História Just Three Times - Capítulo 19


Escrita por: ~

Visualizações 28
Palavras 3.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AEEEEEEEEEE
Eu teria postado ontem se não fosse alguns problema que apareceram, mas enfim, esse é o começo da segunda temporada.
Alguns avisos:
- Não vou mais postar um cap todo fim de semana, pois pode aparecer algum problema e não der pra postar no dia planejado, como quase sempre ocorre.

-Eu não vou mais colocar os nomes dos filmes como títulos.

-Agora não, mas alguns caps mais frente todos os personagens vão aparecer em todos os caps.

Capítulo 19 - 01x2 Welcome to Marsh of Souls


Fanfic / Fanfiction Just Three Times - Capítulo 19 - 01x2 Welcome to Marsh of Souls

Ela entrou em seu quarto, apagou as luzes e deitou em sua cama, estava preparada pra dormir, estava cansada, seu dia foi muito cansativo. Fechou os olhos e adormeceu. Logo acordou com um barulho vindo do andar de baixo de sua casa, ela achou que fosse sua mãe mas ai lembrou que a mesma estava de plantão no hospital, então só podia ser Mike, mas o garoto estava dormindo na casa de um amigo. Elena estava sozinha em casa, e quando escutou o barulho novamente, ela se levantou da cama assustada.

 Foi até a sua cômoda e pego a primeira coisa que ela viu que podia usar para se defender: uma tesoura de metal bem afiada. Caminhou lentamente em direção a porta e percebeu que tinha alguém do outro lado. Se posicionou na parede preparando-se para o ataque, não importava quem fosse, iria receber uma tesourada.

 A maçaneta girou, logo a porta foi aberta e alguém entrou, sem pensar a morena acertou a tesoura com tudo na barriga de uma pessoa com uma roupa completamente preta e uma capuz com uma máscara da mesma cor, impedindo que seu rosto fosse visto.

 Depois da tesourada, a pessoa caiu no chão, gemendo de dor. Elena se aproximou com muito medo, virou a pessoa pro lado e tirou a máscara revelando o rosto de James.

 

-Por... por que fez isso?- Perguntou o jovem.

 

-Não, você está morto, você não real.- Disse Elena se afastando. Ela estava totalmente confusa, desesperada, "o que está acontecendo?" era a pergunta que se passava em sua cabeça.

 

-Será? Você já matou ele uma vez, assim como fez comigo.- Disse uma garota aparecendo na porta do quarto. Mesmo com pouca luz, foi possível reconhecer quem era. Katherine, a mesma tinha umas manchas de sangue na roupa preta igual a de James e uma no pescoço.

 

-O que? Isso não pode ser real... isso é um sonho. Acorda Elena, acorda!- Murmurava pra si mesma andando de costas.

 

-Não, isso é um aviso...- Murmurou Megan entrando pela janela, a mesma estava toda encharcada e usava a mesma roupa preta que Katherine e James, porém não usava máscara.

 

-Aviso sobre o que?- Perguntou Elena encarando Megan com lágrimas nos olhos.

 

-Um novo ataque.- Respondeu Marina entrando no quarto e ficando ao lado de Katherine, ela tinha sangue escorrendo de sua cabeça e parecia estar manca, também vestia as roupas escuras.

 

-O que? Como assim? Jonathan e Jeniffer estão mortos.- Elena começou a se preocupar.

 

-Não eles. Um novo The Masked.- Comentou Logan entrando pela janela e parando ao lado de Megan, o mesmo vestia as roupas escuras, mas mesmo assim dava-se pra ver uma mancha de sangue do lado da barriga dele.

 

-O que querem dizer com um novo The Masked? Como sabem disso?

 

-Ele está voltando!- Disseram todos os jovens que morreram, aparecendo do nada no quarto da jovem. Felipe, Kate, Samantha, Danielly, e todos os outros usavam as roupas pretas e com manchas de sangue nas regiões onde foram feridas antes de finalmente morrerem.- Corre!- Gritaram todos, mas Elena não estava entendendo nada, sua cabeça parecia que ia explodir, nada fazia sentindo, como assim The Masked está voltando? E como que ela está vendo todas essas pessoas se elas morreram.

 

-Ele chegou.- Disse Katherine.- Elena, fu...- Ia dizendo a morena, antes de algo invadir sua cabeça, atravessando-a.

 

-NÃO!- Gritou Elena vendo sua amiga morrer, novamente.

 

 Quando percebeu, todos sumiram do seu quarto, menos a pessoa que enfiou a barra de ferro na cabeça de Katherine, mas o corpo da mesma continuava no chão. Uma pessoa totalmente "tampada" tirou uma arma da bolso de trás de sua calça preta e apontou pra Elena, que sentia suas pernas tremerem, suas bochechas serem molhadas por suas lágrimas, mas principalmente, sentia o medo que não sentia a muito tempo, o medo que fazia ela se tremer toda vez que recebia uma mensagem, o medo que traumatizou ela e várias outras pessoas.

 

-Tira a máscara.- Pediu a morena.- Agora!- Gritou.

 

 Como se tivesse obedecido, a pessoa abaixou o capuz e tirou a máscara preta, revelando ser uma pessoa que todos tinham certeza que ela estava morta. Todos viram ela morrer. Era Kevin naquela roupa, ou melhor, Jonathan. Aquilo não fez sentido, mas ele não esperou ela fazer alguma pergunta.

 

-Te vejo no inferno, vadia.- Disse o loiro e em seguida disparou com a arma. A bala acertou em cheio a cabeça de Elena, que caiu no chão.

 

 

 Sentou-se na cama em um pulo. A morena sentia o suor escorrendo pela sua testa, pescoço encharcando seu travesseiro. Ela havia acordado daquele pesadelo, ela tinha tido apenas um pesadelo. Pegou o seu celular no criado mudo e viu que eram 05:52 da manhã. Preferiu não dormir de novo e já começou a se arrumar pro primeiro dia de aula, mesmo que espere um tempo antes de sair de casa.

 Mesmo sabendo que foi apenas um pesadelo, enquanto tirava seu pijama e colocava uma roupa pra ir para a escola, ela não conseguia parar de pensar no seu pesadelo, achava que essas coisas de receber notícias ou premonições de espíritos era mentira, mas aquilo... aquilo foi muito real... o meso que sentiu, a mesma dor que sentiu vendo seus amigos morrerem ela sentiu ali de novo. Será que poderia ser verdade? Será que um novo ataque estava por vim e de alguma forma Elena conseguiu saber disso? Ou talvez fosse tudo uma coisa da sua cabeça e devesse encarar aquilo apenas com um pesadelo? Talvez ela realmente deveria parar de pensar, mas uma coisa ela sabia: coisa boa não está por vir.

 

 

 

 Tomavam o café da manhã, a loira sentia muito frio na barriga, já a ruiva parecia gostar daquela sensação, não se sentia mais com medo do primeiro dia de aula, mas entendia totalmente a prima, que tinha se mudado a pouco tempo e esse seria seu primeiro dia numa escola nova, aliás uma escola que tem muita história, porém não é nada boa.

 O uniforme foi retirado da lista de regras da escola, o novo diretor fez bastantes mudanças, uma delas foi tirar o uniforme e deixar que seus alunos fossem com as roupas que se sentissem a vontade. Crystal obviamente amou a ideia, e Madison, que era sua prima também. As duas eram bem parecidos em gostos para roupas e estilos, mas a loira era um pouco mais misteriosa, ela gostava de segredos e de um pouco de diversão sombria, mas aquilo era bastante interessante quando se é amigo dela. Quando Crystal e Bryan para a casa de seus avós, os três viviam indo escondidos para o porão, Madison os convenciam sempre para brincarem lá, e até que era legal, menos quando seu tio chegava e mandava eles saírem de lá.

 

-Acabei de fazer suco de laranja, alguém quer?- Perguntou o Tio delas, Willian, o mesmo usava uma blusa azul escura com uma calça jeans preta e um tênis escuro bem bonito e como sempre, sua toca preta.

 

-Eu não, obrigada.- Respondeu Crystal mordendo uma torrada.

 

-Eu aceito.- Respondeu Madison levantando um copo que logo foi preenchido pelo líquido meio amarelado.

 

 

-Sobre o que estão conversando?- Perguntou o tio se juntando a elas na mesa e já pegando uma torrada que estava no prato com mais várias outras.

 

-Estávamos lembrando agora de quando íamos para o porão da casa da minha vó e você ia lá brigar com a gente às vezes.- Madison não percebeu que Willian não gostou muito de lembrar dos momentos do porão.

 

-Está preparada pro primeiro dia de aula?- Perguntou de volta mudando de assunto.

 

-Ai, nunca é bom ser a novata, mas fazer amizades novas é bem legal, e bom... eu sou uma Montenegro, não vou perder a oportunidade de arrasar.- Madison falou em tom irônico mas tinha um pouco de verdade, os Montenegros nunca faziam algo sem chamar a atenção.

 

-E você, Crystal?- Perguntou o tio à sobrinha depois de rir da outra.

 

-Normal, só meio ansiosa, espero que esse ano seja completamente o oposto do ano passado.- Ela por um momento se lembrou dos acontecimentos que houve e mudou o semblante, mas logo voltou a ficar feliz.- Esse vai ser completamente diferente!

 

-Não com essa roupa, nunca troca o estilo.- Disse Willian rindo reparando no vestido azul escuro meio justo com detalhes de renda preta nas alças, um tipo vestido de Crystal.- Estão pretendo ir a um desfile ou a uma escola?- Perguntou se referindo a Madison também, que usava uma blusa de manga comprida rosa e uma saia branca bem linda. Ambas usavam saltos, a ruiva usava um preto e a loira um branco.

 

-Ir a escola mas com vontade de ir a um desfile.- Respondeu a loira.

 

-Então vamos? Estamos começando a ficar atrasadas.- Disse Crystal.

 

-Ok.

 

 As duas se levantaram e se despediram do tio. Foram até o sofá, pegaram suas bolsas com os cadernos e alguns livros nas mãos e foram pro carro, ruma a escola.

 

 

 

Chegaram na escola, os irmãos que todos conheciam, todos comentavam, que todos tinham um pouco de medo de conversar, e isso não mudou o fato de que quando atravessaram a porta de entrada, pareceu que todos se calaram e começaram a encara-los e a sussurrar entre si.

 Mike revirou os olhos e continuou seu caminho até sua sala, Elena não fez o mesmo e foi até a Isabella, que tirava uns livros de seu armário.

 

-Bu!- Disse Elena colocando os braços nos ombros da loira que deixou todos os livros caírem por causa do susto que levou.

 

-Seu vaca!- Disse colocando a mão no peito.- São quase sete horas da manhã e você assustando os outros?!- Elena começou a rir muito da amiga, e logo a abraça, bem apertado matando as saudades de terem ficado um tempinho sem se verem.

 

-Cadê o Henrique?- Perguntou a morena.

 

-Ele foi no aeroporto buscar um amigo dele.- Respondeu fechando su armário.

 

-Amigo? Da outra cidade?- Ela ficou meio confusa.

 

-Sim, parece que os pais dele o mudaram de cidade quando os assassinatos começaram lá, ficaram com medo.- Respondeu esclarecendo as dúvidas.

 

-Quem me dera ter pais protetores assim. Meu pai não me ligou até hoje, acho que ele nem sabe sobre tudo que aconteceu.- Elena ficou bem indignada.

 

-Nossa, mas sua mãe não avisou ele?- Perguntou a loira curiosa. 

 

-Não sei, me parece que eles estavam brigados quando ele viajou, eu nunca perguntei, mas acho que eles terminaram antes de ele ir até hoje não contaram pra mim e pro Mike.- Contou a morena surpreendendo Isabella.

 

-Nossa, mas não pensa assim não, só deve ser algum mal entendido.- Consolou a loira.

 

-Espero que sim. Mas e a Crystal?- Perguntou mas percebeu que não precisava mais da resposta.

 

 Crystal e Madison chegaram na escola, atraindo olhares de todos. Pareciam ter ensaiado essa entrada por muito tempo, pois foi perfeita, passos iguais, mesma postura, mesmo sorriso nos lábios, e a mesmo expressão. Que são da mesma família isso não podia se negar, era óbvio a todos. Elas foram até Elena e Isabella, as três pareciam três crianças quando se abraçaram, Madison até sentiu um pouco de vergonha alheia e ficou com vontade de rir, mas controlou a risada.

 

-Nossa, continuam com o mesmo estilo.- Crystal disse referindo-se as roupas das amigas. Elena usava uma calça jeans azul escura com uma blusa preta e uma jaqueta jeans aberta e Isabella usava uma calça branca com uma blusa da mesma cor por baixo de um casaco marrom bem fino.

 

-Gente, essa é Madison, ela é minha prima que se mudou pra cá.- Apresentou Crystal sua prima as amigas. Ambas sorriram uma para outra como se fosse um “Prazer te conhecer”

 

-Você sabe que sala vai ficar?- Perguntou Isabella para a prima da ruiva.

 

-Só um minuto.- Respondeu pegando uma folha dentro da sua mochila.- Sala 16.-

 

-Ah, você vai ficar na sala do meu irmão.- Comentou Elena.- Eu te levo lá, encontro vocês na sala.- Falou Elena e Madison mais as outras concordaram.

 

-Por que veio para Marsh of Souls?- Perguntou a morena tentando puxar assunto.

 

-Meus avós morreram e Crystal e nosso Tio Willian eram os únicos parentes vivos que eu tinha, ai eu conversei com o conselho tutelar e eles deixaram eu ficar com meu tio, que já estava cuidando de Crystal.- Respondeu como se tivesse decorado tudo aquilo.

 

-Está gostando da cidade? Tirando o que houve ano passado.- Ela não queria ser intrometida de mais na vida da garota, só queria puxar assunto mesmo.

 

-Ah, é bem lindo aqui, cheio de árvores, lugares para se divertir, na minha outra cidade não tinha nada disso.-Respondeu animada.

 

-Realmente.- Concordou.- Bom, é aqui.- Parou na frente de uma porta com uma placa escrito “16” grudada nela.

 

-Obrigada.- Agradeceu.

 

-Boa sorte.

 

 

 

 Já estava impaciente, fazia quase duas horas que esperava o avião chegar, teve que acordar de madrugada pra ir buscar o amigo e até agora não chegou, até voltou pra casa, trocou de roupa e quando voltou ao aeroporto nada. Pegou o celular pra avisar que iria ligar para algum táxi ir até o aeropostal e esperar ele, mas guardou o celular de volta quando viu um avião lá aterrissando na pista.

 Logo bateu uma felicidade, uma felicidade meio instantânea, fazia muito tempo que não via ele, nem se lembrava dele direito mais e quando soube que ele estava voltando pra cidade, logo ofereceu seu apartamento.

 

 Os passageiros do avião começaram a passar por uma porta que da pista entrava no aeroporto. Henrique esperava o amigo de braços cruzados mexendo e levantando o pescoço pra procurar ele na multidão que havia se formado ali. O garoto usava uma blusa preta com uma jaqueta da mesma cor e uma calça jeans azul escura com botas marrons bem bonitas.

 

 Percebeu que no meio da multidão tinha alguém meio perdido na multidão, um rapaz bem jovem, com uma mala nas mãos e mochilas na costas, usava roupas bem parecidas com as de Henrique, porém com cores e tons diferentes, mas o mesmo estilo. Ele reconheceu e logo gritou seu nome e levantando os braços pra sinalizar.

 

-STEVE!- Gritou agora com as mãos na boca pra ajudar a ficar mais alto. Dessa vez o rapaz percebeu.

 

 Steve foi até o amigo com um sorriso bem largo no rosto, não conseguia disfarçar a felicidade. Quando se aproximou, largou a mala e abraçou Henrique como nunca.

 

-A quanto tempo em cara?!- Brincou Henrique colocando as mãos nos bolsos da jaqueta.

 

-Pois é, precisamos conversar sobre muita coisa.- Respondeu o rapaz de olhos verdes.

 

-Então vamos, mas você vai ter que se segurar firme com essa mala entra nós.- Disse Henrique.

 

-Ué, a gente não vai de táxi não?- Perguntou.

 

-Pra que táxi quando se tem um moto?- Em tom irônico puxou a chave de sua moto do bolso impressionando o amigo.

 

-O que?! Você comprou uma moto?!- Steve ficou surpreso ao ouvir aquilo.

 

-É uma longa história.- Respondeu.

 

-Então vamos, mas eu vou dirigindo.- Falou rindo.

 

-Ata, vai sonhando.- Respondeu rindo também.

 

 Os dois foram abraçados até a moto de Henrique, queriam colocar tudo em dia, e o de olhos castanhos não sabia como contar para o amigo o que passou no ano passado, não sabia quando, onde e nem como, mas sabia que alguma hora esse assunto viria.

 Mas por enquanto, só queria aproveitar e botar o papo em dia, mas depois da escola, que já estava atrasado. Chegaram na entrada do prédio e pararam.

 

-É apartamento 201 no quinto andar, essas são as chaves das portas de lá. A que tiver uma marca de arranhão é o meu quarto, a porta ao lado é o seu. Mais tarde eu volto e a ente conversa melhor, ok?- Disse Henrique passando todas as informações.

 

-Beleza.- Respondeu tirando o capacete e entregando para o moreno que ainda estava em cima da moto.- Que horas você volta?

 

-Três horas no máximo eu já estou aqui.- Respondeu.- Até mais.

 

-Até.- Disse acenando e logo viu a moto dar partida e sair.

 

 

 

 A hora do almoço tinha chegado e todos se reencontravam no refeitório, onde se encontravam vários amigos se abraçando, conversando e matando a saúde que sentiram durante as férias. Já outros continuavam isolados e em seus cantos.

 Mike não conversou com quase ninguém, não queria e mesmo que quisesse não iria, todos tinham medo de serem amigos dele, menos uma pessoa: a prima de Crystal. Os dois se deram super bem, quem visse pensava que eles já eram amigos fazia bastante tempo, mas o garoto não sabe se ela conhece ou não a historia do que ataque pelo qual Marsh of Souls passou e muito menos sabia que ele estava no meio. Mas ele não sabia que Madison era prima de Crystal e já sabia da história toda. Os dois chegaram na mesa onde os outros estavam e começaram a conversar, até Edward aparecer e estragar o clima.

 

-O que você quer?- Perguntou Crystal.

 

-Quero perguntar pra vocês, sobreviventes de Marsh of Souls, como é saber que se livraram da morte em pessoa?- Edward usava seu celular como microfone e gravava toda a conversa. Vestia uma camisa xadrez azul e branca com uma calça preta e um all star marrom e branco. Também usava óculos bem estilosos pra falar a verdade.

 

-Não sei, mas vou ver como me livrar de um babaca agora mesmo.- Respondeu Elena com ironia na voz.

 

-A pobre Elena, que perdeu todos os amigos pelo antigo crush de infância. Como foi saber que era o Jonathan? Todos do blog querem saber.- Provocou Edward.

 

-Não é da sua conta, e agora sai daqui, a gente tá querendo comer.- Crystal também já estava perdendo a paciência.

 

-Já que você tocou no assunto, você ainda sente dor nas mãos? Ouvi dizer que você nem conseguia fazer aquelas coisas.- Ele provocava e provocava cada vez mais, não ligando se chateava ou não a pessoa.

 

-Escuta aqui.- Disse a ruiva se levantando.- Se você não sair daqui agora, eu vou fazer se arrepender de ter tentando provocar eu e meus amigos.

 

-E vai fazer o que? Chamar seu irmão pra me bater?- Aquilo foi pior que um soco em Crystal.- Ops, ele não está aqui, ele perdeu a cabeça de vez né?!

 

-Já passou dos limites Edward.- Falou Henrique se levantando entrando  na frente Crystal, viu que ela não ia aguentar enfrentar ele por muito tempo e decidiu ajudar a amiga.- Melhor você sair.

 

-E vai fazer o que? Me bater? Parece que não foi muito inteligente quando lutou contra o assassino, acha mesmo que pode me intimidar?- O garoto de óculos parou de gravar a conversa e guardou o celular.

 

-Escuta, não vou cair na sua provocação, mas se você acha que é certo usar a morte do irmão de uma pessoa para provocar ela, você é muito podre e um grande idiota.- Henrique falava aquilo com todo o controle do mundo, as idas na terapia devem ter ajudado muito.

 

-Vaza Edward, ninguém te quer aqui.- Falou Isabella que até então estava calada.

 

-Tô falando com a mula, não com os carrapatos.- Provocou mais uma vez.

 

-E a mula aqui vai te dar um coice bem na boca se não sair daqui a agora.- Ameaçou Henrique.

 

-Ei, Edward, ou melhor, Binguiguinha, abaixa a bola se não esse apelido ira retornar, e eu vou confirmar esse acontecimento.- Falou Crystal pegando seu celular e mostrando uma foto para o loiro de olhos azuis, que pareceu ter visto uma coisa que não queria.- Quer jogar sujo? Então vamos, mas eu não entro no jogo pra perder.

 

-Vadia.- Disse a ela.

 

-Igual a sua mãe.- Respondeu a ruiva.

 

-Pelo menos eu tenho uma.- Arrebatou.

 

 Antes de Crystal rebater novamente, Madison entrou no meio e já foi metendo o soco no rosto dele, que antes de reclamar recebeu mais da um mesma, que logo foi puxada por Mike, e o mesmo estava surpreso com a atitude da loira.

 

-VOCÊ FICOU MALUCA GAROTA?- Gritou Edward no chão com o nariz sangrando.

 

-O que está acontecendo?- Perguntou o zelador entrando no meio da biga que poderia piorar.

 

-Essa idiota do nado me agrediu do nada.- Reclamou o loiro se levantando do chão ainda com o nariz sangrando.

 

-Você humilha minha família e ainda reclama?! Tem sorte de eles terem me segurado.- Madison estava muito estressada.

 

-Sua família?- Perguntou Edward, pelo visto ele também não sabia que ela era prima de Crystal.

 

-Eu sou prima da, Crystal, idiota.- Respondeu.

 

-O que?!- Murmurou Mike tão baixo que ninguém escutou.

 

-Parem de discutir, vamos agora, os quatro para a diretoria.- Disse o zelador.

 

 Antes de alguém reclamar ou dizer alguma coisa, todos do refeitório, que por sinal estavam formando uma roda em volta da briga, escutaram um grito muito alto. Todos foram até a quadra, que era bem perto do refeitório, e lá tinha um telão branco, onde se passava um vídeo.

 Esse vídeo trouxe péssimas lembranças, muitos enjoos em alguns e principalmente muita raiva nos “Sobreviventes de Marsh of Souls”.

 O vídeo que se passava, era o mesmo que se passou na festa de Crystal, porém com algumas mudanças. Ao invés de pontuar os culpados por cada morte, só mostrava as pessoas morrendo mesmo. Os gritos de dor, as ânsias de vômitos que alguns sentiam só aumentavam a cada morte. O zelador e o diretor mais o restos dos funcionários tentavam acalmar aquilo e tirar o vídeo do ar, mas ninguém conseguia, quem tiver colocado planejou muito bem.

 A raiva e o ódio de Crystal começou a aumentar cada vez mais quando mostrou a morte de seu pai, Madison já não se segurou e soltou algumas lágrimas, ela não sabia a forma que ele tinha morrido. A última morte mostrada, foi a de James, que emocionou muito Elena, ela não queria relembrar que ele morreu salvando ela.

 Finalmente o vídeo acabou, pensaram todos quando a tela ficou preta. Errados, logo começaram a surgir letras na tela, letras que formavam palavras e juntas montaram uma frase. Frase a qual amedrontou muitos ali.

 

Não se enganem, o jogo só termina quando todos os peões estiverem mortos!”


Notas Finais


Pra quem quer saber como são os personagens novos, e assistir ao trailer da segunda temporada é só ir na pagina https://www.facebook.com/TheMaskedIronico/?ref=bookmarks
Até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...