconder meu sorriso em vê-la ali. – Eu tenho medo que isso acabe, Esther.

- Eu sei.

- Sabe?

- Você vive me dizendo – sorriu.

- Tem razão, tem algum conselho?

- Deixa eu pensar... Carpe diem!

Eu apenas sorri em resposta e me aproximei deixando um beijo de leve em seus lábios, mas ela me surpreendeu me puxando pra mais perto enquanto eu continuava beijando ela.

 

Não sei ao certo que horas são, abri um pouco mais os olhos e vi no relógio nove e meia, mais do que eu esperava. Fechei os olhos de novo. Me mexi, mas lembrei que eu não estava sozinho. Abri novamente os olhos e vi seus cabelos escuros, não era a tonalidade que eu esperava encontrar. Helena estava abraçada mim e ainda dormia profundamente.

Não me lembro como isso aconteceu, mas não era o que eu queria. A ficha caiu que tudo aquilo foi apenas um sonho. Só de relembrar a saudade batia, como eu queria que fosse verdade.

Me afastei dela e me sentei na cama, eu me sinto um pouco estranho, meio culpado. Não por pensar na Esther com a Helena aqui e sim ao contrario por estar com a Helena aqui enquanto só quero a Esther, é como se eu estivesse traindo ela e isso é uma idiotice minha sendo que eu não tenho mais nada com ela e agora sabe-se com quem ela está. É melhor eu me levantar e começar a me arrumar e esquecer tudo isso, não acredito a que ponto eu cheguei.

Fim Anthony’s POV

Por fim o dia da apresentação, melhor acabar logo com isso. Apesar de estar mais tranquila hoje, ontem quando encontrei meu primo eu pude me distrair um pouco, lógico que eu não contei nada, mas ele é um cara divertido, faz a gente esquecer de qualquer problema, não me lembro qual foi a ultima vez que eu ri tanto assim.

Na verdade eu acho que eu lembro, eu sempre ria com as besteiras do Anthony, mas eu não quero pensar nele agora.

Eu estava no camarim como sempre arrumando as coisas, eu sabia que eles estavam pra chegar e eu queria sair dali o quanto antes, mas não deu certo, não deu cinco minutos e o Anthony e o Flea entraram lá, pelo menos o Flea estava junto.

- Eai Esther, a gente te esperou ontem. – disse o Flea.

- Não deu Flea, eu mandei o recado pela Clara.

- É, ela disse mesmo que você ia sair. É bonito por aqui não?

- É, também gosto.

Ele conversava comigo enquanto mexia nas coisas dele, mas parecia não encontrar algo. Anthony estava sentado e mexendo no celular.

- Esther, ninguém mandou entregar nada aqui pra mim?

- Não, Flea, até agora nada. Só se estiver com o Junior.

- Melhor eu ver com ele. Ele tá lá na frente.

- Tá sim Flea.

E assim ele saiu. Por que sempre tem que ser assim? Justo na hora que o Anthony está no camarim eu tenho que estar e ainda sozinha. Nos últimos dias todas as vezes que isso aconteceu ele tentou vir falar comigo e eu consegui ignorar, mas é difícil.

Ele estava quieto, ainda nem disse um a meso o Flea não estando aqui.  Melhor eu continuar rapidamente aqui. Comecei a deixar as garrafinhas de água sobre a mesa, eu já deveria ter feito isso, mas me atrasei.

Eu percebi mesmo de costas, o Anthony se levantando e dando alguns passos pra cá. Ele então apareceu ao meu lado e pegou uma das garrafas que eu tinha colocado ali.

- Como foi o jantar ontem?

Ele tá falando comigo? Ou melhor, ele está me perguntando sobre isso?

- Foi muito bom.

- Tão bom assim?

- Anthony, o que você quer?

- Queria entender porque você foi atrás daquele cara. Eu falei pra mim mesmo que não ia abrir a boca mas eu não entendo isso.

Do que diabos ele está falando?

- Como é?

- Não se faça de desentendida, a Clara disse que você foi ver o Jack já que faz tempo que não se viam.

- Jack?

- Sim. Por que você ta fazendo isso? Já não basta tudo que aquele idiota fez?

- Você contou essa história para alguém Anthony?

- Não, lógico que não.

- Bom. De resto não te interessa.

- É tem razão, não sei pra que eu to ligando pra isso. Deixa quieto.

- Melhor mesmo – afinal eu entendi o que ele está pensando, não sei por que ele chegou a essa conclusão idiota de que eu ia me encontrar com meu ex, mas eu tenho minhas suspeitas.

- Mas já que estamos falando sobre como foi ontem a noite, me diz como foi lá na London Eye?

- Que? Eu não fui lá. – deu de ombros.

- Eu só perguntei como foi, não precisa se irritar.

- Eu não estou irritado. Mas de onde você tirou isso?

- Você fica e perguntando sobre minha noite, não posso perguntar da sua?

- Você acha que eu levaria ela lá? – foi direto ao ponto. – Eu não sou assim. Eu sei bem como você ficou sabendo disso e se você quer saber a Helena queria que eu a levasse lá, mas eu disse não.

Ele dizia parecendo realmente irritado com tudo isso.

- A única pessoa com quem eu iria lá é você, e você sabe bem disso – continuou – Eu não a levei lá.

Ele dizia nervoso e mesmo assim eu consegui tirar um peso invisível de mim. Não era para eu ficar tão feliz, mas quase sorri.

- Agora, você não deveria nem me questionar isso. Como você me diz que eu lembro a porcaria do seu ex que eu sou igual a ele. Mas com ele sai toda contente e comigo não olha nem na cara?

- O que?

- Tá, eu sei que vocês se casaram e tudo mais, mas Esther, depois de tudo aquilo?

- Anthony, foi a Clara que disse isso não foi?

- Foi sim.

- Ela por acaso não comentou uma parte que eu disse que ia ver meu primo Jake?

- Primo Jake, não esse não.

- Então ela realmente disse ex Jack?

- Não com essas palavras.

- Não que eu te deva alguma explicação, mas ontem encontrei meu primo Jake aqui no hotel, repetindo PRIMO e então fomos jantar. Não acredito que você pensou tudo isso.

- Você não viu seu ex?

- Não e se eu visse eu nunca falaria com ele.

Ele não sabia se me olhava, se voltava para o sofá ou o que fazia.

- Se sente sem graça?

- Bastante.

- Você sempre achou que eu gostava dele, né Anthony?

- Não vai adiantar eu dizer que não.

- Já que agora está tudo certo, eu posso ir embora.

- Esther, mas...

E antes dele terminar a frase a Helena estava ali, ela foi entrando e indo na direção dele. Eu apenas peguei a caixa vazia e olhei pra ele dizendo “foi isso que você escolheu”. No fim sai pelo menos satisfeita, não sei exatamente porque, mas acho que hoje a situação foi invertida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...