História International Love History - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Atlantys Fanfics, Bangtan Boys, Bts, Chim Chim, Ilh, Jimin, Longfic, Park Jimin, Romance
Visualizações 1.418
Palavras 8.287
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AVISO: A história terá uma pausa de uma semana nas atualizações. Nesse tempo, estarei revisando alguns capítulos e assim que o prazo acabar, teremos maratona.

E antes que eu esqueça, quero agradecer a todos que continuam apoiando com comentários e palavras bonitas. Vocês fazem tudo valer a pena!

(Indicação nas finais).

Capítulo 60 - Conhecendo os Park's


Fanfic / Fanfiction International Love History - Capítulo 60 - Conhecendo os Park's

       O sábado chegou e eu acordei exatamente às oito e meia da manhã como pretendia. Coloquei em prática uma receita que eu tinha visto em uma revista de culinária coreana e de primeira acabei obtendo sucesso. Fiz biscoitos caseiros e ao ver como ficaram bons, resolvi acordar Jasmin para o café da manhã.

      Ela acordou totalmente mal humorada por ter dormido pouco naquela noite, porém ao ver os biscoitos logo animou-se. Enquanto assistia TV de frente para o pratinho e seu copo de leite na mão, eu escolhi nossa roupa e logo fui me arrumar. Tomei banho e logo vesti meu jeans escuro, uma blusa florida e coloquei uma sapatilha nude.

      Dei banho em Jasmin e logo a vesti sem demora assim que terminou de comer, pois eu não queria me atrasar. Para ela eu escolhi uma jardineira num tom claro de jeans, uma blusa cinza de bolinhas brancas, tênis e em seu cabelo eu coloquei uma tiara rosa claro. Terminei de arrumar sua mochilinha com seus pertences e quando faltava meia hora para o horário marcado, saímos de casa.

      Não, eu não sabia exatamente onde ficava aquele endereço que Jimin tinha me informado pelo celular. Digitei tudo no Google Maps e coloquei a versão Street View para entender melhor. Tirei um print da fachada da casa e logo liguei o GPS do celular para começar o caminho.

      Segui pela estrada e pelo tempo calculado pelo aparelho para aquela rota, notei que o lugar marcado não era tão longe de onde estávamos – e isso fez tudo parecer mais surreal ainda, pois estávamos tão próximos deles e jamais os achamos.

      Andando em baixa velocidade eu fui olhando o número de todas as casas, até que finalmente me deparei com a casa do print. A casa de número 20 era cercada por um muro que a rodeava por completo. Era branco e tinha uma cerca elétrica bem no alto. O portão era totalmente discreto e na frente da casa, o que chamou a minha atenção foi um bonito jardim na entrada.

      Conferi o número e o endereço... Era ali mesmo. Saí do carro que deixei estacionado na calçada, peguei Jasmin na cadeirinha no banco de trás e aproximei-me do portão com inocência. Respirei fundo com Jasmin no colo e com sua mochila em meu ombro, e apertei a campainha enquanto torci para que Jimin me atendesse.

      Olhei no relógio em meu pulso enquanto esperei ser atendida, e vi que era exatamente 9:50 da manhã. Eles certamente já estariam esperando por nós duas, então eu tinha certeza de que eles já sabiam que tínhamos chegado. Ao ouvir a campainha, já se dariam conta.

      Ouvi passos vindos de longe e logo em seguida, ouvi barulho de várias chaves balançando num chaveiro provavelmente. Uma delas foi encaixada na fechadura e nesse momento a porta foi destravada. Abriu-se aos poucos, porém não vi ninguém. Continuei ainda olhando desconfiada até que quando eu menos esperava...

      – Entre! Rápido, não demore! – Ouvi a voz de Jimin.

      Sem pensar duas vezes, eu entrei pelo portão e assim que entrei é que eu o vi. Eu não era acostumada com aquela realidade e de cara eu pensei que poderia ser exagero de Jimin ao ter falado comigo daquele jeito. Porém, ao me lembrar de tudo e ter pensado bem no assunto, me dei conta de que realmente poderia haver um fã ali por perto ou algum paparazzi.

      – Olá, meu amor! Você está muito linda! – Jimin pegou Jasmin de meu colo e a abraçou.

      – Oi, papai! – Ela sorriu.

      – Bom dia, Ashley! – Ele disse.

      – Bom dia, Jimin! – Assenti.

      – Tudo bem no caminho?

      – Sim. – Assenti. – Bom, antes de entrarmos eu queria saber se você chegou a avisá-los sobre...

      – Sim, eles já estão sabendo de vocês, pois eu já contei. E antes que pergunte, eles de fato ficaram chocados ao saber de Jasmin. Conversamos sobre isso, sendo assim eles reagiram positivamente ao saberem de muita coisa e estão ansiosos pra conhecê-la. – Jimin parecia empolgado.

      – Eles não...

      – Depois conversamos sobre isso, Ashley! Agora vamos entrando! Eu realmente estou muito ansioso para esse encontro! – Sorriu.

      – Tenho receio. – Falei ao me sentir muito nervosa.

      – Não fique assim! Vamos! Vai ver como será bem recebida e bem tratada por todos aqui! Não tenha medo! – Falou esperançoso.

      – Tudo bem. – Assenti.

      – Por aqui! Vemos indo! – Disse ele, levando Jasmin em seu colo enquanto eu o acompanhei.

     Ao seguir pelo caminho que Jimin me indicou, foi que eu finalmente reparei em sua casa. A casa era de dois andares, tinha uma garagem para dois carros e tinha um belo jardim e um gramado na frente. Seguimos pelo caminho de escadas até a porta principal e nesse momento, Jimin a abriu lentamente.

      Entrou primeiro, logo eu entrei também e ele a fechou. De cara eu olhei todos os detalhes daquela sala tão bem decorada e fiquei impressionada com o bom gosto e simplicidade. Ali era tudo muito grande, porém não seria o lugar que minha mãe elogiaria por ser tão cheia de exageros.

      – Por aqui! Estão nos esperando na cozinha! – Disse ele.

      Assenti totalmente nervosa e nesse momento, ao aproximar-me pude ouvir vozes vindas de lá, falando um coreano cheio de sotaques e totalmente fluente. Jimin foi na frente e logo que apareceu na frente de todos com Jasmin no colo, ele os saudou.

      – Chegamos!

      Nesse momento, seus pais e seu irmão pararam de conversar entre si e olharam pra nós. O sorriso no rosto deles foi gradativo e automático. Sua mãe levou suas mãos até o rosto ficando encantada e sorridente ao ver Jasmin, seu pai logo desligou o fogo da panela que ele estava usando e seu irmão, foi o primeiro a levantar-se e ir na direção de Jimin.

      – Olá! Eu... Eu sou seu tio! – Disse Jihyun, parecendo empolgado.

      – Ela não entende nosso idioma, está aqui há pouco tempo e ainda não consegue assimilar tudo. – Jimin riu da ingenuidade de seu irmão.

      – Olá! Tudo bem? – Jihyun disse em inglês.

      – Tudo bem! – Jasmin respondeu corada.

      – Ele é seu tio, meu amor! Dê um abraço nele! – Jimin disse.

      Nesse momento, Jasmin se jogou no colo de seu tio após seu pai ter pedido que ela fizesse tal coisa. Ficou sorridente ao estar num lugar novo, o abraçou e lhe deu os afagos que ele esperava receber. E como sempre, ela não evitou questionamentos.

      – Como você se chama? – Perguntou Jasmin.

      – O nome dele é Jihyun, mas você pode chamá-lo de titio se quiser! É mais bonitinho, não acha? – Jimin disse.

      – Vou te chamar de titio! – Ela repetiu, Jihyun entendeu pouco, porém mesmo assim assentiu animado.

      – E essa aqui é a sua vovó! Ela é a mãe do papai, sabia? – Jimin a pegou do colo de seu irmão e a levou até sua mãe.

      – Olá, vovó! Seus olhinhos são como os meus! – Jasmin disse, sorridente e animada com sua nova família.

      – Oh, meu Deus! Ela é exatamente como você quando pequeno! Puxa vida, mas que coisa linda! Eu não posso acreditar! – Sua mãe sorriu intensamente.

      – Mãe, ela não entende nosso idioma. – Jimin corou outra vez.

      – Olá! Como vai? – Ela arranjou no inglês.

      – Tudo bem, vóvó! – Ela respondeu.

      – Você é muito linda! Fico muito feliz em conhecê-la! É realmente uma princesa! – Ela disse quase emocionada.

      – Ela disse que você é uma princesa e te achou muito linda. – Jimin falou com Jasmin depois de sua mãe ter falado em coreano.

      – Obrigada! – Jasmin sorriu.

      – Eu realmente estou muito encantada! – A mãe de Jimin sorriu. – Eu não sabia que ela era exatamente como nós! Eu a imaginei com a feição da mãe dela ou então mais ocidental!

      – E para a sua surpresa ela é totalmente igual a nós!

      – É tão linda... – Sua mãe a admirou.

      – Agora vamos conhecer seu vovô, meu amor! Diga oi pra ele! – Jimin a pegou e levou até seu pai que estava perto da pia usando um avental.

      – Olá, vovô! Como vai? – Jasmin sorriu e acenou.

      – Olá, Jasmin! – O pai de Jimin a pegou no colo e ficou sorridente. – Puxa vida, você é linda! Muito linda! Filho, eu estou simplesmente pasmo com a aparência dela! É tão graciosa!

      – Ele também disse que você é linda! – Jimin traduziu.

      – Obrigada! – Jasmin sorriu. – Por que está chorando?

      – Oh, pai! Não chore! – Jimin sorriu abraçando seu pai que ficou emocionado ao ver sua netinha pela primeira vez.

      – Estou feliz por conhecê-la! – Seu pai sorriu com os olhos úmidos. – Eu sempre quis ter uma neta! Sempre sonhei com isso!

      – Ele está feliz por que você veio visitá-lo, aí está chorando, mas é de alegria! Ta bom, meu amor? – Jimin disse.

      – Se está feliz, precisa sorrir... – Ela disse.

      – Ela quer que o senhor sorria, pai! – Jimin disse.

      – Tudo bem, eu... Me desculpe! Eu fiquei nervoso e feliz ao vê-la!  Eu realmente não esperava por isso! – Seu pai passou as mãos pelo rosto e tentou secá-lo ao ficar totalmente emocionado com Jasmin.

      Ainda parada na porta da cozinha, eu vi toda aquela cena ali calada e destacada. Sim, ver a reação da família de Jimin me deixou completamente feliz e emocionada. A família tradicional coreana sempre era muito cuidadosa e cheia de valores que pra eles eram o mais importante. E foi justamente por isso que eu tive receios sobre as reações deles.

      Jimin e eu fomos apenas namorados, porém tivemos uma filha. Atualmente não estávamos juntos e só depois de muito tempo é que ele descobriu sobre nossa pequena. Não éramos uma família perante a lei. Simplesmente ele era o pai e eu a mãe, sem qualquer outro vínculo. Sequer nos casamos, mas nos relacionamos e acabamos tendo uma filha. Ao pensar sobre isso, eu não via problema, porém... Eu não estava nos Estados Unidos.

      Por estar em território coreano e vivendo sob todas as suas regras, eu sinceramente pensei que isso seria totalmente mal visto por eles. Porém, eles não se importaram com isso. Simplesmente, abraçaram Jasmin como mais um membro da família Park e pronto. Sem qualquer julgamento sobre o que Jimin e eu éramos ou fizemos no passado, eles a aceitaram. E o melhor... Se alegraram por ela.

      Ainda ali em silêncio olhando tudo, eu fiquei feliz. Observei aquele momento feliz que eles estavam tendo e simplesmente não me envolvi. Até que...

      – Vem cá! – Jimin olhou pra mim totalmente envergonhada.

      Eu estava me sentindo totalmente deslocada. A família dele eu não conhecia pessoalmente. Nunca tinha os cumprimentado. Do nada, apareci com Jasmin e sendo assim eu fiquei com receios. Ela era da família, eu não. E sendo assim, me vi excluída. Até que Jimin fez sinal com a mão me chamando e lentamente – e muito nervosa – eu aproximei-me totalmente corada.

      – Essa é Ashley! Ela é a mãe de Jasmin! – Ele disse, levando-me até sua mãe enquanto me segurou pela mão.

      – Puxa vida, você é tão linda quanto eu imaginava! Exatamente como nas fotos que Jimin nos mostrava! – Ela sorriu e me cumprimentou.

      – É um prazer conhecê-la, Sra. Park! Agora pessoalmente posso ver que Jimin é exatamente igual a senhora!  – Fiquei nervosa, porém com os olhos brilhantes ao ver como ela me acolheu e me recebeu bem.

      – É o que sempre dizem! Falam que somos muito parecidos desde que ele nasceu! – Ela sorriu simpática e seus olhos quase se fecharam.

      – Este é meu pai! – Disse Jimin. – Pai, essa é a Ashley!

      – Muito prazer em conhecê-la, Ashley! Seja bem vinda e saiba que estamos felizes em recebê-las aqui! – Ele sorriu e cumprimentou-me.

      – Eu também me alegro por ter sido tão bem recebida! Estou muito feliz por isso e desde já agradeço pelo carinho! – Sorri envergonhada.

      – E esse é o meu irmão ao qual tanto falei. – Jimin apontou.

      – Olá, Jihyun! – Sorri.

      – Olá, Ashley! Seja bem vinda!

      – Obrigada! – Sorri e fiquei admirada com sua aparência. – Puxa vida, você é muito parecido com seu irmão!

      – Você e Busan inteira pensam isso. – Ele sorriu. – Só não nos confundem mais porque o hyung pintou o cabelo e tem cara de mais velho!

      “Você e Busan inteira pensam isso.”

      Ao ouvir isso, eu simplesmente entrei em um universo paralelo ao ter certeza de que eu já tinha ouvido aquilo antes. Enquanto estava ali, eu simplesmente fiquei com os pensamentos longe ao ter escutado o que ele disse e enfim, eu acabei me lembrando.

      Quando sonhei estar fazendo uma vídeo chamada com Jimin e nosso filho, foi exatamente isso que Jihyun me respondeu quando eu falei sobre eles dois. As únicas diferenças, é que em meu sonho Jimin estava loiro e em meu sonho, nosso bebê era um menino.

      Totalmente chocada com a resposta dele eu fiquei boquiaberta, porém aos poucos eu fui voltando à realidade e continuei a responder sobre o que ele disse. Fiquei sorridente e muito admirada com toda a situação que eu estava vivenciando.

      – Imagino Jimin como você quando tinha seus quinze anos! Exatamente assim como você! – Sorri.

      – Ele realmente era exatamente assim, Ashley! Você está totalmente certa! – Disse Sra. Park.

      – Cachorrinho! Olha, mamãe! Um cachorrinho! – Disse Jasmin quando um pequeno cãozinho chegou perto de nós.

      – Mas que fofinho! – Sorri ao ver.

      – O nome dele é Chim Chim! – Jimin disse envergonhado.

      – O nome dele é Chim Chim? – Segurei uma risada ao ouvir o que o próprio Jimin nos disse.

      – Eu o ganhei quando o hyung estava longe. Eu me sentia sozinho sem ele, então minha mãe me deu o filhote. E como eu sentia muita falta do hyung, eu o nomeei assim. – Jihyun respondeu ingênuo.

      – Bela homenagem! Colocar o meu apelido no cachorro! É realmente uma maravilha! – Jimin riu.

      – Agora é tarde para reclamar do nome! – Jihyun riu.

      – Posso brincar com ele, papai? Posso? Posso? – Jasmin ficou animada e quis sair de se colo.

     Jimin olhou pra mim nesse momento como se pedisse permissão e eu assenti positivamente. O cãozinho me pareceu um pequeno Shih-Tzu, todo peludinho em tons de branco e preto na altura dos olhos. O pequeno Chim Chim parecia feliz ao correr pela cozinha e nesse momento que Jimin colocou Jasmin no chão, eles logo começaram a brincar.

      Correndo de um lado pro outro atrás do cãozinho, Jasmin começou a se divertir por ali, enquanto nós observávamos. Ela realmente era um amor de menina e cativava a todos. Não tinha como não estar sorrindo ao estar com ela e vendo seu sorriso de volta.

      – O chá está pronto! – Disse Sr. Park, após um tempo.

      – Oh, então vamos para a mesa! – Disse Sra. Park. – Venha, Ashley! Sente-se conosco e fique a vontade! Aqui temos sucos, frutas, bolos... Pegue o que quiser! Preparamos tudo para receber vocês! – Sorriu feliz.

      – Muito obrigada, Sr. Park! – Me curvei sutilmente.

      – Jasmin gosta de bolo?

      – Sim, ela gosta! Chame ela e lhe dê uma fatia! Vai ver como ela come rápido e vai ver ela pedindo mais! – Respondi.

      – Jasmin! – Ela chamou a pequena e lhe amostrou o bolo com uma cobertura bem apetitosa.

      Por não falarem o mesmo idioma, Sra. Park a chamou pelo nome e simplesmente apontou para o prato repleto de fatias de bolo esperando que ela fosse entender. Jasmin aproximou-se e automaticamente sorriu já vindo com a mão no prato.

      – É de chocolate? – Perguntou.

      – Sim! – Sra. Park respondeu ao entender.

      – Obrigada! Parece gostoso! – Jasmin sorriu ao pegar de sua mão a bela fatia de bolo.

      Nos sentamos à mesa e como todos imaginavam, Jimin sentou-se ao meu lado todo feliz comigo e com Jasmin. Até então eu não tinha visto nenhum problema com seu comportamento e com suas atitudes ali em frente a todos. Eu havia pedido que ele apenas me apresentasse como a mãe de sua filha, e foi o que ele fez. Não me chamaram de nora ou de cunhada, apenas me chamaram pelo nome e isso foi o que eu realmente havia pedido.

     Mas... Por ter-me ali junto à sua família e por eu estar sorridente, Jimin começou a querer me agradar na frente de todos. Nos últimos dias quando nos encontramos eu sequer lhe exibi um sorriso e naquele café da manhã eu estava animada. Ao ver isso, ele certamente pensou que estava tudo bem, então começou a aproximar-se de mim.

      Jimin me serviu na hora do café enquanto foi totalmente gentil. Na hora do almoço, pediu que eu lhe ajudasse com a sobremesa e depois de tudo, começou a contar um pouco de nossa rotina para seus pais – me colocando no assunto até mesmo sem perceber.

      Não, ele não estava forçando a barra. Jimin sempre foi assim muito gentil e eu o conhecia ele o suficiente para saber que aquele era o seu jeito. Porém, ao fazer isso ele me deixava totalmente envergonhada. Estando comigo o tempo todo e me tratando daquela forma, induzia aos seus pais que pra ele, eu não era só simplesmente a mãe de sua filha – como eu queria que pensassem.

     Me tratando daquele jeito Jimin me deixava balançada por estar tão perto como sempre desejei. Abalada. Apaixonada... Mas minha intenção era de não me envolver com ele novamente. Eu fui por Jasmin e voltaria pelo mesmo motivo. E mesmo que eu ainda tivesse sentimentos por ele, eu não queria deixá-los tão aparente. Porém, ao receber seu carinho inocente, eu não conseguia esconder.

       E isso, colocava tudo a perder.

      Ver Jimin me tratando assim começou a me deixar com raiva, pois desse jeito ele frustraria meus planos de deixar tudo no passado para evitar sofrimentos. Eu não queria sentir nada, mas sentia. Eu não queria pensar nada, mas pensava. E isso, estava me deixando totalmente irritada por tantas contradições.

     Já na parte da tarde, bem depois do momento que almoçamos, eu resolvi dar um banho em Jasmin – que já estava cheia de calor de tanto correr com o cãozinho – e logo depois, pensei em deixá-la cochilar um pouco.

      – Posso ajudá-la em algo com Jasmin? – Perguntou Jimin. – Agora eu realmente tenho a intenção de ajudá-la em tudo, já que nunca pude fazer isso antes.

      – Ajude ela na hora de desligar o chuveiro quando ela disser que terminou, eu vou pegar a mochila dela que deixei na sala com as roupas.

      – Tudo bem! Eu cuido dela! – Ele respondeu.

      Saí do banheiro enquanto deixei Jimin tomando conta da pequena e logo desci as escadas para buscar o que faltava. Ao chegar à sala, dei de cara com os pais de Jimin e ao me aproximar deles, fui abordada – positivamente, é claro.

      – Puxa vida, Ashley! Aquela sobremesa estava ótima! Muito boa mesmo! – Disse Sra. Park.

      – Obrigada! Torta de maçã é algo bem comum nos Estados Unidos! A maioria por lá sabe fazer! – Fiquei sorridente.

      – Pode nos passar a receita? – Sorriu Sra. Park.

      – Sim, eu tentarei ensiná-los! – Sorri. – Mas qualquer coisa, Jimin sabe fazer! Ele só precisa de uma supervisãozinha, mas fora isso ele sabe e caso eu não possa, ele poderá ensinar a vocês!

      – Ótimo! – Ela disse sorridente. – Pretendo adicionar no cardápio de sobremesas do restaurante! Pode ser algo diferenciado!

      – Verdade? – Sorri.

      – Sim! Uma torta dessa pode se tornar um atrativo para o restaurante! Não se acha receitas assim por aqui!

      – Vou anotar tudinho para a senhora, está bem? E te explico alguns detalhes para que possa fazer sem errar! – Sorri.

      – Ashley! Ela já acabou! O que faço agora? – Jimin gritou.

      – Faço isso depois que eu arrumar Jasmin, certo? Logo eu anoto e lhe dou! – Falei com ela.

      – Tudo bem, não tem pressa! – Sorriu como Jimin.

      Assenti e nesse momento rapidamente eu fui até as escadas com a mochilinha de Jasmin no ombro. Chegando lá, vi Jimin enrolando a pequena em sua toalha com capuz e orelhinhas de gato e sendo muito cuidadoso ao fazer isso por não ter prática.

      – Vamos até o meu quarto, será mais fácil para você vesti-la deitada na cama. – Jimin disse, enquanto pegou Jasmin no colo enrolada na toalha e ela deu risadas.

      – Tudo bem! – Assenti e o acompanhei.

      – É aqui! – Ele apontou e pediu que eu abrisse a porta, já que estava com as mãos ocupadas segurando Jasmin.

      – Só tem uma cama aqui? – Perguntei ao estranhar.

      – Sim. – Ele disse, colocando Jasmin deitada no colchão.

      – Você não dividia um quarto com seu irmão? Bom, ou ao menos era isso que eu me lembrei de quando falava sobre sua casa.

      – Na antiga casa, sim. – Ele disse. – Nessa casa, cada um tem o seu quarto e esse é o meu. Não fico muito por aqui por causa da rotina, mas quando tenho um tempo e estou em casa, esse é o meu cantinho.

      – Entendi. – Respondi secando Jasmin com a toalha. – Pegue dentro da mochila o talco e uma blusinha vermelha, por favor!

      Sentado ao nosso lado na cama, Jimin pegou a mochila e me deu o que eu tinha pedido. Enquanto eu arrumava Jasmin com muito zelo, ele simplesmente nos olhava de um jeito apaixonado, e eu... Me esforçava para ignorar e não levar a sério.

      – O que devo fazer agora? Eu posso ajudar?

      – Guarde essas coisas e pendure a toalha molhada enquanto eu prendo o cabelo dela. – Respondi.

      Jimin arrumou tudo como eu indiquei e em seguida, nós voltamos pra sala após Jasmin estar pronta. Por ter acordado cedo e por estar cansada ao correr tanto com o cãozinho, ela logo começou a coçar os olhos e a bocejar em meu colo. Sentei-me com ela no sofá junto com todos, e inevitavelmente começamos a conversar.

      – Jasmin já está na escola? Ou ainda é cedo? – Perguntou Jihyun.

      – Ainda não, mas em breve estará. – Sorri.

      – Qual é a idade dela exatamente? Isso o hyung não nos contou, pois nem ele soube precisar quanto tempo se passou.

      – Ela tem quase dois anos. – Respondi. – Um ano e dez meses, mais precisamente falando.

      – Já ensinou alguma palavra pra ela em nosso idioma? Ou ainda não? – Perguntou Sra. Park.

      – Ainda não, mas pretendo. – Sorri e assenti. – Quero que Jasmin aprenda em breve e mais para frente quero que aprenda muito mais!

      – Assim como você, não é? – Jimin sorriu.

      – Assim como ela? – Seu pai perguntou.

      – Ashley fala cinco idiomas além do seu. – Jimin respondeu.

      – Puxa vida! Meu Deus do céu! – Seus pais riram. – Quais?

      – Fora o inglês eu falo: espanhol, francês, coreano, japonês e alemão quase fluentemente.

      – Essa era a minha meta de vida, até que eu tentei aprender espanhol e fui um fracasso! Desde então, eu desisti! – Jihyun riu.

      – Tem que ser aos poucos! – Sorri enquanto arrumei Jasmin em meu colo totalmente sonolenta. – Eu fiz muitos intercâmbios ao longo de muito tempo e esse foi o intuito das viagens. Já fui à França, ao Japão, Espanha, Alemanha e eu já tinha vindo na Coréia do Sul também. Sempre fui para estudar os idiomas, por isso eu tenho tantos diplomas de curso hoje em dia. Meus pais sempre se preocuparam muito com meus estudos e sendo assim eu comecei ainda muito cedo.

      – Falando em estudos, como vai a faculdade? Ainda estuda na Columbia onde conheceu Jimin? Ou teve que parar por causa da pequena? – Sra. Park comentou.

      – Sim, por um tempo eu tive que afastar dos estudos, mas logo que eu pude não pedi tempo e já voltei o quanto antes. – Sorri. – Hoje em dia já sou formada. Antes eu era apenas uma estudante de direito, hoje em dia já sou advogada.

      – Meus parabéns! Advogada aos 21 anos não é pra qualquer um! É um feito e tanto! Seus pais devem ser orgulhosos! – Disse Sr. Park.

     – Obrigada! E sobre meus pais, sim, eles são muito! – Sorri. – Já me formei, porém pretendo continuar estudando para fazer especializações. Ainda não sei se pretendo ser advogada ou se quero evoluir à promotora ou desembargadora.

      – Não pretende ser uma juíza? – Sorriu Sr. Park.

      – Isso eu já considero um pouco demais. – Sorri. – Na verdade, eu queria o meu próprio escritório, mas hoje em dia eu me vejo em dúvida sobre como prosseguir.

      – É uma ótima profissão! Um bom futuro lhe espera, eu tenho certeza! – Sorriu Sra. Park.

      – É o que meus pais sempre dizem. – Sorri e ao ter mexido a cabeça rapidamente ao dar uma risada, o coque que eu tinha feito no cabelo desmontou e meu cabelo ficou solto na direção do meu rosto. – Eles dizem que coisas grandiosas... – Dei uma pausa e sacudi a cabeça para afastar aquela mecha. – Me esperam mais para frente. – E mais uma vez... Eu sacudi a cabeça por estar com as mãos ocupadas segurando Jasmin.

      – Não se preocupe! Eu prendo pra você! – Disse Jimin.

      Nesse momento, ele foi para trás do sofá calmamente. Pegou os meus cabelos delicadamente, jogou pra lá e pra cá, os juntou num rabo de cavalo e logo fez o mesmo penteado que estava antes. E isso, me fez lembrar do dia que eu passei mal no banheiro por conta do remédio. Antes do banho, Jimin prendeu meu cabelo daquele jeito depois que vomitei e ao fazer de novo... Eu acabei lembrando totalmente.

      Suas mãos eram pequenas e delicadas, eram tão macias que ao mexer em meu cabelo eu tive vontade de fechar os olhos ao receber seu carinho. Jimin prendeu do jeito que sabia fazer e logo voltou ao meu lado com um sorriso de satisfação no rosto.

      – Pronto! Está arrumado! – Ele disse, prendendo uma mecha que se soltou atrás de minha orelha.

      Nesse momento, eu tive raiva por desejá-lo tanto. Eu não queria aproximação, muito menos na frente de todos ali. Seus pais já nos olharam com sorrisinho intencional desde que cheguei com Jasmin, e a todo o momento que Jimin e eu estávamos muito próximos, eles ficaram ‘felizinhos’ ao nos ver juntos.

     Se eles gostaram de mim? Sim, isso ficou claro com o tempo. E ao me ver com seu filho então... A felicidade deles ficava mais óbvia ainda. Eu poderia notar isso, e sinceramente, se fosse antes eu morreria de amores pela aprovação deles. Agora, isso estava fora de cogitação.

      Ao fazer isso, Jimin sorriu e seus pais ficaram com corações nos olhos ao ver como ele foi cuidadoso comigo enquanto eu estava com Jasmin. Porém eu, simplesmente demonstrei que não me agradei. Eu disse para que ele não fizesse aquilo, e ele fez – bem na frente de seus pais.

      – Posso colocá-la para dormir lá na cama? Aqui em meu colo ela ficará de muito mau jeito ao ficar deitada. – Perguntei e expliquei.

      – Sim! Quer que eu arrume lá em cima? – Perguntou Jimin.

      – Sim! Por favor! – Concordei.

      Um pouco depois que ele saiu, levantei-me com Jasmin no colo e segui com Jimin até seu quarto. Ele abriu a porta e logo foi arrumar a cama para que eu pudesse deitá-la. Diminuiu a luz do quarto e quando tudo já estava pronto, eu aproximei-me e coloquei Jasmin deitada. A arrumei, a cobri e depois disso... Não me aguentei.

      – Você quer parar de ficar atrás de mim o tempo todo?

      – O quê? Ficar atrás de você? – Me olhou assustado.

      – Eu não quero aproximação! Quantas vezes tenho que dizer isso? Lembre-se! Eu não estou aqui por você! E se você planeja tentar algo, vai perder seu tempo! Já estou avisando!

      – Ora, mas o que eu fiz? O que houve?

      – Coloca na sua cabeça que eu sou somente a mãe da sua filha e não sua pretendente! Faça isso e de resto, não precisa se preocupar! – Dei as costas e saí do quarto.

     Puxa vida, por que ele estava fazendo aquilo? De primeira eu pensei que era o jeito de Jimin – e até era, de certo modo – porém ele estava se aproveitando da situação para aproximar-se de mim. Ele sabia que na frente de seus pais eu não faria nada, então por isso ele estava se aproximando cada vez mais.

      Ainda totalmente irritada, eu voltei para a sala, mas procurei me controlar ao menos um pouco. Jimin voltou depois e novamente sentou-se ao meu lado, porém dessa vez ele se comportou. Parecia levemente zangado, mas mesmo assim ele manteve discrição na frente de sua família.

      Continuamos nossa conversa na sala e um tempo depois, Sr. e Sra. Park resolveram preparar um lanche para todos nós. Ofereci ajuda, porém eles recusaram e arrumaram tudo sozinhos. Fiquei ali apenas esperando e ao aprontar tudo, eles nos chamaram na sala. Jihyun foi primeiro a ir e quando eu levantei-me, Jimin foi atrás.

      – Até quando você vai ignorar minhas explicações? Será que você não tem interesse em saber? Vai mesmo continuar se comportando assim, Ashley? – Falou baixo.

      – Eu já disse que não preciso delas e de nada que venha de você. – Respondi totalmente indiferente e com raiva.

      – Precisa sim! Mas é claro que precisa! – Ele disse. – Você precisa saber que está com pensamentos errados sobre mim e precisa parar de me tratar como se eu fosse a pior pessoa do mundo! Está sendo injusta ao reagir assim!

      – O que eu preciso é que você não se aproveite da situação para se aproximar de mim! Pensa que eu não estou entendendo tudo? Está se comportando assim porque então?

      – Você está impossível! É totalmente impossível conversar com você agora! Está irredutível! – Reclamou enquanto seguimos pelo corredor.

      – E você não?

      – Pare de me tratar assim! Puxa vida! – Entristeceu-se. – Eu estou disposto a falar tudo pra você para que me entenda! Eu quero mudar tudo e você nem sequer olha na minha cara!

      – Assim como você fez comigo e com sua filha no fansign. – Respondi e chegamos à cozinha.

     Mudei minha expressão de raiva quando me encontrei com todos ali, e o mesmo fez Jimin. Mesmo tendo ficado com raiva pela sua insistência, eu procurei me acalmar e tratar todos com muita simpatia. Conversamos tão agradavelmente que eu até acabei me sentindo em casa e parte da família com todos eles – e isso, foi algo que eu pensei que não aconteceria.

     Perto de cinco da tarde, resolvi que era hora de fazer a mamadeira de Jasmin. Ela já dormia há um tempo e já estava na hora de acordar. Preparei tudo com o leite quente e enquanto ela esfriava, eu decidi ir até o quarto buscá-la – pois pelo horário, já deveria acordar.

      Subi as escadas distraidamente e ao chegar ao corredor, eu comecei a prender meu cabelo num coque alto. Nesse momento, ouvi um barulho atrás de mim e quando eu fui olhar para trás, só o que eu vi foi Jimin me segurando pelo braço e me puxando para dentro de um quarto que não era o seu – e por ter somente uma cama de solteiro, percebi que era o quarto de Jihyun.

      – O que você está fazendo? Está ficando maluco? – O fitei assustada.

      – Você vai me ouvir e vai ser agora! Eu já estou farto de ser ignorado por você com essa história toda! Não pense que vai me tratar assim pra sempre! – Ele trancou a porta e tirou a chave.

      – Pare com isso! Abra essa porta agora! Eu preciso sair daqui e não quero ficar onde você está! Está me ouvindo?

      – Precisamos conversar! Pare de ser teimosa ao menos um pouco! Está sendo muito injusta ao me tratar assim! – Ele disse.

      – Não, eu não tenho nada pra conversar contigo! Eu não quero assunto com você! Eu já quis por muito tempo, mas agora eu cansei! Muito tempo passou e eu estou farta de tudo!

      – Se não tem nada a dizer ao menos me escute! Faça apenas isso e é só o que eu te peço! Apenas me ouça! Me dê essa chance!

      – Por que se importa tanto com isso agora? Hein? Por que quer que eu te veja com outros olhos? Isso não vai adiantar nada! Você quer fazer tudo ficar bem entre nós quando você sabe que será momentâneo! Você sabe que estamos condenados a ficarmos separados! Nos separamos antes e agora acontecerá o mesmo!

      – Eu me importo tanto com isso, porque você me julga sem saber o que houve! Não, talvez não adiante mesmo! Realmente eu acho que isso não vai dar em nada! Mas eu preciso que saiba! Se não quer se aproximar de mim, tudo bem! Mas ao menos quero que você tenha consciência de que eu não sou o que você pensa! Tenha consciência de que está sendo injusta!

      – Esqueça o que eu penso ou deixo de pensar sobre você! Isso não é importante! Se já foi, deixou de ser! Quem sou eu pra você ter que se importar com minha forma de pensar? Hein? Eu não sou nada sua! Sou apenas a mãe da sua filha! E é disso que você não está se dando conta!

      – Quem você é? Realmente quer que eu diga quem você é? – Ele disse, impaciente e alterado.

      – Diga! Reconheça que sou apenas a mãe de sua filha!

      – Você é o amor da minha vida! – Parecia desesperado para fazer tudo ficar bem entre nós.

      – Pare de dizer isso! Pare! Pare de ficar preocupado comigo e preocupe-se com sua filha! Jasmin é quem merece sua atenção! Ela é o meu motivo para estar aqui e ela deveria ser também o foco de todo o seu carinho e amor! Preocupe-se com ela e não comigo!

      – Como eu poderia não me preocupar contigo? Você sempre foi tudo pra mim e continua sendo! Sei que está magoada comigo, mas por favor, me escute! Me dê uma chance! Eu quero que entenda tudo! Não seja injusta comigo ao se comportar assim! Eu me preocupo contigo! Por mais que não acredite, eu me preocupo!

     – Pare de falar isso! Por favor, pare! Me tire de seus pensamentos de uma vez e aproveite seu tempo com sua filha! Faça isso para não se arrepender mais tarde! Aproveite enquanto você a tem aqui contigo, por que dentro de três dias eu estarei indo embora!

      – Embora? O que, mas como assim? Vão embora? Não vieram para ficar? – Arregalou os olhos.

      – Sim, nós duas iremos embora de volta para os Estados Unidos e se eu fosse você aproveitaria a presença dela enquanto ela ainda está aqui! Ela é o que deve ser mais importante pra você e você tem pouco tempo! Me esqueça e foque na sua filha! Lhe de atenção enquanto pode! Por que dentro de alguns dias nós partiremos e você ficará sem ela por muito tempo!

      – Não! Não! Não, não, não, não! Você não pode ir embora! – Jimin desesperou-se. – Vocês não podem ir embora! Eu... Eu preciso de vocês aqui! Vocês não podem ir embora! Por favor, me diga que isso é mentira! Diga que está mentindo pra mim para me deixar triste!

      – Aproveite seu tempo! Isso é tudo que eu tenho a dizer!

      – Eu não vou aguentar perder você de novo! – E por ser tão emotivo e sentimental, Jimin começou a chorar. – Eu não posso te perder de novo! O que eu farei sem você? O que... Não, você não pode ir embora! Eu não aguento isso mais uma vez! Eu não sou assim tão forte! Por favor, não faça isso!

      – Você poderá ver Jasmin quando quiser, eu não impedirei nada. Pode ligar quando quiser, pode fazer chamadas de vídeo, ou então quando tiver a oportunidade de ir a Manhattan... Fique a vontade para visitar sua filha. Ela apenas estará longe, mas sempre estará disponível quando você quiser vê-la ou falar com ela. Eu não a omitirei, não a afastarei de você. Mas é comigo que ela vai ficar, então é assim que tem que ser.

      – Pare de falar só em nossa filha! Pare de fingir que não sabe o que quero dizer! Eu quero vocês duas aqui comigo! As duas! Pare de falar só nela, porque eu também quero que você fique! Eu quero poder cuidar de vocês, eu quero vocês perto de mim! Por favor, não faça isso! Não me deixe! Não se separe de mim! Vocês são minha família!

      – Não! Sua família está aqui e é com eles que tem que ficar! Minha família está nos Estados Unidos assim como toda a minha vida e é pra lá que eu vou com minha filha!

      – Sim, eu também tinha minha vida aqui! Abandonei tudo e fui pra lá começar do zero! Qual é o problema? O que há de errado em arriscar? O que há de errado em começar de novo? Me diz!

      – O problema é que você é você, e eu sou eu! Não é porque você já fez que eu tenha que fazer igual! Cada um decide tudo sobre as próprias vidas, e se você escolheu ser quem é hoje... O mesmo eu posso fazer!

      – Eu a proíbo! – Ele disse, chorando e completamente desolado. – Eu a proíbo de me deixar! Você não pode se afastar de mim novamente! Eu não vou aguentar outra decepção como essa! Eu não vou aguentar te perder de novo! Por favor, fique! Fique! Eu imploro que fique!

      – De nada valem suas proibições! Não precisa ficar desse jeito, eu já disse que você e Jasmin não perderão o contato! Não precisa sofrer tanto! Calma! Ela estará disponível para você quando quiser! Tenha isso em mente!

      – Por que você fala só dela? – Perguntou indignado. – Por que não se inclui nos meus pedidos? Hein? Por que insiste em falar somente de Jasmin?

      – Porque eu não te amo mais e não tenho qualquer interesse em estar contigo outra vez! – Falei alto.

      – O quê? – Falou com os olhos arregalados.

      – Era isso que você queria ouvir? Pois então! Agora já teve sua resposta e agora quem sabe você consegue entender as coisas! – Falei com as mãos trêmulas de nervoso.

      – Está mentindo! Eu sei que está mentindo! Não acredito em você!

      – É verdade! Como acha que eu conseguiria sustentar meus sentimentos depois de tanto tempo? Como acha que meu amor sobreviveria a tantas decepções? Eu sofri tanto que você não pode nem imaginar! Isso tudo teve a ver com você e eu simplesmente não consegui seguir adiante com todos os meus bons sentimentos!

      – Não diga mentiras para me ferir, Ashley... – Lamentou.

      – Terminamos quando você foi embora e antes disso você me fez prometer que não pararia minha vida por você.

      – Você disse que nunca deixaria de me amar ou me esqueceria. – Chorou me olhando.

      – E você disse que voltaria pra mim. – Respondi completamente abalada com toda aquela conversa.

      – Isso não pode ser verdade! Não pode ser verdade! Você está mentindo pra mim! Está mentindo para poder me atingir! Mas quer saber? Você não vai conseguir, porque serei mais forte do que isso!

      – Não estou mentindo. – Eu disse.

      – Pare de dizer isso, pare! Pare de falar essas coisas!

      – Essa é a verdade. – Eu disse sem nenhuma emoção.

      E foi justamente nesse momento, que Jimin me colocou contra a parede. Aos poucos ele colou minhas costas na parede do quarto de seu irmão e sendo assim, ele parou em minha frente. Segurou em meu rosto com as duas mãos e me fez olhar dentro dos olhos dele nesse instante – quando só o que eu queria era ficar longe por estar tão triste.

      – Então diga isso olhando dentro dos meus olhos! Repita o que acabou de dizer pra mim olhando em meus olhos! – Ele me colocou cara a cara com ele.

      – Pare com isso! Pare com isso agora, Jimin!

      – Diga! Diga olhando em meus olhos que você não me ama mais! Diga e eu solto você agora!

      – Pare com isso! Me solta!

      – Diga que não me ama mais! Fala que tudo acabou e que você não sente mais nada! Fala isso pra mim! – Aumentou o tom de voz.

      – Não faça isso comigo! Por favor! – Senti meus olhos lacrimejando enquanto senti meu coração partido.

      – Diga que não me ama mais! Se essa é a verdade, então confesse isso pra mim agora mesmo!

      – Pare, Jimin! Por favor, pare! – A tristeza foi me tomando.

      – Fala! – Ele disse, ainda cara a cara comigo. – Onde fica sua coragem agora? Hein? Onde fica todo o seu ódio ao me ter tão perto? Como fica seu coração em estar assim colada comigo?

      – Me solte! Por favor! – Eu disse.

      – Me diga que não sente nada ao me olhar desse jeito! Diga que não sente nada ao ter seu corpo tão colado ao meu! Diga que não me ama se é essa verdade!

      – Eu não consigo! – Falei alto e desabei.

      E foi nesse momento que eu não segurei mais minhas lágrimas. Nervosa, pressionada e com os sentimentos a flor da pele, eu simplesmente não consegui dizer aquilo tudo para afastar Jimin. E isso, o fez entender que tudo era mentira.

      – Eu não consigo falar isso pra você, eu não consigo... Eu não consigo dizer isso! Eu não... Não consigo dizer isso... – Chorei olhando em seus olhos.

      – Eu sabia que era mentira! – Ele soltou meu rosto e me deu as costas ainda nervoso e alterado.

      – Não me faça dizer tal coisa... Por favor, não me faça dizer isso... Eu não consigo... – Chorei sozinha.

      E nesse momento, enquanto eu chorava com as mãos tampando o rosto e sentindo um enorme amargo na garganta... Jimin lentamente me abraçou pela cintura. Seu toque foi totalmente suave e foi tudo que eu queria. Foi lento e amoroso, cuidadoso e totalmente cativante.

      Acho que se algo pior tivesse acontecido ali, eu não teria me sentido tão mal. Jimin apenas me obrigou a falar o que eu dizia ser verdade, mas isso me aterrorizou tanto, que eu perdi toda a coragem que eu tinha. Falar aquilo foi a destruição de meu coração anunciada, e sendo assim eu não poderia continuar.

      – Está tudo bem... – Ele disse. – Por favor, pare de chorar! Não precisa dizer nada! Eu só... Me desculpe, eu só queria que dissesse a verdade!

      Olhar nos olhos de Jimin me fez ficar em lágrimas. Ele não me tocou, machucou ou fez algo do tipo, apenas ficou em minha frente e pediu muitas vezes que eu falasse o que eu tinha para falar. Mas encará-lo me deixou totalmente triste.

      Eu fiquei nervosa e totalmente descontrolada por ter que assumir algo que não era verdade. Não, eu não disse a verdade... O que eu afirmei era mentira sobre meu amor por ele. Eu o amava sim, porém estava decidida a não afirmar isso. Mas... Ao olhar em seus olhos... Eu simplesmente me acovardei de continuar com meus planos.

      – Shhh... – Ele disse, abraçado comigo. – Fica calma, amor! Está tudo bem e nada lhe acontecerá enquanto estiver comigo! Por favor, amo! Não chora! Eu estou aqui!

      Amor... 

      Ao ouvir Jimin falar desse jeito comigo, eu simplesmente voltei a derramar lágrimas com frequência por ser sentido a sinceridade em sua voz. Minha pose de durona e minha coragem foram levadas pelo vento e naquele momento, eu denunciei todos os meus sentimentos. Me abracei com ele e procurei conforto como sempre fiz.

      – Tem um banheiro no primeiro corredor a direita. – Me explicou. – Vá até lá, lave o rosto e se acalme... Pode deixar que eu vou acordar Jasmin, está bem?

      Nesse momento eu assenti passando as mãos pelo rosto, ainda muito nervosa e com as pernas trêmulas do tanto que fiquei desnorteada depois daquilo. Ainda de cabeça baixa e em silêncio eu fiquei ali, até que Jimin prendeu uma mecha do meu cabelo atrás da orelha com muito carinho e voltou a falar comigo.

      – Vai lá! Eu vou buscar a pequena no quarto e depois disso vamos lá pra baixo ficar perto de todos! – Disse ele.

      Nesse momento, eu aceitei e concordei. Dei as costas pra ele e segui até o lugar que ele me indicou. Chegando lá eu prendi meu cabelo novamente, lavei o rosto e depois de um tempo pegando um fôlego, eu resolvi voltar. Seguindo pelo corredor até o quarto, eu escutei a voz de Jimin vindo da sala, então percebi que ele já estava lá em baixo com Jasmin.

      Desci as escadas com uma expressão mais feliz e ao chegar lá, dei de cara com todos no sofá – inclusive Jasmin, que estava bebendo sua mamadeira deitado no colo de seu pai. Além de já estar lá em baixo, Jimin já tinha dado a ela sua mamadeira e assim adiantou tudo que eu precisava fazer.

      Arrumei suas coisas em sua mochila e só esperei ela acabar para irmos embora. Uma tempestade estava prestes a cair e eu não tinha a intenção de chegar tarde em casa por causa do congestionamento na estrada. Então, sendo assim eu quis adiantar tudo logo para poder nos prevenir.

      Ao terminar sua mamadeira, eu a peguei e fui lavar para guardar dentro da mochilinha. Fui saindo aos poucos de perto de todos e foi bem nesse momento Jimin chegou à cozinha – quando eu me distanciei e fiquei sozinha.

      – Posso perguntar uma coisa? – Ele disse.

      – Sim. – Falei um pouco sem jeito.

      – Não há nenhuma chance de vocês ficarem aqui?

      – De novo com esse assunto? – Lamentei.

      – Eu posso mantê-las aqui! Eu posso cuidar de vocês mesmo estando longe! Minha família estará aqui por vocês, não precisará se preocupar com nada! Nada lhes faltará e estando aqui, Jasmin poderá ser alfabetizada em dois idiomas na escola bem como você e eu desejamos! Estará perto de todos nós e estará vivendo em boas condições! Eu as manterei da melhor forma possível!

      – As passagens já estão compradas. – Falei totalmente cabisbaixa.

      – Venda! – Ele disse. – Venda as duas passagens e fique! Venda as duas! Puxa vida, será um sonho realizado se vocês puderem ficar! Eu realmente faria de tudo por vocês, as manteria com tudo que merecem e sem contar que... Estarão mais perto de mim sempre! Estaremos juntos sempre que possível! Pense nisso!

      – Eu não posso... – Lamentei. – Tudo já está certo, tudo já está planejado! Já falei com meus pais e eles já estão com tudo preparado para a nossa volta... Estão com saudades e totalmente ansiosos com esse dia! Eu fiz uma promessa e não quero decepcioná-los!

      – Pense no melhor a fazer! Eu conheço seus pais e sei que mesmo que você não faça o que eles querem, se afirmar que é o que você acha melhor, eles vão te apoiar! Tente! Converse com eles e lhes explique se é isso que você quer! Podemos resolver juntos!

      – Não é assim, Jimin... Não é tão fácil como parece aos seus olhos! Quem dera se fosse, mas não é. Você vê tudo com simplicidade, quando na verdade nada é tão simples como poderia ser.

      – Eu só quero achar uma maneira para fazer vocês ficarem... Eu quero muito tê-las aqui por perto! Quero Jasmin aqui, e... Quero você! Quero tê-la sempre ao meu lado, amor! Sempre! Jamais quero me afastar novamente!

      E novamente Jimin me chamou de amor...

      Puxa vida, eu sentia vontade de chorar ao ouvir ele me chamando daquela forma. Eu simplesmente não soube lidar com seus sentimentos ainda tão fortes após tantos anos. E isso, confesso que me deixou totalmente balançada e apaixonada.

      – Talvez depois de um tempo eu possa voltar, talvez nas férias... Ou talvez eu volte para ficar, mas agora não. Minha vida está lá e eu não vim preparada pra isso. Não posso mudar tudo assim de uma hora pra outra e você precisa entender isso... – Lamentei.

      – Mesmo assim eu irei sustentar a ideia de que você ficará! Enquanto você estiver aqui eu terei esperanças! Eu sei que pensará no melhor a fazer! Sei que pode mudar de ideia e sendo assim, ficarei muito feliz caso aconteça! – Disse.

      – Isso não vai acontecer... – Lamentei. – A propósito, estaremos viajando daqui a dois dias e esse é todo o tempo que temos aqui.

      – Segunda feira? Assim tão rápido? – Perguntou.

      – Às sete da noite.

      – Oh, não! Mas que droga! Não posso acreditar! – Lamentou.

      – O que foi?

      – Tenho que me apresentar na segunda pela manhã ao studio de ensaio da empresa, faremos fan meeting por Seul e Incheon no próximo final de semana e... O ensaio é até as nove da noite para que tudo saia impecavelmente bem.

      – Eu sabia que de qualquer forma você não poderia ir até o aeroporto com a gente, mas não imaginava que nem iria nos ver no dia.

      – Eu vou um dia antes! Eu prometo que irei até sua casa um dia antes da viagem para vê-las! Ainda teremos mais um encontro, eu prometo a você que farei o possível!

      – Amanhã? – Perguntei.

      – Sim, amanhã à noite! Posso?

      – Pode. – Eu disse.

      – Certo!

      – Agora eu preciso ir antes que chova. – Falei lamentando.

      – Só vou buscar um presente que tenho para Jasmin e logo eu volto para que você possa adiantar sua volta pra casa! – Sorriu.

    Assenti e segui até a sala enquanto Jimin foi até outro lugar dentro de casa buscar o que tinha prometido. Já com a mochilinha de Jasmin no ombro e segurando-a pela mão, eu caminhei com todos até a porta de entrada e foi nesse momento que ele voltou com pressa.

      – Jasmin! Olha só o que o papai comprou pra você! – Ouvimos Jimin falar com ela enquanto veio para o lado de fora de casa.

      Nesse momento, eu vi Jimin aproximando-se com um balão de gás hélio em formato de flor – e era rosa, com o miolo amarelo – exatamente como o que ele tinha prometido a ela quando se viram em nossa casa. Eu sabia que ele deve ter procurado muito aquela flor – ou então, mandado fazer. Mas foi ao vê-la, que eu entendi que era uma Jasmim.

      – Uau! Que bonita! – Jasmin sorriu.

      – Do jeito que você pediu! – Ele abaixou-se em sua frente e colocou a fita que segurava o balão amarrada em seu pulso.

      – Obrigada, papai! – Jasmin sorriu e o abraçou.

      – Gostou? – Perguntou ele.

      – Gostei! – Sorriu animada com o presente.

      E foi após isso, que começamos a nos despedir de todos o quanto antes. Os cumprimentei curvando-me e apertando as mãos deles enquanto Jasmin passou de colo em colo abraçando todos. Depois de muito carinho que recebemos em meio aquela família, finalmente fomos embora sorridentes e muito felizes. Agradeci pela ótima recepção que tivemos e depois, fui andando com Jasmin até o lado de fora. Chegando lá, a coloquei na cadeirinha, entrei no carro e logo voltamos pra casa rapidamente.

      Foi tudo bem na volta e assim que chegamos em casa, eu simplesmente fiquei olhando pro teto deitada em minha cama enquanto lembrei de tudo. E ao lembrar de cada momento, lembrei-me de quando Jimin disse que nos visitaria na próxima noite. E aquela visita... Seria a última antes de pegarmos o primeiro voo direto para Manhattan.


Notas Finais


Venham conhecer a história do Tae Tae!

Sinopse: Apaixonada por um garoto comprometido e condenada a um romance impossível, Lyn – a valentona mais atrapalhada da escola – sempre soube que jamais conseguiria tê-lo para si. Porém, com o baile de inverno da escola a caminho, só o que ela desejou foi ter seu grande amor como seu par apenas por uma noite antes da formatura. Porém o que ela conseguiu foi bem mais importante e significativo do que desejava.

História: I just need a chance

Link:https://www.spiritfanfiction.com/historia/i-just-need-a-chance-13432592


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...