História Lancelot e Odette - O Lago dos Cisnes. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


*Baseado na obra de Tchaikovski - O Lago dos Cisnes, que é muito especial para o meu coração, sendo uma das primeiras que toquei no piano <3
*Baseado na animação adaptação: Swan Lake e a princesa encantada
*Baseado na história dos personagens de MLBB, Lancelot e Odette que são um dos casais mais fofos e apaixonados que já vi.

Feito com todo carinho para meus amigos tão especiais, meu bom Lancelot, e especialmente para Lydia, o mundo já tem tantas coisas tristes, vamos ao Belo que encanta! Nessa história cheia de surpresas especiais!

Lancelot um personagem tão maduro, nobre, amável e cheio de elegância, incompreendido por alguns, mas cujo coração forte e decidido não cansa de surpreender sua Beautiful Odette. Pode a beleza e a pureza do amor realmente mudar um coração?

"Em todo romance deve haver esses três personagens: deve haver a PRINCESA, que é coisa a ser amada; deve haver o DRAGÃO, que é a coisa a ser combatida; e deve haver SÃO JORGE, que é a coisa que ao mesmo tempo ama e combate. Em todo romance deve haver os elementos gêmeos de amar e combater. As duas coisas implicam uma à outra. Você não pode amar uma coisa sem querer lutar por ela."
G. K. Chesterton (suspiro ad infinitum lendo Chesterton <3 )

"A beleza da mulher alegra o rosto do esposo: ela se torna mais amável que tudo o que o homem pode desejar. Se a sua língua cura os males, tem também doçura e bondade; o seu esposo não é como os demais homens. Aquele que possui uma mulher virtuosa tem com que tornar-se rico; é uma ajuda que lhe é semelhante, e uma coluna de apoio. Onde não há cerca, os bens estão expostos ao roubo; onde não há mulher, o homem suspira de necessidade."
Eclesiástico 36:24-27


"Um homem que encontra uma mulher de valor pode desde já se sentir rico e venturoso, entendendo que encontrou uma pérola oriental ou um diamante finíssimo ou uma esmeralda ou alguma outra pedra preciosa de inestimável valor.
Fr. Luis de Léon
A perfeita casada

Capítulo 1 - A princesa e o Lago dos Cisnes


Fanfic / Fanfiction Lancelot e Odette - O Lago dos Cisnes. - Capítulo 1 - A princesa e o Lago dos Cisnes

         Odette sempre foi uma princesa coroada com as mais belas virtudes, aquelas sobre as quais, a nobreza sempre fora capaz de encantar e cativar a qualquer um próximo a ela.

           Sua vida era dedicada a cumprir com toda perfeição que lhe fosse possível suas obrigações, mesmo as menores ela realizava com grande amor e zelo, cuidava do reino com toda generosidade e empenho que seu pai, um rei bondoso e sábio sempre lhe inspirava.  Seu coração era caridoso e muito puro, e mesmo diante dos maiores desafios sua coragem e nobreza a amparavam tão bem.

          Em uma manhã nublada, Odette caminhava pelo reino quando avistou seu lugar favorito, próximo ao castelo serpenteado por colinas verdejantes coroadas de bosques, cuja beleza, do panorama que ela estava era simplesmente extraordinária. Naquele lugar estava o Lago dos Cisnes, um dos mais famosos e belos da região, conhecido exatamente pelo ambiente encantador e misterioso que proporcionava a qualquer observador. Muitos cisnes procuravam descanso e pouso naquele belo lago e a graciosidade e beleza deles tornava tudo mais mágico. Ela olhava a tudo encantada, seus belos olhos azuis brilhavam intensamente e transmitiam toda alegria que ela sentia naquele momento, o lugar possuía mesmo essa capacidade de trazer isso aos corações que o admiravam.

          Não demorou muito e toda paz que ela sentia contemplando o belo lago dos cisnes, foi interrompida por uma presença desagradável e aterrorizante para si.  O terrível conselheiro do rei era também ligado às artes da magia oculta, ele possuía uma ambição inegavelmente grande, e seus desejos infames não conheciam limites. Há muito planejava dominar o castelo e tomar para si todo o poder do reino, mas não encontrando melhor meio para isso, entregou-se cada vez mais a seus planos e desejos cruéis, passou a aperfeiçoar e dominar a magia oculta proibida por ser de origem maléfica. Ele logo se tornou ainda mais perverso e poderoso do que já era, e seu coração foi consumido pelo mal, com o uso de seu poder dominou a mente do rei tornando-o débil e doente, desse modo sua influência e dominação cresceram cada vez mais sendo capaz de arrasar a todo reino se assim o quisesse. E naquele momento, ele apareceu diante da princesa Odette que estava às margens do lago dos cisnes. Com maior desejo de intimidá-la aproximou-se dela com roupas ilustres e porte imponente apesar da aparência espantosa e pavorosa que possuía em sua estatura baixa, barba muito extensa e idade um pouco avançada:

_ Olá Princesa! Como vai? Soube que esse lugar em especial a agrada mais que todos os outros e vim especialmente ter com você. Precisava lhe falar, há algum tempo venho notando que se tornou uma das jovens mais lindas e extraordinárias do reino, como você bem sabe seu velho pai já não tem condição alguma de liderar o governo do reino, e seria muito proveitoso para todos se nós dois nos casássemos agora mesmo! Olhe que maravilha! Eu teria de uma vez só uma bela mulher e o direito total ao trono bem como sempre desejei! E você já não teria mais com o que se preocupar. – disse ele com um riso maléfico – Já que todo poder estaria sob minhas mãos, eu lhe daria tudo que quisesse e a cobriria de jóias preciosas. 

        Odette ouviu-o totalmente horrorizada, inicialmente pensou em correr de lá e deixá-lo falando sozinho sobre aqueles absurdos, mas seu horror se perdeu em meio a tantos outros sentimentos, e uma coragem maior começou a brotar dentro de si mesma fruto de toda sua honra e nobreza, seu coração sempre fora muito forte e bondoso, e não fazia parte dela aceitar perto a si qualquer mal que fosse. Ela olhou-o com determinada determinação e respondeu-lhe em tom sério e firme:

_ Como se atreve a me dizer algo assim? É um absurdo! Eu jamais aceitaria uma proposta como essa. E papai jamais concordaria isso! Ele teria horror a ver o reino dominado por alguém com a sua ambição e com semelhantes ações. Eu NUNCA aceitarei seu pedido, e lutarei com todas as minhas forças contra você.

          O conselheiro que havia se tornado um terrível feiticeiro, tomado por sua ira perversa e desumana lançou as mãos em direção à princesa:

_ Você vai se arrepender Odette, ninguém pode contra mim, eu tenho o poder proibido ao meu lado e sou invencível. Aceite seu destino. – Disse ele entre uma risada maléfica, de suas mãos desprenderam-se raios luminosos que atingiram a princesa Odette antes que ela pudesse fugir, Odette transformou-se em um cisne coroado naquele mesmo momento, belíssimo de plumas brancas e cintilantes cuja simples visão era capaz de encantar tanto do mesmo modo que ela encantava sendo a bela princesa que era. O cisne pousou na água do lago assim que os raios luminosos do encanto o deixaram, e de seus olhos saltavam lágrimas silenciosas de uma tristeza profunda. O feiticeiro aproximou-se:

_ Oh! Que isso princesa, és uma menina levadinha, por que choras? Está tão bem! Um lindo cisne no belo lago, não haverá quem não se encante ao te ver. E... Isso te dará um tempo para pensar, pensar no pedido que recusou tão insensivelmente! Eu te advirto Odette, estará condenada a ser um cisne durante o dia enquanto não aceitar o meu pedido de casamento para que eu possa possuir o reino. Fica sabendo que nunca tirarei esse encanto e que não importa o que você faça, de noite voltará a ser uma mulher normal, mas assim que o dia nascer você será apenas um cisne do lago novamente. – Ao ouvi-lo, ainda mais ela chorou, viu seu reflexo nas águas do lago que foram agitadas por suas lágrimas. Odette já não sabia o que fazer, mas em seu coração continuava a ter a clareza e a razão que tinha dentro da sua alma humana, embora parecesse um cisne que de fato havia se tornado pelo terrível feitiço, era ainda muito humana.

***

          Uma semana havia se passado naquele triste reino e a princesa Odette passava seus dias como um cisne no lago, uma bela coroa pequena e conveniente para o seu tamanho a coroava ainda como cisne, e a noite ela voltava a ser uma humana normal. Conhecida por sua genuína beleza e delicadeza,  mesmo com o feitiço não havia perdido o encanto natural que possuía, só não estava presente a alegria antes contagiante  em todos os seus atos e que fazia parte do seu temperamento doce e amável, os longos cabelos tão dourados como o sol eram levemente agitados pelo vento daquele inicio de anoitecer, e seus olhos tão encantadoramente azuis refletiam o brilho do luar. Todas as noites o feiticeiro visitava-lhe e fazia lhe a mesma proposta ambiciosa e cruel e todas as noites ele recebia o mesmo não de Odette. Ela era tão forte como era amável e determinada, e jamais aceitaria fazer algo errado ou mal, não importa o quanto fosse ameaçada pelo terrível feiticeiro.

        Mas, naquela noite algo diferente aconteceu, assim que o encanto se desfez e Odette voltou a ser humana, ela saiu calmamente das margens do lago, e chacoalhou a barra molhada de seu longo vestido de tom perolado claro, enquanto permanecia distraída, ela percebeu uma pequena movimentação na beira do lago, e apreensiva aproximou-se de vagar, temia que pudesse ser alguma nova trapaça do terrível feiticeiro, mas quando chegou mais perto, eis que avistou um jovem caído nas margens daquele lago.

         Ele estava desacordado e muito ferido. Odette procurou ao redor pelo feiticeiro ou por alguma outra presença, mas não viu ninguém por perto, estavam sozinhos ali. Ela correu até o rapaz  e quando chegou bem perto, notou que parte dos longos cabelos dourados dele cobriam seu rosto, Odette retirou do bolso de seu vestido um pequeno lenço delicado e branco que ela possuía, umedeceu-o e ajoelhando-se com cuidado retirou os fios que cobriam o rosto do jovem, encantou-se assim que o viu, era belíssimo como se fosse um Anjo, a pele tão clara que parecia cintilar embora estivesse tão suja e ferida, aos poucos ela foi tentando limpar seus ferimentos e reanimá-lo, mas ele simplesmente não acordava e parecia muito abatido com tamanho ferimento.

“Pobrezinho, quem teria feito algo tão terrível assim a ele”? – Pensou ela com o olhar mais terno e compassivo. Os ferimentos dele eram grandes, mas não eram graves; bem próximo àquele lugar, estava a torre que o feiticeiro a obrigava a passar seus momentos como humana ou a trancava desde então, Odette buscou entre suas coisas seu kit de primeiros socorros e como não tinha forças suficientes para carregá-lo, apenas acomodou-o da melhor maneira que podia ali mesmo e às margens do lago dos cisnes ela começou a cuidar dele e tratar todos os seus ferimentos. Com cuidado e dedicação limpou todas as feridas. Quando terminou, percebeu que ele usava uma roupa que demonstrava a singularidade de que era um nobre e que possivelmente estivera em uma batalha muito intensa momentos antes. Mas não fazia ideia de como ele havia ido parar ali.

           Por um momento suspirou admirando-o mais uma vez, mesmo desacordado era tão imponente e sereno e aquela feição prendia sua atenção ainda que ela já lhe fosse grande devido à situação inusitada. Mas ainda estava muito preocupada com o estado dele, queria se certificar de que ele ficaria bem e acabou esquecendo-se dos problemas terríveis com o feiticeiro, que por sorte não apareceu ali naquele momento. E  bem próxima a ele, Odette tocou de leve sua face num gesto amável de carinho, seu coração sentiu algo que jamais havia sentido antes, e desejava que o rapaz acordasse bem depois de toda situação difícil que teria vivido. Nesse momento o jovem abriu os olhos lentamente, havia se passado muito pouco tempo desde o momento em que fora achado e cuidado por ela, assim que a viu demonstrou confusão mental e certa agitação olhando tudo ao redor e tentando levantar-se:

_ Por favor, acalme-se, você sofreu muitos ferimentos e necessita de um pouco de repouso, não pode se esforçar assim,  está seguro agora, fique tranquilo. – sussurrou ela bem próxima a ele e sorriu-lhe com delicadeza. Assim que voltou sua atenção para a moça à sua frente, o jovem ficou calmo, ouvi-la causou-lhe uma estranha sensação de serenidade e paz e na verdade, assim que a notou melhor esqueceu todo o resto, inclusive sua agitação interior, fitou-a por alguns momentos como se estivesse encantado em silêncio, e disse com a voz um pouco baixa:

_ Você é um Anjo...? – Odette surpreendeu-se ainda mais com essas palavras, sua face corou e por um momento ela ficou sem saber o que responder-lhe, mas recobrando-se disse:

_ Se eu fosse um, eu o curaria agora mesmo! Mas, ainda assim fico muito feliz por ver que finalmente acordou! Como se chama?  - ele permanecia olhando-a intensamente, possuía agora nos belos olhos verdes antes agitados uma calma cativante.

_ Meu nome é Lancelot, eu pensei que morreria naquela batalha tão violenta, a última coisa de que me lembro é que eles me atiraram das montanhas e cai no lago, consegui nadar com um pouco de dificuldade, mas depois não me lembro de mais nada, até acordar aqui e ver a face de um Anjo tão perto de mim. – Odette ouviu-o em silêncio verdadeiramente encantada até com seu tom de voz calmo e ao mesmo tempo profundo que possuía ainda que ferido, sentiu seu coração palpitar ao ouvi-lo e só conseguia fitá-lo com atenção enquanto continuava a lhe dizer: -  não parece uma humana, mas um ser celestial a minha frente, qual é o seu nome senhorita, e como me encontrou aqui?

_ Me chamo Odette, Lancelot e, sou tão humana quanto você. Eu o encontrei às margens desse lago muito machucado e tratei as suas feridas, você ficou desacordado por algum tempo e então finalmente recobrou os sentidos, eu tive medo por você, parecia muito ferido, seus últimos momentos não devem ter sido fáceis.

_ Tem razão! Não foram – disse ele um pouco pesaroso, mas em seguida modificou seu tom de voz e o modo como falava pareceu-lhe impensado e descuidado:  - eu teria destruído todos aqueles malditos se eles não tivessem me pego de surpresa, é claro que eles nunca seriam o suficiente para me enfrentar, e jamais poderiam nada contra o grande Lancelot, se não fossem suas arapucas sujas.

        Odette franziu a sobrancelha e pareceu querer poder convencê-lo da insensatez que havia em suas palavras ou seu modo de pensar, porém bem sabia que àquele não era o momento para isso, e nem tão pouco o modo correto de fazê-lo. Mas algo a preocupava, Lancelot precisava se recuperar e não poderia ser encontrado pelo feiticeiro ali, ou sabe-se lá o que ele faria ao convalescente. Ela mostrou-lhe sua torre e apoiou-o ajudando-o a caminhar até lá, não estava tão distante de ambos, mas, como ele estava muito debilitado o caminho pareceu ainda mais difícil e longo.

          Odette acomodou-o na cama confortável no quarto no alto da torre onde sabia que ninguém além dela iria e fez-lhe uma refeição leve assim como preparou um remédio natural fortificante e revigorante para casos assim. Descobriu que Lancelot fazia parte de um reino que era vizinho ao seu e que era um nobre muito importante em seu império, reconhecido por seus grandes feitos especialmente na habilidade de esgrima, além de ser especialista nos usos e em todos os tipos de armas, mas foram atacados por inimigos poderosos e Lancelot passando por cima do bom senso e da prudência, ouvindo mais ao orgulho e a arrogância resolveu agir no impulso de enfrentar a ameaça sem o devido cuidado, subestimou-os e facilmente foi derrotado pelas artimanhas inimigas ainda que possuísse um talento excepcional, e estava vivo por milagre enquanto foi encontrado e cuidado pela princesa Odette. Ela deixou-o bem acomodado descansando após conversarem e desceu para descansar na sala de baixo de sua torre, que era também para seu uso particular aquela havia sido uma noite muito agitada, e o feiticeiro não pudera vir infernizar-lhe naquele dia, o que veio bem a calhar naquele momento que encontrara Lancelot ferido.

***

         Lancelot acordou naquele ambiente seguro e silencioso, dormira muito melhor essa noite do que se lembrava de já ter dormido nos dias anteriores, e o remédio que a bela Odette lhe dera fizera bem o efeito a que se propunha, ele estava totalmente revigorado e sentia-se bem melhor embora ainda estivesse se recuperando dos danos sofridos.  Levantou-se recordando de todas as recomendações que a jovem lhe dera antes de deixá-lo, mas percebeu que havia dormido além da conta, já começava a anoitecer e os últimos raios de sol estavam se pondo, isso o assustou um pouco pelo tanto que dormira. Preparou-se e desceu rapidamente para procurá-la, mas por toda a torre não encontrou ninguém. Ainda maior foi a surpresa que sentiu Lancelot ao ver-se totalmente só em tal lugar, e saindo avistou logo o cenário do belo lago, aproximou-se admirado pela beleza que vira pouco no dia anterior pelo escuro da noite somado à sua situação delicada.

          E quando se aproximava do lago lentamente, avistou um cisne coroado, muito diferente dos demais, era maior e parecia mais belo, de plumagem única e brilhante, aproximou-se ainda mais curioso observou aquele cisne em silêncio por alguns momentos e não importava o que fizesse ou o que estivesse ao redor não conseguia parar de olhá-lo, era magnífico e possuía olhos como se fossem humanos, um brilho intenso, vivo e muito amável, encantou-se imediatamente, viu-se sozinho frente ao lago e o anoitecer vinha caindo.


Notas Finais


A história será breve, mas seria extensa para só um capitulo, logo mais vem as últimas emoções <3
Até logo, e mais uma vez Obrigada por tudo meus queridos Anjos sempre presentes, lembrei de cada um enquanto escrevia essa <3

A bela e clássica canção inspiração ---> https://youtu.be/ntuiP8uj5xo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...