1. Spirit Fanfics >
  2. Love Is My Greatest Frankness (Jikook) (Hibrido) >
  3. Cap 14

História Love Is My Greatest Frankness (Jikook) (Hibrido) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece!


❣️ Aviso importante nas notas finais ❣️

Capítulo 15 - Cap 14


   

 

Jungkook entrou na casa com um sentimento estranho. ele não deveria está feliz por não precisar mais cuidar do híbrido? Ele não deveria estar feliz por poder voltar agora a viver sua vida de antes? Por que aquele sentimento agoniante em seu peito? Viu na sala as compras ainda no mesmo lugar que deixou antes de sair correndo para delegacia.

E com o coração a mil subiu a escadas até seu quarto encontrando em sua cama Jimin todo enrolado como de manhã.

- droga, Jimin...Sentou na cama e admirou pela última vez aquela cena que de uma certa forma, Jungkook poderia sentir que adoraria ver todos os dias.

- Jungkook? Abriu os olhos e sorriu. - você voltou. Sentou na cama encarando Jungkook que nada disse apenas ficou quieto o observando. - aconteceu alguma coisa com o Jungkook?

- está com fome? vou preparar algo para comermos. Antes que Jimin disse-se algo ele saiu dali, o que o fez se sentir covarde por não falar logo de uma vez mas, ver a carinha de sono e o sorriso de Jimin fez com que perde-se a coragem de dizer.

- merda...resmungou baixinho e logo foi ver as sacolas atrás de algo para fazer.

Pegou alguns legumes na escolha de uma comida mais saudável e para não ficar uma comida tão sem graça, fritou carne de carneiro.

- acho que que ficou bom...confessou ao experimentar um pouco de sua comida.

"Aquele tempo na casa de Jin-Hyung não foi tão em vão." Pensou. "Ele estava certo sobre cozinhar ajudar a pensar."

- Jungkook? deixou seus pensamentos de lado ao ouvir sua. 

- Jimin. A comida está pronta. Virou para o hibrido que já estava sentado na bancada. - acho que vai gostar. disse sem ter muita certeza já que não costuma cozinhar muito, embora tenha praticado bastante nos dias que ficou na casa de seu irmão. Ele ainda assim não colocava muita fé em sua culinária.

O serviu um parto e fez o mesmo com si.

- está muito bom. Disse trazendo a atenção de Jungkook para seu rosto que havia um sorriso.

- obrigado. Voltou sua atenção para seu prato. Por mas que estivesse sentado ao lado de Jimin, Jungkook estava tentando ao máximo não o olhar. Jungkook sabia que uma hora teria que falar para Jimin. - Jimin. Após um tempo em silêncio o chamou e o mesmo o olhou. - gosta de ficar aqui?

- sim. Sem êxito algum respondeu a ele.

- por quê? Jimin olhou por alguns segundos para seu prato e então voltou a Jungkook.

- porquê o Jimin gosta daqui e do Jungkook. Sua bochecha adquiriu um rubor. - o Jungkook cuida do Jimin. naquele momento ele não queria estar naquela situação que estava e muito menos ter falar o que faltaria.

- você não vai ficar comigo. Disse de uma vez e a reação de Jimin foi arregalar os olhos em seguida teve uma face neutra. - você vai ter que ficar com outro policial.

- uhum. Assentiu. - o Jimin entendi. Voltou a comer em silêncio esse que deixou Jungkook extremamente incomodado, não que estivesse esperando que ele fala-se algo. Aliás, o que poderia dizer? - o Jimin vai dormir. Levantou sem o olhar.

- ta bom...Jimin. Ele o olhou já nas escadas. - amanhã de manhã Yoongi irá vir te buscar. Apenas assentiu e subiu deixando um Jungkook se sentindo a pior pessoa do mundo.

.

.

.

.

Após limpar tudo da junta e arrumar as compras, subiu em fim para seu quarto o encontrando vazio e a cama bagunçada. Apenas suspirou antes de entrar para o banheiro e tomar um banho, onde não ficou muito tempo por querer sair logo dali e procurar uma formar daquela sensação que para ele era sem sentido algum.

Saiu do banheiro e se jogou na cama e respirou fundo sentindo dali um cheiro bom, o cheiro de Jimin.

- Jimin...sem pensar muito levantou da cama e foi em direção ao quarto do híbrido que estava escuro e era apenas iluminado pela janela. Entrou ali com cuidado sem saber ao certo do porquê e o que estava fazendo ali. Sentou na cama vendo o dormir. - desculpa. Disse em um sussurro deixando um afago em seus cabelos antes de sair.

.

.

.

.

- bom dia Jungkook! entrou animado na sala.

- bom dia. Segunda...

- e aí? Como foi seu fim de semana? Olhou para mim sorrindo estranhamento alegre.

- por que toda essa animação? Esses relatórios são muito parecidos com os da semana passada...estranho.

- ah, nada.

- nada? O encaro vendo ainda sorrir. - não acho que seja nada.

- é que, ah Jungkooook. É bom ver ao menos ele assim...- hoje no almoço de conto.

- okay.

.

.

.

.

Conversei com Namjoon e me parece que estamos com um assassino em série...que merda. Os casos são todos com muita semelhança na forma da morte e principalmente onde seus corpos são encontrados.

- vou querer apenas um cappuccino. Aviso a Tae que faz o pedido e logo a garçonete saiu apos anotar tudo.

- então, Jungkook. Ah, minha sexta foi maravilhosa!

- imagino.

- conheci alguém incrível. Suspirou, diria até que apaixonado. - que ruivo adorável. É até engraçado o ver assim.

- comeu ele?

- que? Não, não.

- para estar tão animado...Não me diz que apenas tiveram uma boa conversa? Fala sério?

- acertou.

- não acredito. o olhei incrédulo com o que ouvi. Eu não havia falado serio sobre "uma boa conversa".

- que foi? Acha que precisa transar com a pessoa para gostar dela?

- você, sim.

- oh, eu não precisei transar com você. arqueou uma das sobrancelhas em minha direção.

- deixa de ser idiota, Taehyung. Jogo um dos canudos nele.

- mas, é verdade.

- mas veja bem, você quer não é?

- que? Não! seria nojento!

- ãh?

- nunca transaria com você! Ataca um saquê de açúcar em mim.

...

- não né Taehyung! tô falando do carinha que você conheceu, idiota!

- ah, ele? Não sei...não acredito, ele tá mesmo apaixonado...- ele é tão legal, Jungkook.

- não acredito que tô ouvido esses absurdos. Logo vai estar aí falando que transou com ele.

- acho que não, ele não é desse tipo Jungkook.

- desse tipo?

- que transa por transar.

- desde quando repara nisso? De qualquer forma não vai acabar fodendo ele?

- aí você é cruel as vezes. O que? Disse algo de mais? - e sem falar que não me importaria dele fazer isso comigo. Sorriu com a merda de uma cara de malícia.

- me polpe das sua aventuras sexuais.

- mas é sério, Jungkook. Por aquele garoto até mudo minhas preferências. Não posso evitar revirar os olhos. - mas e você? Nossos pedidos em fim chegam.

- o que tem eu?

- não perguntei antes mas, você tá estranho dês que o híbrido foi embora.

- impressão sua.

- Jungkook.

- Taehyung, eu não tenho mais nada haver com aquele híbrido. Não mais...- ele está melhor com Yoongi.

- tem certeza? Não me parece. Isso não te encomoda?

- me encomoda você ficar perguntando.

- então, tá bom.

.

.

.

.

- merda, merda...o que está acontecendo comigo? A verdade era que Jungkook mas que tudo naquele momento só queria ao menos saber do híbrido. Se seus machucados em suas costas melhoraram, se estava bem com Yoongi, se ainda tinha aqueles pesadelos ruins. Mas, não tinha coragem de perguntar a Yoongi, seu orgulho não o deixava fazer aquilo.

- ele está melhor com Yoongi...deitou no sofá lembrando das palavras de sua chefe...

.

.

.

.

- como assim? Porquê? Arrumou as costas na cadeira antes de responder.

- Namjoon e Taehyung vieram falar comigo. O olhou serio. - você realmente gritou com ele?

- sim, eu estava irritado-

- e de novo se descontrolou. Completou. - sabe que isso vai te prejudicar sempre, Jeon. O que ele menos precisa no momento é que o trate assim, ele já passou por muita coisa ao ponto de não saber quem ele é. O que fez foi muito errado.

- eu sei.

- eu confiei ele a você porque sempre foi meu melhor policial em quesito de controle, você sabe diferenciar trabalho da vida pessoal ou sabia. Jungkook ouvia tudo se sentindo idiota e inútil por falhar de novo. - quando te dei o tempo de afastamento foi para que se cuida-se e voltasse o policial que fiz questão de trazer para meu distrito. Suspirou. Ela sabia que estava sendo dura com ele, porém também sabia que aquilo precisava ser dito. - ele ficará com o Yoongi.

- Yoongi? Fala sério? Como Jimin vai se acostumar com ele? Um cara que não dá se quer bom dia para alguém!

- ele sabe ser profissional e sabe o que tem que fazer quanto a Jimin e logo vamos saber o que fazer com Jimin, ele não vai ficar para sempre em nossas mãos.

- o que quer dizer com isso?

- você sabe o que quero dizer.

- sim...posso ir?

- sim, espero te ver a ativa novamente Jeon, quero o policial Jungkook.

- terá. Levantou mas, antes de sair. - procurem por Yorang.

- Yorang? Estranhou Jungkook saber daquele nome.

 Seria a mesma pessoa que passava por sua cabeça?

- segundo Jimin é o dono dele e quem fez isso com ele.

- entendo. Até segunda Jeon.

- até.

.

.

.

.

- Hoseok. Sorriu ao vê-lo sentado no mesmo banco que ficaram naquela noite, apenas com a diferença de ser de dia.

- Taehyung. Também sorriu. - está tudo bem?

- não, Hoseok-ah. Deitou sua cabeça na mesa como no outro dia.

- me deixa adivinhar. Seu amigo?

- sim...levantou a cabeça olhando para o rosto sorridente a sua frente que julgou ser mais bonito a luz do dia. - você deve estar de saco cheio não é?

- claro que não. Amigos são para isso, não é?

- você é um amor Hoseok. Por mas que aquela seja a segunda vez que ambos se viam, não era a segunda vez que conversavam. Taehyung não perdeu tempo em naquele mesma noite pegar o número do ruivo que desde de então conversam animadamente todos os dias, ainda mais depois que Hoseok encontrou um apartamento. E naquele dia Tae queria desabafar e pedir conselhos a alguém. porque não a seu mais novo amigo?

- mas, você sabe que vai ter que me contar tudo não é?

- sei. Arrumou sua postura no banco. - eu não sei ao certo o que o aflinge. Ele estava assim depois que o Hibrido foi embora, porém ele já não estava muito bem.

- por causa "daquilo"?

- sim, aquilo...aquele maldito dia. Sua face não era mais aquela sorridente e sim uma seria. - nós somos policiais como te disse e bom, somos da área de investigação, só que também vamos de linha de frente muitas das vezes e nesse dia não foi diferente. Estava eu, Jungkook, Yoongi e Namjoon em mais um dos nossos dias de trabalho, porém contra algo que não imaginamos terminar daquele forma. Hoseok que ouvia tudo sentiu um arrepio só pelo tom que tudo era dito. - fomos mandados para um local que estava sendo assaltado e havia reféns em um restaurante, quando chegamos não esperávamos encontrar como refém uma criança. Hoseok se assustou em pensar o quanto aquilo devia ser difícil. - Lin Hain. Uma garotinha de 13 anos...Taehyung respirou fundo antes de continuar. - estava tudo com mais pressão que o normal. Ela chorava chamando pele mãe enquanto aquele filho da puta a segura com força e mirava uma arma para sua cabeça. Desculpa dizer essas coisas assim. Pediu após ver a rosto preocupado de Hoseok.

- tudo bem, eu sei que não é fácil o trabalho de vocês e que tem muito disso. Sorriu reconfortante.

- obrigado. Mordeu os lábio inferior antes de continuar. - então, já estávamos em posição e tentando negociar com aquele cara, mas nada, ele apenas continuava a ameaçar. Eu podia ver o nevosismo de Jungkook ao meu lado, sabia que poderia explodir a qualquer momento, porém não podia fazer nada todos estamos assim também, mas então o cara deu uma coronhada na menina e ali tudo foi muito rápido e sangrento...eu só vi o corpo do cara cair para um lado e o da garota para o outro.

- oh, Taehyung...

- Jungkook atirou no cara, porém aquele maldito fez o mesma na garota.

- isso é horrível.

- eu sei. Suspirou olhando para o céu. - e então tudo foi por água abaixo para Jungkook. A família, a mídia e a delegacia foram em cima dele. Não se importaram se aquilo também o perturbou...apenas o atacaram.

- isso foi desumano...

- foi, mas quem liga? Eles iriam? Hoseok pegou a mão de Tae a segurando como uma forma de o acalmar ao ver seu estado. - eu vi Jungkook mudar do dia para noite...ele não era mais aquele Jungkook que conheci, ele se fechou para tudo e todos, e se calou. Era difícil trabalhar com ele, ele não parecia mais conseguir se controlar. Mas, ele não fazia por mal, eu seu que não, Jungkook não é alguém ruim. Apertou a mão do ruivo. - nunca foi, e ele se culpa até hoje por isso e sei que isso ainda o bala muito, mesmo que negue.

- isso é assustador, imagino como ele pode ter ficado.

- ele não confia mais nele mesmo sabe? Ele não tem mais aquele essência que tinha...mas, eu sei que está tentando mudar isso. Porém agora parece que voltamos do zero.

- hum, entendo.

- ele foi afastado do trabalho por tempo indeterminado e quando volto em uma semana. No dia que ele voltou eu senti aquele Jungkook, mas agora...

- sabe o que vai fazer agora?

- não. Mas eu quero ajudar ele e vou.

.

.

.

.

 


Notas Finais


Espero que tenha gostado :)

Bom, gente eu vou sumir por um tempo indeterminado e queria pedir desculpas por isso. Problemas com a escola e suas atividades.
A um tempo estava tentando acessar o aplicativo de atividades da escola e de forma alguma ia, eu já tinha desistido já estava pensando no que iria dizer para a direção da escola porém, enfim consegui acessar e agora estou com MUITA atividade acumulada então vou ficar afastada das redes sociais e tudo pq tenho que focar agora em terminar essas atividades...
É isso! Prometo não abandonar essa fanfic que, bom... estou com umas ideias ***** mas não posso dizer se não perde a graça. Espero que preparem o coração.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...