História Meu Namorado Vampiro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bts, Comedia Romantica, Fluffy, Jikook, Jimin Bottom, Jimin Uke, Jimin Vampiro, Jungkook Seme, Jungkook Top, Lemon, Pwp
Visualizações 843
Palavras 6.305
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hellouuuuu minna o/
Sabe aquela coisa: Postei e saí correndo? Pois é rsrsrsrsrsrs
Então... essa é a primeira fic que eu escrevo e que terminei (amém, bicha mais preguiçosa que eu, tá pra nascer!) e que consequentemente postei...
Eu revisei e revisei várias vezes, but peço que vcs relevem os erros que encontrarem, pq SEMPRE tem uma coisinha aqui e ali que passa despercebido aos olhos :') (se é que alguém vai ler isso)
ENFIM, BOA LEITURA! (nos vemos nas notas finais...eu acho)

Capítulo 1 - Capítulo Único - Mordidinhas de amor


Fanfic / Fanfiction Meu Namorado Vampiro - Capítulo 1 - Capítulo Único - Mordidinhas de amor


Jungkook estava sentado em sua cama lendo mais um livro de literatura nórdica, era fascinado por todo e qualquer tipo de fantasia e derivados, e por isso sua estante havia variados livros do gênero.   
Sentiu um vento bater em seu pescoço, o que lhe causou um arrepio involuntário na espinha, e um peso sobre suas costas, além de pequenos e fofos braços lhe abraçando pela cintura.  Jimin havia chegado, ele enfiou a cabeça no vão do seu pescoço e sussurrou um breve  "Eu assustei o Jungkookie?".  O mais novo riu do jeito fofo e ao mesmo tempo sensual de seu hyung sanguessuga, que agora ocupava o posto de namorado também.  


— Você nunca me assusta, hyung. 

 Jungkook deixou o livro que estava lendo de lado na cama e puxou umas das mãozinhas frias de Jimin e deixou um selar carinhoso, enquanto o rosado dava uma risadinha fofa. 


— Não foi o que pareceu naquele dia que te conheci, kookie.


Respondeu Jimin provocativo, lembrando da época que abordou Jungkook pela primeira vez na faculdade. Saiu de trás do moreno e colocou-se a frente dele, sentando em seu colo, sobre suas cochas fartas e definitas, ficando devidamente um de frente pro outro com os corpos colados. Jimin laçou o pescoço do namorado e deixou um breve beijo nos lábios rosados dele. 


— Ahh, isso a gente não conta, Jimin-ah. Eu nunca tinha vivido uma situação tão constrangedora ok. Você era só um baixinho tarado e  louco na minha cabeça... eu não podia adivinhar que na verdade, você era um bolinho fofo e sedento por sangue.


 E eles riram juntos, era engraçada a forma que Jungkook sempre tratava o seu namorado, pois o mesmo era um vampiro, e por isso, era dez vezes mais forte e perigoso do que si, mas ele sempre o tratava de forma tão carinhosa tanto quanto se trata um bebê. Lógico que usando alguns apelidinhos sarcásticos no meio também, pois adorava ver a cara emburrada do seu hyung quando o chamava de "meu sanguessuga preferido". 


— Você achava que eu era um tarado por quê?  Eu só te levei junto pro quartinho de bagunça lá na faculdade e te tranquei comigo...


 Jimin falou inclinando levemente a cabeça pro lado, fazendo aquela carinha de inocente, inflando as bochechinhas fartas e colocando um biquinho nos lábios. Jungkook achava uma graça isso, nem parecia que seu menino era um monstrinho quando queria, principalmente na cama. Não se aguentou e mordeu aquele bico que estava formado na boca alheia, fazendo Jimin dar um pequeno pulinho em seu colo pelo "susto". Instintivamente, kook levou as grandes mãos dele para a cintura fina e bem definida do baixinho, que arfou pelo contato mais intenso que teve entre seus quadris.  


— Aigoo, como você pode ser tão fofo, hyung? Huh?


 Jungkook passou a beijar o pescoço de seu companheiro com muita devoção e desejo, Jimin agora inclinava o pescoço um pouco pro lado e dava espaço para o mais alto abusar daquela parte de seu corpo, sentindo pequenas cargas elétricas passarem pelo pescoço, costas e bochechas. As coisas estavam esquentando, como sempre esquentava quando os dois se encontravam. Porque parecia que eles eram realmente feitos um para o outro, como se todo o desejo e Química que um dia já sentiram por outra pessoa, sequer tivera existido. Tudo com os dois era mais intenso e mais certeiro. Eram como almas gêmeas e ninguém ousava questionar, pois só de ver o casal, as pessoas se sentiam a felicidade, o amor deles transbordava por cada poro, cada pelinho arrepiado pelo mínimo toque de um juntar de mãos.  


Kook notando que aquilo estava indo rápido demais, deu uma fungada forte no pescoço de seu hyung para provocá-lo, sabia que era sensivel.  — Jungkookie... isso faz cócegas! —, Jimin se contorceu rindo e Jungkook tirou a cabeça do vão do pescoço do menor. Os dois riram, se encarando e Jungkook podia jurar que iria morrer de taquicardia só de ver aqueles olhinhos negros de meia lua se fechando enquanto um bonito sorriso surgia no rosto de Jimin. 


— Olha amor, não é muito normal as pessoas pararem as outras no meio do corredor da faculdade e puxa-las pelo braço do nada! Você é menor do que eu e pelo aperto que você dava em meu braço, eu jurava que podia perder ele se ousasse me soltar. Eu me perguntava: quem diabos é esse cabeça de algodão doce e porque sinto que ele vai me espancar até a morte?". 


— Idiota... eu nunca te espancaria,  não ser que-. — foi interrompido por um dedo indicador em sua boca. 


— A não ser nada, relaxa que eu mesmo me certificarei de não provar da sua fúria, diabinho.


 Aish, que Jungkook conseguia derreter qualquer indício de raiva em Jimin. 


— Continuando... você me levou pro quartinho, trancou a gente lá e soltou um: eu quero tanto te chupar! Isso não foi normal Jimin, eu podia sentir que meus olhos iriam saltar pra fora de tanto que eu arregalei eles! Um cara que eu nunca vi, manda um "quero te chupar" na lata assim do nada. Eu senti que todo sangue que eu tinha no meu corpo, naquele momento tinha ido todo pras minhas bochechas.". 


— A culpa foi sua Jungkookie! —  Jimin o acusou, cruzando os braços em frente ao peito e rindo. 


— Minha culpa? Da onde isso tem lógica? — levou o dedo apontando pra si mesmo, soltou uma risada incrédula e arqueou as sobrancelhas. Ahh que não tava acreditando naquilo,  tava mesmo sendo acusado por algo que nem sabia que teria como ter culpa? Aliás, tava sendo acusado do quê? 


— Sim, ora. Primeiro que você é um pervertido que entendeu tudo errado, você sabe...


—Ei ei ei! Eu não sou pervertido! Você que não soube se expressar direito, disso eu não tenho culpa!


— Fique quieto kookie, você sabe que se realmente não tivesse toda essa malícia não teria corado até o último fio de cabelo aquele dia. Inclusive você está corado agora!


— Aish, Jimin. Que calúnia! — disse Jungkook colocando ambas as mãos em cima de suas próprias bochechas tentando esconder o rubor delas. 


— Segundo que, quando eu disse que queria te chupar, eu me referia ao seu sangue! Você cheira fodidamente gostoso e eu não tava mais aguentando toda aquela tortura. Eu precisava te provar... — Jimin sorriu sapeca e foi em direção ao pescoço de seu moreno de novo, passou o nariz de cima a baixo naquela região,  vez ou outra raspando os seus caninos ali, para provocar aquele que já estava suspirando em baixo de si. 


— Você gosta mesmo de me provocar, não é?! — Jungkook soltou entre os suspiros e Jimin apenas respondeu com acenar de cabeça, enquanto continuava o seu trabalho de enlouquecer o namorado. 


— Sobre o meu cheiro... também não tenho culpa ok? Como eu poderia adivinhar que dentre tantas pessoas, logo eu, um mero mortal estudante de fotografia em Seul, que na época era uma garoto virgem e tímido, iria atrair um vampiro? O que é bem loucura na verdade... eu achava que vocês eram coisas de livros e filmes.


— O que? Eu não sou uma "coisa", Jeon Jungkook! —  Jimin saiu do colo de Jungkook em um movimento rápido e virou de costas para o outro fazendo birra.


 Se sentiu ofendido, odiava quando as outras pessoas referia a sua raça como algo pejorativo, insignificante e até mesmo fantasioso demais. Pois existia e tava ali, não era mau e nem um assasino impiedoso. Era só Park Jimin, um fofo garoto de eternos 22 anos que, se alimentava de vez em quando de bolsas de sangue roubadas — para um bem maior, claro — de um hospital local, e que vez ou outra caçava alguns bichinhos para se alimentar melhor. Nunca sequer havia atacado um humano, Kook foi o primeiro e último,  que só não se arrependia de ter cedido a tentação, porque hoje aquele a garoto de sorriso dentuço, era o amor que faltava em sua eterna vida. E se uma ofença veio de Jungkook, que era seu namorado, aquilo o fazia se sentir pior e mais irado ainda. 


Jungkook vendo que havia, mesmo que sem intenção, machucado os sentimentos do outro, se alarmou a pedir desculpas e mimar seu vampirinho como forma de arrependimento. Tinha sido insensível e nem sequer era o que queria ter sido. 


— Amor... me desculpe... eu não queria te ofender, tudo bem? Juro que não falo mais nada disso. Você não é uma coisa, você é o meu Jiminnie, que eu amo muito, muito. — falava bem no pé do ouvido de Jimin, que estava encolhido em seus braços, ainda que de costas. Jungkook o abraçava forte, como se seu hyung pudesse fugir a qualquer instante. Por um momento se sentiu desesperado com a possibilidade, pois o baixinho era genioso, e podia muito bem ter saído dali num piscar de olhos. 


— Me perdoa? Não foi a minha intenção... — sussurrou baixinho e muito arrependido. 


Jimin limpou os cantos dos olhos e maneou a cabeça em um "sim" mudo. Não iria conseguir ficar com raiva pra sempre de Jungkook e por mais que estivesse magoado com o maior, sabia que ele soltou aquilo sem querer e na inocência. Estava arrependido de verdade, podia sentir pelos batimentos desregulados de Jungkook em encontro com suas costas. 


— Hyung... —  chamou em tom manhoso — apesar de ter ficado muito assustado aquele dia, eu gostei tanto daquilo, foi impressionante! Eu tive que me segurar muito, porque eu era um jovem virgem, com os hormônios explodindo e eu estava tecnicamente sendo abusado, mas isso era bom, você tocava o meu corpo como ninguém nunca havia tocado antes... era instigante, diferente."  


— Eu sou impressionante, kook? Você realmente ficou excitado com aquilo?


— Com certeza, você é a pessoa mais impressonante em todos os sentido que eu conheço. Você me mordeu assim que me conheceu e isso foi meio estranho porque eu não esperava mesmo por aquilo, mas depois você me provocou, e muito... e você sabe que eu fiquei excitado, não se faça de inocente, seu descarado, eu simplesmente eu não conseguia controlar meus gemidos, aish! Nem venha se fazer de bom puritano, você também ficou excitado pra caramba tá? Só não terminou com as coisas porque eu quase desmaiei. Digamos que você se empolgou demais... 


— Desculpe...  mas você sabe que seu sabor fica muito mais gostoso quando você está excitado, certo?"


Ahhh que Jimin estava testando Jungkook novamente, aquela frase saiu com um duplo sentido tão sem vergonha que o moreno sentiu uma físgada em seu membro, que agora já começava a querer dar sinais de vida. 


— Kookie-ah, aquele dia você estava tão lindo, tão entregue pra mim... eu lembro de tempos e tempos como foi boa a sensação de ter prensar na parede e respirar esse seu cheiro maravilhoso no cangote de pertinho, de como você deixou a sua mochila e livros cair pro lado, e de como nem me encarava de tanta vergonha! Você estava totalmente constrangido, e quando eu falei o meu nome e que era apenas para você confiar em seu hyung,  você simplesmente acenou que sim e ficou ali, parado, esperando eu te dar o bote. Me dando livre acesso ao seu corpo... você tem ideia de como você estava gostoso daquela forma?  Você cheirava a pureza, ingenuidade, inocência, mas também cheirava a testosterona, a masculinidade, tudo para que eu pudesse incentivar tudo isso só com você. Despertar esse seu lado pecaminoso... —  agora Jimin já se virava para Jungkook novamente, deitando o seu corpo por cima do moreno, que não desprendia os olhos do rosto do vampiro, que sensualmente roçava a boca em seus lábios. A bunda farta de Jimin estava bem localizada na área perigosa de Jungkook. Este que estava com a respiração desregulada nesse momento, segurando as coxas de Jimin com suas palmas grandes e dedos longos, em um transe quase que inquebrável.  


— Sabe, Kookie... naquele momento que te mordi, bem aqui... — deixou um beijinho molhado e estalado na pele do pescoço onde havia o marcado a primeira vez.


 Jungkook suspirou alto e arrepiou todos os pelinhos, tendo como reflexo apertar entre os dedos a carne de Jimin.


— Eu senti que não conseguiria para nunca mais, ah que você sempre foi tão, mas tão gostoso Jungkook, que eu não sabia se tinha a capacidade de me impedir de te sugar até a última gota naquele momento. Eu agarrei com uma das minhas mãos o seu cabelo sedoso por trás e puxei para que você inclinasse o pescoço para me dar espaço de judiar daquele local. Você fechou os olhos com força e separou os seus lábios. Ahhh, aquela sensação... quando eu passei a minha língua ali, eu podia jurar que era melhor do que tomar picolé, minha língua era gelada e sua pele quente, muito quente. E isso foi gostoso pra caralho, porque você arfou e o seu cenho franziu, então eu sei que foi gostoso pra você também.  Você tava lindo. Você soltou o primeiro resmungo pela dor dos meu caninos perfurando a sua pele, mas pra mim aquilo só deixou as coisas mais interessantes. Suas mãos foram parar nas minhas costas e você apertava tão forte a minha blusa que eu achei que ela fosse rasgar, mas como consequência apertou o meu corpo mais junto do seu também, ficamos colados, grudadinhos, quase nos fundindo... Então quando eu levei a minha mão que estava livre por baixo de suas roupas, percorrendo cada gominho de seu abdômen, para chegar em baixo de seu umbigo, você estremeceu, eu sabia que você estava uma mistura de dúvida e expectativa. Você era tão inocente, tão neném huh. Eu queria muito cuidar de você... e eu fiz, levei a minha palma mais pra baixo e abri o zíper seguido do botão daquela sua calça jeans de lavagem clara, que te deixada mais gostoso ainda, passei meus dedos por sua cueca box preta e fechei a palma em torno do seu falo. Ah, seu gemido, seu gemido foi maravilhoso!


Jimin que agora falava isso no ouvido de jungkook batendo seu ar quente naquela região arrepiada, rebolava sobre o colo do namorado, que espalmou as mãos  em sua bunda e ajudava nos movimentos, vez ou outra jogando o quadril pra cima e fingindo pequenas estocadas, que fazia Jimin revirar os olhos, ao mesmo tempo que tentava manter a concentração no que estava falando. Jungkook gemia bem baixinho, aqueles gemidos que mesmo mais graves, eram bem manhosos. 


— Ahnn... Hyung.... 


— Jungkookie, eu te chupava o pescoço ao mesmo tempo que começava uma masturbação lenta bem assim... — Jimin se ergueu um pouco e passou uma das mãos por baixo de si, até alcançar o elástico da calça de moletom cinza que Jungkook usava, adentrou a mão ali, passando pela cueca também e chegando aonde queria: o pau de seu namorado. Kook soltou um gemido surpreso e fechou os olhos fortemente, era muito sensível,  qualquer estímulo e ele já ficava alucinado. 


—Eu adoro as suas reações meu amor... —  Jimin passava a mãozinha fechada pra cima e pra baixo, num movimento lento e tortuoso, o membro de Jungkook já estava molhado e totalmente ereto, ele estava ficando com muito tesão e quando seu vamipirinho resolveu aumentar um pouco a velocidade, ele virou uma bagunça. Pedia entre gemidos as vezes altos as vezes sussurrados — a-ah, m-mais rápid-do hyung! —. Jimin adorava ver ele tão necessitado de seus toques assim, e ele não podia negar que ele mesmo já estava muito excitado também. Queria logo Jungkook dentro de si, fundo e forte. Mas achou que hoje era um belo dia para se torturar o seu dongsaeng e puni-lo por ser tão insensível consigo as vezes, ah que hoje ele ia ser bem malvado com o seu Jungkookie. 


Então saiu daquela posição meio incômoda de antes e se sentou mais pra baixo, agora ficando de frente para o pau de Kook, ao invés de costas. Jungkook protestou um pouco, já que um por momento os movimentos em seu falo e glande pararam, sem falar da bunda redondinha que fazia certa pressão na área. Mas não reclamou quando o baixinho puxou a sua calça com cueca e tudo pra baixo, fazendo o falo rígido, avermelhado e com veias saltadas de Jungkook bater no próprio abdômen ainda coberto por uma camiseta — agora amarrotada — branca.  Estava tão sufocante estar dentro daquela cueca, que aquilo foi um tremendo de um alívio. 


Ele olhou pra baixo e encontrou o olhar felino e predador de Jimin, sua pupilas estavam extramamente diladas e com as íris vermelhas, mas kook não tinha medo, ele tinha desejo. Aquele vermelho carmesim dos olhos de Jimin nunca foram tão bonitos como ele achava que estava naquele momento. Jimin deu um sorriso que pode ver claramente as presinhas de fora, e naquele momento, ele soube que Jimin iria judiar de si e não teria dó


— Jimin-ah...


— Huh? O que foi Jungkookie? 


— Você vai ser bom para o seu dongsaeng né? — estava com um pouco de receio, Jimin sabia ser nem maldoso quando queria.


— Eu vou ser muito bom com você, bebê... só geme pra mim agora, ta bom?


E com isso Jimin deu um beijinho na cabecinha do pau de Jungkook que arqueou um pouco as costas e apertou os lençóis entre os dedos, soltando o ar que nem lembrava de ter prendido, entre os dentes.  Jimin segurava novamente o falo entre os dedos, mas não fazia movimento algum, ele passou a distribuir beijinhos na região, desde a glande avermelhada, ao falo, e testículos, o quão chupou cada um deles, ganhando um urro de prazer que o mais alto soltou. Passou agora a lamber a verilha do mais novo que já estava se contorcendo e gemendo manhoso. 


E de surpresa mordeu aquela parte que era bem pertinho do pênis do moreno. Kook sobressaltou pelo susto e tentou levar as mãos pra o local e afastar ele dali, mas Jimin num movimento rápido e sendo mais forte, com apenas uma de suas mãos, atou as duas de Jungkook sobre o abdômen dele. O mais novo sentia a ardência no local e seu líquido vermelho descendo vez ou outra pela região. 


— Ji-Jimin!  Isso não ta muito legal, meu bem... ah-argh! N-não tem, s-sei lá, outro lu-lugar pra você me m-morder?


Jimin deu um risinho, ainda sugando aquela parte, sangue misturado com tesão era ótimo, mas misturado com dor e medo, era melhor ainda, não podia negar. 


Jungkook nada além de reclamar da ardência do local fez, se acostumou um pouco a contragosto da situação, mas ainda estava excitado, mesmo sentindo um pouco de dor no local que o baixinho sugava, e um pouco de medo dele inventar de fazer isso no seu precioso pau, literalmente. Mas ainda sim, era estranho, porque estava gostando daquilo. Poderia dizer que achou um lado masoquista dele por estar sentindo prazer ao mesmo tempo de dor. 


Jimin terminou de sugar ali, com uma forte chupada que arroxeou o local maltratado na hora. Sorriu ainda com restos de sangue em sua boca e Jungkook quase gozou só por aquela visão.  


— Você quer que eu te chupe de verdade, Jungkookie-ah?


— Jimin, faça o que quiser, desde que não envolva morder o meu pau... — Jungkook soltou uma risada nervosa e Jimin o acompanhou, mas a risada do vampiro era de maldade mesmo e não de nervoso.

  
— Hummm... mas eu queria tanto...


— N-não pode Jimin! A-AH! — Kook soltou um grito assim que Jimin engoliu seu pau de uma vez, fazendo sua extensão encostar em sua garganta relaxada. Jungkook arqueou as costas, revirando os olhos e levando a suas mãos — agora livres —, para os cabelos de Jimin, que já fazia uma sucção nervosa e viciante. Ia rápido e nem precisava de Jungkook ditar os movimentos, porque nem raciocinar direito o garoto estava, apenas puxava os cabelos do menor com força, fazendo Jimin as vezes soltar alguns resmundo e risadinhas pela afobação de seu namorado, ainda com o falo na boca, mandando vibrações gostosas para o moreno que estava com a mente nublada pela luxúria.  


— AH! JI-JIMINNIE OH! — Jungkook começou a contrair o abdômen e seus dedos dos pés começaram a torcer, sentia-se próximo, muito próximo do ápice. Jimin percebendo o estado do seu Kookie, largou um pouco mesmo que com dificuldade do pau de Jungkook, que lhe olhou em suplica, esperando que o rosado lhe deixasse gozar pelo o amor que eles tinham entre si.  


— Jiminnie... ah, p-por favor...


Jimin adorava quando Jungkook implorava, então apenas se afastou um pouco e abriu a boca colocando a língua pra fora, que eróticamente ainda estava ligada a um fio de saliva e pré-gozo do pau de Jungkook a ele, e como um bom hyung, levou as mãos as bolas do mais novo massageando elas, enquanto masturbava rapidamente o falo de Jungkook, só esperando a sua recompensa agridoce. E ela veio, em jatos forte e quentes, podia jurar que nunca viu Jungkook gozar com tanta vontade como havia feito dessa vez. O melado esbranquiçado de Jungkook foi muito bem recebido. Jimin engoliu o que havia caído diretamente em sua boca e se empenhou depois em lamber e limpar toda a região que foi sujada pelo prazer do mais novo. 


Jungkook estava extasiado, de olhos fechados e respiração totalmente alterada. Tentava manter uma respiração normal, e acalmar o ritmo acelerado de seu coração.
Estava nessa nuvem de prazer ainda quando sentiu Jimin deitar a cabeça em seu peito, sabia o que o mais velho estava fazendo. Todas as vezes era assim, Jimin gostava de sentir o coração de Jungkook batendo naqueles momentos. E Jungkook achava isso fofo! Era incrível como o namorado mudava de personalidade rápido, em três segundos Jimin de fofo passava para pervertido e vice-versa.


 Assim que passou os braços pelas costas do mais baixo deitado em cima de si, viu o mesmo levantar a cabeça e olhar em seus olhos, sussurrandoum rápido — Vamos continuar, Kookie! — Ala! Jimin e sua dupla personalidade atacaram novamente.


 Mau esperou Kook ter alguma reação e já atacou os lábios dele com ferocidade. Chupava, dava mordidinhas  aqui e ali e Jungkook retribuia. As linguas se enroscavam e disputavam entre si de forma bem erótica, as vezes escapando pra fora da boca de ambos por tamanha afobação. Jungkook levou as mãos a bunda de seu hyung e apertou com força, fazendo Jimin soltar o primeiro gemido dele de verdade naquela tarde.
 Em um movimento rápido trocou de posições ficando agora por cima, — apesar de saber que Jimin preferia ser o passivo na hora H, sabia que ele adorava comandar as coisas, não negava que gostava bastante daquela atitude do mais baixo. — Mas Jungkook também gostava de ter controle na situação e agora iria aproveitar um pouco disso.


Puxou o cabelo de Jimin e atacou o pescoço até a clavícula dele, deixando várias mordidinhas e chupões bem desenhados e marcados naquela pele tão branquinha e macia. Jimin gemia baixinho "Jungkookie..." enquanto arranhava sem dó as costas do mais alto, que estavam ficando sem a camada fina de pele onde o baixinho arrastava as unhas, ardia muito não negava, mas ele não reclamaria, era sinal que seu hyung estava gostando do carinho, certo? 


Com uma pressa que até agora eles não haviam tido, não sobrou mais nenhuma roupa no corpo de ambos. Agora deixando com que as peles se chocassem livremente, causando uma imensa sensação de calor nos dois. Jungkook capturou um do mamilos rosinhas de Jimin, que arqueou as costas e gritou a todos pulmões o nome do moreno. Sugava, lambia e mordia, ficou fazendo um ciclo vicioso alternando entre os botões enquanto estimulava a ereção do vampiro na palma de uma de suas mãos. Gemidos, arfares e suspiros eram ouvidos de ambos, o som molhado de tudo só deixava a situação mais gostosa e erótica. Jungkook foi descendo uma trilha de mordidinhas e beijos no torso de Jimin, até chegar no umbigo do mesmo e lamber o local com seu músculo quente, adentrando a língua no buraquinho, Jimin agarrou os cabelos de Jungkook em expectativa, e o moreno continuou descendo o seu caminho, e deixou tapa estralado na nádega direita do rosado, que deu um pulinho seguido de uma risada safada. Ah que adorava quando Jungkook ficava perverso e ousado na hora do sexo. Kook nem esperou mais nada, apenas envolveu o membro do mais baixo na boca, subindo e descendo a cabeça já em um ritmo moderadamente rápido, apertando as nadegas do mesmo, vez ou outras dando palmadas forte e bem dadas na região.  Acelerou mais ainda os movimentos e Jimin já sentia o ápice chegando, tentou avisar mas foi em vão, não saia uma frase completa de sua boca. 


— AH! K-kookieeee-ah, oh, k-kookie, e-eu, eu v-vou...Ah!


Estremeceu e arqueou as costas o máximo que conseguiu, agarrado brutalmente ao cabelo do namorado, Jimin gozou na boca dele, despejando todo o prazer que tinha acumulado ali, e Jungkook tomou tudo com muito gosto. Subiu em cima de Jimin de novo e o beijou os lábios fartos e rosados com carinho, ainda com o gosto do menor na boca. Estimulou o pênis de Jimin com as mãos novamente e decidiu que agora a brincadeira iria começar de verdade.  


— Vira de quadro pra mim hyung?! —, saiu quase que como uma ordem, mas ele não esperava que Jimin fosse negar.


— Ah não Jungkookie, hoje quem manda sou eu! — e sorriu ladino.

Kook quase nem viu o que se passou ali em seguida, mas foi posto por baixo de novo. Dessa vez sentado, e com brutalidade teve as costas batidas na cabeceira da cama, que rachou um pouco. Fez uma careta e soltou um murmúrio de dor. Jimin deu risada e levou as mãos do mais novo pra trás onde ele estava encostado, prendeu com uma das mãos. E sussurrou em seu ouvido:

—Hoje o hyung vai cuidar muito bem de você huh? —. E Jimin mordeu o pescoço de Jungkook, que soltou um gemido dolorido quando sentiu os dentes rasga-lhe a pele, mas logo se misturou com o de prazer, assim que Jimin usou a mão livre para segurar seu pênis pela base e sentar de uma vez em si. Kook gritou de prazer revirando os olhos quando sentiu seu pau ser esmagado pelo interior quentinho e apertado de seu hyung. 


Queria poder tocar e apertar todo o corpo de Jimin nesse momento, mas o mesmo estava lhe impedindo disso com somente uma mão. Era tortura demais. 
Jimin por ser um vampiro não precisava de tantos cuidados na hora do sexo, como preparação e momentos quietos para se acostumar com a extensão e volume do outro. Mas ele estava parado, e de propósito, apenas para punir Jungkook.  


—Jiminnie... porra... por favor, hyung! — Pediu manhoso, não tava mais aguentando aquilo, tava com muito tesão e já se sentia agoniado.
Jimin soltou do pescoço do outro, até achava que estava exagerando, Jungkook já estava ficando meio pálido de tanto que Jimin lhe chupava o sangue.


— O que o meu Kookie quer? — Perguntou olhando nos olhos do mais novo com cara de inocente.


— F-faz alguma coisa hyung... se m-mexe... ahnn, me deixe te tocar?


E Jimin mais uma vez abriu um sorriso bonito, que escorria um filete de sangue por um dos cantos dos lábios. Soltou as mãos de Jungkook que foram imediatamente para a sua cintura apertando o local, mas o pequeno advertiu:


 — Eu vou deixar você me tocar kookie-ah, mas quem dita as regras e o ritmo aqui sou eu, você entendeu? — falou sério.  Jungkook engoliu seco e acenou positivamente com a cabeça e murmurou um "entendi Jiminnie...". 


Então Jimin começou a fazer os movimentos lentos, pra frente e pra traz,  ondolando o quadril em ritmos circulares, cavalgando lentamente no pau de Jungkook. Apoiou as mãos nas coxas de kook e o fitava intensamente. Contato visual o tempo inteiro, gemendo uníssono. 


O vampiro se inclinou pra frente e capiturou um dos mamilos de Jungkook que arfou pesado e gemeu arrastado quando Jimin mais uma vez lhe mordeu pra valer, — estava literalmente mamando em Jungkook, e não leite, sim sangue —. Era prazeroso de toda forma, Jungkook sempre fora muito sensível ali. Era mais uma vez mistura de dor e prazer.


Ele estava ficando louco, era muito estimulo, queria foder logo o seu Jiminnie, mas o mesmo estava empenhado em lhe torturar. Estava pensando em começar a chorar por tamanha vontade, quando Jimin soltou seu mamilo e sussurrou em seu ouvido — Vamos acelerar! — e Jungkook nunca ficou tão feliz em ouvir aquela frase. Porque Jimin rodeou os braços em sua volta e começou a quicar em seu colo a todo vapor. 


Jimin agora deixou que Jungkook ditasse um pouco da situação também. O moreno levantava o quadril pra cima pra ir mais fundo e forte no interior de seu baixinho, enquanto o citado fazia força pra baixo. O som do pau entrando e saindo rápido de Jimin era demais, o barulho das coxas se encontrando, e o do seu saco batendo naquelas nádegas era arrebatador .  


— Ah porra! Jimin-ah! —Falava entre gemidos, enquanto capturava o lóbulo com brincos metálicos de Jimin.  


— O-oh! T-tá gostoso, Jungkookie-ah? V-você gosta de foder com o seu h-hyung? — Jimin encostou a testa no ombro de Jungkook sentindo ser invadido deliciosamente. 


— Você é m-muito gostoso, puta merda oh!


Jimin deu impulso pra trás e trouxe Jungkook consigo, que não perdeu tempo em levantar as pernas de seu hyung e coloca-las em cima de seu ombro, dando total acesso a entrada do mais baixo, acelerou ainda mais o ritmo, saindo quase que totalmente do interior e voltando com tudo. Jimin só sabia gritar o quanto Jungkook era gostoso pra caralho todas as vezes que sua próstata era acertada. Corpos suados e quentes, as pernas de Jimin em uma determinada hora caiu pelos cantos dos ombros do mais alto que estava totalmente concentrado em ir fundo e forte, encostou a cabeça ao lado da de Jimin e continuou, estava próximo sentia isso e sabia que o seu namorado também estava, os gemidos cada vez mais agudos e altos, o aperto mais forte do canal anal em seu pênis denunciava isso. Sentiu Jimin lhe morder pra valer no ombro e quase perdeu as forças nessa hora, seu hyung realmente estava judiando de si dessa vez.


 Uma. AH! 


Duas. A-AHNN!

 
Quatro. OH! 


Seis estocadas profundas e gozou pela segunda vez no dia, preencheu o interior de Jimin com sua porra, sendo agraciado pelo gemido manhoso e alto de Jimin que se comprimiu ao seu redor, chegando também ao ápice, melecando o abdômen de ambos.


 Jungkook ficou mesmo que fraco, metendo algumas estocadas leves para prolongar o prazer de ambos. Assim que não aguentou mais, soltou o seu peso sobre o corpo de Jimin, retirando seu membro de dentro dele, sentindo  parte de seu esperma escorrer desde a entrada até as coxas torneadas do mais velho, enfim descansou a testa suada em seu peito. Jimin passou os braços em torno do tronco de Jungkook e o aconchegou em cima de seu corpo. Estava cansado, mas nada se comparava ao mais novo que estava visivelmente muito exausto.


Jimin tinha uma estamina muito grande e havia tomado muito sangue de Jungkook dessa vez durante o ato. Estavam sujos, porém kook estava tão cansadinho que não aguentou e apagou daquele jeito mesmo e dormiu feito um neném. — um neném que acabara de fazer arte daquelas —. Jimin achou graça, seu Jungkookie era mesmo uma criança em corpo de adulto. 


Sem dificuldade alguma, apenas com cuidado para não acordar o moreno, lhe tirou de cima de si e colocou no cantinho da cama e tirou a colcha suja pelo prazer de ambos, que cobria o colchão. Pegou alguns lencinhos umedecidos que havia no banheiro do quarto e limpou mais ou menos algumas parte do tronco de Jungkook, trouxe algumas gazes com antisséptico e limpou os ferimentos causado por suas "mordidas de amor". Por fim, pegou roupas limpas, e vestiu no namorado que estava mais do que apagado pelo visto. Foi ao banheiro novamente e tomou uma ducha rápida, pegou um camisetão de Jungkook e vestiu. Deitou-se agarrando as costas do seu moreno e ficou ali, velando o sono do seu amor. 


[...]  


Quando Jungkook acordou, sentiu-se meio tonto e enjoado. Havia ficado muito tempo sem se alimentar, além de ter perdido uma considerável quantia de sangue, — não que se importava de estar fraco, já que o motivo para isso, era seu amado Jminnie. — Notou que estava sendo abraçado pelos bracinhos que tanto amava ter em torno de seu corpo. Se virou ficando de frente para Jimin que lhe encarava sereno, com um sorrisinho simpático no rosto. 


—Bom dia... — sussurrou Jimin. 


— Bom dia, eu acho... Eu dormir muito?


— O suficiente, meu amor — Jimin respondeu carinhosamente enquanto alisava o rosto de Jungkook a palma de uma de suas mãos.


— Que horas são?  Aliás que dia é hoje? Sinto que hibernei como um urso! — Soltou uma risada divertida. 


— Você só dormiu pelo resto da tarde e a noite toda, kookie... agora são umas oito horas da manhã, está com fome? Sentindo-de mal ou algu-. — foi interrompido por um selinho de Jungkook.  


— Shiiii... Eu tô bem, amor. Não se preocupe, está tudo bem, sim?!


— Me desculpe, eu acho que exagerei ontem...


— Hyung... 


— O quê?


— Você sempre exagera! —  Riu alto, fazendo o outro lhe acompanhar. 


— Yah! — deu um tapa no ombro de Jungkook. — Que mentira Kookie-ah! Não é sempre... é só as vezes... eu acho. — e deu uma risada fofa. 
Jimin beijou os lábios de Jungkook, começando um beijo calmo e carinhoso. Quando o beijo teve fim, Jungkook abraçou Jimin novamente, ficando bem próximos.  


— Hyung... parando pra pensar agora... eu fugi tanto de você depois daquele dia do quartinho...


— Ah, você se lembra não é? Você foi bem difícil, kookie. Mas eu não tiro a sua razão, eu simplesmente te ataquei, e depois apenas disse pra você manter tudo em segredo e sai pela porta! — caíram na risada. — depois disso toda vez que você me via pelos corredores, você saia correndo, literalmente! Você simplesmente fugia de mim que nem o cão foge da cruz, Jungkook! Acho que te deixei bem constrangido, né? — Jungkook afirmou que sim com a cabeça enauanto mostrava seu sorriso de coelhinho que Jimin tanto amava. — Demorou umas três semanas pra eu conseguir te abordar sem você fugir, e na verdade isso só aconteceu porque eu te encurralei, de novo, e no banheiro da faculdade.


— Eu juro que achei que você ia abusar do meu corpinho de novo, eu fiquei com o ânus na mão...


— Ânus na mão, Jungkook? Sério? — Jimin começou a gargalhar. Aonde aquele menino aprendia a falar essas coisas?


— Cala a boca... eu tava com medo ok?! Bom, mas você pelo menos  daquela vez apenas tentou uma conversa amigável, pediu desculpas e nós nos resolvemos... — deu um suspiro — mas droga, eu nunca mais consegui parar de pensar em você e em seus toques... seu hyung malvado, você tomou totalmente conta dos meus pensamentos!


— Olha quem fala... eu me segurei tanto quando começamos a ter uma amizade, o seu cheiro simplemente me deixa louco, foi quase impossível. — Jimin contava gesticulando exageradamente com as mãozinhas fofas. — Depois de três meses você me beijou e disse que tava apaixonado por mim... e me deu passe livre pra usar e abusar do seu corpo, amém! 


— Pois é, e então a gente começou a viver na cachorrada! — Gargalharam alto juntos dessa vez. 


— Cachorrada?


— É... você sabe. Foi uma looooonga época de mãos bobas, beijos e boquetes... depois de um mês que eu me confessei e você aceitou os meus sentimentos, você me pediu em namoro definitivo. Pra comemorar, a gente foi pra cama e você tirou a minha virgindade... e eu quase broxei aquele dia porque estava muito nervoso. Foi vergonhoso... — Jungkook de repente enfiou a cara no travesseiro e bufou. Jimin sabia que ele ficava com vergonha só de lembrar do episódio.


— Não foi tão ruim assim... você só estava meio travado no começo, mas depois seu desempenho foi bem bom! — Jimin riu.


— Bem bom? — Kook tirou o rosto do travesseiro e olhou para seu hyung.


— Uhum! — ambos se encaravam bobos.


— Eu te amo hyung...


— Eu também te amo, meu Kookie!


Sorriam entre beijinhos trocados e carícias atrevidas. Jimin findou o contato antes que evoluisse para algo a mais, seu Jungkook não tava aguentando nada mais ainda continuava com fogo. Aish! 


— Kook-ah... vai tomar um banho, está bem? Eu vou fazer um café da manhã bem caprichado pra você!


—Tudo bem, hyung. Obrigado! 


Trocaram um último beijo e se levantaram, Kook sentindo algumas dores bem incômodas durante o corpo foi para o banheiro enquanto Jimin ia para a cozinha preparar algo. 


[...] 


Quando Jungkook saiu do banho, Jimin já estava no quarto com uma bandeja cheia de comidas. Um belo de um café da manhã reforçado na cama! E Jungkook comeu tudo, comeu como se não houvesse amanhã, comeu como se estivesse amarrado no pau. E Jimin? estava feliz em ver seu neném comendo tão bem. 


Jungkook terminou, mas percebeu que seu hyung estava olhando muito para si. 


— O que foi Jimin-ah?


... 


— Jungkook...


— Eu? 


... 


Eu quero tanto te chupar! 


*JUNGSHOOK*
 


Notas Finais


Primeiramente: Fora temer! HUAHAUSHSAUASH brincadeira
but: SE FLOPAR A GNT FAZ A EGÍPCIA E FINGE QUE NADA ACONTECEU, QUE NINGUÉM VIU NADA QUE NEM OS PINGUINS DE MADAGASCAR!
Bom, e se não flopar... serei grata a cada pessoa que encarou ler minha fanfic hasuhsauhsa obg do fundo do kokoro!<3
Deixe seu comentário, sei lá, dizendo se gostou ou não? Críticas construtivas etc :3
Queria dizer que era pra ser só uma fluffy amorzinha, mas acabou que jikook virou transante e rolou lemon rs
~inclusive fiquei com MUITA vergonha dps que escrevi usahsauhas ( desculpa mãe por ser uma pervertida rs), foi a primeira vez que escrevi lemon tbm scrr e acho que ficou bem pombo :')
Quero dedicar as minhas amiguinhas que QUASE ME MATARAM E ME PRESSIONARAM PRA POSTAR ISSO SCRR!
Pamela minha filha tumblr, Bruna minha Seme <3 Mayara safadona <3 etc! amo vcs fuleragi :D
[Ps: foi uma porra formatar o texto no spirit :') e que eu nunca vou ficar satisfeita com essa caralha rs]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...