História Me Before You! (Michaeng) - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Tags Michaeng
Visualizações 102
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Despertando


Acordei com um forte cheiro de álcool. Me sentei atordoada e com Jihyo e Jeongyeon ao meu lado. Eu não entendi o que Jihyo estava fazendo ali, já que eu e Jeongyeon estávamos no nosso momento. 

- Nossa Ji, eu tive um sonho estranho e ruim, em que você chegava aqui e dizia que a Chaeyoung sofria um acidente... – Encarei Jihyo e ela estava com uma expressão triste. Então quer dizer que não foi um sonho? As duas garotas não me disseram nada e foi o suficiente para eu chorar. Jihyo e Jeongyeon me abraçaram, ambas também estavam abaladas.

- Eu quero ver a Chaeyoung no hospital. – Falei tentando limpar as lágrimas.

- Precisamos primeiro falar com a prima dela, que agora é a responsável por ela. – Jihyo explicou.

- Então fale logo, se não eu vou até o hospital de qualquer jeito. 

- Tudo bem Mina, eu falo com a prima dela e eu te acompanho. – Jeongyeon alisou minhas costas. 

De noite eu só conseguia chorar no meu quarto. Na verdade eu tinha passado o dia chorando. Eu não conseguia acredita que Chaeyoung havia sofrido um acidente e estava mal no hospital e que seus pais, que ela dizia sempre que os amava, haviam morrido nesse acidente. Chaeyoung, eu só queria te abraçar, ficar ao seu lado e dizer o quanto te a amo. Eu estava me colocando no lugar dela e sempre que fazia isso sentia uma forte dor. Primeiro Chaeyoung havia ficado com raiva de mim pois ela pensava que havia me perdido e agora ela perdeu os pais e estava entre a vida e a morte, naquele maldito coma. 

Me deitei na cama e dormir. No dia seguinte Jeongyeon me acompanhou até o hospital, onde encontramos as outras meninas. Estavam todas juntas. Nayeon estava séria, enquanto Sana e Dahyun estavam juntas. Nenhuma das problemáticas estavam sorrindo ou procurando confusão. 

- Oi gente. – Tzuyu disse. Ela estava bem arrasada, assim como todas nós. 

- Quem diria que isso ia acontecer com alguém tão próximo a nós, não é? – Nayeon falou – Logo com a Chae.

- Eu quero a Chaeyoung de volta. – Sana disse em meio as lágrimas. 

- Eu também quero. – Jeongyeon falou segurando minha mão. 

- Oi meninas, que bom que vieram. – Falou Johyun, aparecendo atrás de nós. 

Eu encarei a prima de Chaeyoung e ela estava bem séria, com roupas mais apresentável, o que a tornava uma mulher séria. 

- Obrigada por nos receber. – Disse Jihyo. 

- vocês são as amigas de Chaeyoung e é importante para ela ter vocês, mesmo ela não tendo plena consciência disso.  – Johyun sorriu timidamente. – O médico disse que ela pode receber visita, mas são 5 minutos para cada uma, já que é muita gente. Teve uma outra amiga dela que esteve aqui, a Soyeon e veio também  Eunbi. Enfim, quem quer ir primeiro?

- Eu vou. – Sana se ofereceu. 

Depois da Sana foi a Nayeon, Tzuyu, Dahyun, Momo, Jeongyeon, Jihyo e por último eu. 

Parei em frente a porta do quarto de Chae e fiquei segurando a maçaneta. Minhas mãos estavam trêmulas e por algum motivo eu não sabia se estava preparada para isso.

- Tudo bem, Mina. Vai em frente, sei que com sua presença a Chae vai se sentir bem, já que você é a única pessoa que sobrou na qual ela ama. – Johyun sorriu. 

Fiz que sim e entrei no quarto. Assim que entrei vi Chaeyoung deitada na cama, ela estava imóvel e com um cano na boca. Vários aparelhos a mantinham viva e respirando. 

Me aproximei de Chaeyoung e a observei em seu sono profundo. Chorei de forma discreta. Toquei seu rosto com delicadeza, me sentindo culpada por tudo o que havia acontecido. Se eu pudesse pediria desculpas. 

- Chaeyoung, me desculpa por tudo o que eu te fiz. Eu não queria ficar de verdade com a Jeongyeon, eu queria ficar com você, pois tive a esperança de que você viesse atrás de mim. Agora veja você, onde está... Me perdoe amor, só acorde logo para que possamos ficar juntas. Eu prometo que vou cuidar de você e vou fazer o que posso para que possa superar tudo o que está prestes a enfrentar quando acordar. – Me aproximei mais de Chaeyoung e lhe dei um beijo em seus lábios. 

Quando me afastei de Chaeyoung o aparelho que a mantinha viva começou a fazer barulho e era um barulho alto. Eu fiquei desesperada e corri para fora, chamando os médicos, que correram. 

- Ela está tendo uma parada cardíaca! – Disse um dos médicos para os outros. 

- Salvem a Chaeyoung! – Eu falei enquanto Johyun me segurava. Eu estava chorando. As outras meninas também ficaram desesperadas.

Os médicos conseguiram estabilizar Chaeyoung, mas eles não sabiam dizer quando ela iria acordar. 

Os dias se passavam e nada de Chaeyoung acordar. As férias então se passaram e com isso fazia exatamente um mês que Chaeyoung estava em coma e que seus pais haviam morrido.

Todos os dias eu fazia questão de visita-la, na esperança de que ela acordasse. Eu passava mais tempo com Chae do que com minha namorada, Jeongyeon. 

Mais dez dias haviam se passado e eu estava saindo da escola e indo para o hospital, quando Jeongyeon me chamou para conversar. Fomos até o parque que ficava perto da escola e nos sentamos uma ao lado da outra em um dos bancos. 

- Me diga Mina, - Jeongyeon falou – a garota na qual Chaeyoung estava apaixonada era você, não é? 

Eu encarei Jeongyeon surpresa. 

- Tudo bem, eu saquei tudo. Antes de tudo isso acontecer com Chaeyoung ela me disse que gostava de uma pessoa e ela queria conselhos para tentar ficar com essa pessoa. A Chaeyoung gosta muito de você e pelo visto você também gosta dela. Vocês já tiveram algo, não é? 

- Já, mas deu tudo errado. O problema é que eu tentei seguir em frente pois sempre amei Chaeyoung, mas esse acidente me fez ter um medo enorme de perde-la e eu ainda sinto medo, pois cada vez mais os dias se passam e nada de ela acordar. Eu não sei o que fazer. Eu não quero perder a Chaeyoung. – Botei as mãos no rosto para cobrir minhas lágrimas. 

Jeongyeon me abraçou. 

- Vai ficar tudo bem, a Chaeyoung vai sair dessa. Tudo o que você precisa fazer é ficar ao lado dela. 

Me afastei de Jeongyeon e a encarei novamente. 

- Mas você... 

- Tudo bem, você não pode ficar sem a Chaeyoung e quando ela acordar vai precisar muito de você, Mina. Eu vou ficar feliz se vocês ficarem juntas, aliás vocês são minhas amigas. – Jeongyeon sorriu e deu palmadinhas no topo da minha cabeça. 

Abracei Jeongyeon em forma de agradecimento. Eu não sabia o que dizer, mas ela fora uma das melhores pessoas que me aparecerá e me proporcionou felicidade nos momentos mais confusos da minha vida. 

Fui para o hospital, onde encontrei Johyun, que tinha acabado de voltar do trabalho. Ela parecia bem cansada. 

- Johyun que ir para casa descansar um pouco? Eu fico com a Chae. – Falei.

- Faria isso mesmo? 

- Claro que sim. Eu fico aqui com o maior prazer. – Sorri. 

Johyun precisava descansar, já que ela agora era a guardiã legal de Chaeyoung. 

- Obrigada Mina. Oito horas eu volto para ficar com a minha prima. – Johyun me abraçou e foi embora. 

Mais uma vez estava eu e Chaeyoung e nada de ela acordar, mas eu tinha esperanças.

- Sabe Chae, eu e a Jeong terminamos hoje por sua causa. – Sorri – Percebi que eu não posso ficar sem você, então trate de acordar logo e me peça em namoro, ok? Mal posso esperar para termos nosso encontro. Para onde você vai me levar? Talvez para o fliperama? Quem sabe, não é?

Segurei a mão gélida de Chaeyoung e a encarei. Ela era tão linda, parecia que estava apenas dormindo.

Me aproximei dela, tirando uma mecha de cabelo do seu rosto, acariciei seu rosto e lhe dei um selinho demorado. Eu só queria que ela acordasse. 

- Infelizmente não vivemos em um conto de fadas. – Me afastei dela e fui até a recepção pegar um copo de água. 

Fiz o caminho de volta para o quarto de Chaeyoung, onde apenas ela estava. 

Não encarei ela, apenas entrei no quarto e fui até a janela olhar para o Jardim do hospital. Estava escurecendo. Sai de perto da janela e fui até o armário e olhei para algumas revistas. Eu estava com uma sensação estranha e fiquei um pouco assustada, então andei até a janela novamente e senti a sensação de novo, só que dessa vez era como se tivesse alguém me observando. Imediatamente olhei para a direção de Chaeyoung e ela estava acordada, me observando. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...