1. Spirit Fanfics >
  2. I Fell In Love >
  3. 28 - Sim, nós temos

História I Fell In Love - Capítulo 35


Escrita por: vilacag

Notas do Autor


Ola meus amores!

É oficial, essa história é maior do que a primeira temporada e ainda estamos longe do fim eim. Quantas palavras será que vou chegar?

Sim, o tempo está passando rápido, tudo isso para o parto dos bebês acontecer logo, porque até eu que já sei o que vai acontecer, estou ansiosa.

Tem coisas muito legais no capítulo de hoje, novidades.

Boa leitura!

Capítulo 35 - 28 - Sim, nós temos


1 mês depois – Janeiro de 2024

Bianca Nunes

O último mês tem sido uma completa loucura, o quarto dos bebês e dos meninos finalmente ficaram prontos. Nora, Kai e Marnie se mudaram para o terceiro andar da casa, e ainda tem mais um quarto sobrando no terceiro andar. Minha mãe está conosco no segundo andar no outro quarto de visitas. Ela decidiu ficar aqui comigo por alguns meses ajudando em tudo com os bebês, meu pai e irmãos voltaram para o Brasil alguns dias atrás e já estão planejando voltar depois que os meninos nascerem. Minha mãe trabalha com publicidade, antes trabalhava em duas empresas, uma como empregada e outra como sócia, então ela decidiu que estava na hora de aposentar e pediu demissão da empresa que era contratada, agora ela só está como sócia da outra empresa e trabalhando a distância, daqui de Londres. Ela fez isso tudo para me ajudar nesses primeiros meses, ela falou que já estava na hora de desacelerar e ela quer ser vó por completo, e eu não posso estar mais grata por ter ela aqui comigo.

No último mês conseguimos comprar a grande maioria das coisas que precisamos para receber os bebês, carrinho, cadeirinhas de carro e cadeirinhas de balanço para distrair eles, os berços, o berço menor que vai ficar ao meu lado da cama nos primeiros meses, mamadeiras, chupetas, babá eletrônica, bombas de tirar leite, a cômoda deles, cadeira de amamentação, banheira e muitas outras coisas. Enquanto minhas irmãs estavam aqui nós saímos muito para comprar todas as roupas e acessórios que precisamos, íamos em um grupo grande que assustava as vendedoras. Eram eu, Tom, minha mãe, minhas irmãs e os meninos que estavam muito animados por participarem de tudo.

O quarto deles ficou pronto e eu fiquei completamente apaixonada. O quarto foi pintado em um tom de cinza claro levemente puxado para o azul, berços brancos com enxoval cinza e branco, um grande tapete azul claro com detalhes brancos, cadeira de amamentação cinza, a cômoda em tom de cinza rústico com detalhes dourados, uma estante para livros em formato de árvore, quadros de bichinhos como elefante e zebra, um elefante de pelúcia, girafas decorando as prateleiras junto com outros bichos. O quarto ficou bem neutro e bem confortável, me dá uma paz de ficar lá dentro. Eu sei que vou passar muito tempo ali dentro pelos próximos meses e ficou um lugar muito reconfortante. Todo mundo amou o quarto pelo fato dele ser moderno e fofo ao mesmo tempo, não ser convencional cheio de azul por toda parte, esse quarto poderia facilmente ser de uma menina e isso foi o que eu gostei mais.

Eu procuro ficar o mais deitada possível quando estou em casa, minha mãe tem me ajudado muito com tudo, ela está sendo o meu norte para tudo. O peso de ter dois bebês com quase 1 quilo cada é complicado para minhas costas e minhas pernas. Eu estou pegando bem mais leve no trabalho, mas mesmo assim sinto as dores, sinto também falta de ar já que meus pulmões estão comprimidos, vou ao banheiro o tempo todo também. Tenho diminuído os exercícios físicos também, a massagista agora vem em casa me ajudar com as dores e com o inchaço, continuo fazendo alguns exercícios, mas em casa.

Eu e Tom viemos a mais um ultrassom, conseguimos fazer um ultrassom 3D e eu tenho a sensação de que eles vão ser a cópia do pai, pelo ou menos o furinho no queixo eles já puxaram do Tom que ficou todo orgulhoso.

-Bebê dois está com 37 centímetros e por volta de 1 quilo – Lilian começou a falar - Bebê um com 36 centímetros e uns 900 gramas – ela olhou para nós dois – Tudo muito bem com eles, peso e comprimento certos, você também está com um peso bom.

-Isso é ótimo - falei sorrindo.

-Mas chegou a hora Bia – eu franzi as sobrancelhas confusa e Tom também tinha um olhar confuso em seu rosto.

-Chegou a hora de quê?

-De parar, você vai entrar no oitavo mês semana que vem, seu colo do útero está mais baixo que o normal, seus pés e pernas estão muito inchados – eu fiz uma cara triste na mesma hora – Sinto muito, mas eu estou colocando você em licença maternidade a partir de agora.

-Tudo bem, eu entendo – ela fez um carinho na minha mão que estava sobre a maca.

-Esse mês temos que ficar em alerta, não é? - Tom comentou e Lilian assentiu.

-Nós não queremos um parto prematuro, mas ele pode sim acontecer a qualquer momento, por isso eu estou mandando a senhorita para casa – ela fez um olhar bravo e eu sorri - Você vai ficar de repouso o máximo que conseguir, não é pra ficar na cama o dia inteiro, mas evita ficar subindo e descendo escada, ficar abaixando e carregando peso – assenti concordando - Você já está sentindo as contrações de treinamento né?

-Sim, esse mês começou.

-O bebê dois já está começando a encaixar para nascer, mas o bebê um ainda está sentado, grandes chances de não ser parto natural.

-Grávida de gêmeos pode ter parto natural? - Tom perguntou.

-Pode sim Tom, se os dois bebês estiverem encaixados, o que não é o caso agora, e eu não acho que vai ser o caso até os bebês nascerem - nós dois só olhávamos pra ela prestando bem atenção em tudo que ela estava falando – O plano é, esperar até seu corpo entrar em trabalho de parto e depois fazermos uma cesariana, certo?

-Exatamente.

-Relembrando, nós vamos dar início na papelada da sua licença maternidade a partir de agora, você vai ficar de repouso o maior tempo possível.

-Sim.

-E eu vou passar uma receita para você comprar três aplicações de corticoide para amadurecer o pulmão dos bebês, você vai aplicar no seu bumbum uma vez por dia, uma distância de 24 horas entre cada aplicação.

-Tudo bem.

-Eu estou falando tudo porque é protocolo, eu sei que você sabe de tudo isso – Lilian falou rindo e eu a acompanhei na risada.

-Eu sei disso – falei rindo e sentei na maca, e ela levantou da cadeira.

-Encontro vocês na minha sala daqui a pouco para resolvermos a papelada da licença - eu assenti e ela saiu da sala.

-Amor quanto tempo você pretende ficar de licença? - Tom perguntou enquanto eu limpava o gel da minha barriga.

-1 ano que é o tempo que a Inglaterra me permite, cuidar de dois bebês dá muito trabalho – abaixei minha blusa e Tom me ajudou a descer da maca.

-Eu imagino que sim, já estou ficando louco só de imaginar – ele fez uma careta e eu ri.

-É bom você aproveitar bem suas noites de sono.

-E como você está se sentindo sobre parar de trabalhar? - Tom abriu a porta pra mim e saímos da sala de exame.

-Eu já imaginava que isso ia acontecer e eu tenho que confessar que já estou muito cansada, eu realmente preciso ficar deitada – ele assentiu concordando comigo - Não vai ser fácil ficar em casa por tanto tempo, mas é por uma causa maravilhosa, eu vou ser mãe e vou cuidar dos nossos bebês.

-E você vai ser uma mãe maravilhosa – eu sorri e ele me deu um beijo na testa – Se em algum momento depois que os bebês estiverem um pouco maiores, você quiser voltar a trabalhar antes do fim da licença, você sabe que eu vou ter o maior prazer em cuidar deles né?

-Sei sim meu amor, e é por isso que eu te amo tanto – dei um beijo na bochecha dele que sorriu.

Fomos para a sala da Lilian e resolvemos toda a papelada necessária para a minha licença maternidade, ela me deu as receitas dos remédios que preciso comprar. E então seguimos até minha sala, peguei tudo que precisava ali e depois fomos despedir dos meus amigos que vou passar longos meses sem ver.

Ficar sem trabalhar vai ser um desafio para mim, mas tudo que eu quero é que meus filhos tenham saúde e que tenham os pais ao lado dando todo o amor possível. E eu quero participar de todas as etapas do crescimento deles, agora estou ficando com um vazio no peito ao sair do hospital, mas sei que quando eu tiver que voltar ao trabalho vai ser ainda mais difícil, ter que deixar meus bebês. Tudo é questão de se adaptar, agora eu vou ter que me adaptar ao ficar sem meu trabalho e daqui há um ano vou ter que me adaptar ao ficar longe dos bebês.

De noite nos reunimos na sala para vermos um filme, esse final de semana é o do Tom com os filhos, de tarde ele foi buscar os três na escola, e agora estamos todos aqui, junto com minha mãe. Vários baldes de pipocas e sucos espalhados pela sala.

-Filha – minha mãe falou assim que terminamos de ver o filme, eu comia as últimas pipocas que tinha no balde que estava apoiado na minha barriga, sim eu comecei a apoiar as coisas na minha barriga e eu adoro fazer isso – Daqui a pouco os bebês estão aqui e vocês não escolheram um nome ainda.

-Não gostamos de nenhum ainda, e não achamos nenhum que combina – falei.

-Vamos todo mundo olhar então, quem sabe alguém não acha um que vocês gostam.

-Eu amei a ideia – Kai respondeu.

-Lembrem-se que temos que achar dois nomes para cada um – Tom disse e minha mãe arregalou os olhos.

Todos nós pegamos nossos telefones e começamos a procurar nomes, fomos falando junto com seus significados, mas nenhum realmente mexeu com a gente. Essa escolha de nomes já estava me estressando.

-Que tal Gabriel? - minha mãe falou – Significa enviado de Deus.

-Não gosto de Gabriel, muito comum no Brasil e nenhum pouco comum aqui – ela fez uma careta e eu ri.

-Você é muito exigente – Tom nos olhava segurando o riso.

-Gostei desse – Kai falou com um sorriso no rosto – John, Deus é cheio de graça.

-Gostei do significado – falei.

-Eu já tenho John no meu nome do meio filho, como nome dos bebês não, mas como segundo nome, talvez.

-É verdade pai, tinha esquecido disso.

-Eu gosto de Harry, príncipe do lar – Nora comentou.

-Ficou muito comum filha, já era por causa do príncipe Harry, depois do One Direction ficou ainda mais – Tom respondeu.

-Realmente, eu conheço muitos Harry’s.

-Exatamente – Tom falou rindo.

-Olha esse que legal – Marnie disse muito animada – Alfie, o nobre pacificador – eu e Tom nos olhamos sem saber o que falar, mas estava estampado no nosso rosto que não tínhamos gostado.

-Pequena, eu acho que vamos seguir a linha de nomes mais normais – Nora passou a mão pelo cabelo da irmã que nos olhos e nós assentimos, então ela voltou a procurar mais nomes, eu pisquei para Nora agradecendo silenciosamente pela ajuda e ela sorriu.

-Ok, eu realmente gostei desse aqui – Kai voltou a falar e olhamos pra ele – Nathan, presente, dádiva, dado por Deus – eu abri a boca em choque.

-Que significado maravilhoso – minha mãe falou exatamente o que eu estava sentindo – Os bebês são realmente um presente de Deus – eu assenti.

-Você ficou calada – Tom falou me olhando - Você gostou né?

-Olha aqui, eu fiquei arrepiada – mostrei meu braço pra ele – Os bebês junto com vocês são os maiores presentes de Deus na minha vida – ele sorriu e me deu um selinho.

-Eu também amei babe.

-Você gostou mesmo? - ele assentiu com um sorriso enorme no rosto.

-Temos o nome do primeiro bebê? - minha mãe perguntou e eu continuava olhando para o Tom, ele assentiu mais uma vez.

-Sim, nós temos – falei animada e todos bateram palmas.

-Qual vai ser? - Nora perguntou.

-O primeiro que sair, o bebê dois – coloquei a mão em baixo na barriga - Já que foi o primeiro nome, vai ser o primeiro a nascer.

-Agora vamos achar algum nome que combine – Tom disse e assentimos.

Fomos falando alguns nomes que realmente não combinavam, não encaixavam juntos. Achar o segundo nome foi ainda mais difícil, até que Marnie falou um que nós adoramos.

-Liam – a mais nova falou e eu olhei pra ela – Significa o protetor corajoso, gostei desse nome – ela levantou a cabeça e nos olhou.

-Nathan e Liam – Tom falou os nomes juntos.

-Uau, isso realmente combinou – Nora disse e eu concordei na mesma hora.

-Eu gostei muito, são nomes comuns aqui, mas que dá para falar com facilidade no Brasil, com significados fortes – minha mãe falava me olhando.

-Concordo, o que você achou Tom?

-Eu gostei muito do som dos dois nomes juntos – eu assenti – E igual sua mãe falou, são significados bonitos.

-Meninos? - perguntei olhando para os três que falaram que gostaram muitos, todos estavam de acordo.

-E você amor? - Tom perguntou.

-Eu realmente gostei, são nomes bonitos, fortes, pequenos – ele ia concordando enquanto eu falava – Acho que temos os nomes.

-Até que enfim – minha mãe falou rindo.

-Agora o segundo nome dos dois – Tom disse rindo e minha mãe bufou cansada, fazendo ele rir ainda mais.

-Eu estava pensando aqui – Nora começou a falar – Seria legal colocar Thomas em um deles como segundo nome, e Thomas significa gêmeos.

-Eu estava pensando a mesma coisa Nora – falei e ela sorriu ainda mais.

-Você estava? - Tom perguntou.

-É claro que sim, eu vou amar te homenagear em um dos bebês - eu vi que ele ficou sem palavras, então ele só se inclinou e me deu um selinho, com um sorriso gigante no rosto.

-Obrigado – ele fez carinho na minha bochecha e eu sorri.

-E John no outro? - Kai perguntou.

-Na verdade eu acho que esse nome pertence a outra pessoa – todos eles me olharam confusos - Você tem o nome do meio do seu pai porque é o único filho homem dele – Tom assentiu – E eu acho que seu nome do meio deve ficar com seu primeiro filho homem – olhei para Kai que tinha a boca aberta de surpresa, Tom entendeu o que eu estava falando e sorriu no mesmo instante.

-Eu concordo 100%.

-Kai você gostou desse nome, tem um significado lindo e ainda é o nome do seu pai, quando você mudar o seu nome no cartório, pode querer colocar esse nome – os olhos dele encheram de lágrimas na mesma hora.

-Kai John Ellis – ele falou e eu sorri ao ouvir o som, e a importância desse nome – Eu amei – ele limpou uma lágrima que descia por sua bochecha – Eu posso fazer isso? - ele perguntou com seu olhar direcionado ao pai.

-Você deve - então ele levantou e foi abraçar Tom que o abraçou apertado, depois ele veio até mim e me abraçou.

-Obrigado Bia.

-De nada meu amor – dei um beijo na bochecha dele.

Quando ele voltou a sentar no sofá, Nora o abraçou de lado mostrando seu apoio ao irmão, Marnie falou que estava animada para a mudança do nome do irmão, e minha mãe tinha um sorriso orgulhoso no rosto.

-Então qual vai ser o outro nome? - minha mãe perguntou.

-Eu tive uma ideia – Tom respondeu – Meu pai já tem 10 netos e vai ter mais dois agora, fora que ele já foi homenageado no meu nome e vai ser homenageado com o Kai – ele me olhava e eu assenti seguindo sua linha de pensamento - Já seu pai, são os primeiros netos dele, eu acho que seria muito legal colocar o nome dele no nome do meio de um dos bebês - meus olhos se encheram de lágrimas na mesma hora, e eu puxei ele para um abraço apertado – Isso é um sim?

-É óbvio que sim – minha voz saiu embargada, olhei minha mãe que também estava emocionada - É sério, quando eu acho que não consigo te amar mais, você faz isso – segurei seu rosto e dei um selinho nele que sorriu entre meus lábios.

-Tom eu não tenho nem como te falar o quanto esse gesto significou pra mim e tenho certeza que vai significar muito para o William – minha mãe segurou a mão do Tom e sorria pra ele.

-Vocês merecem toda a homenagem do mundo – ele deu um beijo na mão dela que piscou pra ele.

-Então temos os nomes – Nora falou – Nathan e Liam.

-Thomas e William para o segundo nome – Kai completou.

-Liam William tem muito L – Marnie falou fazendo careta e nós rimos.

-Tem razão moonbean.

-Assim como Nathan Thomas tem muito th - disse e Tom assentiu.

-Então fica Nathan William para o primeiro bebê a nascer e Liam Thomas para o segundo – minha mãe falou.

-Eu amei.

-Por mim está perfeito – Tom completou, os meninos também assentiram.

Tom me olhou sorrindo tão feliz quanto eu, por finalmente termos escolhido os nomes dos nossos filhos, nomes lindos, com significados lindos. Ele deu um beijo na minha testa e eu deitei a cabeça no ombro dele, fiquei observando os meninos falando com animação sobre os bebês.

Nathan William Ellis, o primeiro bebê, um presente de Deus e uma homenagem ao seu avô. Liam Thomas Ellis, o irmão mais novo, o protetor corajoso e uma homenagem ao seu pai. Dois nomes lindos com tantos significados, tão importantes para nossa família. Eu mal posso esperar para eles nascerem logo e eu olhar para seus rostinhos.



Notas Finais


Curiosidade: na Inglaterra e nos EUA eles não tem costume de usar o sobrenome da mãe. É o primeiro nome, o segundo e o sobrenome do pai.

Gostaram dos nomes?

Quarto dos bebês: https://www.instagram.com/p/BpxGW63A85c/?utm_medium=copy_link
https://www.instagram.com/p/BpxHIKygr7G/?utm_medium=copy_link
Barriga de 30 semanas da Bia: https://www.instagram.com/p/CImQL5zFSue/?utm_medium=copy_link

Beijos e até o próximo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...