1. Spirit Fanfics >
  2. Lemon Boy - (Sasunaru) >
  3. It's actually pretty easy being nice to a bitter boy.

História Lemon Boy - (Sasunaru) - Capítulo 3


Escrita por: oldsatan

Notas do Autor


Me desculpem pela demora, estava meio desanimada, espero que gostem ❤️

Capítulo 3 - It's actually pretty easy being nice to a bitter boy.


Fanfic / Fanfiction Lemon Boy - (Sasunaru) - Capítulo 3 - It's actually pretty easy being nice to a bitter boy.

𝙄𝙩'𝙨 𝙖𝙘𝙩𝙪𝙖𝙡𝙡𝙮 𝙥𝙧𝙚𝙩𝙩𝙮 𝙚𝙖𝙨𝙮 𝙗𝙚𝙞𝙣𝙜 𝙣𝙞𝙘𝙚 𝙩𝙤 𝙖 𝙗𝙞𝙩𝙩𝙚𝙧 𝙗𝙤𝙮 𝙡𝙞𝙠𝙚 𝙝𝙞𝙢.

—🌿🍋🍃—

Está tudo muito confuso, resumindo, nunca presenciei a crise existencial de ninguém, e agora que eu parei para refletir, ele deve ter tido mais problemas do que eu posso imaginar.

Acabo sentindo um peso na consciência, quantas vezes eu deixei de pensar na situação das pessoas ao meu redor? Eu apenas ignoro os sinais, eu vou acabar ficando sozinho se continuar assim.

– As pessoas podem mudar, você não precisa abandonar elas. – Me assusto com o pronunciamento repentino do garoto ao meu lado, um olhar confuso é estampado no meu rosto.– Ninguém vai te abandonar Sasuke-kun. E se você fez algo que foi realmente errado, sempre há uma chance de se redimir...

Ah é, ele lê mentes.

Vou considerar isso invasão de privacidade.– Dou um sorriso de lado e vejo seu olhar se acender novamente.

– De todas as coisas que eu já te vi pensando, essa foi a menos pior...

Dou um leve empurrão no seu ombro e acabo me levando e me perdendo no seu riso, ficamos um bom tempo nisso, rindo como adolescentes idiotas em cima de um telhado.

Começo a sentir as consequências de não estar com um casaco nesse tempo frio, calafrios percorrem por todo o meu corpo e eu me encolho ao seu lado.

– Você devia voltar pra dentro, eu vou ficar bem.– Ele me lança um olhar de compreensão enquanto me abraça.

– Não vou voltar sem meu novo colega de quarto. – É, na verdade, bem fácil ser legal com um garoto amargo igual a ele.

– E você faz questão da minha companhia?

Sorrio.

– E que não faria?

Já dentro de casa, antes de entrar no quarto, vou checar se Itachi ja esta acordado, percebo que ele não esta aqui e começo a me perguntar se ele foi sequestrado enquanto eu dava uma de adolescente apaixonado. Vejo um bilhete colado na porta.

” Deidara me pediu para visita-lo. Ele disse que era urgente. Tem comida no microondas. Vê se não explode a casa.

— Com amor, seu irmãozinho querido. “

Esse daí não tem mais concerto, só nascendo de novo...

Subo para meu quarto e abro a porta devagar, vejo Naruto deitado na cama encolhido, me aproximo de seu rosto, seu rosto está em total paz, nunca o vi tão relaxado como agora, minha cama deve ser muito confortável mesmo.

– Você é lindo, sabia?– Ele diz sorrindo.

– E você é louco.

– Você é lindo e eu sou louco, somos o sonho de qualquer um.– Ele se senta, dando espaço para que eu possa deitar ao seu lado.

– Você é bem convencido, não acha? – Naruto se aproxima com um rosto empolgado e deita em cima de mim, abraçando meu pescoço. Sinto meu rosto esquentar mais do que nunca. Por um momento eu esqueci até meu próprio nome.

– Tenho que aproveitar enquanto posso. – Depois disso, um silêncio preenche o quarto, não aquele tipo de silêncio que deixa o clima constrangedor, mas um silêncio reconfortante, daqueles que apenas a presença de alguém deixa tudo mais confortável, era assim que eu me sentia agora, confortável, seguro, no lugar certo e na hora certa. Talvez com a pessoa certa. É isso que sentimos por amigos, certo? Gostaria de ter sentido isso antes.

– Foi uma má idéia– Naruto diz quebrando o silêncio, ele ainda estava abraçado em mim.

– O que foi uma má ideia?– Pergunto, segurando-o ainda mais forte.

– Ter ido te chamar...

– E por que?– Acabei de fazer um amigo e ele ja se cansou de mim. Maravilha.

– Por que agora eu estou ainda mais perdido.

Continuo em um silêncio confuso. Não entendi o que ele quis dizer.

– Se me permite perguntar... quantos amigos você ja teve, Sasuke-kun?– Tinha que ser.

– Não muitos... pra falar a verdade, nenhum. – Solto um riso constrangido e desvio o olhar para longe de seus olhos.

Ele se aproxima do meu ouvido lentamente.

– Então você não deve saber que não é bem assim que amigos agem.

É, agora ele me pegou, talvez eu realmente não saiba, mas quem disse que existe problema nisso, não é o que chamam de demonstração de afeto?

– Só queria que soubesse que, você foi o primeiro que me abraçou sem me machucar.

Encaro seus olhos. Violeta, azul, verde, vermelho, ja sentiram como se pudesse sentir o gosto das cores? Essa não é a definição perfeita de estar perdido? Não entendo o que passa em sua cabeça, Naruto, não entendo o que passa na minha cabeça, se eu nem me conheço direito, como poderia saber que te conheço?

Tem coisas que eu quero te contar, que eu quero te mostrar, mas é melhor esquecer. Mas por favor, seja o primeiro a me amar sem me machucar, sem me quebrar.

Vejo uma lágrima escorrendo em seu rosto.

– Eu já passei por tanta coisa, tenho tantas marcas, tantos traumas, mas eu finalmente me sinto em casa.

Continuo encarando-o, complexo.

– Felicidade é como uma borboleta, quanto mais você corre atrás dela, mais ela se afasta de você, mas, se você coloca sua atenção em outras coisas, ela vai vir lentamente e pousar no seu ombro. Quando eu digo que me sinto em casa, eu não estou falando do lugar, estou falando que mesmo depois de morto, nunca estive em paz, e agora, eu nunca estive tão vivo quanto estou agora.

Arregalo os olhos em sinal de surpresa, seguro suas mãos com força, jamais imaginaria que ele pudesse se sentir assim, e olha que eu o conheci hoje.

– Não sei como te ajudar, de verdade, eu não sei, me desculpe...

– Você ja esta aqui, não vê que é o suficiente?

– Como você pode confiar tanto em alguém que acabou de conhecer?

– O que eu tenho a perder, afinal? Você está aqui, eu estou aqui, não sei como a morte funciona, não sei se vou vagar no mundo pra sempre ou se algum dia vou simplesmente sumir.

– E você ja perdeu muita coisa?

– Pode-se dizer que eu perdi tudo, melhor dizendo, eu mesmo tirei tudo de mim, essa é minha única chance de recuperar. Esperança é algo perigoso para alguém como eu ter.

– Vai me contar como tudo acabou assim?

– Outro dia... Me desculpa por jogar tudo isso em cima de você, sabe? Eu estive guardando por tanto tempo.

Uma música da Lana Del Rey começa a tocar no rádio, Naruto ainda está com um olhar triste e vazio, me levanto e pego sua mão, logo o puxando para mais perto de mim.

– Foda-se, só quero dançar com você. – Seguro em sua cintura e o conduzo como uma valsa pelo cômodo, sinto como se eu estivesse nas nuvens, ou no paraíso. É estranho sentir um momento com tanta intensidade do jeito que estou sentindo agora. Minha mente não pensa em mais nada, apenas no que esta acontecendo agora, pés para frente, pra para trás, um giro aqui e ali. Vejo o garoto na minha frente sorrindo, sorrindo de verdade, com sinceridade. Minha vida ganhou um novo objetivo, fazer alguém que perdeu tudo, recuperar o tempo perdido. Naruto, eu te prometo, vou fazer valer a pena, vou fazer os momentos valerem a pena.

Vou me fazer valer a pena.



Notas Finais


Desculpem estar curto e meio pra baixo, prometo que nos próximos capítulos as coisas vão se animar, é que eu normalmente escrevo de acordo com o que eu estou sentindo, mas enfim, chega desse clima ruim kaka


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...