História Its Gets Better With Time - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga)
Tags Auto Ajuda, Depressão, Minight, Namgi, Sugamon
Visualizações 136
Palavras 1.530
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa fanfic é mais como uma auto-ajuda para todos que precisam. As vezes é bom que as pessoas vejam que antes de querer se matar, sempre tem alguem ali pensando nela.

É uma fanfic mais para eu mostrar o que penso do que realmente uma história.

Capítulo 1 - Capitulo Único


Yoongi já tinha preparado tudo. Já tinha feito a carta; comprou os remédios; comeu sua última refeição do dia; tomou seu último banho; viu seus desenhos favoritos; produziu sua última canção como produtor; arrumou sua cama. Tudo estava pronto, só faltava uma coisa: Sua morte.


 

Era possível notar que ele temia por aquilo, mas era perceptível, também, que o moreno já não aguentava mais. Ele simplesmente pegou o remédio em cima de bancada e uns oito foram parar em sua mão. O pequeno moreno cansado da vida, mesmo tão deprimido e exausto, não conseguia espontaneamente colocar os remédios em sua boca e engolir todos de uma vez. Era como se ele estivesse se esquecendo de algo especial, e por isso se impedia de fazer tal ato, mas não se lembrava do que.


 

Afinal, Yoongi não tinha nada na vida. Não tinha o apoio de seus pais a muito tempo; seus amigos foram embora com o tempo, enfim resolvendo suas vidas, e mesmo que sempre dissessem que estavam ali para ele, o Min sabia que nunca estariam; seu namorado, tinha viajado por longos meses e não o ligou em nenhum momento; seu trabalho estava saindo um fiasco e não conseguia entregar-lo pro grande grupo que trabalhava. Tudo o que Yoongi mais amava estava se perdendo e fugindo de si.


 

Olhando para os remédios em sua mão, o moreno não percebeu que alguém abriu a porta de casa, pessoa esta que estava louca para correr para os braços de seu amado, dar um beijo em si e enfim dormir de conchinha. Namjoon tinha feito uma viagem extensa para lançar seu novo livro, e com isso, ficou uns longos meses naquele lugar, em busca de fazer algo perfeito que agrade seus imensos fãs.


 

Namjoon mal sabia que enquanto subia as escadas, seu amado enfiava um remédio de cada vez em sua boca, pronto para quando finalizar de por todos, engoli-los. Mesmo o loiro mais alto estranhar toda a arrumação não costumeira do moreno, achou que ele só procurava fazer alguma coisa para buscar inspiração ou não ficar entediado, já que o namorado quase não saia de casa.


 

Namjoon esperava mil coisas, mas não esperava ver a cena do seu amado enfiando tarjas pretas em sua boca, com um rosto sereno, que na visão do loiro mais alto, era como se já não tivesse mais vida. Quando Yoongi viu Namjoon, ele cuspiu toda o remédio que já quase descia sua garganta; ele não conseguiria fazer aquilo com o namorado o olhando com um olhar marejado e desacreditado.


 

O escritor não conseguia falar vendo aquela cena,

havia dentro de si tantas emoções, que não conseguia se mexer, era uma mistura de alívio, tristeza, decepção, raiva e vários outros que nem ele sabia que existia. O mais alto engolia o choro como podia, mas era nítido para Yoongi e até mesmo para si que não estava aguentando por muito tempo. Já o moreno, ele se sentia culpado, culpado por causar essas emoções em seu amado, e principalmente, se sentia triste consigo mesmo por ser tão inútil.


 

— Y-Yoongi, p-por quê?. — A voz trêmula de Namjoon entrou no ouvido do Min e batucou em seu cérebro, como uma demonstração do quão errado suas atitudes estavam sendo nos últimos tempos. O Kim perguntou mais uma vez ao mais velho, não obtendo resposta do mesmo novamente.


 

— Olhe para mim, você iria fazer isso mesmo comigo? com seu irmão, com seus amigos, com todo mundo que te ama de verdade?. — Yoongi percebeu a falta do nome de seus pais na boca do namorado, e isso o fez mais mal ainda. Seus pais nunca o amariam, porque era um fardo e irritante demais para ser amado.


 

— Sim. Iria. — Sua voz rouca e firme assustou Namjoon mais do que deveria, tornando a deixá-lo desnorteado e fazê-lo cair no chão frio do quarto. Ele iria mesmo perder o amado se não tivesse chegado. Isso o assustava.


 

— Você ainda pretende fazer isso comigo, amor?. — Docemente, o escritor perguntou. Ele poderia ter impedido Yoongi, mas queria ter certeza se aquilo se repetirá novamente.


 

— Eu não sei. Eu não sei, amor. Eu não faço a menor ideia, okay? Eu não sei mais o que minha vida tá’ se tornando, e não sei se quero continuar, muito menos sei se quero acabar com algo. — Yoongi foi sincero com cada palavra que dizia. Não queria mentir para a pessoa que mais amava no mundo, muito menos magoá-la com mentiras.

 

— Por que sua vida está tão insuportável para você querer acabar com ela?. — O loiro pegou nas mãos do seu namorado, futuro marido e seu amor para toda vida. Ele olhou nos fundos dos olhos negrumes do namorado, afim de passar para o homem confiança para continuar com aquilo, e confiança de que se importava com ele.


 

— Você ainda pergunta?! Eu passei meses me achando um lixo, me sentindo um miserável que não conseguia fazer suas próprias músicas mais. Eu olhava para o espelho e tinha vontade de arrancar aquela pele de tão feia que é. Olhava para o meu coração em busca de algo bom, e só via destruição. Eu sou tão insuportável que tudo se afastou de mim, você saiu e nunca mais ligou para mim, meus amigos dizem que ligam para mim, mas minha caixa de mensagens está vazia como sempre. Eu sou um miserável, Nam. Um qualquer no mundo. — Enquanto falava, Yoongi só conseguia chorar, como se não botasse para fora suas palavras, mas também o que tinha em sua cabeça, que se passava muitas coisas além disso, coisas que nem ele conseguia explicar.


 

— Gatinho, você sabe, nada disso que pensa é verdade. Eu não liguei para você porque estava focado em escrever meu livro, em acabar com ele, e dar toda a atenção que você merece, com ele finalizado, mas eu admito que deveria pelo menos ter dado um “estou vivo” para você, me perdoe. Seus amigos, eu tenho certeza que eles deixaram de falar porque você pediu para eles pararem de te perturbar, então, que tal procurar eles dessa vez? tenho certeza que eles querem perguntar o que houve, mas tem medo de você não quiser. E quanto a você, tudo o que tenho a dizer é que tudo o que pensa é a mais pura mentira. — Ele falou arrancando uma risada sarcástica do moreno.


 

— Sei que não vê, mas a forma como seus lábios não são finos ao extremo e são macios o suficiente para beijar para sempre; a forma como seus olhos são pequenos e o fazem te deixar tão puro e ao mesmo tempo, sério e sedutor; o jeito que você fala preguiçosamente, saindo as coisas lentamente, cativando meus ouvidos para ouvir cada vez mais você; o modo como você consegue ser tão criativo, criando músicas e músicas todo dia, e melhor ainda, conseguir fazer isso com amor e paciência; a maneira como você cuida das pessoas cuidadosamente, com carinho, mesmo que do seu jeitinho, é tudo tão incrível que eu queria que visse. — O mais velho ouvia cada palavra de Namjoon com um sorriso doce no rosto, ele sentiu saudades do louro. Precisava ouvir aquelas palavras meigas a muito tempo, e mesmo que ele não conseguisse ver, sentia-se feliz em saber que pelo menos uma pessoa se esforçava a ver algo bom em si.


 

— Yoongi, você é tão incrível que eu me pergunto todos os dias como pode uma pessoa como você me orgulhar e alegrar a cada dia mais. Min Yoongi, namorar com você, pra mim, não é um problema ou algo qualquer, é um presente para mim. Saber que tenho a oportunidade de poder cuidar de você e poder gritar para o mundo que você, o homem mais incrível do mundo, é o cara que eu amo e que passa a vida ao meu lado, é a melhor coisa do mundo. — O mais velho já não segurava suas lágrimas, e chorava que nem um bebê nos braços do namorado que estava agachado sobre seus pés, correspondendo o abraço firmemente.



 

Enquanto seu namorado chorava, Namjoon abraçava o moreno, ao mesmo tempo que o levava para a cama, para assim relaxar perfeitamente. O escritor ficou olhando Yoongi limpar as lágrimas, e então percebeu que até se limpando se lembrava a um gatinho carente, o fazendo rir repentinamente, assustando e irritando o moreno.


 

— Do que ri seu patife?. — O Min perguntou, claramente irritado com o loiro risonho.


 

— Estou rindo da forma como você parece um gatinho até limpando as lágrimas. Meu gatinho fofinho. — Namjoon explicou, apertando as bochechinhas de Yoongi.


 

— Sai daqui seu estranho, vai dormir. — Resmungou o mais velho, se virando para o lado, fingindo não ligar com Namjoon em cima de si com a boca em seu ouvido, pronto para sussurrar, provavelmente, mais uma linda palavra.


 

— Eu te amo, gatinho. Boa noite. — Antes de virar, o escritor pode enfim escutar a voz doce do namorado em seu ouvido dizendo eu te amo. Namjoon sabia que com aquelas meras palavras o seu namorado não iria parar de se sentir mal, mas estava disposto a tentar a cada dia de sua vida a ajudar o mais velho e sempre trazer os melhores momentos para si, até o momento que ele partir.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...