História In the Course of Life - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Nina Dobrev, Supernatural, The Vampire Diaries
Personagens Personagens Originais
Tags Adultério, Amizade, Crime, Drama, Drama Adolescente, Drogas, Família, Gangue, Romance, Triângulo Amoroso
Visualizações 8
Palavras 2.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E ai galera olha eu aqui de novo trazendo nosso primeiro HOT isso mesmo! Serão dois capítulos seguidos desse casalzinho, espero que gostem <3
Não deixem de comentar, sou péssima com Hots kkkk

Capítulo 48 - Capítulo 47 - Me unindo a você. (HOT)


Fanfic / Fanfiction In the Course of Life - Capítulo 48 - Capítulo 47 - Me unindo a você. (HOT)

In course of life - Capítulo 45 - Me unindo a você. Pt I 

Matt Pov’s 

*Alguns dias depois 

Eu estava acordado há quase uma hora sem sair da cama, devido o frio que fazia naquela manhã de segunda-feira. Fiquei ouvindo música e fuçando o celular, esperando alguma resposta da Nina. Infelizmente, minha coelhinha passou o fim de semana todo na fazenda do avô dela com toda a família, não nos víamos desde sexta-feira. Eu estava com tanta saudades! Ela disse que chegaria hoje pela manhã, mas ainda não havia enviado mensagem nenhuma. As aulas foram canceladas hoje por causa da forte chuva, eu achei bom, claro. 

-Filho? -minha mãe me chamou na porta, ela também não foi trabalhar- 

-Oi, mãe. -digo sonolento- 

-Já são quase meio dia, não quer levantar? -ela sorriu- 

-Aarh. -bocejei- Teria algum problema passar o dia aqui hoje? -rimos- 

-Eu também quase não levantei hoje. -ela sentou na beirada da minha cama- Não sei como o seu pai conseguiu ir trabalhar com tanta chuva e frio. 

-Ora, você não sabe? Ele é tão frio quanto essa chuva. -sorri com ironia- 

-Matt. -ela balançou a cabeça e sorriu fraco- Vamos levante, logo logo tem almoço delicioso pra gente. 

Ela saiu do quarto, eu ainda fiquei alguns minutos lutando contra o sono e a coberta quentinha. Ao me levantar, fui ao banheiro escovar os dentes e passar uma água no rosto. Vesti minha blusa de frio e em seguida desci para a sala, lá encontrei Miguel e Jenna embrulhados num cobertor e deitados no sofá. 

-Ora, ora, ora. -digo- Se não são os favoritos assistindo a essa droga de seriado. 

-Cala a boca, idiota. -Jenna revirou os olhos- 

-Bom dia pra você também, Matt. -Miguel disse olhando pra TV- 

-Boa Tarde! -dou um tapa na cabeça dele e vou para a cozinha- 

Assim que sentei na mesa, meu celular vibrou avisando novas mensagens. Fui rapidamente checá-las. Era uma mensagem da Nina. 

Amor: “Oi grandão ^^ Cheguei. Estava cochilando, meus pais não quiseram me acordar.”

Eu: “Nina! Finalmente. *-------* Quero te ver.” 

Amor: “Vou deixar a janela do quarto aberta… “ 

Eu sorri com malícia, afinal, era sempre bom os encontros as escondidas nas noites em seu quarto. 

Eu: “Eu mal posso esperar.” 

Durante todo o almoço, fiquei trocando mensagens com a Nina. Ela me contou sobre seu fim de semana, como foi andar de cavalo, pescar e tomar banho na cachoeira, parecia um lugar bacana, mas a verdade era que eu estava doido para que a noite chegasse logo. Passei o resto do dia no meu quarto, ouvindo músicas, jogando e conversando com a Nina. Quando meu pai chegou, minha mãe me chamou para jantar. Infelizmente tive que aguentar meu pai e seus dois filhinhos comentando sobre o seu dia no trabalho, o clima e entre outras piadas sem graças do Blake. Minha mãe queria servir a sobremesa, mas eu não quis esperar. A chuva havia cessado e sabe-se lá até quando, era minha chance de sair de casa. 

Eu tomei um rápido banho quente e me vesti com as famosas roupas pretas, joguei o capuz por cima da cabeça e me preparei para pular a janela, o que já não era mais tão difícil. Em segundos eu estava no chão e fora de casa. Limpei os respingos de água da chuva da minha calça jeans e sai pelas ruas iluminadas do meu bairro. 

A caminhada durou uns 20 minutos, eu cheguei no bairro da tia Chloe e avistei sua casa á alguns metros. A janela do quarto da Nina ficava na frente da casa, felizmente as luzes estavam apagadas, somente a luz do quarto dela ainda brilhava, eu sorri e corri em direção a sua casa. Sem fazer barulho, subi no parapeito da varanda pegando impulso para alcançar a ponta do telhado, uma vez lá em cima, caminhei devagar para não fazer barulho e ao meu lado estava a janela do quarto dela, eu me segurei na beirada da janela e a empurrei pulando para dentro do quarto. Sua cama estava forrada e preparada para alguém dormir, havia um abajur amarelo ao lado de sua cama, na prateleira seus vários ursos de pelúcia e bonecos de coleção pareciam estar me olhando. Eu arqueei uma sobrancelha e coloquei as mãos no bolso. Em cima da sua cama, estava o seu urso favorito, o Turrão. - Nossa, ela ganhou isso há uns 10 anos atrás. - Pensei. 

De repente, Nina saiu do seu banheiro e arquejou assustada. Ela vestia um pijama branco com estampa de coração, a parte de cima era meio transparente e assim que a vi notei que estava sem sutiã. 

-Matt! -ela suspirou aliviada- É você. -sorriu- 

-É claro, esperava outra pessoa? -levantei uma sobrancelha e sorri em seguida- 

-Seu bobo. 

Ela correu em minha direção e me abraçou com força. Eu a segurei pela cintura e a enchi de beijos. Seu cheiro estava delicioso, com um aroma de frutas e flores, dei uma fungada em seu pescoço e cabelos. 

-Que saudades. -digo ainda beijando seu pescoço- 

-Ai, eu também senti muita saudades, Matt. -ela me olhou e acariciou meu rosto- 

-Eu não consigo ficar nem um só dia sem você. -sorrio- Estou com abstinência de Nina. -rimos- 

-Digo o mesmo. -ela ficou na ponta dos pés e me beijou- 

Eu agarrei sua cintura e a beijei com a mesma intensidade, saboreando seus lábios macios e tão doces, tinha gosto de pasta de dente de morango. Eu sorri entre o beijo e acariciei suas bochechas. 

-Você é toda cheirosa. -solto uma fraca risada- 

-Ah… -ela ficou vermelha- E você às vezes tem cheiro de cigarro. 

Eu ri alto, ela me olhava sorrindo e ainda corada. 

-É… -revirei os olhos- Meus amigos fumantes, eu não fumo. -joguei o capuz para trás-

-Eu sei. Seu belo sorriso é prova disso. -ela beijou meus lábios com provocação- 

-Aarrh. -eu mordisquei seu lábio inferior e apertei minha mão em seu quadril- Vem cá.  

-Só um instante. -ela escapou dos meus braços indo em direção a porta para trancá-la- 

Mordi os lábios ao admirar sua bunda, grande até demais para alguém de seu tamanho, fiquei excitado ao imaginar o que poderia fazer com ela. 

-Onde estávamos? -ela sorriu e colocou os braços em volta do meu pescoço- 

Eu segurei seu rosto com as duas mãos e beijei sua boca, sentindo sua língua na minha, ela estava curiosa e eu adorava quando Nina estava assim. Ela sentou na beirada da cama e eu fiquei por cima dela. 

-Por acaso estava se preparando… -sussurro em seu ouvido- 

-Me preparando… ? -ela soltou um suspiro quente perto do meu pescoço- 

-Para mim. -sorri com malícia- 

Meus olhos desviaram para os seus seios, o pijama fino e transparente me davam uma boa visão de seus mamilos duros. Fiquei com água na boca, passei a língua nos lábios sem tirar os olhos de seus seios. Então, com o polegar, toquei em um de seus mamilos ainda por cima do pijama e comecei a fazer leves movimentos, acariciando. Ela gemeu no meu ouvido e eu continuei, alternando entre um e outro.  

Quando a olhei, ela estava corada e desviou o olhar. Segurei em seu queixo a fazendo olhar para mim, depois a beijei. Senti seu corpo estremecer com meu beijo, ela soltou um leve gemido enquanto acariciava os cabelos em minha nuca. 

-Eu… -ela hesitou- 

-Está tudo bem, Nina. 

Seus olhos encontraram os meus, eles imploravam para que eu continuasse, e eu continuei. 

Nina Pov’s

Novamente, eu estava daquele jeito, com aquele belo par de olhos verdes ele me analisava, eu não pude resistir, seu toque, seu beijo, sua voz, tudo nele me deixava excitada e eu não conseguia dizer nada, nem fazer muita coisa também, eu só o queria. Ele me beijou lentamente, seus lábios carnudos e macios se uniram aos meus, sua língua percorria cada canto da minha boca e eu fazia o mesmo. Eu me deitei na cama e ele ficou por cima de mim.   

Matt agarrou meu cabelo e me beijou com vontade, sua respiração estava ficando mais alta e forte. Ele passou as duas mãos pelo meu quadril subindo até minha cintura, levantou minha camisa até a metade e começou a beijar minha barriga, dando beijos molhados e excitantes, eu soltei um gemido alto quando ele começou a chupar minha barriga na parte superior, na parte de baixo do meu seio esquerdo, com certeza vai ficar a marca, mas talvez fosse esse o seu objetivo. Quando ele terminou, um sorriso ordinário estava estampado em seus lábios. Ele ficou me olhando, talvez com receio, mas eu já não aguentava mais a vontade e então, eu mesma levantei toda a minha camisa mostrando a ele os meus seios. Sua expressão ficou séria e seus olhos agora estavam mais escuros e brilhantes, expressando todo seu desejo por mim. Ele se debruçou sobre mim e apertou os meus seios com as duas mãos, eu gemi e revirei os olhos ao sentir aquela sensação gostosa. Matt começou a chupar meu seio enquanto acariciava com o polegar o meu outro mamilo duro. Eu fiquei com medo dos meus pais ouvirem os gemidos e torci para que a distância entre os nossos quartos fosse útil. 

-Ai, Nina. -ele sussurrou no meu ouvido enquanto apertava com força o meu seio- 

-M-Matt. -praticamente gemi o seu nome- 

-Você é tão gostosa. -escutei ele sorrir- 

Ele ficou de joelhos entre as minhas pernas, olhando admirado para os meus seios expostos. 

-Como conseguiu esconder isso de mim por 4 anos? -ele passou a mão no cabelo- 

-Sou muito quieta. -consigo dizer com a respiração falhando- E eles não eram assim há 4 anos atrás. -sorrio sem jeito- 

-Você é linda! -ele abriu o zíper da sua blusa de frio e a jogou longe pelo quarto, ficando só de camiseta branca- Vem cá. 

Ele me estendeu a mão, eu a segurei e fiquei de joelhos também em sua frente. Eu toquei em seu peito por cima da fina camisa branca, sentindo o calor do seu corpo e sua respiração fazia seu peito subir e descer. Eu nunca toquei nele de verdade, eu queria sentir o seu corpo, sua pele macia. 

-Nina… -ele encostou sua testa na minha- Eu nunca estive tão apaixonado. -ele sorriu fraco e… corou?- 

Pela primeira vez na vida eu vi Matthew Campbell corar! 

-O que eu posso dizer? -sorri- Sempre fui apaixonada por você. -ele entrelaçou nossas mãos- 

-Eu quero você Nina! -ele disse sério e me olhou nos olhos-

-Eu estou com você. 

-N-Não. -ele balançou a cabeça- Quero você pra mim. -ele apertou minha cintura contra o seu corpo, eu senti algo duro entre suas pernas roçar em minha intimidade-  

Então eu entendi. Seu olhar era tão penetrante, do jeito que só o Matt sabia me olhar. Analisando minha alma, cada sentimento, qualquer reação. Eu também o queria, muito. Eu precisava dizer… 

-Eu também quero! -digo com os olhos fechados e as bochechas queimando- Quero ser sua, Matthew. -digo próximo ao seu ouvido- 

-Aaarh, Nina. -ele afundou o rosto em meu pescoço- 

Suas mãos desceram pelas minhas costas até encontrar minha bunda. Ele começou a apertar daquele jeito bom, fechei os olhos e sorri de prazer com a sensação. Tirei minha camisa, meus seios pularam para fora e quando abri os olhos pude apreciar seu belo sorriso safado estampado em seu rosto ao ver-me sem camisa, o que me deixou completamente excitada. Com rapidez ele arrancou a camisa de seu corpo expondo seu belo peitoral definido e sua barriga com gominhos. Num impulso eu toquei seu peitoral descendo minhas mãos até sua barriga dura, a sua pele morena era tão macia. Ele sorria convencido, enquanto eu, admirada e excitada obviamente, percorria minhas mãos pelos seus ombros, braços e peito. 

Eu o beijei com uma força que não conhecia, ele lançou seus braços fortes envolta da minha cintura e me imprensou contra seu peito, senti meus seios roçarem em sua pele.  Eu iria me entregar a ele, nesta noite de chuva e frio. Depois de tanto tempo, sonhando em ter Matt comigo, eu iria finalmente senti-lo de verdade. 

 

Continua… 


 


Notas Finais


Entãooo... mais tarde posto o próximo hein haha fiquem curiosooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...