História Loveless or lovely? - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bullying, Colegial, Estudio, Lemon, Originais, Tatuador, Yaoi
Visualizações 97
Palavras 856
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Vergonha no momento está sendo meu sobrenome

Capítulo 11 - 11


Fanfic / Fanfiction Loveless or lovely? - Capítulo 11 - 11

          

Haru p.o.v

Com meu namorado de quadro em cima de mim, bejando-me fervorosamente, estava difícil pensar em algo que não fosse ele. Passei minhas mãos por debaixo de sua camisa, apertando sua cintura possesivamente. Obviamente, não havia curvas ali e, sinceramente, eu estava amando. Ele desceu os beijos para o meu pescoço, mordiscando minha mandíbula, que até então eu não sabia ser uma área sensível. Gemi rouco em seu ouvido, e pareceu fazer efeito, pois senti seu corpo tremer em cima do meu.

Aproveitei a deixa para trocar as posições e atacar sua pele branquinha, livre de marcas - por enquanto -. Subi afobadamente a camisa que o havia emprestado mais cedo, ajudando-o a tirá-la para então poder contemplar seu corpo magro. Fui direto em seus mamilos, chupando o esquerdo enquanto brincava com o direto. Min começara a gemer ali mesmo, tão manhoso que eu poderia gozar só de ouvi-lo.

Trilhei uma linha de beijos até chegar no cós de sua calça, quando o olhei com meu melhor sorriso malicioso. Tirei sua calça e pude ver o quão estava pulsante por debaixo do tecido da boxer branca, já um pouco melada de pré gozo. Massageei seu membro por cima do pano para senti-lo melhor.

Ao notar que eu ainda estava de roupas, o menor veio até mim para tirá-las. Ele foi tão depressa que acabou se atrapalhando ao desabotoar minha calça e eu tive de ajudá-lo.

Quando já estavámos completamente livres de panos, pudemos nos observar melhor. O corpo do Min era, de longe, o mais lindo que eu já havia visto. Seu rosto delicado, sua pele alva, suas coxas roliças. Tudo me atraía nesse menino de um jeito que nunca havia acontecido e o mesmo olhava para mim da mesma maneira.

Tirou um tempo curto para dedilhar minhas tatuagens, adimirando cada uma até que seu olhar se voltou para o meu e nos beijamos de novo. Um beijo misto de amor e desejo, que não havia nem um dominador nem um submisso, ambos erámos um do outro.

E, por incrível que pareça, fiquei com vergonha ao perguntá-lhe se tinha algum lumbrificante ou camisinha, e ele, com as bochechas coradas, foi pegar.

Prepará-lo foi difícil para mim, pois o menor era muito apertado e sua cara de dor partia meu coração, mesmo que depois de um tempo a dor seria quase inexitente. Depois de três dedos, julguei que já estava bom para poder começar.

Coloquei a camisinha e olhei para Min que estava na minha frente. Ele parecia muito feliz agora, mesmo sabendo que sentiria dor. Posicionei-me melhor em cima dele, entrelaçando nossos dedos e o olhei no fundo dos olhos, recebendo um balançar positivo de volta. Eu já poderia começar.

Enterrei-me devagar em seu interior, sentindo suas paredes internas apertando meu membro de uma forma deliciosa e, por alguns instantes, senti-me mal por Min não estar se sentindo desse jeito. Pelo menos não agora.

Esperei o tempo para que ele pudesse se acostumar, jamais me perdoaria so o machucasse mais ainda. Assim que ele começou a procurar por mais contato, senti que estava na hora de me mexer. Comecei lentamente com as estocadas, aumentando gradativamente. Ele gemia meu nome, e eu o seu. Erámos só um ali, estavámos fazendo amor da melhor forma que eu poderia imaginar.

Assim que achei o ponto doce do menor, não tardou até que ele gozasse, e o fiz logo após. Me retirei de dentro dele, deitando-me ao seu lado. Estávamos suados, com respirações ofegantes, mas acima de tudo, felizes. Eu já não me sentia só como sempre fui.

Ele se aconchegou em meus braços, e ali dormimos, como um casal de verdade.

<3

(Outro dia)

Acordei com o despertador de Min tocando. Abri os olhos aos poucos, tateando ao meu redor em busca de outro corpo, mas a cama estava vazia. Ele havia acordado antes do despertador, que estranho. Levantei-me e vesti minhas roupas espalhadas pelo chão. Estava checando meu celular quando o menor saiu do banheiro já vestido com seu uniforme e seus cabelos ainda bagunçados.

- Bom dia, pequeno. - Digo o abraçando. Posso notar que parece triste.

- Bom dia, Haru. Eu não quero ir para escola.

- Entendo, mas você sabe que precisa ir. - Acariciei seus cabelos - Eu posso ir te buscar hoje. Aliás, você disse que queria trabalhar comigo. Ainda topa?

- Sim, estarei te esperando na frente da escola.

- Hum... e por que você acordou antes do despertador?

- É que eu também tenho que acordar meu irmão. Então, vamos comer?

- Sim. - Fomos até a sala para comer e o menor grita para que seu irmão se junte a nós. O garotinho desceu as escadas reclamando igual o irmão. Eles se parecem muito, até a personalidade

- Bom dia. - Comprimentou o pequenino ainda com voz de sono. - Gangster, qual o seu nome? - Pegou uma maçã.

- É Haru, e o seu? - Comecei a comer a comida que Min me serviu, afirmando estar deliciosa por ele ter feito.

- Meu nome é Yuta. - Respondeu sorridente. Acabamos tudo e eu os ajudei a lavar os pratos. Levei-os à suas respectivas escolas e voltei para o estúdio. Hoje meu dia estava cheio e eu precisaria começar cedo.


Notas Finais


Espero não ter decepcionado aaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...