1. Spirit Fanfics >
  2. KnockOut- YoonMin >
  3. K.O.- Nocaute

História KnockOut- YoonMin - Capítulo 17


Escrita por: guinhos_waifu

Capítulo 17 - K.O.- Nocaute


— E então?

Yoongi levou a cabeça, encarou a psicóloga que ainda escrevia o que ele tinha acabado de contar. Estava no consultório dela e sinceramente não gostava muito daquela mulher, o que não fazia por Jimin…

— Então Jimin pôde reagir, chutou ele. J. Pearl teve que tirá-lo de cima do Bambam, mas deu tudo certo. Para trazê-lo de volta demorou dias até que conseguíssemos tramar uma história que parecesse real o suficiente.

— Você acertou algum órgão vital?

— Não, acertei a parte de trás do joelho dele.

— E como você se sentiu com isso? Foi a primeira vez que você atirou contra alguém?

— Eu já tinha feito isso antes, mas não com um alvo tão claro… Eu me senti…- deu de ombros— Aliviado? Eu finalmente poderia ter meu noivo em meus braços.

— E você acha que a relação de vocês é algo saudável?- ela retirou o óculos, encarando o loiro.

— Acho que sim. Nunca tivemos grandes brigas ou coagimos um a fazer o que o outro quer. Na verdade, a gente sempre conversa bastante.

— E você acha que tudo isso que gira o relacionamento de vocês, é algo normal?

— Óbvio que não. Não preciso nem pensar para responder isso. Ser sequestrado porque um cara é obcecado pelo meu namorado desde quando eles eram crianças e que tudo piorou porque ele estava começando a traficar e Jimin derrubou isso… Não é algo que passaria na minha mente.

Ela respirou fundo, voltou a encarar o que tinha anotado naquela consulta.

— Vou encerrar hoje por aqui. Sabe que qualquer coisa é só me ligar, né?

— Sim.- se levantou, colocando as mãos no bolso.

Saiu dali sem nem se despedir, não se importava em demonstrar como não gostava dela ou de estar ali, apesar de sempre deixar claro que estava ali para ajudar.

Tinham se passado quatro meses desde quando tudo aconteceu. Bambam e Mark estavam aos cuidados de J. Pearl, apesar de ter dado bastante discussão de quem ficaria responsável pelos dois, como a maior traição tinha começado em Seoul, Jimin acabou cedendo.

Ouviu uma música conhecida e sentiu vergonha quando percebeu que era seu celular, inclusive Jimin ligando, atendeu enquanto ainda caminhava até o carro.

— Cadê. Você?

— Estou saindo da terapia, por que?

— Não me diga que você esqueceu.

— Não, amor, estou indo agora. Porque você está bravo?

— Você está atrasado, Yoongi. Parece que eu sou o único que se importa com isso tudo.

— A psicóloga fez duas sessões hoje, eu já estou indo, Jimin. E não fale esse tipo de coisa, sabe que eu me preocupo tanto quanto você.

— Não é o que parece!- A voz do outro lado ficou trêmula, Yoongi alcançou o carro e entrou.

— Amor. Calma. Em dez minutos eu estou aí.

Jimin suspirou do outro lado antes de desligar, por Deus, ele tinha se transformado no noivozilla. Sabia que planejar o casamento era estressante, por mais que não fosse uma cerimônia exorbitante, o mais velho tinha enfiado na cabeça que não iria precisar de um profissional para isso então estava responsável por tudo. Inclusive todo o estresse de lidar com aquilo pela primeira vez e como Yoongi tinha voltado a treinar, era difícil conseguir conciliar tudo.

Diminuiu a velocidade do carro, olhando os números dos comércios até achar o que procurava, inclusive Jimin estava sentado na calçada com a cabeça baixa, o mais novo não duvidava que estava chorando. Achou uma vaga próxima, tentou descer se esquecendo do cinto e assim que conseguiu alcançar o noivo arfou cansado.

— Porque você não começou sem mim?- Se abaixou em frente ao moreno, já que ainda não tinha voltado com o cabelo no tom rosa.

— Não queria começar sem você, quero fazer isso junto.- o queixo tremia, tentando segurar a emoção.

— Então vamos entrar. Está frio aqui fora e não quero você doente.- Segurou as mãos gordinhas e o puxou para se levantar.

Jimin ainda fungou algumas vezes, deitou a cabeça no ombro do loiro. Yoongi segurou sua cintura e abriu a porta para que o mais velho entrasse primeiro, o lugar cheirava a baunilha e o calor fazia com que fosse ainda mais aconchegante.

— Oi.- A atendente se aproximou— Posso ajudar?

— A gente tem a prova de bolo às dez.- Yoongi tirou o casaco e Jimin fez o mesmo.

— Ah, Jimin e Yoongi?- O mais velho assentiu.— Achei que vocês não viriam, mas vou levar vocês até o escritório.

O Park pareceu mais animado, se soltando um pouco do mais novo. Foram até o escritório, onde a dona da confeitaria os esperava com um sorriso no rosto. Yoongi viu Jimin, aos poucos, se soltar, como se não estivesse prestes a chorar minutos atrás, ainda conseguia perceber como ele estava triste e começou a se sentir mal. Iria deixar aquilo para depois, não era hora de conversarem sobre aquilo.

Pegou uma colher, experimentando um pouco do bolo e automaticamente fez uma careta.

— O gosto é um pouco forte, não é?- Jimin sorriu de canto.— O que acha de um sabor mais tradicional?

— O que você considera tradicional? Chocolate?- O loiro pegou o copo de água para tirar aquele sabor horrível da boca.

— Se você quer um bolo de chocolate, eu posso fazer.- Jimin pegou mais um pedaço do bolo que o mais novo não tinha gostado.

— Espero que seja só para mim, não quero compartilhar seus dotes culinários com mais ninguém.- encarou o outro bolo que tinha uma massa vermelha.— E esse?

Puxou o prato para perto, não pensou duas vezes em pegar uma boa porção e colocar dentro da boca.

— Esse é o bolo veludo vermelho, é feito com cream cheese e a massa de beterraba.

— Beterraba?- Jimin fez uma careta enquanto o Min pegava mais um pedaço generoso do bolo.

— É gostoso, amor, prova.

O moreno pegou uma lasca do bolo, ainda com uma careta no rosto. Encarou Yoongi, ele estava olhando a quantidade quase inexistente do bolo na colher. Jimin resmungou, pegou uma quantidade considerável, fechou os olhos e colocou na boca.

— E aí?- Esperou uma reação do noivo que mastigava sem parar.

— É gostoso.- pegou mais um pedaço — Se fosse usar esse sabor, como seria a decoração?

— Seria algo com chantilly ou só o açúcar polvilhado em cima com algumas frutas vermelhas.- A confeiteira começou a desenhar como ficaria, mas o mais velho aumentou a careta.

— Acho que com a pasta americana fica uma decoração mais bonita.- cutucou o bolo, começando a desanimar.

A confeiteira parecia um pouco desconcertada pela sugestão.

— Bom, o gosto do cream cheese não ornamenta com a pasta americana.

— Amor. Ninguém come pasta americana.- Yoongi o encarou, do jeito que Jimin era teimoso, capaz de colocar por conta própria.— Só serve para decoração mesmo, porque não coloca algo comestível em cima do bolo?

— A pasta americana é comestível.- a confeiteira interveio, um pouco ofendida.

— Mas não muda o fato que é ruim.- o loiro deu de ombros e voltou a olhar o Park— Se você quiser, pode colocar no bolo de chocolate que vai fazer.

Jimin assentiu e aceitou a outra decoração para o bolo. Ainda tinham que decidir os docinhos, mas o moreno já se mostrava desanimado, Yoongi até perguntou se queria remarcar, mas o moreno negou, então eles continuaram discutindo quais doces seriam melhores para servir.

Quando saíram de lá, Jimin foi caminhando na frente até o carro e o mais novo já sabia que não viria coisa boa. Por mais que o moreno estivesse com a chave, o boxeador que iria dirigir, entrou no carro e esperou que o Park começasse a falar, mas o que ouviu foi fungadas baixas.

— O que foi?- encarou Jimin, começou a ficar preocupado.— Jimin, fala comigo.

— Não é nada.- A voz embargada dizia o contrário.

— Sabe que se quiser…

— Estou cansado, Yoongi. Eu não consigo ficar com você, quando você está de folga eu tenho que resolver as merdas da facção ou ir atrás das coisas do casamento, eu estou cansado.

— Amor, não tem problema contratar um..-

— Eu não quero! Não é só isso, Yoongi. Não sei como vou levar isso para frente.

— Como assim?

— Eu não sei…- o choro ficou mais forte, por mais que tentasse acalmá-lo não parecia o suficiente.

— Porque a gente não adia a data? Não tem problema nenhum nisso…

— Eu não queria adiar…- fez um biquinho, Yoongi não aguentou, começou a secar as lágrimas que desciam pelo rosto bonito que tanto amava.

— É o melhor a se fazer. Toma um tempo pra você, meu bem. Não adianta querer atropelar tudo.

Jimin assentiu, ainda de cabeça baixa. Bambam tinha revirado suas vidas, sem pudor algum por conta de uma queda no tráfico de Busan que tinha virado uma obsessão. Não sabiam ao certo que ordem as coisas tinham acontecido, mas foi o suficiente para mexer com o psicológico do casal. E o mais velho não assumia isso.

��

Yoongi queria ficar com Jimin, mas o moreno insistiu para que ele fosse treinar. Garantiu que ficaria bem, teria um dia de folga para cuidar de si, então o loiro não tinha o que fazer a não ser dar o espaço que ele queria.

Se jogou no chão da academia que estava retomando sua movimentação aos poucos, tentou controlar a respiração que estava desregulada por conta do cansaço, Yugyeom estava ao seu lado, checando o batimento cardíaco.

— Você não parece bem.- o médico ainda estava com a atenção na prancheta.

— Jimin não está bem e isso tem me incomodado muito.

Jeongguk se aproximou com um sorriso presunçoso.

— Pelo menos dessa vez não está interferindo nos treinos. O que aconteceu?

Yugyeom entregou uma garrafa de água para o boxeador, ainda estavam na tentativa de fazer Yoongi ganhar peso.

— A gente vai adiar o casamento, ele está arrasado.- Deu um longo gole na garrafa.— Mas vai ser melhor assim, ele não está bem.

— Até achei estranho depois logo em seguida vocês marcarem a data.- Yugyeom comentou— Mas, é coisa que vocês resolvem.

— E você, Yoon? Como está com tudo isso?- Jeongguk mordeu o canto do dedo, obviamente queria continuar com os treinos e levar Yoongi para as competições, mas sabia dos limites dele, principalmente da parte emocional.

— Preocupado.- Deu de ombros— Isso tudo é uma merda e não tem nada que eu possa fazer por ele. Sem contar que… argh. Esquece.

Não era culpa do Park, sabia disso, mas era frustrante tentar se aproximar e não conseguir. Jimin o evitava, chegando até dormirem em quartos separados e isso parecia acabar cada vez mais um pouco consigo.

— Quer que eu te libere mais cedo? Não é como se você precisasse de todo esse treino agora…- o treinador continuou a morder o canto dos dedos.

— Não. Ele pediu um tempo sozinho, vou continuar por aqui.

— Mas num apartamento daquele tamanho, poderia negociar quem ficaria de qual lado sem problema algum.- Os dois encararam o médico— Estou mentindo?

— Não. Mas deixa ele, é a única coisa que eu posso fazer por agora.

Se levantou abrindo e fechando as mãos, colocaria a luva em alguns minutos, ainda estranhava a sensação depois da lesão no ombro.

Era difícil não pensar em tudo o que Jimin tinha lhe falado, como se sentia sozinho, ainda mais depois de tudo o que aconteceu, mas como Yoongi mostraria apoio, ainda mais que os treinos só tinham começado, quando começassem as competições mesmo… Parou onde estava e franziu o cenho.

— O que foi? Está se sentindo mal?- o médico se aproximou.

— Eu acho… Eu acho que sei o que fazer para o Ji.- Levou a mão no queixo— Jeongguk, onde foi que você adotou o Gureum?

— Você vai levar um cachorro daqui até Daegu?

— Qual o problema? Ele teria tempo o suficiente para ficar sozinho enquanto escolho um cachorro.

— Em Daegu não existe canil?- Yugyeom alfinetou.

— Quais as chances dele descobrir em minutos? É pra ser uma surpresa.

Jeongguk revirou os olhos, é, Yoongi realmente estava de volta.

— Taehyung tem o contato do canil, manda mensagem para ele depois.- Pegou as manoplas de cima da mesa— Já que você vai ficar por aqui, vamos continuar o treino.

Yoongi sorriu de canto e subiu no ringue. Queria fazer uma surpresa para Jimin, esperava que ele gostasse, obviamente tinha tudo para dar errado, mas não se prenderia a isso. Sabia que ficaria cada vez mais ausente, logo quando o Park mais precisava, talvez devesse voltar aos ringues no ano seguinte? Não via problema algum em adiar mais um pouco se Jimin precisava de si.

O restante do treino não foi nada demais, já que até Jeongguk estava um pouco fora de forma, o loiro também queria guardar um pouco das energias para dar atenção que seu noivo precisava. Tomou um banho e saiu da academia com um plano traçado em mente, iria primeiro ao mercado, comprar as coisas que Jimin gostava de comer e beber, depois iria encontrar Taehyung no canil, não tinha o que dar errado.

Assim que chegou em casa, meio atrapalhado em carregar tudo até o apartamento, estranhou a música baixa ligada. Colocou a cesta (que acabou comprando pronta e trocou algumas coisas) e a caixa com o filhote em cima da bancada da cozinha.

— Amor?- chamou para dentro do apartamento, já caminhando para o escritório e depois para o quarto— Jimin? Está em casa?

Entrou na suíte e encontrou Jimin jogado dentro da banheira, com um charuto entre os lábios, as mãos enfaixadas porcamente com marcas de sangue. Os fios, novamente rosa, estavam caídos nos olhos, enquanto a fumaça do charuto saía do canto dos lábios.

— Encontrei o J. Pearl, ele me deu uma oportunidade de ouro.

Yoongi fechou os olhos, em sua cabeça paranóica o Park tinha matado Bambam, era a única opção para ele estar tão transformado daquela forma.

— E então?

— Eu não consegui nem chegar perto dele. Eu falhei, gatinho.

O loiro soltou a respiração, aliviado. Se tinha ido para cima do tailandes aquela vez por conta do que lhe tinha feito passar, não podia imaginar o que Jimin poderia fazer.

— Você fez o certo. Vem, vamos para a sala, tenho uma surpresa para você.

Estendeu a mão para o mais velho que fez um certo esforço para alcançá-la e o puxou para fora, por falta de equilíbrio Jimin acabou trombando contra Yoongi e arfando com o ato. Olhou bem o peitoral do mais novo, que por mais que estivesse coberto com uma camiseta de manga longa, lembrava bem como aquele corpo era definido, passou as mãos nos braços que estavam em volta de si.

— Você bebeu?- Jimin soltou lentamente a fumaça próximo à boca do mais novo— Se Jeongguk souber que estou fumando.

— Não é diretamente.- Segurou entre os dentes o lábio inferior do loiro.— Não tem problema.

Yoongi segurou sua mão, retirando o charuto da mão do mais velho e colocou em cima da pia, o puxou para fora do banheiro, olhando aquelas bandagens improvisadas.

— Acho que preciso praticar mais.- o loiro apenas assentiu, o levando para a cozinha.— Não sei porque achei que seu presente era na cama…

— Não vou transar com você hoje, Jimin, sinto muito.

O róseo se jogou no sofá, já emburrado, o loiro não se abalou com aquela manha, pegou primeiro a caixa e colocou no colo do mais velho, Jimin o encarou e começou a abrir.

— O que é isso?- Começou a sorrir, que aumentou ainda mais quando viu o filhote branquinho ali dentro— É sério?

O Park pegou o cachorrinho que logo começou a lamber seu rosto, Yoongi não conseguia deixar de sorrir. Por mais que Jimin estivesse levemente alcoolizado, parecia verdadeiramente feliz com o novo membro da família. Sem que o mais novo esperasse, o puxou para um beijo com sabor de chocolate, por conta do charuto, suspirando pelo carinho que finalmente recebeu do noivo.

— Obrigado.- Jimin sussurrou após se afastar— Não tem noção o quanto isso me fez feliz.

Yoongi sorriu, se sentiu útil e muito bem em finalmente colocar um sorriso naquele rosto, por mais que soubesse que fosse um pouco exagerado por conta do álcool, valia a pena. Os olhos pararam no cachorro que andava pela sala, cheirando todo canto, a ficha finalmente caiu sobre como as coisas estavam sérias: agora tinham uma família ou algo parecido com isso.

— Você precisa educar ele, antes que ele marque território na casa inteira.

— Você vai me ajudar, não é? Afinal de contas é o nosso filhote.- Jimin começou a ver a bolinha de pelos descobrindo o apartamento— Você comprou mais o que para ele?

— Ah, o Taehyung me indicou algumas coisas, principalmente um cercadinho. Nossa, isso chega a ser engraçado, isso é tão estranho.

— Ter um bichinho comigo? Para de ser besta, Yoon, a gente já mora junto há um tempo. Sem contar que a gente está planejando nosso casamento, lembra?

O loiro sorriu, estava se sentindo tão feliz, depois de toda aquela loucura, estava numa calmaria estranha, se dando conta do que estava acontecendo.

— Eu te amo.- Nunca tinha duvidado de seus sentimentos pelo mais velho, mas parecia ter mais certeza a cada dia— Mas você precisa parar de socar a parede, ok?- segurou as mãos de Jimin, começando a tirar as ataduras.

— Como você sabe que eu soquei a parede?- fez uma careta ao sentir Yoongi apertar os nós dos dedos.

— Sério? Esqueceu que eu luto faz anos?

— Você também já descontou raiva na parede?

— Colocou a mão no gelo?- O róseo negou— Então vou pegar um baldinho com gelo para você.

Se levantou e parou, se deparando com a cena do novo membro da família defecando no meio do tapete.

— O cachorro também é seu.- Jimin apontou para o loiro que respirou fundo.

— Então vou ter que tomar seu presente.- Deu de ombros. foi até o banheiro e pegou o papel.

— É isso aqui?- Jimin estava fuçando na cesta que nem tinha sido entregue.— Você comprou meu vinho?!

— Uma pena que você já bebeu sozinho, não é?

O boxeador ficou focado em limpar o tapete, mas não tinha jeito, teria que mandar lavar. O mais velho ainda estava fuçando em seu presente.

— Você deveria ter me avisado…

— Mas aí não seria uma surpresa.- Enrolou o tapete e o colocou na varanda, fazendo uma nota mental de não esquecer no dia seguinte, encarou o róseo que ainda estava entretido no presente.

Tinha achado uma ideia boa morar temporariamente com o mais velho, por questão de segurança, o que ele sabia que tinha sido uma desculpa conveniente para se aproximar ainda mais de Jimin. Ver tudo o que passaram para chegar naquela situação, era possível ter uma cena mais casual que aquela? Já se sentia no céu, estar ao lado do róseo, por mais que tenha lhe causado uma cicatriz enorme no rosto. Ainda tinha duas coisas que Yoongi almejava e faria de tudo para isso, oficializar o casamento e conseguir o mundial de boxe. Sentia que os dois estavam cada vez mais perto.

��

O boxeador estava sentado na arquibancada, assistindo uma luta que tinha o interessado desde que viu os dois pugilistas. Pela primeira vez se sentia completamente relaxado, por mais que a quantidade de olhares em cima de si fosse maior do que a última vez que lutou e ter Jimin deitado e dormindo no seu colo não ajudava muito.

Desde que Ddosun tinha entrado para a família a vida do casal tinha melhorado, Yoongi sabia que não era só por causa disso, mas o mais velho realmente tinha ficado mais animado com o bichinho. E uma coisa resultou na outra, o róseo começou a falar um pouco sobre o que tinha passado, mas ainda dava para perceber o trauma e como era difícil falar aquilo.

O Min levou a coqueteleira a boca e franziu o cenho, a luta estava seguindo de forma preguiçosa, os dois atletas já tinham tomado falta. Decepcionante.

— E aí?- Yoongi se virou, viu Jackson se aproximar um pouco incerto— Não vou atrapalhar, né?

— Não, se ele conseguiu dormir nesse caos todo, não vai ser com a nossa conversa que ele vai acordar.

Jackson sorriu, finalmente se aproximando e sentou ao lado do loiro.

— E como está sendo voltar? Você passou por muito no ano passado.

— Incrível. Senti muita falta dos ringues, posso dizer que foi… não sei, inesperado?- encarou os fios rosa espalhados nas suas coxas, é… inesperado parecia uma boa definição.— Mas a dificuldade também aumentou, parece que muita gente decidiu entrar no boxe.

Jackson riu anasalado.

— Muita gente acha que dar alguns socos no namorado Kitty alivia alguma tensão.

— Tudo isso por causa de mim? Me sinto lisonjeado.- levou a mão no peito de forma dramática, mas já tinha ideia de que era por conta disso.

Nas lutas contra as outras academias conseguiu perceber isso e também como na maioria das vezes só iam para cima de si com certo ódio. Acabava sendo divertido, no final das contas.

— Mas é bom de certa forma.- Jackson continuou— Movimenta as lutas e as pessoas ficam sabendo do esporte.

— Você é bem otimista.- afagou o cabelo do noivo que tinha se esforçado tanto para estar ali.

E não era por menos, o tanto que Yoongi tinha falado das nacionais que Jimin até chegou a comparar com uma criança tendo um passeio da escola.

— Vai falar que não gosta de ter novos oponentes? Ver novos métodos de luta?

O loiro riu anasalado e desviou o olhar, vendo Seokjin e Namjoon se aproximarem. Eles cumprimentaram Yoongi e Jackson, Namjoon ficou parado ali enquanto o mais velho desceu alguns degraus para se sentar.

— Então.- O boxeador o encarou parado ali como um idiota— Jeongguk veio?

— Ele está lá fora, no celular, mas já tem um tempo, daqui a pouco ele volta.

O Kim assentiu, abriu a boca de uma forma que parecia que iria dizer algo, os olhos caíram em seu colo, onde Jimin estava alheio de tudo, mas ele apenas negou e foi até Seokjin.

— O que foi isso?- Jackson riu soprado.

— Longa história, mas em resumo ele foi muito babaca com a gente.

— O seu patrocinador?!

— Como eu disse, longa história.

Jackson ainda ficou ali, jogando conversa fora enquanto não chegava a hora da luta, nesse tempo o treinador até voltou e Yugyeom apareceu também, por mais que Yoongi não soubesse onde ele tinha ido antes. Depois de um tempo, Jimin finalmente acordou, mais mau humorado do que antes por conta das poucas horas de sono e muito incomodado pela forma que o amigo do Min o olhava.

— Não sabia que você tinha dopado seu próprio noivo.- Taehyung falou alto, ainda subindo a arquibancada— Apesar que te entendo, eu também faria isso.

— Porque você não vai se foder, Tae?- o róseo encostou no ombro do mais novo, fechando os olhos.

— Nah, estou muito bem servido.- Sorriu triunfante, apesar do Park não ter visto.— Achei que eu não iria chegar a tempo.

— Eu também achei.- O Jeon resmungou, mas logo colocou um sorriso no rosto quando o Kim o beijou.

— E você, perdeu alguma coisa na minha cara?- Yoongi franziu o cenho e encarou Jimin que ainda estava de olhos fechados.

— O que você está dizendo?

— Esse seu amigo idiota que não para de me encarar.- Foi um pouco para frente, olhando para o homem do lado do loiro.

— Eu?- Jackson arregalou os olhos.

— É, seu idiota. Desde a hora que acordei você não para de me olhar.

— N-não é por mal… é que… Você não se lembra de mim, não é?- Jackson tentou sorrir, mas a expressão de medo prevaleceu, transformando numa careta. Yoongi que estava no meio daquilo prensou os lábios, tentando segurar a risada.

— Que merda você está falando?- o róseo se levantou, o Min segurou sua mão, tentando acalmá-lo.

— Amor, por favor…

— A luta do Suga comigo. Você estava em Daegu e apostou em mim, mas acabei perdendo, ele falou para que você chupasse ele depois da luta.

Yoongi não aguentou e começou a rir, parecia mais ridículo ainda depois de tudo o que tinha acontecido e Jimin relaxou.

— Então foi você…- semicerrou os olhos— Você tem que estar no nosso casamento. Se você não tivesse perdido, não teria conhecido o Yoon.

— E você levou a sério a parte de chupar o Yoongi, hen?- Taehyung o cutucou com um sorriso malicioso, como se fosse necessário.

O róseo se virou para ele e foi para cima dele, lhe dando socos em seu braço e arrancando risadas pelas palavras nada bonitas dos dois. A cena obviamente chamava atenção, enquanto Jeongguk e Yoongi apenas ignoravam.

— Isso é normal?- Jackson ainda assistia os dois praticamente saírem no soco na arquibancada.

— Mais do que você imagina.- O loiro olhou de soslaio, Jimin se abaixou começando a rir.

A cena durou um pouco mais, até a atenção de todos ser chamada porque a próxima categoria seria a do Yoongi. O clima descontraído permaneceu, por mais que o loiro estivesse ainda mais quieto ainda e estivesse todo mundo em volta, Namjoon tinha contratado um fotógrafo para usar as fotos na próxima propaganda, obviamente que ele tinha a expectativa de ser um vestiário ou uma sala que fosse apenas para o boxeador, mas uma competição com tantas pessoas era um pouco diferente.

— Sabe que se não ganhar está tudo bem, não é?- Jeongguk se abaixou em frente ao boxeador.

— Porque você já está fazendo um discurso como se eu tivesse perdido? São só cinco lutas.

— Sim, mas você já percebeu que a dificuldade aumentou esse ano.

O loiro assentiu, ainda abrindo e fechando a mão para as bandagens não apertarem muito.

— Não se preocupe, Jeon. Eu vou ganhar.

Se levantou, começando a dar alguns pulos e com um sorriso de canto no rosto. Sempre que subia no ringue claramente era com o intuito de ganhar, mas ali era outro Yoongi e consequentemente outro Suga. Iria ganhar, não importava o quanto custasse do seu físico. Iria sair dali com a medalha de ouro, sendo o melhor pugilista do peso leve, não importava o que falassem, chegaria sempre mais alto.

��

As lutas passaram sem grandes problemas, Yoongi se sentia mais focado, analisando os movimentos dos adversários, tanto quando estava lutando contra eles quanto quando estava apenas de longe assistindo a luta. Se sentia bem, sem aquela ansiedade o desestabilizando e acabando com sua chance de chegar ao topo, colocou em mente que era uma luta de treino na academia e por conta de seu foco, tinha conseguido chegar a última luta.

O gongo soou, anunciando a pausa de um minuto que tinha, sentou no banco, praticamente desabando, precisa se manter um pouco melhor, mas o cansaço estava batendo tão forte.

— Você quer parar?- Jeongguk pressionava o saco de gelo contra o peito do loiro que estava completamente ofegante, a cabeça pendendo para frente.

— Você tem um humor muito duvidoso, Jeon.

O treinador sorriu, sabia que Yoongi iria responder isso, era a última luta, o adversário era um grande filho da puta arrogante, não que o loiro tivesse sido atingido pelas ofensas, na verdade estava pouco se fodendo para o que ele falava, só queria acabar logo com aquilo, mas o cansaço era inegável.

— Sabe que ele está mais cansado que você, não é?

— Eu vou arrastar essa luta, vou fazer um nocaute.

— Só tome cuidado que ele está indo para cima de você sem piedade alguma. Já está no terceiro round e por enquanto ele está tomando vantagem.

Yoongi assentiu,o juiz assoprou o apito, caminhou até o centro do ringue e o gongo soou indicando o começo do novo assalto. O loiro sabia que aquele cara era um pouco afobado, sempre se movimentando sem pensar muito em defesa, não parecia alguém familiarizado com o esporte.

Levantou a guarda, desviando dos jabs e diretos que o oponente dava, a forma que ele atacava era impensável, deixando a guarda completamente aberta apenas para tentar acertá-lo. Yoongi continuou a esquivar, até chegar nas cordas, acabou usando elas para ter força e esquivar para o outro lado, aproveitou o momento de distração do adversário e acertou um jab no rosto, fazendo com que cambaleasse para trás.

Continuou a movimentação, acertando o tronco do oponente, acabou sendo acertado de volta no rosto. Recuou um pouco, mas o outro foi atrás de si, o agarrando por mais que fosse contra as regras, o juiz se aproximou esperando que se soltasse, o loiro o empurrou aproveitando a abertura e encaixando um jab no queixo do adversário.

O gongo soou, indicando que o quarto round tinha terminado, pelo menos dessa vez sentia que tinha ido melhor do que nos outros assaltos, era só manter o ritmo que conseguiria levar a medalha de ouro. Sentou no banco e logo cuspiu o protetor para tomar um pouco de água.

— Você está indo bem, presta atenção na sua movimentação também, você está muito na defensiva.- Jeongguk secou o rosto do loiro, tentando aproveitar aquele pouco tempo que tinha para passar alguns toques que ele não estava conseguindo ver.

Suga apenas assentiu, sentindo o gelo ser pressionado contra o peito. Estava começando a ficar ansioso, querendo acabar com aquilo logo, sabia que tinha que ter cautela. Não estava prestando atenção no que o treinador dizia, era como se ele estivesse falando ao longe e o boxeador apenas assentiu.

O apito foi assoprado, o gongo tocou, Yoongi começou atacando, aproveitando o cansaço do adversário que nem levantava mais a guarda e apenas avançava em cima de si, focando em acertá-lo no tronco e no rosto que estava praticamente pedindo por isso. Com uma sequência de golpes ele começou a cambalear, se apoiar muito nas cordas e até a tropeçar, tentando se esquivar. O juiz viu aquilo como uma impossibilidade de continuar a luta, então deu como nocaute técnico, obviamente o oponente foi reclamar dizendo que poderia continuar a lutar enquanto o loiro já sustentava um sorriso no rosto. Tinha conseguido. Se aproximou do canto do ringue onde sua equipe estava, já sendo parabenizado, conseguiu ouvir pela primeira vez Jimin gritando como louco da arquibancada, apontando para o boxeador e dizendo que o amava.

O juiz o chamou para o centro do ringue e declarou a vitória, assim que passou pelas cordas, Jeongguk o abraçou com força.

— Parabéns, Yoon. Me orgulho muito de você.- o treinador se afastou, limpando as lágrimas de escorriam— Nem parece aquele cara que treinava naquela academia caindo aos pedaços, que vivia cheio de pneumonia por conta do mofo.

— Desse jeito que vou chorar também.- Sorriu para o mais novo, Yugyeom se aproximou para cumprimentá-lo também— E obrigado a você também, malditinho. Não chegaria muito longe se você não estivesse com a gente.

— Sinceramente, sendo um fã do seu trabalho, me dá orgulho em dobro te ver chegando tão alto.- O médico sorriu largo.

Yoongi se aproximou da arquibancada, ainda teria que esperar um pouco para receber sua medalha, o que o boxeador não esperava era que o róseo fosse descer a arquibancada como louco até si e se jogar em seus braços. Se esforçou para continuar em pé, segurando o corpo do mais velho contra si.

— Parabéns, parabéns, parabéns.- Repetia várias vezes enquanto selava os lábios do mais novo.

— Obrigado.- Yoongi não sabia como reagir naquela situação, ainda mais com tanta atenção em cima de si, devolveu um beijo no canto da boca do Park, entrelaçou os dedos nos dele e começou a subir a arquibancada.

Estavam todos eufóricos, Taehyung deu a ideia de saírem dali direto para um bar, mas Yugyeom pediu para que Yoongi descansasse, o que aceitou de bom grado. Não demorou muito para que fosse chamado para receber a medalha, junto com os outros dois lutadores, acabou fazendo a pose típica de morder a medalha de ouro, logo em seguida recolheram os pertences para ir embora. Por mais que estivesse morrendo de cansaço e querendo cair na cama, ainda tinham que voltar para Busan, tanto Taehyung quanto Jimin tinham que voltar o quanto antes por causa de negócios.

O Min acabou dormindo no carro durante a volta, só acordando quando chegaram de volta ao apartamento, carregando as malas até o canto da sala.

— Vai querer sair mais tarde? Taehyung disse que Jeongguk e Yugyeom vão sair para beber.

— Se for mais tarde em duas horas, nem que me paguem. Agora se for umas dez da noite, quem sabe.- Se arrastou até o banheiro, tirando a roupa pelo caminho, queria literalmente passar no chuveiro o mais breve possível e cair na cama.

— Yugyeom disse que você não deveria beber.- Jimin foi recolhendo as roupas e o acompanhando até o banheiro.— Algo sobre cicatrização.

— Não vou deixar de beber logo hoje, sem contar que sou o melhor boxeador da Coréia. Eu posso.

Entrou no chuveiro, sentindo a água quente cair sobre as parte doloridas do corpo. Não tinha se machucado muito, o rosto estava menos inchado do que o normal, podia dizer que tinha melhorado muito naquele tempo afastado, por mais que sua vida tivesse virado de cabeça para baixo.

— Então umas dez eu te acordo, está bem? Se você demorar para levantar eu não vou insistir.

A resposta foi apenas um resmungo, Jimin continuou conversando com o loiro, provavelmente para que ele não dormisse em pé embaixo da água. Saiu dali sendo guiado pelo mais velho, vestiu um shorts e sentou na beirada da cama, o róseo parou na sua frente com um comprimido e um copo de água em mãos.

— Toma, é um relaxante muscular. E antes que você venha me encher o saco, eu falei antes com Yugyeom, ele disse que está tudo bem você tomar.

— Porque você acha que eu iria te encher o saco com isso?- Jogou o remédio dentro da boca e pegou o copo, ainda esperando uma resposta de Jimin.

— Como se eu não te conhecesse.

Yoongi apenas sorriu de canto, bebeu a água e o devolveu, a resposta do mais velho foi um beijo no topo da sua cabeça e finalmente se deitou para dormir. Antes de sair do quarto, ainda baixou a intensidade da luz, queria muito deitar ali junto com o loiro, mas depois de um dia tão puxado era justo deixá-lo descansar, afinal de contas ainda iriam sair a noite. Encostou a porta e foi para o escritório, onde Ddosun o esperava como todos os dias.

��

Yoongi já tinha perdido as contas de quantos copos de cerveja tinha bebido, sentia o álcool mudar um pouco de seus sentidos, mas nada que fosse fora do que ele estava acostumado. Estavam no bar em que Jisung trabalhava, aproveitando que o local era pouco conhecido e que sabia que teriam segurança ali, não que fosse o suficiente para o Park pedir para dois subordinados ficassem à espreita, já tinha passado por muito em pouco tempo.

— Então.- Taehyung começou.— Vai pedir a custódia do Bambam?

— Ah, cala a boca, Taehy.- Jimin levantou o dedo do meio para o Kim— De onde você tirou isso?

— Você foi até lá, não é?

— Você está desatualizado.

O Min levou o copo até a boca, bebericando o líquido. Queria muito ver até onde aquilo iria.

— Eu sei que faz um tempo, mas se você falasse com J. Pearl, não precisaria ficar indo até lá. De qualquer forma, foi ele quem fez toda aquela merda com vocês.- Pegou um chiclete no bolso, tinha pego essa mania para conseguir parar de fumar.

— Ué, você pediria para ele trazer o Mark para cá? Qual a lógica?

— São casos diferentes, você sabe disso.

.O loiro encarou o noivo, vendo ele começar a ficar irritado, era a hora de intervir antes que eles se atacassem com a colher da mesa.

— Eu quero que Bambam se foda.- Falou de forma preguiçosa— Sem contar que a treta mesmo começou com o J. Pearl, ele nunca abriria mão do Bambam.

— E como você sabe disso?- Taehyung o encarou de forma pretensiosa.

— Porque eu perguntei para ele.

Então silêncio. Jimin o encarou, os olhos corriam pelo rosto tentando descobrir se aquilo era uma mentira.

— Acha mesmo que eu iria deixar assim? J. Pearl falando que aquilo era problema dele e eu iria abaixar a cabeça e concordar? Nem você fez isso, meu bem, você foi atrás dele, não me olhe dessa forma.

— Porque você escondeu isso de mim?- Jimin começou a se incomodar com aquela história.

— De qualquer forma, era assunto pessoal. E não se esqueça que você fez o mesmo, eu só descobri porque você estava um caco quando cheguei em casa.

O loiro virou o restante da bebida, ainda sentindo o olhar do noivo em cima de si. Pediu mais uma rodada de cerveja e foi ao banheiro, a porta mal fechou e um Jimin completamente irritado entrou.

— É sério, Yoongi? Você foi falar com J. Pearl?

— Sim, meu bem.

— O que você tem na cabeça? Porque não me contou?

Yoongi revirou os olhos e foi até o mictório.

— A gente é um casal um pouco complicado, não é?- Olhou por cima do ombro o mais velho se aproximando.— Temos essa mania de querer lidar com as coisas da própria forma e sabemos como passar por cima de tudo e todos.

— Você deveria ter me contado.

O Min fechou o zíper e se virou para Jimin, mas assim que abriu a boca para respondê-lo a porta abriu, um cliente indo usar o banheiro, alheio da discussão que estava acontecendo, assim que viu os dois entrou em um dos box.

— A gente conversa em casa.- O róseo deu a última palavra, mas Yoongi segurou seu braço, o puxando para perto.

— Para de drama, eu te contei, você que não se lembra.

— Do que você está falando?

— Eu te contei naquele dia, Jimin, no mesmo dia que te dei o cachorro.

O mais velho franziu o cenho.

— Antes ou depois daquela garrafa?

— Viu?- o loiro riu soprado— Você nem se lembra. Para de causar por nada, eu não esconderia isso de você.

Jimin fez um biquinho, foi um dia cheio de emoções que acabou descontando na bebida, Yoongi depois tinha aparecido com aquela cesta com uma garrafa de vinho e entre outras coisas que tanto gostava e acabaram dividindo, ficando um pouquinho acima do nível que estava acostumado e realmente não se lembrava de algumas coisas daquela noite.

O mais novo segurou o rosto do róseo, selando os lábios. A porta do box se abriu, o cara olhando de soslaio para os dois enquanto ia lavar a mão, Yoongi se afastou, observando os movimentos que o cara fazia ali. Quando ele saiu, o loiro também foi para a pia e Jimin percebeu ali como seu noivo estava envolvido naquela forma de viver sempre atento ao seu redor, conseguia ver como ele tinha mudado e também como a parte de Agust D acabava sendo presente. O loiro caminhou até a porta e o encarou.

— Vai ficar parado aí ou você vem?

O róseo não pôde deixar de sorrir.

— Sempre vou, gatinho.


Notas Finais


Oi. Tô chorando kkkkkkk

Nem acredito que chegamos ao final, agradeço por todo carinho e apoio que vocês deram a KnockOut, minha primeira fic e queridinha.

Obrigada mesmo, não se esqueçam de votar e comentar que ainda me deixa feliz.

Até a próxima 💜 ​

🐱🐥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...