História Mirrors - KakaSaku - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Mebuki Haruno, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Rin Nohara, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Kakasaku, Kakashi Hatake, Naruto, Romance, Sakura Haruno
Visualizações 54
Palavras 1.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Reviravolta


Me mostre como lutar agora

E eu te direi, baby, 'isso foi fácil'

Eu voltei pra você assim que eu descobri:

Você estava aqui o tempo todo


O sol encontrou o rosto de Kakashi bem cedo, ele estava ao meio da cama e sentia um peso incomum em seu peito. Quando o castanho dos seus olhos se chocou com a nudez de sua aluna ele teve a confirmação que havia cometido um grande erro. 


Retirou-se da cama com todo cuidado do mundo, não queria acordá-la tão cedo e muito menos ter que admitir que entre eles havia existido muito mais do que boas aulas de etiqueta. Cobria-a com os lençóis e fechou a cortina para deixá-la descansar. 


De todas as reviravoltas que sua vida havia dado, essa era com toda certeza a mais maluca de todas. Quando foi que imaginou que depois de tanto tempo alguém pudesse fazer seu coração bater? Por mais banal que o amor fosse em sua visão ele ainda causava um imenso desconforto dentro de seu peito. 


Sakura foi acordada pelo barulho das portas se abrindo, deu graças a Deus por estar estrategicamente cobertas pelos lençóis, evitaria que quem estivesse entrando tivesse a visão privilegiada do seu corpo nu. E para sua decepção, quem invadia seu quarto era o mesmo ser no qual desejava ver longe. 


— O que faz aqui, Deidara? — a Haruno apertou os lençóis contra o corpo na esperança que ele notasse a própria inconveniência. 


— Seu pai disse que você ia gostar de fazer as pazes. — o loiro estava sendo sincero, Hizashi havia mesmo citado que Sakura ficava melhor com presentes e dinheiro, não imaginava que a filha tivesse mudado. — Trouxe alguns presentes que sei que você vai gostar. 


— Acontece que não estou a fim de ganhar presentes hoje, volta outro dia. — o desdém na voz da garota fez Deidara estranhar. 


— Onde foi parar a Sakura que adorava gastar dinheiro em coisas inúteis? 


Aquela pergunta era ofensiva, mas ela queria ter o gosto de respondê-la pessoalmente. 


— Diferente de você eu consegui mudar, essa Sakura ficou no passado. — o mais velho abriu um sorriso malicioso e tomou a liberdade de sentar-se aos pés da rosada. 


— Sakura, eu não devia, mas serei sincero com você, — e sinceridade era uma das coisas que ela estava aprendendo a amar. — Eu não ligo se você gosta ou não de mim, na verdade, eu nem ligo se você quiser se divorciar depois, só quero casar e poder assumir a presidência da empresa do meu pai. 


— Você pode se casar com outra pessoa então! 


— Mas ai meu pai não fechará negócio com o seu. — a jogada de Deidara parecia clara para a Haruno. — Veja, será bom para ambos os lados, você poderá fazer o que quiser com o dinheiro do seu pai. 


— Eu não quero o dinheiro dele! — ela gritou raivosa. — Quero que você vá pro inferno! Sai do meu quarto agora! 


O loiro ergueu as duas mãos em sinal de paz e se levantou com calma. Kakashi pôde ouvir os gritos do quarto ao lado e não demorou em chegar até a rosada. 


— Posso saber o que está acontecendo aqui? — o Hatake manteve o semblante passivo enquanto encarava a situação. 


— Kakashi? Então você realmente virou o professor dela para ganhar a vida? — o questionamento de Deidara fez Sakura tentar entender de onde eles se conheciam. — Quando Hizashi me disse eu quase não acreditei.


— Não existe nada de errado em tentar ganhar a vida de forma honesta. — o prateado rebateu ainda calmo. — E pelo que parece ela não gostou muito da sua companhia. 


— Mesmo por baixo continua igualzinho, patético. — ao que parecia eles se conheciam bem, restava entender como. — Eu vou, pense na minha proposta com carinho, meu amor. 


Ver o loiro acenar embrulhou o estômago da Haruno e a sensação ruim só passou depois que ele fechou a porta atrás de si. Ela imaginava que Deidara fosse ruim, mas não sabia que pudesse chegar a tal ponto, não dessa maneira. 


— Não quero me casar com ele… — seus olhos se encheram de lágrimas. 


— Você não vai se casar com ele. — foi a vez de Kakashi reforçar as próprias palavras. — Vai ficar tudo bem, confia em mim.


Hizashi havia avisado Kakashi que existiam formas de fazer Sakura o obedecer e uma delas era lhe tirar todo o dinheiro que ela recebia. Era dessa maneira que o velho a forçava fazer suas vontades, entretando, casá-la contra vontade era uma atitude séria demais para o Hatake compartilhar. 


— Reservei passagens para voltarmos para Konoha, você vai ficar na minha casa até seu pai desistir dessa ideia. — ele explicou olhando-a nos olhos. 


— Na sua casa? — talvez fosse uma das atitudes mais malucas que fosse tomar, mas era necessário. 


[…]


A casa do Hatake era tudo que Sakura não tinha imaginado. Quando a explicou que tinha perdido tudo ela realmente achou que era tudo. Mas Kakashi era esperto demais para entregar todo seu esforço para quem não merecia. 


A sala ampla a fez se sentir em casa, era como embarcar numa nova aventura, fora da sua realidade, mas sem tirar a verdade da experiência. Era difícil dizer como se sentia, só sabia dizer que era bom.


— Salário de professor, não é? — ela riu enquanto olhava as relíquias em pinturas que o mais velho possuía. — Como foi que você e Deidara se conheceram? 


— Cortesia do meu melhor amigo. — Obito era o único que podia fazer o Hatake se aproximar de pessoas como Hizashi e Deidara. — Inclusive, foi para um dos amigos do seu noivo que ele perdeu aquela aposta. 


— Ele não é meu noivo! — a rosada mostrou os dentes manifestando raiva. — Não foi com ele que fui pra cama há algumas horas. 


— E você se orgulha disso? — por mais que quisesse evitar esse assunto, Kakashi sabia que ele viria a tona a qualquer momento. Ele e Sakura havia construído uma pequena amizade que os deixava livres para falar de tudo.


— Não me arrependo do que fiz, se é isso que quer saber. — ela molhou os lábios afastando a vergonha. — Eu gostei muito e … 


O dedo indicador do professor indicou silêncio obrigando-a se calar. 


— Não é uma boa ideia falar disso, — ele ressaltou mantendo a seriedade. — não vai se repetir. 


Sakura conhecia a estranha mania que o professor tinha de fugir das coisas que o faziam bem, e sabendo disso resolveu não dar brecha para uma possível fuga. Atirou-se aos braços do mais velho enlaçando-o com suas pernas e sem cerimônia tomou seus lábios para ela. 


Toda a resistência de Kakashi desceu pelo ralo. Sentou-se no sofá com ela em seu colo e fez valer sua vontade, estava sedento por aquilo, segurar-se estava sendo a tarefa mais difícil que já fizera. Suas mãos se livraram com facilidade da saia e da camisa dela, era como se o tesão aumentasse conforme a situação ficava pior para eles.  


— Eu pensei que você não quisesse… — ela desdenhou entre as carícias. 


— A verdade é que toda essa negação é só da boca pra fora, — ele admitiu, parou por um instante para eternizar o efeito que seus olhos tinham sobre ela. — eu nego que te quero para tentar entender o porquê te quero tanto, e no fim das contas eu já sei a resposta.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...