1. Spirit Fanfics >
  2. Korrasami: My Bad Girl >
  3. As cerejeiras florescem nos piores momentos.

História Korrasami: My Bad Girl - Capítulo 40


Escrita por: TheDevilLovesYou

Notas do Autor


Yoo! De madrugada, eu sei kkklkkk
Mas não pude me conter me desculpem
Este capítulo aqui pode até ser um choque de situações, mas precisamos focar também em como nossos queridos personagens estão mentalmente, certo?
Aproveitem!

Capítulo 40 - As cerejeiras florescem nos piores momentos.


Korra

"Desse jeito você vai acabar matando ela"

"Você só vai trazer dor pra essa menina, porque não vai embora de uma vez?"

"Você só traz encrenca, como quando matou seus pais, é desprezível..."
As vozes da minha cabeça diziam pra mim...

Eu sou desprezível...?

Minhas memórias iriam voltando de pouco a pouco, tinha muito fogo, e muita fumaça, eu me sentia muito mais baixa do que o normal.

- Fuja, Korra! - Escutei uma voz feminina me alertar - Vá pra fora!

Olhei na direção da voz, uma mulher parecida comigo chorava, estava presa pela perna a um destroço que havia caído, o lugar estava em pedaços

- Korra! - Outra voz me chamou, uma mais masculina.

E de repente tudo ficou escuro, estava em um lugar escuro e desconhecido.
Será que foi isso mesmo...? Eu matei meus pais?
Me sentei no chão e comecei a chorar
E se o mesmo acontecer com a Asami? E se eu só trouxer desgraça para ela como fiz até agora?!

Minha culpa!

Minha culpa!

Minha culpa!!

[...]

- Gah! - Acabei despertando e sentei na cama muito rápido, minha respiracao estava ofegante, e meu corpo totalmente coberto de suor.

- Amor? Está tudo bem? - Olhei para o meu lado e vi minha namorada, com uma das mãos em meu ombro, ela tinha um olhar preocupado. - Teve um pesadelo, não foi? - Assenti. - Quer me contar?

- Desculpe bebê, é um segredo - Dei um beijo em sua testa - Não se preocupe, está tudo bem! - Dei um sorriso, estava realmente aliviada por ela estar bem.

- Okay...- Ela riu fraco - Mas que pesadelo, hein? Vou precisar trocar os lençóis depois - Ela disse olhando para a cama, que estava molhada com o meu suor.

- Heh, desculpe - Sorri mais uma vez - Por que você não se junta a mim no banho? - Passei uma das mãos por seus cabelos e logo, por seu rosto, ela é linda, a mais bela que eu já vi em toda minha vida.

Eu amo a Asami, amo mais que tudo neste mundo, sempre que vejo seu rosto, posso confirmar isso pra mim mesma sem parar. Mas eu só tenho um medo nesta vida: acabar fazendo mal a ela. E era exatamente o que eu estava trazendo com toda a minha situação

Me levantei e fui para o banheiro sem muito ânimo, liguei o chuveiro no quente e mergulhei minha cabeça na água, e consequentemente, nos meus pensamentos. Me lembrei de como a conheci, de como me apaixonei por ela, como viemos morar juntas e também tive lembranças de nossos amigos e da noite anterior.

Tudo com ela era perfeito, ela fazia tudo a sua volta ficar bom e...Radiante. Que eu me lembre, desde que a conheci, ela foi posta em perigo várias vezes, o pai dela morreu por eu não ter chegado antes...Tudo isso estava me corroendo de uma forma insuportável.

- Cheguei! - Asami me abraçou e me tirou do meu transe, com aqueles olhos verdes e brilhantes, eu me apaixono toda vez que veja essa imensidão esverdeada que são seus olhos. - Estou aqui! - Ela disse me abraçando e eu sorri com seu entusiasmo.

N/A: desculpa gente que hoje adm tá boiola :')

- Eu sei...- Dou um beijo em seu rosto.

[...]

Batiam 08:03 da manhã, e eu não tinha conseguido pregar os olhos desde aquele pesadelo do caralho que tive de madrugada, que merda! Sempre que eu parava pra pensar demais, me encontrava em uma imensidão escura, sempre começo a me sentir culpada...

As vezes eu penso que a Asami poderia viver uma vida melhor sem mim pra atrapalhar. Ela poderia realizar os projetos que tanto quer sem ter que se preocupar se eu estou viva ou não, já que eu sempre volto arrebentada de algum jeito pra lhe trazer mais dor de cabeça.

Mas sempre que eu a vejo, sempre que olhos para o seu rosto e ela se demonstra feliz comigo, eu tenho uma esperança, mesmo que seja mínima, de que eu possa ficar ao seu lado pra sempre. Mas eu temo demais...Que isso nunca vá acontecer.

- Amor? - Ouço ela me chamar na mesa de café. - Você está realmente bem? Mal tocou na comida e normalmente você não deixa um pão sequer na sacola.

Chacoalho minha cabeça tentando espantar aquela nuvem negra de pensamentos que estava me rodeando a manhã inteira.

- Desculpe amor, acho que ainda é por causa...- Paro de falar do nada, ela iria ficar curiosa e isso não é bom - Por causa...Do treino pesado que eu tive ontem - Rio, tentando disfarçar.

Eu preciso sair pra esfriar a cabeça, ou posso acabar afetando ela também, eu entro em pânico só de pensar na possibilidade.

- Ahm...Eu vou dar uma volta na praça, tudo bem pra você amor? - Me levantei da cadeira com um sorriso fraco.

- Claro, eu vou ficar um pouco na minha sala revisando alguns papéis da última reunião, se importa de ir me dar uma ajudinha quando voltar? Você é boa com interpretação, detetive Korra - Minha namorada brinca.

- Claro, porque não? - Forço um sorriso, e ando na direção da porta de entrada.

Depois de passar pelo portão principal da mansão, eu me ponho a andar pela extensa rua que levava até o centro da cidade. Estamos no final de março, e no começo de abril, época de floração das cerejeiras

Olho para cima, vendo as belas pétalas rosas desabrochando e começando a cair pelo chão, na situação em que eu me encontro agora, só consigo pensar no quanto eu odeio cerejeiras.

Uma pequena pétala cai em meu ombro, e eu a Seguro em minha palma, vendo sua cor mudar de um lindo rosa para um vermelho sangrento, rapidamente eu chacoalho meu rosto, era ainda rosa...
Além de ansiosa eu posso estar ficando louca, isso é péssimo

- Merda! Por que isso tinha que acontecer num momento desses!? - Penso enquanto andava pela rua principal, estava vazia por ser tão de manhã, mas a tarde vai estar cheio de pessoas para adimirarem as belas flores de Sakura.

Continuei andando calmamente até avistar a praça da cidade, gostava de ficar lá antes de conhecer a Asami sempre que me encontrava em uma crise como essa, depois que ela apareceu, eu não precisei ir mais lá, essa era a primeira vez...

Ser a que eu deveria mesmo dar um ponto final na minha relação com a Asami?! Eu amo ela mas...Quero a proteger mais que tudo, droga eu estou tão confusa!

Perdida mais uma vez pela minha cabeça mal pude perceber a presença de um carro ao meu lado, na mesma velocidade que eu, era um carro negro, porém muito luxuoso, cheguei até a estranhar, até que o vidro se abre e...

- Tá perdida, gatinha? - Um cara com um topete ridículo pergunta. Era só o que me faltava.

Passei os olhos por dentro do carro, haviam mais 4 indivíduos lá dentro, se eu fosse burra diria que eles querem me estuprar, mas ao olhar pra tatuagem no antebraço do cara de topete eu percebi. Eles vieram mesmo é me enboscar, é o símbolo do Vaatu

Eu não tinha outra alternativa a não ser correr, e eu nem sabia se os benditos estão armados ou não, mas que merda ambulante!
Corri por alguns metros mais logo o carro cortou e parou na minha frente, os caras que estavam dentro saíram de lá com tacos de arame farpados.

- Clichês...- Pensei.

Como você sai dessa Korra, como?!
Eu não conseguia pensar, merda! Os pesadelos me assombram até em momentos como este! Eu odeio minha cabeça.
Um...Dois...Três...Quatro..? Falta um!

Senti uma mão forte me agarrar pelo pescoço e me levantar. Droga, tarde demais...
Comecei a sentir os golpes dos tacos de beisebol sobre o meu corpo e os arames adentrarem a minha pele, não vou mentir, dói pra porra!

- É só isso que vocês tem?! - Provoquei - Suas mães sabem bater melhor do que voc- Fui interrompida por um soco direto em meu rosto, me fazendo cair no chão, podendo respirar direito.

- É melhor tomar cuidado com o que fala, Avatar! - Um deles riu. - Ou a próxima vai ser a sua namoradinha.

ASAMI?! Não...Ela não! Qualquer coisa mas ela não!

- Chega perto dela...E eu arranco a sua garganta com os meus dentes...- Ameacei.

- Essa vadia ainda tá viva?! - O limpador de canudo deu uma leve risada, e eu só conseguia pensar em como o cabelo dele é feio pra caralho. - Bota ela pra dormir!

Meu rosto estava quase no chão, reuni o que restava de forças em mim Pra me levantar e correr pra cima de um dos homens ali, o pegando desprevenido eu afastei seu pescoço com as mãos e rasguei sua traquéia com os dentes (não me julguem, era minha única arma disponível), o jogando no chão logo em seguida.

- Sua desgraçada! - O cara do topete veio pra cima de mim com um taco. Eu precisava pensar em algo, mas não tinha tempo.

Antes de reagir eu senti um golpe atingir a minha nuca, os arames afiados adentraram a minha pele, eu caí no chão e vi tudo ficar mais escuro.

Asami...Se eu morrer agora, o único arrependimento que eu vou ter vai ser não ter te dito o quanto eu te amo antes de sair...
Eu fui egoísta até mesmo nisso, eu devia ter aproveitado...

Se aqueles foram mesmo meus últimos momentos com você, Asami...


Notas Finais


Gente alguém abraça a Korra, eu quero ;^;
Okay, vocês devem estar pensando " Mas que caralhas Nicolas! Pra que fazer isso?!"
Muita hora nessa calma porque como diz o Mestre Oogway, "não existem acidentes".
Até a próxima! ~♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...