1. Spirit Fanfics >
  2. Me apaixonando por você >
  3. 11, Suspeita

História Me apaixonando por você - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - 11, Suspeita


Jihyun fez questão de nos ajuntar em um só quarto apenas para dizer belas palavras de encorajamento.

Pelo menos é o que ele pensa.

Eu ficaria surpresa se algo inspirador vivesse dele, não que ele não seja uma inspiração. Mas sua preocupação excessiva sobre todas as coisas o torna atrapalhado. E, como consequência, o sentido de suas palavras se perde.

– Mas eu não entendi. É pra dar o nosso melhor, mas nem tanto? – Seulgi pergunta, o olhar distante e confuso.

– Acho que ele quis dizer para não ofuscar o NCT. – Irene parece responder para si mesma como se, também, não tivesse entendido.

– Não tem sentido em nos esforçarmos pela metade. Se quisermos nos sair bem, precisamos nos esforçar por inteiro. – olho ansiosa para Jihyun, ele mantém uma pose meio sênior com as mãos dentro do bolso da calça.

– Meninas, meninas. – ele se prepara para dar uma explicação. – Vocês são maravilhosas e tem um potencial infinito! O que eu quis dizer é que nossos amigos NCT's estão há mais tempo nessa indústria e não seria educado–

– Isso foi um elogio ou um aviso de "vocês não vão conseguir de qualquer maneira então nem precisam se esforçar"? – Joy levanta uma de suas sobrancelhas, visivelmente incomodada com as palavras inspiradoras do manager.

Jihyun se esconde entre seus ombros.

Talvez ele não queira ter dito dessa forma e pode ser que esteja sobre uma pressão muito grande, principalmente porque passou muito tempo com Heejoon. Tanto que até seu estilo de roupa mudou.

– Não, Joy. Acho que não é isso. – respondo. – Acho que esse é o jeito dele dizer que está preocupado com o teste.

Jihyun me encara meio surpreso, os olhos abertos e um fino sorriso surgindo em seu rosto. Ele concorda positivamente com a cabeça enquanto olha para Joy.

– Peço desculpas por não conseguir passar dessa forma... – ele sorri timidamente. – Mas... é. Estou preocupado com vocês. Sabem que não vão ser todas que irão passar no teste. Fico com medo de que quem não passar fique muito triste e desanimado... Se vocês desanimarem, como eu fico?!

Ficamos em silêncio, um silêncio compreensivo e medroso. Sabemos muito bem disso, e é o que mais nos chateia. Por tanto tempo estivemos juntas. Desde os momentos bons aos mais tenebrosos dias ruins. Separarmos dessa forma é estranho, mas se for para ter o nosso grupo mais reconhecido faremos qualquer coisa.

– Ninguém vai ficar desanimado, Jihyun. – Wendy assegura, um rápido sorriso no rosto. Este que parece acalmar o manager. – Sabemos que isso é para o nosso bem. Eu ficaria muito feliz se passasse, e mais ainda se visse minhas melhores amigas fazendo tão bem para o nosso grupo.

Joy, ao seu lado, dá um pulo seguido de um abraço. Wendy quase se sufoca pela repentina demonstração de amor, arrancando risos de nós.

– Mudando de assunto, aconteceu uma coisa estranha ontem. – Jihyun muda o tom tímido de sua voz. – Sei que vocês andam tendo muita intimidade com o NCT e isso é ótimo, assim vão se sentir mais à vontade na collab. Porém, acho que isso foi além do que eu imaginava.

– O que aconteceu? – Yeri pergunta bastante curiosa, e não é só ela.

– A conta oficial do NCT respondeu um comentário de um fã perguntando quem era a menina da foto junto com 3 dos garotos.

Se a minha vida fosse um desenho animado, meu queixo teria se esticado até o chão.

Meu olhar se torna inconstante ao perceber que as meninas me encaram surpresas. Tento ao máximo evitar seus olhares, mas a suspeita só parece aumentar.

– Especificamente, Ten respondeu esse comentário.

O nome dele faz meu coração pular. Um pulo desconfortável e desesperado.

– Vocês combinaram alguma coisa com ele? Ou ele simplesmente resolveu divulgar vocês do nada?

– Acho que ele deve gostado muito da gente. – rio nervosamente tentando arrumar alguma boa desculpa.

– Pode ser! Não tem nada de mais em um comentário desse. – Yeri sorri inocentemente.

Jihyun parece aceitar pela sua expressão de "é, tá bom" enquanto dá de ombros. Mas isso claramente não vai passar despercebido por ninguém.

Eu preciso conversar com Ten o mais rápido possível antes que essa situação piore.

[...]

Ansiedade. Essa é a palavra para descrever o que todos nós estamos sentindo. Nessa imensidão de salas e portas, o único lugar que eu consigo esfriar a cabeça é o terraço.

Me sinto tranquila de pensar em coisas que normalmente não pensaria no meu quarto, apenas porque acho que alguém conseguiria ler meus pensamentos. E, também, foi aqui que tive um dos melhores momento com Ten. Vê-lo dançando bem na minha frente depois de tantos anos... foi simplesmente mágico.

Mais uma vez esse lugar irá se tornar palco de algo marcante. Talvez não tão marcante como nosso primeiro beijo... mas o assunto em questão é muito sério.

Ouço a porta do elevador se abrir. Meu coração dá um pulo conturbado, sinto um aperto enorme no peito.

Olhando na direção de passos lentos, vejo Ten se aproximar. Assim que me encara, automaticamente ele sorri. Não consigo não fazer o mesmo e acabo ficando tímida ao perceber.

Não tenho como evitar ficar toda boba quando se trata dele.

– Como você está? – sua voz melódica e tranquila consegue me fazer aprofundar mais nos meus devaneios românticos, é como se todo ele fosse o maior motivo para me perder em meus pensamentos.

– Eu tô bem. – respondo, mais baixo do que já falei na vida. – E você?

Ten não hesita em ficar perto de mim, nossos corpos quase colando um no outro. Por causa da nossa diferença de altura, para encará-lo é preciso olhar um pouco para cima. Sorrio sem querer, uma quase risada tímida. Ele faz o mesmo, passando gentilmente a mão sobre meus cabelos.

– Bem também.

Minhas bochechas queimam com o aproximar do seu rosto.

– Por que me chamou aqui? Aconteceu alguma coisa?

Sua pergunta é quase um copo de água fria. Um copo e não um balde. Simplesmente é impossível todo o sentimento se esvair quando estamos tão próximos assim.

– Na verdade... aconteceu. – meu sorriso se esconde, e o dele também.

Ten se afasta um pouco apenas para tomar um tom sério. Ele parece preocupado e abre a boca para falar algo.

Prefiro que ele fale primeiro.

– Tem a ver com o... Taeil?

– Taeil?

– Não tem, né. Por que eu falei...

– Não, agora me conta!

Ten me lança um olhar receoso, como se estivesse pronto para contar o maior segredo do mundo. Faz sentido pela sua atitude ansiosa de olhar para os lados e sua respiração que se torna imprecisa.

– Eu suspeito que ele saiba sobre nós. – e em um segundo joga tudo pra fora.

Minha boca entreaberta luta contra meu olhar inconsistente, viro o rosto para o lado apenas para tentar engolir a informação.

– Mas não fica preocupada. Tenho certeza que ele–

– Como posso não me preocupar, Ten? E se de repente todo mundo ficar sabendo? – sem querer, meu tom de voz se torna agudo e hesitante.

Ten me encara estático enquanto eu procuro consolo em seu olhar. Ele respira fundo, o ar saindo somente pelas suas narinas. Pressionando os lábios e olhando para baixo, deve estar pensando no que dizer.

– E por que você respondeu aquele tweet? – continuo, tentando controlar minha preocupação na voz.

Minha pergunta tira um olhar surpreso do tailandês, mas rapidamente ele parece lembrar de sua ação.

– Jihyun comentou isso com a gente hoje mais cedo. Mesmo que ele não tenha perguntado só pra mim, não consegui dar uma boa desculpa.

Sem dizer nenhuma palavra, Ten carinhosamente segura meu queixo deixando meu rosto rente ao dele. Ele sorri de canto, um gesto para dizer que está tudo bem. Respondo com um olhar aflito, minhas sobrancelhas levemente franzidas.

Não, Ten, não está nada bem!

Mas, sem nem mesmo esperar, ele sela um beijo delicado na minha testa. Tanto seus lábios quanto o sentimento em seu beijo é quente e calmo, contribuindo para que parte da minha inquietação vá embora.

Ele se afasta. Sua mão lentamente se afasta do meu queixo.

Minha expressão surpresa pede por uma explicação.

– Eu disse que não iria esconder meus sentimentos. Eu queria responder todos os comentários daquele tweet, um por um. Só pra não deixar ninguém falar mal de você. Mas... me desculpe se isso causou algum tipo de problema com o seu manager. Se você quiser eu posso falar com ele e–

– Não! – digo em um pulo, um sorriso mal disfarçado no meu rosto por sua explicação apressada.

– Então você não tá totalmente irritada com isso. – lança um olhar astucioso.

Viro o rosto na tentativa de esconder minha risada. Mas Ten é rápido em virá-lo de volta para ele.

– Ei, não adianta escapar.

De forma divertida tento fugir de suas mãos, e cada vez ficamos mais perto.

A imensidão escura de seu olhar se tornou vívida desde a primeira vez que o vi. Todo o meu mundo se tornando apenas ele. E somente ele.

– Eu tô te falando, a nossa apresentação vai ser a melhor! – ouço a voz de Lucas e a porta do elevador se abrindo.

– Para de se gabar. – Taeyong o responde com tédio, com certeza cansado de ouvi-lo falar do seu futuro sucesso.

Ten e eu nos afastamos rapidamente soltando a mão um do outro. Mas com a aproximação repentina dos meninos, nosso movimento foi suspeito e meio inconsistente.

Taeyong e Lucas estão na frente e são os primeiros a se aproximar. Logo atrás Jaehyun conversa normalmente com Taeil, ele andando tranquilamente com as mãos no bolso. Xiaojun parece curioso na conversa, mas seu olhar está fixo em mim e Ten.

E ele não é o único.

Taeyong, colocando o peso do corpo em uma das pernas, olha repetidas vezes para mim e para o tailandês, ele que até esse momento já se afastou o suficiente para não haver nenhum tipo de suposição.

– O que vocês dois estão fazendo aqui? – e em um segundo a pergunta de Taeyong me desestabiliza. – Eu passei mó tempão procurando por você, Ten. – claramente sua fala é direcionada a ele, mas Taeyong continua a olhar para mim.

– Nada de mais, acabei de chegar também. – Ten explica, um sorriso amigável no rosto.

– Como acabou de chegar? Eu disse que tava te procurando há um tempão. A não ser que você tenha saído do prédio e tenha voltado agora.

O clima se intensifica, uma estranha tensão entre Taeyong e Ten. E, pra ser sincera, estou começando a perceber que essa mesma tensão também está sobre mim.

Olho de soslaio para Ten pela demora em responder. Ele parece impaciente, mas não com raiva. Ansioso, mas não de uma boa forma.

– Eu estava com ele, não te falei? – com um sorriso, Taeil se aproxima.

– Espera, era isso então? – Jaehyun ri por um instante. – Mas ele é um centímetro mais alto que você, Taeil!

– Quem disse que eu não cresci mais que isso? – Ten parece entender a jogada do amigo e entra no assunto sem levantar suspeitas.

– Ajuda? Ajuda em que? – Taeyong interpele, uma de suas sobrancelhas arqueada.

– Pedi a ajuda de Ten em uma coisa hoje mais cedo no meu quarto. Era pra voltar no lugar uma prateleira que estava caindo. – Taeil, bastante paciente, explica ainda mantendo seu sorriso.

– Não faz sentido. Você ficou fora do quarto a manhã toda. E podia ter pedido ajuda pra Jaehyun que tem o quarto do lado do seu.

– Ele me pediu. – Jaehyun afirma. – Mas eu estava dormindo na hora e vi a mensagem muito tarde.

Taeyong, com a boca meio entreaberta, parece estar bastante injuriado e sem ter o que dizer. Seu olhar intenso alterna entre mim e Ten, como se nós dois fôssemos culpados de algo que o chateou.

– De fato esse é o melhor lugar pra relaxar. – Lucas, talvez disperso do assunto em questão, se espreguiça se aproximando do parapeito.

– Não aguento mais essa pressão também. – Xiaojun o acompanha. – Nem consigo prever quem vai passar ou não no teste.

– Ah, não se preocupe muito com isso. Você está 100% garantido!

Ele ri dando um soco leve no ombro do amigo.

– Taeil não tem jeito mesmo. – Jaehyun coloca uma de suas mãos na boca tentando disfarçar seu riso. – Pode explicar como conseguiu bater a cabeça na prateleira?

Ten age curioso, uma ação bastante forçada e percebida por Taeyong, ele que o encara de soslaio.

– Depois eu conto. – Taeil acompanha o riso do mais novo, algumas olhadas desconfiadas para mim e Ten.

Se distanciando de nós, Ten começa a conversar com Xiaojun e Lucas, os três têm uma conversa divertida. Taeil continua a rir junto com Jaehyun sobre a prateleira e sobra para mim receber o olhar cirrado de Taeyong. Alguma coisa o incomoda, algo que, talvez, ele ache estar muito errado.

Não tem nada a ver comigo e Ten, né? Conseguimos disfarçar bem...! Na medida do possível. Eu acho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...