1. Spirit Fanfics >
  2. Letters - Jikook (ABO) reescrevendo >
  3. Dele, meu.

História Letters - Jikook (ABO) reescrevendo - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Roi, então né, a casa caiu. Agora o Min sabe e ele é bem tagarela, afins; oremos para ele não dar a língua nos dentes, bjs, boa leitura 🥀💕

Capítulo 4 - Dele, meu.


Park Jimin


– eu sei! Você é o ômega das cartas, JungKook é tão tapado – o ômega ditava me fazendo ficar confuso, como ele sabe? Se o Taehyung contou pra ele...aquele beta idiota! Paguei meu celular rapidamente e mandando uma mensagem pro garoto a minha frente que havia me passado seu número hoje mais cedo.


"Do que você está falando Min?"


– oras garoto. Não de fassa de desentendido. Senti seu cheiro no casaco vindo da carta que o Jeon carregava, aquele tapado não percebeu que o ômega dele é você! Meu deus isso é tão clichê – corei ao ouvir o ômega dizer que eu era o ômega dele; ele me via assim?


"Não sou o ômega das cartas, nem sei de que cartas está falando"


Enviei fazendo a minha melhor cara de desentendido mas ele apenas revirou os olhos.


– e como explica isso? – ele tirou a carta do Jeon do bolso e só aí me dei conta que o papel não estava comigo – isso caiu da sua bolsa, agora diga! É você não é Park Jimin?


"Por favor não diga a ele"


– eu sabia! Meu bebê com aquele alfa estúpido não. Não mesmo, o Jeon é tão tapado que não percebeu seu cheiro no casaco dele, mas acho que é também porque ultimamente a rinite dele atacou – indagou pensativo e eu logo lhe mandei uma mensagem;


"Ele está bem?"


– você se preucupa com ele, meu Deus que coisa fofa! Me sinto como se fosse aquele amigo cupido que junta as pessoas e....– o ômega fez uma pequena pausa me olhando com um semblante sorrindente, como se tivesse tido um deslumbre de algo que iria mudar totalmente nossa vida. Logo entendi o que ele queria e neguei frenética mente – sim, sim e sim. Eu vou ser o cupido de vocês.


.

.

.


Jeon JungKook


Assim que fui deixado pra trás pelo Yoongi eu segui para minha casa com a consciência refletindo em torno do ômega da carta mas sem eu perceber comecei a pensar no Park. Ele é fofo, tão educado e carinhoso, simplesmente encantador, embora eu não possa "falar" com ele. Ele é uma companhia maravilhosa, mas ainda sim; prefiro o ômega das cartas.


Entrei em casa e encontrei meus pais na sala juntamente da pior pessoa que poderia aparecer neste momento, ela de novo não, a obsessão deles por ela já está me deixando louco, isso nunca irá parar?


– JungKook meu filho, olha quem veio lhe ver. – minha omma falou animada e eu apenas assenti formando um sorriso forçado – menina Kim voltou mais cedo de seu estágio na França porque estava com saudades de você não é Hyuna?


– sim, senti saudades oppa.


também senti Hyuna, mas agora estou cansando, tive um dia longo na escola, na verdade foi até bem legal – dito e tiro meus sapatos.


– deixa eu te ajudar oppa – o garoto disse gentil pegando meu casaco e logo fazendo uma careta ao sentir o cheiro – este cheiro é de ômega Jeon? 


– ah sim, o cheiro do Jiminie deve ter ficado aí, emprestei meu casaco pra ele pois estava frio na sala – disse simples vendo o olhar de raiva da garota e a expressão feia de minha mãe; porém meu appa tinha um leve sorriso nos lábios.


– JungKook! Não fale sobre um qualquer na presença da menina Kim. – minha omma me repreendeu.


– ele não é um qualquer omma – encarei a mulher com uma certa raiva ainda desconhecida por mim, mas meu lobo de sentiu mal ao ver a mulher falar mal do ômega – irei me retirar, estou exausto. Bem vinda de volta Hyuna. 


Pego meu casaco da mão da menina e subo as escadas em direção ao meu quarto logo adentrando o comodo e fechando a porta, me jogo na cama suspirando tentando conter a raiva, como ela ousa falar mal assim do meu Jimin? Ele não é um qualquer, é um ômega de respeito. Com todo seu jeitinho fofo, suas bochechas rubras naturalmente, seus fios macios, seu lábios cheinhos  e aquele cheiro. Trouxe o casaco até meu rosto e pude sentir o aroma, flores silvestres e frutas vermelhas, meu deus que delícia. Aquele cheiro estava me enlouquecendo, tudo nele está me enlouquecendo, do seu sorriso até seu corpo, seus lábios cheinhos e suas fartas coxas, sua bunda redondinha se encaixaria perfeifo em minhas mãos da mesma forma que sentaria muito bem em meu membro. Continuei inalando aquele cheiro e desci minha mão pelo meu corpo até chegar em meu membro o apertando e logo enfiando minha mão dentro da calça o massageando.


Me sentei na cama encostando minhas costas na cabeceira da mesma e novamente levei o casaco até meu rosto novamente e inalei aquele cheiro delicioso imaginando o Park aqui. Tirei meu membro rígido pra fora da calça e comecei a mover meu polegar sobre a cabeça de meu falo espalhando todo pré gozo sobre o mesmo para me ajudar nos movimentos rápidos sem deixar de inalar aquele bendito aroma.


– Jimin....– me permite gemer seu nome baixinho enquanto aumentava os movimentos em meu falo já sentindo minha glande inchar sabendo que meu ápice estava próximo. Continuei com os movimentos e logo sinto algo viscoso em minha mão e vejo a mesma toda suja com a minha porra. 


Me levantei e deixei o casaco ali sob a cama e só então percebi o que havia acabado de fazer.


Eu acabei de bater uma pensando no Jimin.


Eu estou confuso. O ômega das cartas, ele, o que será de nós agora? Ele foi o único que não viu somente minha aparência mas a forma que o cheiro do Park está mexendo comigo. Novamente peguei o casaco agora tirando a carta do bolso interno, engraçado era que o cheiro na carta era o do Park; pode ser porque estava no casaco. Fui em direção a minha mesa onde estava a primeira carta e inalei seu cheiro, poderia ser loucura mas aquele cheiro era do meu ômega. Sorri de orelha a orelha. Ajeitei minha roupa por mais que estivesse suja eu teria que escrever agora.


Se você for o ômega que eu acho que você é, se você for o meu ômega; saiba que eu bati uma punheta pensando em você.....


.

.

.


– então Jeon, menina Kim irá estudar na sua escola isso não é maravilhoso? – minha omma dizia animada. Parece que depois que eu fui pro meu quarto a garota não havia ido embora, pelo contrário; ficou pro jantar. Minha mãe falava animadamente sobre como ela era linda, educada e de como era uma ótima ômega para um Alfa – meu filho seu cio está próximo, já tem alguém pra passar com você? – ela não faria isso, ou faria?


– não. E não preciso de nenhum ômega. Posso passar meu cio dopado.


– não seria problema se eu te ajudasse oppa – a garota ditou bebericando de sua bebida levando sua boca vermelha de batom até a taça tentando me seduzir.


– menina Kim não é mesmo um amor filho? Se preucupa tanto contigo, eu não me importaria se... – não aguentei mais e interrompi a mulher.


– omma, sei o que a senhora está tentando fazer e acredite isso não vai funcionar, estou cansando, meu dia foi cheio, irei me retirar amanhã tenho aula – digo logo me levantando indo em direção ao meu quarto com minha cabeça explodindo. Minha omma não percebe quando é hora de parar, e isso é cansativo de mais.


Assim que adentrei o quarto me deitei na cama encarando as estrelas pelo janela que era frente para a cama. Me perdi imaginando como os olhos do Park brilhavam mais que todas as constelações e novamente percebo que me encontro pensando no ômega.


Sou tirado de meu transe por ouvir batidas na porta.


– quem é?


– seu appa – já imaginava levar uma enorme bronca mas seu timbre era calma. Ajeitei minha postura na cama e murmurei um "entra" para o mais velho – sabe porque vim aqui não é?


– beijinho de boa noite? – brinquei com o mais velho. Este que abaixou sua cabeça negando enquanto tinha um leve sorriso nos lábios.


– sua mãe disse pra mim te dar uma bronca mas não acho que sua atitude foi errada. 


– então porque veio aqui?


– queria conversar com meu filhote sobre ele estar gostando de um ômega – arregalei os olhos.


– como sabe?


– ah qual é, eu vi seu olhar quando falava dele, percebi quando ficou irritado quando sua mãe falou que ele era "um qualquer", estava  o protegendo meu filho. – o mais velho tinha um semblante orgulhoso me fazendo sorrir a sua fala – quero conhecer logo este ômega, deve ser deverás lindo.


– ah appa você não tem noção! Sua boca carnuda, seu corpo delineado, seu sorriso lindo, suas bochechas rubras, simplesmente; tudo. – dito vendo o mais velho rir a cada palavra que eu ditava – tsc. Só tem um problema, bem, não é um problema para mim, mas...



– diga filhote – o Alfa insistiu.


– ele é mudo.















Notas Finais


Isso gente, punhetinha, revelações, e um possível cupido. Até a próxima, bjo, bjo 🥀💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...