História Inalcanzable! - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Death Note
Personagens Beyond Birthday, L Lawliet, Light Yagami, Matt, Mihael "Mello" Keehl, Nate "Near" River, Stephen Gevanni, Watari
Tags Mellonear, Meronia
Visualizações 50
Palavras 1.674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


^_^

Capítulo 8 - Perdão!


(Mello pov,s on)


Wammy's house - Inglaterra, Winchester - 10/07/2014 - 10:21 da AM.


Não sei pra quê ir pras aulas, eu já sou inteligente o suficiente, até mais inteligente que esse bando de cuzões que são meus professores, ninguém merece.

- Mello, se endireite, e tire esse pé de cima da cadeira.

Afff, que professora insuportável, essa porra não vai com a minha cara não viu, continuei com minha perna onde estava, não sou obrigado a nada.

- Mello, pela última quarta vez, tire esse pé de cima da cadeira.

Ela me olhava de cara feia, era até possível ver como sua testa estava franzida, tirei a perna de cima da cadeira bufando, olhando-a ironicamente. Ela simplesmente me ignorou e voltou a sua "aulinha" chata de sempre.

Vi Matt rindo ao meu lado, o que me surpreendeu foi ver Near com um pequeno sorriso também, sorri por dentro me sentindo vitorioso.

Logo o sinal tocou, e a próxima aula é vaga, alguns saíram da sala, pra ficarem lá fora, ou em algum lugar por aí.

- Que foi aquilo Mello ? Achei que você fosse brigar com a professora.

O engraçadinho do Matt, comentou rindo da minha cara.

- Humpf... Não vale nem a pena brigar com um cão daquele.

- Tu não presta, né loira.

- Presto não.

Olhamos um pra cara do outro, e começamos a rir como dois retardados, fora do manicômio.

Comecei uma leve conversa com Matt, só pra descontrair o momento.

- Near, quer sair comigo esse final de semana ???

O QUÊ ??? O.O

Olhei pra frente e avistei Linda... Ela estava com as bochechas coradas, e brincando com os dedos das mãos de forma boba, Como ela ousa chamar Near, a minha *garota*, pra sair com ela, tudo bem que a vadia não sabe, que Near é uma menina também.

- Não!

Sorri grandemente, não consegui segurar a emoção de ver Near, dá um não pra ela, toma sua piranha, achou o quê, que Nate River, futura Keehl, vai querer sair com você ??

- Mas Near, por que ?? - Perguntou, com cara de choro.

- Eu só não quero sair com você, só isso.

- Você tem que sair comigo, é por causa de alguém ??? Você gosta de alguém daqui ?? Me diz quem é a vagabunda ?? - Perguntou, cheia de raiva.

Near estava em um beco sem saída, ela me olhou, mas disfarçou, peraí, Near me olhou ??? Então sou eu ?? Ela gosta de mim ? Nate River gosta de mim ????? Não viaja Mello, ela só te olhou, isso não quer dizer nada seu estúpido.

- Linda, por favor me deixa em paz.

- NÃO! EU QUERO SABER QUEM É ESSA  FIA DE RAPARIGA QUE TE TIROU DE MIM.

Ô vaca pra gostar de gritar viu, me levantei indo até Near, olhei bem pra cara da talarica.

- Ele mandou você deixa-lo em paz, não entendeu garota ?

Ela me olhou sarcástica, Matt nos assistia como se estivesse em um cinema, só faltava a pipoca pro ruivo.

- E se EU não QUISER ? - Me perguntou desafiadora, cheia de deboche. Sorri maldosamente, estalei os dedos das mãos, e olhei de forma cínica pra ela.

- Não seja por isso, eu te tiro daqui sua piranha. - Falei, agarrando-a pelos cabelos, puxando-a porta afora, sobre seus gritos de protesto, ela se debatia tentando se soltar, mas só a soltei, com dois metros de distância da sala.

- VOCÊ VAI VER, EU VOU DIZER PRO ROGER. - Gritou, chorando.

- Vá, vá dizer pro Roger, pro Watari, até pra puta que pariu, mas deixe o Near em paz.

- VOCÊ ME PAGA SUA BARBIE FALSIFICADA.

- Falou a loira natural. 

 Zombei, revirando os olhos, nas órbitas! Me lançando um olhar de ódio, ela correu.

Voltei pra sala, Matt me olhava com uma cara, tipo: "Que porra foi essa Mello ??", apenas dei de ombros, olhei para Near, que estava me olhando, e corou ao ser pega no flagra. Wooonts ti coisa fofa!

- Você está bem ? - Perguntei, olhando-a.

Near acenou, timidamente com a cabeça, minha vontade era de apertar suas bochechas rosadinhas.

Os alunos voltaram para a sala, e logo Roger entrou, assim que todos estavam devidamente assentados em seus assentos e lugares, ele começou a falar:

- Bom dia gente! Quero os informar, que daqui a dois dias teremos um passeio de escota, e todos vocês vão, por tanto, preparem-se para a viagem. - Avisou, mas logo olhou pra mim.

Engoli em seco, a maldita foi mesmo me denunciar pra ele.

- Mello, na minha sala agora.

Me levantei bufando, Linda olhava pra mim com ar de vitória, minha vontade era de dá uns bons socos na cara de safada dela.

Me pus de pé, e acompanhei Roger, até a sala dele.


(Mello pov,s off)


(Near pov,s on)


Me senti muito mal, ao ver Mello ir pra sala do diretor por minha causa, isso tudo por culpa da Linda, olhei pra ela friamente, vendo seu sorrisinho idiota morrer.

- Professora.

- Sim Near ?

- Posso ir ao banheiro ?

- Claro, pode ir.

Me levantei, saindo da sala de aula, eu não vou pro banheiro, eu vou é pra sala de Roger, passei pelos enormes corredores, até chegar na sala do mesmo, a porta estava entreaberta, e dava pra ouvir tudo o que eles estavam falando.

- Olha Mello, eu já te dei tantas chances, cansa sabia, cansa você ver que a pessoa não quer colaborar, você parece nunca aprender, ainda continua espancando os outros, Near foi a que mais sofreu na suas mãos, e você quase tirou a vida dela, se Near está com amnésia, e não se lembra de você, foi simplesmente por sua culpa. - Roger, disse sério.

Abaixei a cabeça, as palavras de Roger doeram um pouco em mim, eu me lembrei de Mello já tem uns três dias, me lembrei de todas as coisas que passei em suas mãos, de todos os momentos ruins, mas... também me lembrei daquele garotinho de 5 anos, que sempre brincava comigo, quando mais ninguém queria chegar perto de mim, por conta da minha personalidade neutra, e esse menino de 5 anos, eu vi ele me defender de Linda na sala, ele sempre foi o Mello.

Respirei fundo, e bati na porta, aparecendo logo em seguida.

- Near ?

Roger me olhou, sem entender, o que eu estava fazendo esse horário fora da sala de aula.

- Posso entrar ? - Perguntei.

- Pode, entre.

Entrei fechando a porta, atrás de mim.

- O que deseja Nate ?

- Falar a verdade. - Disse, séria.

Tanto Roger, como Mello, me fitaram sem entender.

- Quer ? Como assim ?

- Roger o Mello não teve culpa, ele me defendeu de Linda na sala, ela veio me chamar pra sair com ela, eu simplesmente não quis, ela começou a gritar e a xingar quem quer que fosse que eu gostasse.

Roger ficara surpreso, Mello me olhava surpreso também, talvez nenhum dos dois, principalmente Mello, espera-se que eu fosse fazer isso. 

- Near, isso que você está me falando é verdade né ? Você não veio aqui pra tentar aliviar a barra do Mihae... - Interrompi o mesmo, me sentindo ofendida.

- Já menti pra você alguma vez Roger ? E porque eu aliviaria a barra do Mello, eu só estou lhe contando a verdade do que de fato aconteceu. - Disse, olhando-o séria.

- Eu acredito em você Near, jamais pense que duvidei da sua palavra, eu só fiquei surpreso, bom, peço desculpas Mello, te julguei mal novamente, chamarei Linda agora mesmo, estão liberados. - Disse, nos olhando.

Assenti junto com o loiro, e saímos da sala em silêncio. Andamos até o bebedouro, peguei um copo enchi de água, levei a boca, bebendo lentamente, Mello não desviava o olhar de mim, um só segundo, eu estava começando a me sentir um pouco desconfortável com o olhar dele, meu coração acelerava de forma súbita em meu peito, sentia como se tivesse um festival de borboletas, dançando ula-ula na minha barriga, minhas mãos suavam friamente.

Coloquei o copo de volta no bebedouro, estava pronta pra sair, mas senti a mão do loiro, segurando o meu braço, impedindo-me de prosseguir. Prontamente olhei pra ele!

O mesmo estava corado, parecia acanhado, e sem jeito.

- Mello ?

Questionei, arqueando a sobrancelha.

- Near... obrigado, você foi muito corajosa, eu sinceramente não esperava pelo que você fez, e eu nem merecia... você sempre salvando a minha pele, eu t-também, também quero te pedir perdão, por todas as coisas que eu já te fiz, por toda dor que fiz você sentir... M-me perdoa Near... 

- Mello...

- Não! Não fala nada Nate, eu preciso que você só me ouça. Eu realmente preciso do seu perdão, jamais quis te machucar de verdade, e-eu só sou um babaca, um lixo inútil, e-e-eu...

- Para Mello! Eu não quero que você volte a falar assim sobre você, você não é um lixo, ninguém deve se sentir um lixo, cada um tem o seu valor, e eu sei que você tem muito valor Mello, você não é nenhum inútil, é tão inteligente quanto eu, se não for ainda mais que eu.

- Ah Near, por favor né, você é perfeita em tudo.

- Não Mello, ninguém é perfeito, aprenda isso, e sim, eu te perdoo. - Falei, com um leve sorriso.

Ele sorriu, um sorriso lindo e caloroso, se ele soubesse como fica lindo sorrindo desse jeito, por uns segundos me perdi em seu belo sorriso radiante, tão mais radiante que um sol reluzente.

- Obrigado Near.

Me agradeceu sorrindo muito feliz, abraçando-me logo em seguida, fiquei surpresa e um pouco estática, pelo repentino abraço, mas retribuí ao seu gesto com carinho.

- Mello. - disse, sorrindo.

Após nos separarmos um do outro, fomos para a sala conversando sobre a viagem, com um clima tranquilo e sereno sobre nós, e pela primeira vez desde muito tempo, não houve brigas, nem provocações por parte de ambos. Mello é um garoto legal, sempre soube disso, mas é o *meu* garoto legal. Roger chamou Linda pra sala dele, mas antes dela ir, fuzilou eu e Mello com o olhar, mas nem liguei, já Mello lhe lançou um olhar cínico, tive que segurar o riso, que ameaçava escapar pelos meus lábios a qualquer momento, Mello é realmente uma figura.


(Near pov,s off)


Notas Finais


😘✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...