1. Spirit Fanfics >
  2. Mar de Amor - Jikook >
  3. Capítulo XVI

História Mar de Amor - Jikook - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - Capítulo XVI


Jimin não queria ir ao baile, mas Yoona o convenceu a ir porque senão seria uma desfeita com lord Johar. A mulher disse que era melhor encontrar o senhor de Hwasan entre vários convidados do que sozinho e o ômega concordou.

O Palácio estava muito bonito e iluminando, muitas carruagens trafegavam em frente à residência. Já na entrada, podia-se observar que pessoas da mais alta sociedade foram convidadas. As mesas no salão de festas foram postas com objetos em porcelana, cristal e talheres de prata. A orquestra tocava uma suave canção erudita, enquanto os garçons passeavam entre os convidados servindo vinho.

Jimin estava elegantemente vestido com calça e camisa preta, uma casaca bordada com fios de prata complementava o visual. Todos ficaram encantados com a beleza do rapaz, Jungkook não conseguia tirar os olhos do ômega.

— Recebê-los é uma honra! —Lord Johar beijou as costas da mão de Park e Yoona.

— Obrigado por nos convidar. Que festa linda! — Jimin forçou um sorriso.

— Está apenas começando. Tenho uma mesa reservada para vocês, venham! — Johar saiu na frente.

A mesa ficava em lugar estratégico, dava uma boa visão para os músicos, porém distante o suficiente para conversarem a vontade.

— Boa noite! Me permitem acompanhá-los? — Jungkook disse ao se aproximar da mesa.

— Fique a vontade! — Johar deu sua permissão com uma expressão séria.

Jimin estava sentado de frente para o pirata. Seu coração acelerou quando o viu, mas também se sentiu aliviado porque talvez a presença dele inibiria o assédio do lord.

— Se me permitem dizer, vocês são as pessoas mais bonitas dessa festa. — O pirata sorriu para Jimin e Yoona.

— Obrigada. O senhor é muito gentil e também está belíssimo. — A mulher sorriu alegremente para o alfa.

— Como tem passado, Jimin? — Jeon o encarou.

— Bem, obrigado! — Park sustentou o olhar. Em sua opinião, Jungkook estava maravilhoso e elegante, sentiu aquele frio no estômago característico toda vez que o encontrava.

— Não sabia que eram tão íntimos para se tratarem com tanta informalidade. — Johar os olhou desconfiado.

— O senhor Jungkook não está acostumado com a civilidade. — Jimin o provocou.

— Estre amigos é bom falar sem nenhum protocolo. — O pirata respondeu de forma divertida.

— E vocês são muito amigos? — Lord Johar perguntou sério.

— Eu me dirigi a esse cavalheiro desta forma amigável porque lhe tenho muito apreço. — Jungkook levou uma taça de vinho aos lábios.

— Obrigado. Mas como ainda não temos tanta proximidade, pode me tratar como senhor Jeon. — O ex Park se negava a demonstrar o quanto o homem lhe afetava.

— Senhor Jeon Jimin! Gosto de como seu nome soa, é bom que já esteja acostumado com seu sobrenome de casado. — Jeon sorriu largamente.

— O que quer dizer? — Jimin perguntou confuso.

— Apenas pensamentos bobos...

— Gostaria de sabê-lo senão se importa. — Park insistiu.

— Há pessoas que não se adaptam ao novo sobrenome quando se casam, vejo que o senhor tem orgulho de ostentar o seu. Espero que não tenha problema em se readaptar quando se casar novamente.

— Ah sim. Quanto ao meu futuro matrimônio, o senhor não precisa preocupar.

— Como eu disse, são apenas pensamentos bobos. — Jungkook se levantou e ajeitou o terno. — Me concede uma dança?

— Na verdade eu já iria pedir, e como sou o anfitrião, tenho prioridade. — Lord Johar se levantou e estendeu a mão para Jimin.

O ômega ficou tentado a negar, mas era impossível fazer tal desfeita na frente de tantas pessoas. Ele aceitou o convite, se levantou e seguiu Johar até o meio do salão onde vários casais dançavam.

☠️☠️☠️


— Onde está Jungkook, tia? Por que não está sentado conosco? — Hyunjin perguntou a senhora Jeon.

— Porque ele e lord Johar estão sentados na mesa de Jimin.

— Não me diga isso! — Hyunjin disse irritado.

— Ainda digo mais, os dois estão com cara de abobalhados para ele. — Sybilla revirou os olhos ao olhar na direção do sobrinho alfa. — Estou começando a pensar que não podemos confiar em nenhum dos dois.

— E como Jimin está? Elegante, bem vestido? — Hyunjin não conseguia disfarçar sua curiosidade e insegurança.

— Ele está maravilhoso! Vestido como um príncipe. — Sybilla não poupou detalhes. Por mais que odiasse o viúvo de seu irmão, ela sabia reconhecer seus encantos.

— Que ódio, tia! — Hyunjin praguejou.

— Boa noite! Posso me sentar com vocês? — Manila Lafont se aproximou da mesa.

O pai da moça havia ordenado que ela fizesse amizade com o ômega e descobrisse seus gostos, desejos porque ele intencionava conquistá-lo.

— Claro, querida. Fique a vontade! — Sybilla disse a moça. Ela já tinha a visto com Seokjin e sabia que era filha de Atbert.

— Estou esperando Jin, mas ele ainda não apareceu. — A moça sorriu sem humor. — Está muito bonito senhor Hyunjin!

— Muito obrigado! Apesar de não conseguir vê-la, imagino que esteja muito bonita também. — O rapaz respondeu gentilmente. — É muito amigo do senhor Seokjin?

— Sim. Na verdade ele é meu único amigo, já que meu pai é bem rígido com quem eu devo ou não me aproximar. — A moça disse com uma expressão triste.

— Que pena! Meu pai também não me deixava ter muitos amigos. — Hyunjin relembrou sua infância complicada.

— Mas eu já comentei com meu pai que gostaria de tê-lo amigo e ele achou uma boa ideia. Até deixou que o convidasse para tomar um chá em minha casa — Manila tentou convencê-lo.

— Obrigado! Isso é muito amável. — O Jeon sorriu em direção a moça.

☠️☠️☠️


— Você tem um rival e tanto... — Yoona cochichou para Jungkook.

— O que esse homem pretende? — Jeon perguntou irritado.

— Não me diga que não sabe?

— E como Jimin se sente sobre isso?

— Ele não o suporta e está mais assustado do que um ratinho. — A mulher foi sincera. Queria que Jeon entendesse a confusão na cabeça do amigo.

— E o que ele pensa sobre mim? Tem horas que eu penso que ele não é indiferente aos meus sentimentos, mas também acho que quer me afastar.

— Jimin sabe que seria conveniente tê-lo ao seu lado. Sabe que é a melhor opção, mas tem dúvidas se daria certo porque não aprova o seu estilo de vida. Ele não quer viver com a angústia de não saber se vai voltar de suas viagens no mar. Digamos que ele deseja alguém mais "caseiro" para ser pai dos filhos dele.

— Conversaram sobre a possibilidade de nos casarmos e termos filhos? — Jungkook perguntou animado.

— Claro que sim! Jimin cedeu alguns beijos, mas não vá achando que vai ganhar o pote de ouro sem se comprometer. — Yoona o alertou.

— Eu não o quero apenas como diversão, já disse isso a ele. Se tem algo de que sinto orgulho é de sempre ter sido honesto com quem me envolvi no passado. Nunca iludi ou dei falsas esperanças a ninguém, com Jimin não é diferente. Eu já deixei claro que minhas intenções com ele são sérias e as melhores. — Jungkook confessou a melhor amiga de seu pretendente.

— Eu fico feliz em saber disso. Jimin é maravilhoso, merece ser feliz e muito amado. — Ela disse com um sorriso terno. — Cá entre nós, ele já está rendido pelo senhor. Continue falando de suas boas intenções, dê segurança a ele. Nesse momento é tudo o que meu amigo precisa.

— E o que ganha nos ajudando? — Jeon perguntou curioso.

— Você é bonitão, se eu não posso tê-lo, que meu amigo desfrute. — Yoona disse sem nenhum constrangimento e Jungkook sorriu com a sinceridade da mulher.

— Muito, bem. Já que você me confirmou que ele não se importa com meus flertes, continuarei insistindo. — Jeon disse entusiasmado.

Após a dança, Jimin voltou a mesa. Johar conversou um pouco mais com Jungkook, o pirata o informou que iria viajar no dia seguinte, pois um de seus navios mercante havia batido em um recife e muito água tinha entrado no porão. Ele precisava avariar o prejuízo com as mercadorias que foram encharcadas.

— Boa parte da carga se perdeu porque não conseguiram levá-las até Reyne. — Jeon contou sua mentira e esperava que o lord se convencesse.

— Reyne? — Johar perguntou confuso. Ele havia pedido a um de seus amigos para ir até a ilha buscar uma nova carta do médico de Moohyun. E ele também iria no dia seguinte. — Com licença, ouvi alguém me chamando. — O lord saiu rapidamente da mesa.

— Por que foi tão informal comigo na frente de lord Johar? Assim ele vai pensar que temos alguma coisa? — Jimin o questionou quando ficaram a sós.

— Ótimo! Assim ele para de dar em cima de você feito um cachorro no cio. — Jungkook rebateu sério. — Preciso conversar contigo, mas aqui não é o lugar propício. Posso passar em sua casa amanhã cedo?

— Sobre o que deseja falar?

— Sobre diversos assuntos. Posso ir?

— Pode! — Jimin cedeu. Estava muito curioso e era sempre agradável ver Jungkook.

Johar foi até a mesa de Atbert e Uriel para avisá-los de que Jungkook também iria para Reyne no dia seguinte e era bem provável que se encontrariam no mesmo navio. Lafont pediu que o amigo mantivesse discrição quanto aos motivos da viagem e que aproveitasse a oportunidade para investigar sobre a vida de Jeon.

Após alertar os amigos, Johar chamou Seokjin. Disse que queria ficar a sós com Jimin, mas Jungkook não saia de cima. Ordenou que o filho tirasse seu rival da mesa, pois ele estava atrapalhando seus planos. O ômega sorriu, feliz em atender o pedido de seu pai.

— Boa noite! Mas você não é o filho do balconista? — Seokjin falou em tom de desdém.

— Sou, sim. Caso não se lembre, meu nome é Jimin. Filho de Park Jaeyong, que trabalha no moinho e no mercado. — O ômega se apresentou, orgulhoso de suas raízes.

— Olha só que mudança. O que uma gorda herança não faz, parece até um de nós! — Seokjin alfinetou, mas Jimin apenas sorriu. — Jungkook eu gostaria de falar com você a sós.

— No momento estou fazendo companhia a essas digníssimas pessoas, mas assim que acabar a festa terei prazer em conversar com o senhor. — Jungkook sorriu educadamente. Park sentiu uma grande satisfação com a resposta.

— Mas eu gostaria de falar agora. — Seokjin riu sem humor.

— Eu sinto muito por não conseguir atendê-lo agora, mas mais será um prazer mais tarde. — Jeon enfatizou sua resposta.

— Está bem. Com licença! — Seokjin os encarou seriamente antes de se retirar. Sua expressão não escondia a surpresa e irritação ao ser rejeitado.

— Quem é esse antipático? — Yoona perguntou curiosa.

— Sir Seokjin de Manserah! Filho de lord Johar e Lady Sorah. Você acabou de ofendê-lo. — Jimin disse a Jungkook.

— Não me importo. Nada é mais importante do que desfrutar de sua companhia. — Jungkook disse sedutor. Jimin levou sua taça de vinho aos lábios para disfarçar o sorriso ao ouvir a resposta.

— Você é o herói da noite! — Yoona levantou a taça em saudação ao pirata.

☠️☠️☠️


Melisende estava bebendo com Bernard no moinho. Ela pensava o que iria fazer com a carta do médico de Moohyun.

— Amiga, se você tivesse em suas mãos algo que poderia lhe trazer muito dinheiro, mas que talvez prejudicasse uma pessoa que você gosta muito. O que faria? — Park perguntou a outra mulher.

— Eu não entendi o que quer dizer...

— Estou dizendo que tenho algo que eu poderia vender a uma pessoa que gosto e só a beneficiária, mas seu eu vendesse para alguém desconhecido, talvez a pessoa que que gosto ficaria em maus lençóis. Estou em dúvida porque preciso muito de dinheiro para pagar minhas dívidas de jogo e tenho certeza que a pessoa não vai querer me dar tanto, mesmo tendo de sobra.

— Eu acho que estou conseguindo entender. Se a pessoa que você gosta tem condições de pagar, é claro que eu venderia pra ela. — Bernard imaginou que a amiga estivesse falando sobre Seokjin.

— Mas eu fico constrangida em fazer isso.

— Então deixa que eu faço. Mas é claro que irei ficar com uma parte do que você ganhar. — A alfa se ofereceu, o que deixou Melisende pensativa.

☠️☠️☠️


— Por que demorou? — Hosoek perguntou a Yoongi quando ele entrou no quarto para se deitar.

— Encontrei Namjoon na rua e começamos a conversar. Ele quer arranjar um emprego e eu ofereci uma vaga na ferraria.

— E por que ele quer deixar meu irmão? Aposto que Jimin foi grosseiro e o tratou mal. — O ômega levantou a possibilidade.

— Não é nada disso! — Yoongi levantou a voz. — Namjoon quer sair porque seu irmão é bom demais pra ele e não quer abusar da generosidade de Jimin.

— Por que está brigando comigo? — Hosoek perguntou irritado. — Está ofendido porque não é todo mundo que enxerga Jimin com os mesmos olhos amorosos como você?

— O único que enxerga algo de ruim em Jimin é você. — Yoongi trocou sua roupa e deitou na cama. — Hoseok eu estou tentando fazer nosso casamento dar certo, quero que você tenha uma gestação tranquila e que nosso bebê venha com saúde. Jimin logo irá refazer sua vida também. Por favor, faça um esforço e pare com suas desconfianças. — O ferreiro falou cansado.

— Está bem. Me desculpe! Fico feliz que Jimin vai se casar, aposto que é com aquele forasteiro que o visita. — O ômega sorriu aliviado.

— Eu não sei de nada e nem quero saber. — Yoongi apagou a vela e virou de costas para o marido.

— Não ia me falar sobre Namjoon?

— Hoje não, estou cansado. — O Min se cobriu melhor e fechou os olhos para dormir.

☠️☠️☠️

A festa terminou sem incidentes. Jungkook só deixou a mesa de Jimin quando lady Sorah se juntou a ele para conversar. O capitão então foi até a mesa de seus parentes, pois só tinha os cumprimentado no início da festa. Jeon estava furioso com Sybilla por supostamente ter sido cúmplice de Moohyun, porém não disse nada a ela, já que precisava da confirmação do leiloeiro.

— Eu irei viajar amanhã, mas Taehyung irá ficar para atendê-los no que for preciso. Volto em mais ou menos duas semanas, no entanto, a casa que aluguei ficará pronta antes disso e vocês poderão se mudar. — Jungkook disse a Sybilla e Hyunjin.

— Eu vou sentir muito a sua falta, querido. — O ômega segurou a mão do capitão.

— Não há porquê, logo estarei de volta. — Jeon beijou de modo terno a mão de seu primo. — Quero que se cuidem bem. — O pirata viu Jimin se despedindo dos anfitriões da festa e se apressou para alcançá-lo. — Eu já vou indo porque preciso acordar amanhã cedo. Boa noite!

— Aposto que vai atrás do prostituto, já que ele acaba de sair! — Sybilla comentou com o sobrinho.

— Cala a boca, tia! Me leve para meu quarto. — Hyunjin disse com a voz embargada.

☠️☠️☠️

Seokjin viu Jungkook sair da festa e ficou possesso. Estava sentado em mesa com Manila e Kenai e não parava de reclamar do quanto havia sido humilhado pelo capitão.

— Ele nem se dignou a me procurar após a festa, tudo isso para correr atrás do filho do moinho. — Seokjin continuou com suas reclamações.

— Talvez foi só uma coincidência eles terem ido embora na mesma hora, Jin. — Manila tentou acalmar o amigo.

— Você é mesmo muito ingênua, Manila. — Seokjin negou com a cabeça e sorriu sem humor. — Mas me diga o que tanto conversava com o cego e a velha?

— Nada. Como você não tinha terminado de se arrumar, conversamos coisas sem importância. Ele me perguntou o que fazia e eu disse que ajudava as crianças antes da primeira comunhão.

— Tá, já chega de se explicar. Que festa horrível! — Seokjin disse emburrado.

☠️☠️☠️

— Posso acompanhá-los até em casa? — Jungkook perguntou.

— Não precisa, já vem a charrete. — Park o dispensou.

— Mas eu faço questão de levá-los. Vamos? — Jeon apontou para a charrete e Jimin aceitou.

Foram conversando sobre a festa até chegar na casa do Park. Eles seguiram até a sala de estar, Yoona agradeceu a companhia antes de deixá-los a sós com a desculpa de que estava cansada e precisava ir dormir.

— Então, o que queria conversar? — Park o questionou. Jungkook se aproximou e o segurou pela cintura.

— Na verdade eu só vim aqui para me despedir antes ir viajar. — O capitão começou a distribuir selares pelo rosto do ômega, que não fez nenhuma menção em detê-lo. — Ficar duas semanas longe de você será um suplício. — Ele murmurou resvalando seus lábios próximo aos de Jimin.

— Você não vai me seduzir, Jungkook. — Jimin disse trêmulo. —Sei que me quer apenas por uma noite em sua cama.

— Quero sim te levar pra minha cama. Mas não apenas por uma noite, quero acordar todos os dias com você ao meu lado e que esteja comigo quando estivermos velhinhos. — O alfa levou seus lábios até o pescoço de Jimin, beijou sua pele de forma delicada. — Sei que você também me quer.

— Isso é apenas luxúria! — Jimin disse ofegante. Os beijos molhados de Jeon em seu pescoço lhe tiravam o ar.

— Não é. Luxúria só corresponde apenas a carne, isso é diferente. É algo que nem eu ou você esperávamos, mas não conseguimos evitar e temos que deixar fluir porque é um sentimento maravilhoso.

Assim que terminou de dizer as palavras, Jeon encostou o ômega na parede, com uma mão acariciou o rosto e com a outra apertou sua cintura, juntou seus lábios em um beijo molhado e intenso. Jimin sentiu seu corpo estremecer, a pequena chama de desejo provocada pelos lábios quentes do outro logo se transformou numa paixão irrefreável.

Instintivamente, Park pressionou seu corpo ainda mais contra o do alfa, permitindo que Jungkook continuasse a beijá-lo com avidez. Dominado pela excitação, mergulhou os dedos nos cabelos escuros e chupou a língua do outro com vontade.

Jimin não se orgulhava de seu comportamento toda vez que encostava em Jungkook, porém a atração era mais forte que sua razão e se entregava ao momento. Por mais que tivessem vontade de continuar, se separaram por falta de ar e pelos lábios dormentes.

— Eu menti na festa, vou a Reyne para resolver uma questão pessoal e falar com meu padrinho. — Jeon confessou.

— O que vai fazer lá é algo perigoso? — Jimin perguntou com uma pontada de preocupação.

— Tem certas implicações, mas eu já sou acostumado com o perigo, querido.

— E gosta de viver assim? — Park perguntou com um semblante triste.

— Nunca gostei, mas as circunstâncias me obrigaram a entrar nesta vida. Porém já estou me retirando e logo poderei levar uma vida normal e tranquila. — Jungkook quis passar a segurança que Jimin necessitava ouvir. — Não gosto que lord Johar fique te assediando...

— Isso é algo que só você pode fazer? — Jimin brincou, mas Jungkook não sorriu.

— Me desculpe se alguma vez te fiz ficar incomodado. Diga que não me quer e eu irei parar de importuna-lo. — Jeon falou sério.

— Johar me incomoda, você não. — Jimin se limitou a dizer, mas foi o suficiente para fazer Jungkook sorrir.

— Se ele vier, diga que está comprometido comigo.

— Mas você já disse a ele que formalizou com outra pessoa.

— Então diga que fui a Reyne justamente para terminar meu compromisso. — Jungkook insistiu.

— São muitas mentiras, não acha?

— Sim. E se for muito difícil para você, direi ao Taehyung que fique dia e noite te protegendo.

— Está bem! — Jimin aceitou sem muito ânimo. Jungkook pegou a mão dele e a segurou.

— Sei que não confia totalmente em mim por causa da vida que levo, mas me dê um tempo e eu irei sair disso. Aproveite essas duas semanas que estarei longe para pensar se me quer e deseja compartilhar um futuro comigo. Eu quero muito que você me aceite como companheiro, mas irei aceitar o que você decidir. Até a volta, paixão! — Jungkook se aproximou e selou ternamente os lábios de Jimin. Segurou a mão dele e a beijou antes de partir.

Park foi até seu quarto e se colocou a pensar. Na manhã seguinte estava sonolento, não conseguiu dormir a noite, pois sua mente estava cheia de Jungkook. Yoona foi até a suíte e Jimin lhe contou tudo o que havia acontecido.

— Você está machucado e sente um vazio no peito que Jungkook ainda não conseguiu preencher. Mas essa atração que sente por ele, já é um sinal de que ele pode ser uma âncora que pode te tirar desse mar de sofrimento.

— Não seria justo usá-lo como uma âncora para tentar remediar minha desilusão amorosa. Jungkook é bonito, atraente e sabe usar as palavras certas para seduzir. Tenho certeza que nunca recebeu um não, mas estado de luxúria não é suficiente para mim. Quero me apaixonar de verdade!

— Insisto que essa atração que sente pode ser o caminho para algo mais profundo e intenso. Você mesmo me disse que não quer dizer que formalizaram compromisso porque tem medo que lord Johar faça alguma coisa contra Jungkook. Isso quer dizer que se preocupa com o bem estar dele, isso é um sentimento a mais.

— É normal que eu me preocupe, já que tem sido tão bom para mim.

— Essa é a palavra chave. Ele é bom para você, te trata bem, você sente atração por ele, não vejo empecilhos para formalizarem um compromisso. Você está disposto a se casar com qualquer um para se livrar de lord Johar. Por que não pode esse que faz tua pele se arrepiar?

Jimin suspirou, sua amiga estava certa. Precisava se casar para livrar de Johar e esquecer Yoongi, Jungkook foi o único homem que lhe despertou algum sentimento. Era hora de aceitar o que o destino estava lhe oferecendo.

— Você tem razão. Irei aceitar a proposta de Jungkook!







☠️☠️☠️










Capítulo bem pequeno, mas decisivo pra Jikook.


Bjos 💜




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...