História Just one story... - Capítulo 200


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 4.724
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Guess who's back...
Aqui está o meu especial de 200 caps, não sei se está legal, mas ok (eu nunca sei na verdade)

Capítulo 200 - CAP. 200 - hell and heaven...


7 de março, segunda-feira à noite

*Alisson narrando*

Brian - Acho que vou ficar pelo curso de direito mesmo...

Eu - quem sabe um dia não vai trabalhar com Adam e Nate...

Brian - mas é claro! - ele fala sarcástico e eu reviro os olhos - Você fica engraçada fazendo essa cara...

Eu - é porque eu sou linda... - eu faço uma pose estranha e os dois rimos -

Brian - mas você é...

Eu - que bonito, nem me faz querer vomitar... - ele me empurra levemente rindo - você também não está mal...

Brian - eu sinto que esse é o melhor elogio que vou receber de você, então obrigado...

Eu - eu elogio muito as pessoas!

Brian - não a mim...

Eu - isso é porque você não merece... - ele coloca a mão no peito fingindo estar ofendido e eu rio - Tudo bem, você é lindo...

Brian - e maravilhoso, e perfeito, e cheiroso... - eu reviro os olhos - mas não se preocupe Foster, "você também não está mal"... - dou um tapa em seu braço o fazendo rir -

Eu - você acha que isto está mal? - início um beijo calmo passando as mãos pelo seu pescoço, mas logo vai esquentando quando Brian me puxa para o seu colo colando nossos corpos segurando minha cintura contra ele -

Brian quando ficamos sem ar - nada mal Foster, mesmo nada mal... - ele volta a me beijar passando as mãos pelo meu corpo enquanto eu faço o mesmo -

Os seus beijos desceram para o meu pescoço e ele ficou por cima de mim na cama...

Eu afastando os nossos corpos - ok, eu definitivamente não vou fazer "isto" do lado de Vincent... - Brian bufa saindo de cima de mim se deitando do meu lado -

Brian - tudo bem, você tem fome? - assinto e descemos com Vini que tinha que ir na rua -

Brian abriu a porta das traseiras para que Vincent passasse e depois de o mesmo o fazer, Brian vai para a cozinha:

Brian - o que você quer comer? - encolho os ombros - Vamos fazer isto agora?

Eu - isto o quê?

Brian - "qualquer coisa...", "pode escolher você..." - ele fala fazendo uma voz estranha e eu rio -

Eu - estou falando sério, pode ser qualquer coisa!

Brian abrindo a porta do freezer - lasanha congelada será, portando...


...


*Alisson narrando*

Até à lasanha ficar pronta demorara de 10-15 minutos, então Brian foi procurar Vincent para que ele voltasse para dentro e o mesmo foi para a sala onde ficou dormindo no seu sofá.

Depois de jantar, arrumamos a cozinha juntos e depois voltamos para o quarto e Brian falou que deveríamos começar a assistir uma série juntos:

Eu - e que tal "Pretty Little Liars"?

Brian - você já não tinha começado?

Eu - é, num verão vi até à terceira temporada, mas já foi à algum tempo e eu vou começar do início...

Brian - "Gotham"?

Eu - eu prefiro a Marvel... - ele revira os olhos - Once Upon a Time"?

Brian - você não acha que pode ser meio chato? "Suits"! Suits é legal!

Eu - você já viu uma temporada inteira!

Brian - ah, é...

Eu - "This is us"? - ele faz uma cara estranha - podemos sempre voltar a estudar...

Brian - This is us será! - eu rio -

Vocês já ouviram falar de "Netflix & Chill"? - pergunta retórica, todo mundo saba o que isso é... - bom, podemos dizer que foi um Netflix & Chill meio improvisado, porque era para ser mesmo (Narrador: fez sentido? Fez...), mas a meio do primeiro episódio de This is us Brian decidiu voltar a "onde tínhamos parado" e agora ele afastava a gola de minha camiseta para continuar descendo beijos e algumas mordidas que alteravam minha respiração, o que parecia agradá-lo...

Para o ajudar, tirei minha camisa e ele voltou a me beijar, enquanto mordia meus lábios, ele tocava meu peito o que me fez suspirar durante o beijo e então o vejo sorrir.

Ele começou a beijar meus seios e a sua respiração quente contra a minha pele fazia uma corrente elétrica passar pelo meu corpo. Puxei a sua camiseta o deixando em tronco nu. Desde o primeiro dia, aquele corpo me dá um treco sempre que o vejo...

Brian beijava e lambida minha barriga e sem tirar os seus olhos dos meus começou a tirar minha calça, enquanto descia a mesma passava as mãos pelas minhas pernas.

Ele voltou a ficar à mesma altura que eu me beijando.

Ele me tocou passando os seus dedos ainda por cima da minha calcinha que já estava bem molhada e eu mordi o seu lábio contendo um gemido. Brian segurou minhas pernas, então passei as mesmas por trás dele o fazendo ficar mais próximo e ele gemeu quando nossas intimidades se tocaram...

Abri o zíper sua calça libertando o seu membro do aperto em que este se encontrava e quando eu ia baixar a mesma, sinto o meu corpo ser virado por Brian que havia me deixado de quatro e então sinto o meu sutiã ser retirado, Brian pega uma camisinha da gaveta do criado mudo, - ele guarda esses negócios em tudo o que é sítio! - ele abre a mesma enquanto passa os olhos por todo o meu corpo e a coloca abrindo minhas pernas. Ele lambe a minha entrada me fazendo gemer a deixando lubrificada. Depois de se posicionar, espera alguns segundos em forma de aviso e logo começa a me penetrar o que me faz gemer. Ele entra lentamente para eu me habituar e depois de um tempo, começa a aumentar a velocidade dos seus movimentos dentro de mim. Brian ia alterando a rapidez de suas estocadas, o que me causava diversas sensações, tentávamos gemer o mais baixo possível pois Richard e Wendy estavam algures naquele andar.

Pela primeira vez, Brian chegou no seu ápice antes de mim, então ele me chupou e penetrou com seus dedos até que eu gozasse também, eu segurava o seu cabelo o incentivando a continuar.

Ao sentir uma onda de prazer me invadir arqueei as costas e antes de se afastar, Brian passou a língua por toda minha intimidade e me beija novamente me fazendo sentir o meu próprio gosto. Durante o beijo senti o seu "amiguinho" me cutucar, ele já estava duro outra vez! - esse moço tem um fogo que nunca apaga! - Quando notou que eu havia percebido ele me olhou. Peguei uma nova camisinha e vejo ele sorrir perverso...

Desta vez, mudamos várias vezes de posição até eu gozar e um ou dois minutos depois, um gemido arrastado de Brian me informou que ele também havia chegado em seu orgasmo. Ele se deitou do meu lado mas assim que a sua respiração se normalizou, Brian se levanta jogando a camisinha no cesto do lixo perto da cama indo até ao banheiro, eu também queria ir, mas estava com preguiça... Enfim, quando ouvi a água ser ligada me levantei indo ter com Brian, que já estava debaixo do chuveiro. O banho talvez tenha demorado um pouco mais pois metade do mesmo foi resumido em beijos e toques...

Depois de nos secarmos Brian vestiu uma roupa lavada e me deu uma camiseta que ficava "meio" enorme em mim...

Voltamos para cama e antes de adormecer voltamos onde tínhamos parado em "This is us".


...


*Summer narrando*

Eu - quem você vai levar naquele negócio de apresentar alguém da família? - ele me olha depois de tomar um pequeno susto pois até agora o quarto estava silencioso - Porque tipo, você odeia toda a sua família e eu não tenho a certeza que o trabalho de Cody seja propriamente... Legal...

Marcus - primeiro, você e esses seus pensamentos matinais super aleatórios não dão com nada! - eu rio - E segundo, não é necessariamente alguém da família, é alguém chegado a você e que te inspire de alguma forma...

Eu - e daí?

Marcus - e daí que ontem eu falei com Rick e ele falou que não se importava de ir lá nesse negócio da escola...

Eu - ah é, você já voltou a trabalhar...

Marcus - mas e você?

Eu - acho que os meu pais vão voltar quando as aulas começarem... - falo sem dar muita importância e Marcus me olha - O que foi?

Marcus - "os meus pais"...

Eu - ah é...

Aquilo saiu bem natural mesmo


*Adam narrando*

Estava na cozinha com Nate quando ouvimos a porta ser aberta pela nossa mãe que carregava um monte de coisas:

Mãe - vejo que já estão acordados... - nós pegamos as coisas que ela trazia as deixando em cima da mesa -

Nate - o que você está fazendo?

Eu - você sabe que não pode ficar carregando essas coisas pesadas!

Mãe - não se preocupem comigo, eu fico bem. Eu ajudei na mudança de casa grávida de 8 meses de você! - ela fala apontando para mim - Agora me ajudem a arrumar as compras...

Nate - isso explica muita coisa... - ele ri e eu soco o seu braço - 

Mãe - parem!

Nate  deixando duas caixas de seriais no armário - é só que, como a gravidez de Ruby foi de risco, nós ficamos preocupados... - ele abre a geladeira deixando alguns vegetais dentro da mesma -

Mãe abrindo uma sacola com várias frutas - eu estou ótima, não se preocupem! - ela deixa as mesmas na fruteira - Mas falando em Ruby... Eu estava falando com Christine e todos os alunos da vossa sala vão estar levando um pai ou uma mãe...

Nate - ah, é... a gente esqueceu de falar...

Eu - você vem, certo?

Mãe - eu poderia ir... Mas adivinhem quem vai estar cá em alguns dias... O vosso pai!

Eu - que caridoso ele né, visitando a família, descobrindo que vai ter outro filho... Nem é como se fosse a obrigação dele... - falo sarcástico -

Nate - você vai falar para ele, não vai?

Mãe - eu estou só esperando a altura certa...

Eu - e isso é quando?

Mãe - quando ele voltar definitivamente, quando já não estiver tão ocupado...

Nate - por outras palavras, você nunca vai falar para ele...

Mãe - eu vou falar com ele! Não se preocupem...

Eu - e ele vai ficar cá por quanto tempo?

Mãe - vem na próxima segunda e vai embora na sexta... - eu vou em direção ao andar de cima - Já agora, nós não temos uma refeição juntos faz tempo, eu quero os dois daqui a meia hora na cozinha! - nós assentimos pois não era como se estivéssemos outra escolha... -

...


*Adam narrando*

Como eu já esperava, o assunto do meu pai continuou durante o jantar, uma pequena discussão começou. Minha mãe anda estressada demais (como sempre, mas não só para ela que está fazendo mal agora...) então decidi sair. Mandei uma mensagem para Cline antes de deixar a casa:

"Pegue o seu skate, preciso conversar com alguém e sei que você também... Passo aí em 3 minutos"

Assim que bloqueio a tela do celular vejo Nate saindo também:

Eu o olhando - vai sair com Jess né safado? - ele ri -

Nate - ela me obrigou!

Eu - sei... - ele ri e se afasta (provavelmente indo até onde tinha deixado o carro) -

Sinto o meu celular vibrar no bolso: "👍" (uma das respostas mais longas que ele já me deu kkk)


*Brian narrando*

Estava com Aly em minha cama, ainda não tínhamos nos movido desde a noite anterior... Na verdade já nos deveríamos ter movido faz tempo, porque Aly tem que ir ter com a mãe dela e já passa das 02:00PM, mas eu não deixei...

Aly me empurra de cima dela vendo a mensagem de sua mãe:

"Ou você vem agora ou eu vou falar para o seu irmão ir aí pegar você! Porque eu falei com Richard e sei exatamente onde você está!"

Ela se levanta rapidamente me fazendo rir, antes de pegar as sua roupas ela responde alguma coisa e então começa a se arrumar...

Eu descendo as escadas do lado de Aly - eu posso levar você...

Aly - de pijama? - ela ri -

Eu - às vezes eu vou até no mercado de pijama!

Aly rindo - bom saber. Tchau... - ela se despede com um beijo rápido e logo sai quase correndo -

Entro na cozinha vendo o meu pai lendo o jornal. Assim que ele me vê, a sua atenção é discretamente virada para mim...

Eu pegando uma maçã - o que você tem a ver com isso? - ele ri por eu já saber exatamente o que aquele olhar significava... -

Pai - para começar, eu sou seu pai e esta casa é minha... - eu reviro os olhos lavando a maçã - mas eu só estou feliz...

Eu - não sei o que possa causar a você tamanha felicidade que fique de complô com Rose falando da minha vida... - ele ri e eu pego uma caneca -

Pai - você gosta mesmo de Alisson, não gosta?

Eu indo até à máquina do café - e essa pergunta é porque...? - ligo a mesma -

Pai - você nunca trás outras garotas aqui em casa...

Eu - não agora, obviamente...

Pai - ok, você trazia bastantes garotas... mas elas nunca ficavam até à manhã seguinte... Eu sei que com Alisson é diferente, estou feliz por isso...

Eu botando um pouco de açúcar no café - desde quando você é tão lamechas? - pergunto com deboche e dou o primeiro gole no mesmo -

Pai ignorando completamente a minha pergunta - você já conhecia Alisson antes dela tomar conta de Koner, não já?

Eu - porque pergunta?

Pai - porque eu conheço você, e porque se a resposta é sim então tenho uma teoria de que estou quase 100% certo...

Eu - e vocês com essas teorias... virou o Marcus agora foi?

Pai - aquele seu amigo que não pega sol? - eu rio assentindo e levo a caneca até à boca novamente - Enfim, quer saber a teoria? - dou de ombros - Isso é um sim, ótimo. Então, à mais de um ano atrás você e Alisson se conheceram e namoraram por uns meses, mas uns... 6 ou 7 meses depois, eu diria, alguma coisa aconteceu (provavelmente você fez alguma besteira) - reviro os olhos - porque foi aí que você começou a "ir para o torto" novamente com esse negócio de todos os dias uma pessoa diferente... (é, pensa que eu não sei das coisas?) Mas há pouco tempo vocês começaram a se ver novamente, e aqui estamos nós... Estou certo? - apenas dou um gole no café desviando o olhar - Isso é um sim, ótimo... - reviro os olhos saindo da cozinha com o meu café e com a maçã que comeria depois -

Pai falando alto para que eu ouvisse - saiba que estou feliz por você! Não quero o meu filho solteiro a vida toda! - rio indo até à sala -

Vejo que Vini estava deitado no sofá, porém estava acordado, então veio ter comigo.

Eu me baixando e passando a mão em sua cabeça e orelhas - desculpe por ter deixado você sozinho, mesmo que você não se importe...

Pai falando da cozinha - ele foi lá fora hoje bem cedo, leve ele novamente só à noite!

Eu - ok! - falei alto e então subi sendo seguido por Vincent -

Entro no quarto deixando a maçã em cima da minha secretária e vou mudar de roupa. - tirei o meu look de "sem abrigo" kkk (aka o meu "pijama")  para um look mais "classe baixa" kkk. (uma calça moletom e uma camiseta qualquer) - Passei o resto da tarde assistindo séries com Vini. Tenho que estudar? Tenho, mas não fui eu que decidi, porque assim que entro no quarto, Vini vai até ao criado mudo onde estava o controle da TV e empurra o mesmo com o nariz, eu amo este cachorro...

Já quase anoitecendo ouço o meu celular apitando e olho o mesmo que mostrava uma mensagem de Mathews, ele precisa conversar, eu preciso conversar, porque não? Desliguei a TV, peguei a maçã - que me esqueci por completo - e desci sem nem mudar de roupa porque não vamos propriamente a um baile de gala. Abri a porta das traseiras para Vincent e peguei um casaco pois notei o frio que fazia na rua.

Pai - onde você vai?

Eu - sair com um amigo

Pai - sem comer nada? - jogo a maçã para cima, pegando a mesma de volta - vê se não morre - reviro os olhos rindo e vejo Vini entrar -

Eu fechando a porta - vou tentar, mas não prometo nada...

O meu pai nega rindo e eu pego o meu skate - lado bom de ter os pais divorciados, as vezes tenho as coisas em dobro... - logo saindo.

Mathews surgindo de algum lugar depois de alguns segundos - what up bitches!

Eu - boas noites... - ele ri - vamos? - ele assente -

...


*Adam narrando*

Algumas horas depois decidimos ir até ao parque de skates novamente, mas só porque estava vazio mesmo.

Continuamos conversando sobre os problemas da vida e como ela é injusta kkk. - rindo para não chorar... - E neste momento estamos fumando deitados no chão - o normal portanto - falando sobre sei lá o quê... (estranhamente não existe nenhuma droga lícita envolvida...)

Eu soltando a fumaça - o céu está bem legal...

Cline - claramente eu quando fico sem assunto. - eu rio - Mas diga a verdade, o que não está me contando? - ele dá uma tragada no seu cigarro -

Eu - o quê? - solto novamente a fumaça -

Cline - dá para perceber que não é só esse negócio do seu pai que te está incomodado... - vejo fumo sair da sua boca mais uma vez -

Eu - ah, é só que... eu... posso ter... eventualmente...

Cline - fala logo caralho! Que merda é que você fez?

Eu - Victoria estava grávida, né? Então... - ele me olha rapidamente -

Cline - você...?

Eu - é... parece que sim... - desvio o olhar para o céu colocando o cigarro de volta na boca -

Cline - dude... - enquanto tenta encontrar as palavras traga novamente no cigarro - Eu até fazia uma piada sobre os "buracos" em que você anda se metendo, mas talvez seja um pouco errado no momento...

Eu - sim, - deixo o fumo sair mais uma vez - talvez um pouco...

Cline - mas você... como?

Eu - achei que você soubesse como "essas coisas" funcionam... - falo sarcástico e ele revira os olhos -

Cline - eu sei, muito bem, acredite... O problema são vocês os dois, vocês é que nunca "funcionaram"... - ele gesticula com as mãos -

Eu - fazer o quê, a sua família é louca!

Cline - eu sei isso melhor que ninguém...

Eu - ui, ele é muito Marcus ele - os dois rimos -

Cline - nós vamos para o inferno por fazer todas estas piadas, você sabe disso certo?

Eu - a minha teoria é que o mundo acabou mesmo em 2012, isto já é o inferno...

Cline soltando a fumaça - isso explicaria muita coisa...

Eu fazendo o mesmo - a quem o diz...


...


*Adam narrando*

Voltamos para casa quando já estava amanhecendo - é, falamos sobre tudo mesmo... - então eu acordei "um pouco" tarde...

Ah, eu tenho um encontro hoje... Espera, ai caralho eu tenho um encontro hoje! Fui para o banheiro e depois de um tempo - porque nunca sou tão rápido nesse negócio de banho (Narrador: kkk) - saí pensando no que vestir...

Não tenho muito tempo para pensar, então vai camisa branca com calça preta mesmo. Escolhi o meu perfume que Melanie mais gosta, um da gucci que vem em uma caixa cinza e o frasco é transparente... Enfim, isso nem importa! Eu devia estar me arrumando!

Me vesti e "arrumei" o meu cabelo - um arrumado meio desarrumado porque nunca é mesmo arrumado (Narrador: anh? Quê? Kkk) porque como está um pouco mais longo finca sempre bem bagunçado - escutando alguma música dos "Mainland" e então mandei uma mensagem para Melanie por já estar quase na hora combinada e ela falou que já estava pronta. Me olhei no espelho uma última vez para conferir se estava tudo certo enquanto falava para mim mesmo "não seja um idiota!" e então calcei um dos meu muitos pares de "botas" pretas.

Desci me despedido de minha mãe - eu tinha já falado para ela que não jantaria em casa hoje - e ela me falou que eu ainda tinha que passar na florista para pegar as rosas - lindas, porque fui eu que escolhi - que tinha "encomendado". Ela também me repreendeu por eu estar sempre esquecendo das coisas, mas isso não importa...

Saí de casa indo até ao meu carro, e fui pegar as flores à casa de floricultura da Dona Nina - que é também uma velha amiga da minha mãe - que ficava a 3 ruas de distância, então não demorou muito tempo.


*Melanie narrando*

Fiquei 15 minutos escovando o meu cabelo enquanto ainda estava molhado (que entretanto secou) pensando em coisa aleatórias? Fiquei. Mas deu tempo? Deu, então ótimo, está tudo certo! kkk. Escolhi um vestido em um tom de rosa bem clarinho com pequenas flores, que ficava pouco acima do meu joelho. De maquiagem não fiz quase nada, apenas um pequeno delineado e adivinhem o quê... meu lindo e maravilhoso baton rosa, não sei o que seria da minha vida sem ele, - dramática? Nem um pouco... - provavelmente ira apenas usar outra cor, mas ok... Passei ainda um pouco de perfume, "Twilight Woods", o favorito de Adam...

Desci e encontrei minha mãe na cozinha, ela super apoia o fato de eu "estar conhecendo alguém", - seja lá o que isso for... - porque eu nunca estou com ninguém - foi isso que me colocou no que quer que seja "isto" de "estar" com Adam (Narrador: lembram a história dos "lobos solitários", lá? Kkk) - o que, por sua vez, agrada bastante ao meu pai que não quer me ver namorando antes dos 30! Ele ainda me vê como uma criança, se bem que, talvez, as minhas roupas "super maduras" não ajudem muito... Tão maduras quando os sapatos com gatinhos que estou usando no momento...

E era exatamente sobre a minha roupa que minha mãe estava falando quando o meu pai apareceu:

Pai - e onde você vai com a roupa que sua mãe tanto elogia?

Mãe - ela só vai sair com um amigo George! - ela fala o abraçando -

Pai - amigO, né Suzane... - minha mãe revira os olhos rindo -

Recebo uma nova mensagem de Adam falando que tinha acabado de chegar

Eu beijando o rosto de cada um - eu vou lá...

Pai enquanto eu me afastava - isto é assim agora? Já não há horas para voltar?

Eu chegando na porta - não mais...

Saio e ao fechar a mesma vejo Adam vindo na minha direção com um buquê de rosas em suas mãos e eu não sabia o que era mais lindo, as flores ou ele...

Ele sorria, o que me fez automaticamente sorrir também - porque eu amo muito aquele sorriso dele -

Eu me aproximando também - oi...

Adam me entregando as rosas - foi demais? Desculpe, foi ideia da minha mãe... - eu rio -

Eu - não, elas são lindas! Mas podemos ir? Eu consigo sentir o olhar de desaprovação do meu pai atrás da cortina da sala sem nem me virar... - ele ri indo até ao seu carro e abre a porta do passageiro para que eu pudesse entrar - ui, muito cavalheiro ele... - Adam ri e entra também - Será que agora eu posso saber onde estamos indo?

Adam - apenas o melhor restaurante de sempre!

Eu - se você o diz...


...


*Melanie narrando*

Eu - você ficou muito revoltado quando Michael falou aquilo de "não achei que fosse desse tipo"... - eu falo com uma voz estranha fazendo ele rir -

Adam - o quê? Eu não fiquei!

Eu - ficou sim, você quase bateu nele! - ele abre a porta do restaurante -

Adam fazendo sinal para que eu saí-se primeiro - mas você, "Melanie não gosto de brigas Rosemary" resolveu tudo, né?

Eu - pois claro, eu sou um anjo... - falo caminhando do lado de Adam o fazendo rir -

Adam - eu estava defendendo a minha "namorada", lembra?

Eu - anh ham, então se eu não tivesse pedido para você, você ia deixar ele falar isso sobre mim?

Adam - o tempo está estranho hoje, né? - eu rio - Não, eu não tinha, porque sendo minha namorada ou não, eu gosto muito de você... (talvez até demasiado...) - ele falou a última parte baixo -

Eu - eu até que não me importava de ser sua namorada... - falo baixo também -

Adam - ótimo, - ele para na frente do seu carro tirando alguma coisa do boslo - porque eu vi isto no outro dia, mas não sabia em que "circunstâncias" dar para você... - ele me entrega uma pulseira com um pingente de gato - Você quer namorar comigo? Por favor diga que sim, porque eu falei para Cline e se você disser que não ele não vai parar de me zoar...

Eu rindo - eu sei que você ainda vai fazer muita merda, mas dane-se, sim... - ele ri e me beija -

...


*Melanie narrando*

Adam segurava a minha cintura enquanto eu o beijava sentada no colo dele. Com as suas mãos ele subiu a barra do meu vestido enquanto acaricia minhas coxas.

Não havia muito espaço - "talvez" por estarmos no banco do passageiro do carro de Adam - mas ainda assim estava ótimo...

Senti as mãos de Adam puxando minha calcinha para baixo e então começa movimentos que iam alternando em minha intimidade. Enquanto isso, ele beijava o meu pescoço o que me fazia morder o meu lábio tentando não fazer muito barulho. Adam disse que estava tudo bem, mas isso me deixava envergonhada.

Ao chegar em meu ápice não consegui conter um gemido alto, - quase um grito - Adam sorriu e logo voltou a me beijar. O meu corpo estava quente pela forma que Adam me olhava e tocava, era um calor de excitação, mas também de timidez. Me afastei um pouco dele começando a desapertar a sua calça, ele me olhava ainda passando as suas mãos pelas minhas pernas. Adam abriu o zíper do meu vestido o que o deixou mais solto e eu fechei os olhos sentido a sua boca quente tocando meus seios. As suas mãos se afastaram de mim por uns segundos e mesmo com meus olhos fechados percebi o que ele estava fazendo.

Juntei os nossos corpos novamente o que me deixou com a decisão de "quando ir". Aos poucos, fui me acostumando com o seu membro dentro de mim, comecei a cavalgar quando já não era mais um incômodo.

Conter os gemidos estava ainda mais difícil desta vez, mas ouvir os de Adam me deixava mais confortável. - e mais excitada -

A sua voz rouca criava uma sensação muito boa em meu corpo, assim como tudo o que ele estava fazendo...

Ele faz com que o inferno e o céu se pareçam bastante um com o outro...

...


*Adam narrando*

Depois de... vocês sabem... ficamos no carro em silêncio por um bom tempo apenas refletindo sobre a vida. Melanie estava sentada no lugar do condutor, mas de lado, com as suas pernas esticadas por cima do meu colo e eu acariciava as mesmas com leves movimentos do meu pulegar

O celular de Melanie apitando no meio do silêncio me fez pular de susto pois eu estava quase adormecendo, o que a fez rir.

Melanie olhando o celular - eu tenho que ir para casa, já está meio tarde...

Eu não queria nem me levantar, mas tem que ser, né?

Saí do carro para mudar de lugar e reparei no quão frio estava na rua. Quando voltei a entrar Melanie já estava no banco do pasageiro. (Narrador: vocês sabem, o tempo está estranho hoje... kkk)

Melanie quando me sentei - nós fizemos mesmo isto?

Eu - parece que sim...

Melanie - você já tinha transado no seu carro?

Eu - por acaso não... - ela me olha desconfiada - eu levo muito a sério a frase "se beber não conduza. A não ser que seja cerveja amanteigada e você esteja dirigindo um carro voador." - ela ri - Talvez eu tenha feito umas alterações na frase...

Melanie - jura? Nem reparei...

No caminho para casa fomos conversando e rindo, eu dirigi devagar pois não queria que aquele momento acaba-se, mas logo chegamos na casa dela. Me despedi mesmo não querendo e logo voltei para minha casa. Tomei banho e me distraí olhando alguma coisa no meu celular enquanto me vestia então acabei adormecendo só de cueca mesmo pois estava muito "cansado"...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...