História Mãe - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Carmen Sandiego, Hunter x Hunter
Personagens Carmen Sandiego, Chrollo Lucilfer
Tags Amém!, Best Ladrões, Carmen Rainha, Carmen Sandiego, Chrollo, Crack Fic, Especial, Espiríto Santo, Filho, Kuroro, Mãe
Visualizações 39
Palavras 2.362
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Policial
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minha segunda Crack Fic e primeiro crossover
Sabe aquelas historia locas que vem a sua mente e você pensa.
-Putz, o que foi que eu comi para pensar num troço desse?
Pois é. Mãe é esse tipo de Historia. Nasceu quando nos meus devaneio eu falei que a Carmen poderia ser a mãe do Kuroro pela forma que os dois se veste e por ambos serem ladrões kkkkkkkkkkkkk
O que deu em mim senhor?
Caso alguém não conheça a Carmen Sandiego, pode procurar na wikipedia que lá tem um artigo falando dessa mulher mega foda. Mas, acho que essa informação que darei é importante para aqueles que não a conhecem entender a fic.
Carmen Sandiego é canonicamente uma ladra
Como é um Crossover com Hunter x Hunter a Carmen é um usuária de nen

Capítulo 1 - Você é


Fanfic / Fanfiction Mãe - Capítulo 1 - Você é

Carmen Sandiego, outrora uma das maiores detetives da agencia ACME, hoje é uma das maiores  ladra do mundo e fundadora da agencia de vilões V.I.L.E. Carmen é um mulher forte,  inteligente, linda, astuta  uma estrategista nata, enfim, um exemplo claro de girl power.

Porém, apesar de todas as qualidades e de viver no mundo do crime, Carmen tinha um segredo que era a única coisa que talvez fizesse a consciência da jovem pesar, Carmen havia se livrado de uma parte de si.

Tudo começou à 27 anos atrás, a V.I.L.E havia completado 4 anos de existência. Carmen, uma garota conhecida pela sua notável capacidade de roubar tudo o que quisesse, mesmo que não precisasse só para mostrar que ela era foda, quase nunca cometia erro em suas missões. Todas eram executadas com maestria e muito estilo. Também era conhecida como uma pessoa capaz de usar quaisquer meios para conseguir o que queria.

Em uma das missões ela precisou se deitar com um senhor 20 anos mais velho do que ela. Foi um sexo rápido, ele ficou por cima falando qualquer merda que ninguém liga, enquanto ela ficou por baixo fazendo lista de compra na cabeça.

Ao final da foda o velho estava desmaiado e Carmen com as coisas que seus capangas roubaram, ela estava preparada para esquecer aquela noite como fazia com todas as noites de crimes, entretanto, Carmen nunca conseguiu esquecer, pelo contraio, esse fatídico dia ficou nas suas memorias para sempre.

XXX

Era uma noite comum de Janeiro, estava frio, mas isso não impediu uma certa ladra de entrar sorrateiramente no museu, principalmente por que hoje o quadro O Grito estava em exibição e nada poderia impedi-la de roubar aquela obra grotesca. Sim, esse quadro é feio que doí e dava medo na jovem, porém, e famoso o suficiente para que dezenas de guardas e policias idiotas tentassem  o proteger.

Ela andava pelos corredores do grande saguão onde o quadro está exposto. -Falta exatamente 6 minutos para meus colegas entrarem e ação.

Um homem derruba bebida em seu vestido.

-Desculpe jovem dama.

Ela olha  para ele devia ser filho de algum figurão.

-Veio ver o quadro?

Tantas coisas para perguntar e ele me vem com isso. Carmen revira seus olhos internamente

-Não, ele é feio e assustador. Estou aqui pelo open bar.

-Você é engraçada.

E você é um idiota.

-Pra ser sincero eu também o acho um quadro estranho. Um cara com problemas cobrindo os ouvidos e gritando, o que o artista tinha na cabeça?

-Na verdade o cara não tem problemas , quem tem problemas é o mundo em sua volta, o cara só esta tampado os ouvidos e gritando porque cansou de ouvir as lamúrias do mundo.

Carmen observou o olhar de espanto na face do homem em sua frente. –Você é inteligente pra caramba, quem é você?

A doce mulher sorriu. –Carmen... Sandiego

O rosto do homem se transformou em pavor. Ele conhecia o seu nome, mas antes de dar qualquer aviso as luzes se apagaram.

Uma enxurrada de gritos preencheu o local.

3 minutos depois as luzes se acendem, mas a pintura já havia desaparecido.

-A policia foi imediatamente chamada.

-Foi a Carmen Sandiego! –O rapaz que conversou com Carmen antes relatou para um dos policias.

-Ela ainda deve esta no prédio! Policias e guardas vasculhem todos os cantos do museu.

 No telhado Carmen estava fugindo com seus colegas quando se sentiu tonta e caiu.

-Chefa! –Luizy uma garota que tinha entrado na organização há cinco meses a chamou.

-Eu estou bem!

As luzes das viaturas apontaram para o telhado.

-Carmen Sandiego você está cercada!

-Temos que ir, eles começarão a subir em minutos. –Luke, irmão gêmeo de Luizy fala.

A porta que dar acesso ao telhado e arrobada.

-Parados em nome da lei (alguém ainda fala assim?)

-Izy abra o portal. –Ordena Carmen

-Claro, chefa. –Izy abre um portal e entra dentro dele junto de Carmen e de seu irmão.

O portal abre no esconderijo da V.I.L.E

-Carmen e os outros são recebidos com aplausos por todos.

-Missão concluída, chefa!

-Claro, Tião seu imbecil! –Eu não cometo falhas.

-Eita o que a chefa tem? –Perguntou Tião muriçoca para Luke.

-Ela se sentiu tonta no meio da missão.

-Será que ela ta doente?

-Quietos vocês dois, eu vou lá falar com ela.

XXX

Carmen senta-se em sua cama e invoca o politico particular. Sua habilidade nen que lhe permitia materializar um politico que podia guardar qualquer coisa em suas roupas. Quanto maior o objeto, menos coisas ele poderia guarda.

-Me mostre o quadro!

O politico tira O Grito de dentro de sua cueca.

-Devia parar de guardar coisas dentro da cueca é nojento! Enfim, pendure o quadro na parede e suma.

O politico obedece.

-Carmen.

-Pode entrar!

Luizy adentra os aposentos de Carmen.

-Eu trouxe chá para você.

-Obrigado pode se retirar.

-Esta tudo bem?

-Sim, apenas um mal estar.

Luizy sorrir e deixa o quarto

Carmen deita-se em sua cama, ela pensava que uma boa noite de sono acabaria com os sintomas que ela estava sentido. Ela estava errada. Os dias passaram e os sintomas só pioraram, ela agora sentia náuseas com o cheiro de qualquer comida, vivia tento tonturas e vomitava por qualquer coisinha?

XXX

Uma peruca loira escondia sua aparência, apesar de achar que não precisaria disso, já andou muito pelas ruas sem ninguém chamar a policia por causa de sua presença. Porém, com suas tonturas rotineiras não queria se dar ao luxo de entrar em nenhum confronto.

-Senhora Dolores do Carmo.

Carmen levanta-se para adentara no consultório.

-Então senhora Dolores o que lhe trás aqui?  

Carmen fala todos os sintomas para a médica.

-Acho que sei o que você tem mesmo assim vamos fazer uns exames específicos.

XXX

-Você pode vim aqui amanha buscar os resultados.

-Certo.

-Como foi chefa?

-Voltaremos amanhã para pegar os resultados, Tião.

XXX

No dia seguinte Carmen notou a estranha face da doutora.

-Vim buscar meus resultados.

-Sim dona do Carmo. Antes de tudo o teste que apliquei em você era um exame de gravidez

Pela primeira vez na vida Carmen congelou. -Como?

Os resultados ficaram pronto ontem à noite, meus parabéns a senhora está gravida!

O chão em sua volta desmoronou.

XXX

-Não falem com a chefa ela está irritada. -Tião chega avisando todo mundo

Carmen entra furiosa pelos corredores e vai direto para seu quarto. Chegando lá, ela encosta sua mão no rosto e chora depois de muito tempo.

-Isso não pode esta acontecendo.

-Chefa o que houve? –Pergunta Luisy

-Nada demais só um pequeno empecilho, pode se retirar agora.

Um mês se passou e ninguém na V.I.L.E conseguia descobrir o que houve com Carmen

XXX

-Eu tenho que te tirar daí seu empata roubo. –A mulher tocava em sua barriga enquanto comia um pedaço de queijo coberto com geleia de morango e rapas de tijolo.

-Ainda não acredito que aquele velho inútil me deu um filho. Ele não conseguiu me dar prazer, mas me deu um bebê.

Ela joga a cabeça para trás. Eu preciso ir naquela clinica de aborto.

-Chefa! –Luke entra tímido no quarto

-Sim, Luke!

-Só quero confirma se você participará do roubo dessa noite.

Carmen fitava o rapaz com olhos frios. Ela tinha esquecido dessa missão especifica. –É o roubo do Puma dourado?

-Sim

A mulher respira fundo. Havia se afastado dos roubos até decidir o que fazer com a criança. Mas sabia que isso levantava suspeitas em seus comparsas.

-Participarei.

XXX

O roubo foi 99% sucesso. Ela já havia enfiado o puma dourado no bolso do politico particular e estava correndo da máfia chinesa de quem roubou o puma. Ela apenas havia esquecido que o cassino ficava num bairro comercial, aquelas dezenas de barracas de comida exalavam um cheiro insuportável para uma gravida.

Carmen parou para vomitar e foi atingida por um tiro na barriga.

Luizy teve que usar o portal de novo e teleportar todos para o esconderijo.

-Como esta o meu ferimento?

-Tudo bem chefa, eu treinei muito quando fui médico no SUS. –Fala Tião. –Foi só um tiro de raspão.

Um alivio se instaura no peito de Carmen. Ela volta para o seu quarto e senta-se em sua cama.

-Você me deu um susto hoje empata roubo.  Mas parece que eu não estou tão pronta para de deixar morrer. Carmen deita-se abraçando sua barriga.

XXX

-Eu estou me afastando das missões para cuidar de minha doença.

Todos na V.I.L.E se entreolham assustados.

-Obvio que vocês poderão continuar a cometer roubos usando o nome da organização, apenas eu tirarei férias, vocês não. –Carmen da um sorriso. –Antes que vocês me pergunte meu problema não é tão grave assim, porém, exige um tempo de descanso, sendo assim, me retirarei.

XXX

Carmen alugou uma casa no interior de uma cidade qualquer. Fez amizade com a parteira local, contou uma falsa historia de que foi abandonada por seu marido e rejeitada pela sua família. A parteira, comovida com a historia da pobre moça a ajudou durante os noves meses de gravidez.

A criança veio numa noite chuvosa de outubro. Os raios e trovões castigavam os céus, ainda assim não abafavam os gritos de dor de Carmen que estavam em trabalho de parto a mais de 15 horas.

-Faça mais força ele esta saindo.

-Carmen respira fundo e usa suas poucas força para empurrar o bebe.

Um choro de criança percorre pelo local.

-É um menino. 

Um sorriso se forma nos lábios da morena

O bebê de Carmen era um garotinho de olhos escuros e cabelos pretos, ele era lindo e nasceu com a mesma marca de nascimento no formato da Eslovênia que Carmen tinha, provando que ele era realmente seu filho.

Ela fica na cidadezinha por mais três meses cuidando de seu filho e depois vai embora sem se despedir de ninguém, deixando apenas uma generosa quantia de dinheiro para a parteira que lhe ajudou.

XXX

Quando saiu da cidade Carmen já sabia o que fazer com a criança.

-Eu espero que você me perdoe. Não é que eu não goste de você, mas eu sou uma ladra, que espécie de mãe eu seria? Eu vou te levar para um lugar onde eu sei que cuidarão de você, eles lá não rejeitam ninguém. Confesso que não é um lugar muito bonito ou higiênico de se morar, mas ainda é melhor do que morar comigo e ficar conhecido como o filho de Carmen Sandiego, lá você não será perseguido pela policia e nenhum inimigo meu tentará te matar.

A morena chega a Meteor City

-A quem estou querendo enganar. Essas palavras foram apenas para me confortar!  Vamos lá Carmen, você comete grandes roubos, abandonar uma criança é fácil.

Ela deposita o bebê em uma pia velha.

-Espero que fique bem. . Não seja como a mamãe.

Carmen tenta se levantar, mas seu filho agarra um pedaço de sua roupa.

As lágrimas vêm em seus olhos, mas secam no instante que percebe uma pessoa atrás dela.

-É um morador daqui?

O cara em uma roupa bem característica acena com a cabeça. Ele anda ate a pia, pega a criança e olha para a mulher.

-Eu não posso ficar com ele, pode cuidar dele parar mim?

-Aqui não rejeitamos nada nem ninguém.

Carmen sorrir. –Irei embora.

Assim que sua mãe vira as costas o bebê começa a chorar.

Carmen respira fundo e continua a andar sem olhar para trás.

XXX

Parecia ironia do destino. 11 anos depois de deixar um pedaço de si aqui Carmen estava de volta a Meteor City.

-Tantas cidades e esse maldito cliente me pedem para encontra-lo aqui. Pelo menos tudo deu certo.

A verdade e que Carmen nunca foi capaz de esquecer o seu filho e nunca se sentiu tão confortável quanto queria.

Perdida em seus pensamentos ela tromba com uma criança.

-Cuidado mo...

-Desculpe tia. –Um garoto de olhos escuros e cabelo preto, fala.

Ele ajuda a moça a se levantar , sorri e vai embora.

Carmen ainda em choque bate em seu casaco para tirar a poeira.

-Ué? Cadê minha carteira? –Ela vira-se para encarar o garoto que já estava distante

-Aquele pestinha. –Ela foi atrás e alcançou o menino com facilmente, entretanto, ao puxa-lo pela camisa uma marca de nascença foi revelada.

Essa marca!

-Tudo bem, você me pegou. Eu devolvo a carteira!

Carmen solta o garoto.

-Antes de ir embora, poderia me dizer o seu nome.

-É uma pedófila?

-O que? Não.  Diga-me!

-Meu nome é...

Corre chefe!

Uma chuva de pedra e lançada na direção de Carmen

O garoto aproveita para fugir.

-Espere! –Ela tenta agarra o menino de novo, mas dessa vez não consegue.

Um grupo de criança surge do nada e começa a correr na mesma direção que o garoto de cabelos escuros.

-Filho?

Aquela foi a ultima vez que Carmen se encontrou com o menino. Ela voltou mais duas vezes em Meteor mais nunca mais o viu...

XXX

15 anos depois

A televisão era única fonte de iluminação no cômodo. Carmen que beirava seus 50 anos ainda roubava, mas teve que diminuir a frequência. Ela estava de férias em York Shin, ficou muito curiosa com o leilão da máfia que lá iria acontecer.  Ela planejava roubar um artefato em especifico, mas, antes que conseguisse a Genei Ryodan agiu primeiro.

-Genei Ryodan! –As palavras saíram num tom de amargura da boca da mulher. –Eles realmente são bem eficientes no que fazem.

A velha mulher toma um gole de Whisky. Ela como ladra conhecia bem a Ryodan, apesar de nunca ter conhecido nenhum deles pessoalmente.

Depois do desastre que ocorreu em York Shin, Carmen seguiu viagem. Andou por diversas cidades até parar em uma cidade pacata do interior, muito parecida com aquela onde ela havia dado a luz 27 anos atrás.

Ela não esperava encontrar nada demais naquele local, mas achou. Parado em uma barraca de frutas estava o meninos de 15 atrás. Ele já era um adulto, mas ainda mantinha o rosto de jovem. Ele sorria encantadoramente enquanto comprava maças da senhora da barraca.

O rapaz caminhou na direção de Carmen, mas passou por ela sem olhar.

-Filho? –Ela falou baixinho, mas mesmo assim o jovem escutou.

-Falou comigo, senhora?


Notas Finais


So pra avisar que Carmen Sandiego não é um desenho da minha época, eu conheci ela através do meu irmão mais velho então fora a Carmen eu não conheço os outros personagens, por isso os ladrões que apareceram tirando a diva rainha e o Kuroro são personagens originais.

Uma pergunta.
Se vc tivessem uma vida como a da Carmen ou a do Kuroro vc abandonariam o seu filho ou cuidaria dele?

Perdoem os erros eu corrigi a fic de madrugada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...