1. Spirit Fanfics >
  2. Mistakes - Seongjoong >
  3. Ameaças

História Mistakes - Seongjoong - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, por favor leiam as notas finais, é importante.

Batemos 500 views, vocês são incríveis 🥺✊

Boa leitura ~

Capítulo 9 - Ameaças


Fanfic / Fanfiction Mistakes - Seongjoong - Capítulo 9 - Ameaças

Hongjoong's vision — 2021.03.17 — 00:37 A.M 

Cogitei ligar para Yunho, não estava querendo passar a noite confinado com alguém que acabou de terminar um relacionamento, ainda mais que eu não estava muito de bom humor para aturar o Park. Mas eu estava tão cansado que preferi apenas cair na minha cama e fechar os olhos para dormir, mas o mundo me ama muito - sinta a ironia - e quem disse que eu conseguia dormir? Rolei para um lado, rolei para o outro, aquela cama parecia tão desconfortável naquele momento que apesar de esta com muito sono eu não conseguia dormir. Talvez a minha curiosidade e a vontade de acolher o Park para ajudá-lo a superar o seu término? Força do hábito sabe... 

Antes que eu gritasse de raiva comigo mesmo decidi me levantar e me sentar em minha cama olhando para o mais velho que se mantinha inexpressível olhando para o teto, estava frio, mas ele nem estava coberto, usava apenas vestes normais, uma camisa manga longa e uma calça moletom. Por conhecer esse idiota tão bem eu sei que ele está sofrendo, mesmo sendo ele a terminar o relacionamento dele ele ainda deveria amar ou pelo menos ainda ter um pouco de afeto pela garota. 

— Quer conversar ou vai ficar olhando para o teto sofrendo calado? — Perguntei direto cruzando os braços e o maior riu anasalado, um riso triste descomunal vindo dele. 

— Eu que terminei não tenho o direito de sofrer por ela. — Sua voz era tão tristonha, aquilo me incomodou muito, mas reprimi aquele sentimento. 

— Não tem o direito, mas está sofrendo, quer reatar? — Me enrolei no cobertor quentinho o passando por minhas costas cobrindo minha cabeça. 

— Não... quer dizer, não sei. — Hesitou antes de responder suspirando frustrado após sua fala.

— Se não queria terminar por que terminou? — Bocejei encostando minhas costas na parede fria.

— Eu precisava terminar, eu não a amava, mas eu ainda gosto muito dela... não sei se isso fez sentido, me desculpe. — Passou as mãos por sua face as colocando atrás de sua cabeça. — Eu não sentia o mesmo que ela, e eu não estava mais feliz naquele relacionamento que desde o início já estava fadado ao fracasso.

— Por que diz isso? 

— Não o conheço o suficiente para lhe contar esse tipo de coisa. — Ele se virou com olhos tristonhos, aquilo não era brincadeira, ele estava super sério. Realmente eu deveria ter ficado quieto. 

— Hm, okay. — Me levantei com o propósito de ir ao banheiro. 

— Não ficou bravo por-

— Eu não estou bravo Park, é a sua vida, eu não tenho que me meter. — O cortei retornando a andar para dentro do outro cômodo.  

Uma das minhas maiores frustrações com o Seonghwa era saber que jamais seríamos próximos da mesma forma que éramos quando crianças, mas eu também espero que a gente não se odeie da mesma forma que era no ensino médio. Nunca mais quero reviver aqueles dias de sofrimento e humilhação novamente, apenas desejos que aquelas lembranças desapareçam, já que as marcas eu sei que nunca irão sumir. Olhei fixamente para minha cicatriz no braço puxando a manga do meu moletom para cobri-la novamente.

Com ele novamente, mesmo que indiretamente, entrando na minha vida novamente, apenas desejo que ele tenha mudado, não sei o que aconteceu com ele nos últimos anos, mas agora ele se parece mais com o verdadeiro Seonghwa que um dia conheci do que com aquele monstro.

Saí do banheiro balançando a cabeça, eu não teria aula de manhã no dia seguinte então queria aproveitar minha noite para dormir. 

.。゚ ..。 🌻 ゚ ..。*゚

Acordei com o barulho do meu celular tocando, já queria esganar a pessoa, minha mãe eu sabia que não era por causa do toque, só poderia ser um dos meninos. Levantei-me pegando o celular na mesa de cabeceira, eram apenas oito horas da manhã, olhei pelo número e era um não identificado.

Ligação on 

Me — Alô? 

Unknown — Olá filho. — Arrepiei só de escutar aquela voz e meu estômago revirou-se de nojo, por instinto e costume depois de ouvir tantos advogados e professores me avisarem cliquei para gravar o áudio daquela chamada.

Me — Apenas diga o que quer. — Endureci meu tom me sentando na cama, Seonghwa resmungou se virando para o outro lado, aparentemente ele também não tinha aula pela manhã. 

Unknown — Mas para que a grosseria com seu pai? — Ri sarcástico com sua fala.

Me — Quantas vezes eu vou ter que repetir que você não é mais nada pra mim? — Me levantei contragosto e entrei no banheiro para não fazer muito barulho.

Unknown — Vai negar seu sangue? 

Me — Vou. Agora fale logo o que quer! — Segurei meu tom firme sem vacilar.

Unknown — Apenas avisar que saí hoje da penitenciária. 

Me — E o que eu tenho haver com isso? — Fechei meu punho socando a pedra da pia sentindo minha pele arder pelo golpe

Unknown — Não se lembra mais Joong? — riu maldoso — Que feio esquecer as últimas palavras de seu pai que não vê há quase quatro anos. 

Me — Sinto muito caro Kim, é que o senhor deixou de existir há mais de quatro anos para mim. — Respondi seco revirando os olhos. 

Unknown — Ah, mas eu estou bem vivo Kim Hongjoong, e saiba que em breve você talvez não, e seu amiguinho, como se chama mesmo? Ah, Jung Wooyoung, também deveria ficar de olho por onde anda. — gargalhou de forma medonha.

Me — Você não vai encostar um dedo em mim, muito menos ele. — Respondi enfurecido com aquelas palavras ácidas me remoendo por dentro.  

Unknown — Quem lhe garante? Só digo para tomar cuidado, irei eliminar todos aqueles que você ama peste, tu acabou com a minha vida e por que eu não posso fazer o mesmo? — continuou com sua risada até que a linha fora cortada, ele havia desligado.

Ligação off

Fiquei assustado com aquela ameaça, sabia que ele era capaz, se já foi capaz de quase me matar uma vez ele também seria capaz de tentar novamente. Mas agora com ele ameaçando uma pessoa inocente como o Wooyoung me dava medo, ele era capaz de executar suas falas caso realmente quisesse, e isso não poderia acontecer de forma alguma. Não posso deixar ele machucar ninguém que eu amo, nem meus amigos e muito menos minha família.

Pensando no que eu deveria fazer, lembrei-me da fala do policial Jung na última vez que estive lá, e como futuro advogado, a decisão certa era enviar essa gravação para a polícia e entrar com um processo criminal, e é isso o que irei fazer e agora mesmo.

Saí do banheiro já retirando minha roupa no caminho, Seonghwa estava dormindo mesmo fora que ele também já havia me visto sem roupas mesmo, não é como se ele nunca tivesse visto um pau na vida. Vesti uma camisa preta e coloquei uma calça jeans de lavagem clara, peguei um casaco quentinho para me aquecer e o tênis eu colocaria na hora de sair.

Peguei meu celular enviando mensagem para o detetive Jung e para a advogada Kim, ambos acompanham o caso desde o princípio e saberiam como me ajudar. Me sentei na minha escrivaninha passando o áudio original para um pen drive salvando cópias em meu celular, aquele áudio não podia ser apagado de nenhuma forma. 

— Estou morando com um estudante de moda e não sabia? — Seonghwa pergunta em meio a um bocejo. 

— Tenho que sair. — Retirei o pen drive do computador guardando no bolso de meu casaco fechando o notebook em seguida. 

— E isso envolve um desfile de moda? — Levantou uma de suas sobrancelhas em tom de deboche e revirei os olhos.

— Preciso ir, tenho assuntos mais importantes para resolver. — Falei rápido pegando as chaves do carro que não era meu, mas minha mãe tinha deixado eu usar.

— Me desculpe por ter sido grosso com você ontem. — Meus pés travaram no mesmo lugar e me virei uma última vez antes de sair. 

— Eu já sou acostumado, você nunca foi alguém fácil de lidar. — Respondi fechando a porta andando para o estacionamento. 


.。゚ ..。 🌻 ゚ ..。*゚  


Wooyoung's vision — 2021.03.17 — 08:56 A.M


Abracei o corpo molinho de San o trazendo para mais perto acariciando seus fios aproveitando ao máximo aquele momento com meu namorado. O mesmo se virou resmungando de dor, mas fez questão de levantar os olhos para olhar para mim, fiz carinho em sua bochecha e ele fechou os olhos por alguns segundos quase ronronando, era um gatinho mesmo. 

— Ainda dói? — Perguntei recebendo um tapa do mais velho, apenas ri. 

— Claro, você quase me rasga no meio ontem. — Murmurou fazendo bico. 

— E não foi o senhor que me pediu para ir mais fundo? — Ri ainda mais e o mesmo abaixa o olhar cabisbaixo. — Tudo bem, tudo bem, me desculpe, serei mais gentil na próxima. — Beijei sua testa o acolhendo mais com meus braços. 

— Wongie, como você conheceu o Yeosang? — Perguntou curioso passando seus dedos em meu braço desnudo.

— Ontem, esbarrei com o loirinho e ele derramou a bebida dele toda na própria camisa, ele queria ir embora daquela forma mesmo, mas eu lhe gritei para que deixasse eu me retratar.

— Isso foi onde? 

— No meio do refeitório. 

— Woo! — Deu um tapa em meu braço. — O Yeo é tímido pra caramba, tadinho. 

— Tímido?! — Quase gritei sendo repreendido novamente. — Não pareceu ser tímido quando tirou do nada um bloco de notas anotando o próprio número de telefone e me entregou antes de ir embora quase desfilando. — Ri relembrando da cena e San me olha abismado.

— Yeosang? Kang Yeosang? Tem certeza? — Afirmei confuso. — Finalmente ele conseguiu vencer a timidez... — Sorriu bobo e não pude evitar de ficar enciumado, mas algo em meu coração se acendeu. 

— A gente se conhece desde o ensino fundamental, mas nunca tinha ouvido falar do Yeosang. Onde o conheceu mesmo? 

— Na viagem que fiz ao Canadá, ele era namorado do meu vizinho. Quando o conheci ele nem falava direito, mas com esforço nos viramos amigos, no ano seguinte ele veio morar novamente na Coréia por causa do namorado que também veio. 

Ele tem namorado? Mas não vi nenhum anel em sua mão, e ele parecia meio desconfortável com algo, será que tinham brigado? 

— É uma pena que eles tenham terminado. 

— Como? — a sensação de uma felicidade repentina correu por minhas veias mesmo sabendo que não deveria pois aquilo era uma situação horrível de se viver.

— Eles terminaram antes de ontem se eu não me engano, ele é tímido e ainda está tendo que lidar com o término de um namoro de quase três anos... Me senti mal por ele. — Disse brincando com meus dedos. 

Yeosang... não entendo que sensação é essa que sinto quando escuto esse nome, mas o conheço há menos de vinte e quatro horas. Olhei para a muda de roupa que estava em cima da mesa e suspirei, a lavanderia é longe daqui - pelo menos uma que preste ou que não esteja lotada por causa dos estudantes. 

— Amor, o que foi? — Enrolou uma mecha de meus cabelos em seus dedos e fechei os olhos apreciando de seu toque singelo e amoroso.

— Tenho que levar a roupa do Yeosang na lavanderia. — Abri meus olhos curvando o canto de meus lábios, com as batidas do coração aceleradas, me sentia uma pessoa tão feliz de estar ao lado dele, deslizei meus dedos por sua bochecha encaixando em sua covinha. O maior me rodeou com seus braços me prendendo contra o colchão ficando com o corpo por cima do meu e sua cabeça encostada em meu peito. 

— Mas você pode fazer isso depois. — Choramingou. San estava muito carente esses últimos dias que até comecei a achar que estivesse grávido mesmo não sendo possível, ele nunca foi muito de querer ficar por baixo, mas ontem ele praticamente implorou para ser submisso, e isso estava me causando muita estranheza. 

— Você está muito carente esses dias, aconteceu alguma coisa que eu não tenha ficado sabendo? — Fiz carinho em suas costas vendo seus pelinhos se eriçarem. 

— Só estou estressado Woo, não quero falar sobre isso. — Respondeu baixinho quase inaudível, levantou seu rosto e seus olhos desanimados se encontraram aos meus e me preocupei, algo estava errado e ele não queria me contar, eu tinha certeza que isso devia envolver uma certa pessoa com sobrenome Park. Havia algo de muito errado acontecendo por baixo de meu nariz, e eu iria descobrir o que era. 

Meu telefone começou a tocar e San alcançou o celular na mesa de cabeceira me entregando, era o Hongjoong hyung. 

Ligação on

Me — Alô? 

Blueberry — Tem como você vir a delegacia agora? — Arregalei os olhos com aquela pergunta tão repentina. 

Me — Bom dia hyung, eu estou bem, obrigado por perguntar. — Ironizei já imaginando os problemas que estariam por vir. 

Blueberry — É sério Woo, preciso de você aqui, o San também serviria, mas ele não atende o celular. — Lembrei de San reclamando ontem que sua bateria havia acabado e depois a gente transou então não deu tempo de colocá-lo na tomada. 

Me — Como diabos você foi parar ai? — Me sentei na cama me encostando na parede com San descansando sua cabeça em meu colo. 

Blueberry — De carro. — Revirei os olhos. 

Me — Motivos hyung, motivos! — Elevei meu tom e San segurou minha mão livre me repreendendo com seus olhos. 

Blueberry — Não dá para falar por telefone, apenas venha logo aqui.

Me — Está bem, está bem! Eu tô indo hyung. — Me levantei indo até o armário abrindo a gaveta de madeira pegando uma cueca preta a vestindo.

Blueberry — Estarei te esperando aqui.

Ligação off

Larguei o celular na cama para terminar de me vestir colocando uma calça jeans - a primeira calça que eu vi na verdade - enquanto San me fitava completamente confuso. O de mechas claras se ajoelhou ainda na cama vindo até a beirada engatinhando.

— O que o Hongjoong queria? — Puxou a coberta com seus longos braços para cobrir suas costas despidas.

— Ele está na delegacia. — Vesti uma camiseta de San vendo o recém citado balançar a cabeça.

— Ele foi visitar meu sogro por mim? — Riu soprano. — Mas afinal ele foi fazer o que lá? — Entrei no banheiro para escovar meus dentes e lavar meu rosto.

— Não sei, o ele não quis dizer.

— Amor, tome um banho primeiro. — Riu até que realmente noto meu estado, o cheiro de sexo ainda era presente naquele quarto e estava empreguinado em minha pele, o cheiro do Choi vinha incluso e dele eu não queria me livrar. Infelizmente ele tinha razão.

— Quer vir comigo? — Me olhou sofrêngo e entendi sua resposta. — Não se esqueça de tomar banho mais tarde, temos aula a tarde. — Fechei a porta deixando-a destrancada caso ele mudasse de ideia e retirei a roupa na velocidade da luz para tomar um banho rápido.


.。゚ ..。 🌻 ゚ ..。*゚


Cheguei na frente da delegacia e Hongjoong me aguardava de braços cruzados, fui até ele verificando se estava tudo bem fisicamente, a única coisa que me preocupei foi com seu semblante atordoado. Dei uma batidinha em seu ombro na intenção de chamar sua atenção para entrarmos.

— Vai me explicar o que está acontecendo ou vou precisar convocar uma reunião com vossa senhoria? — Debochei tentando amenizar aquele clima ruim que pesava em meus ombros.

Ele apenas balançou a cabeça em negação curvando bem levemente o canto de seus lábios, me calei indo até a mesa onde havia um policial de costas. Apenas por aquela jaqueta preta eu já reconhecia aquele ser, Jung Jaehyun, detetive da vara criminal de Seul - não me pergunte a delegacia que eu não me lembro. ‐ e além de policial, era meu pai.

Coloquei minha mão em seu ombro sorrindo para o mais velho, não era legal nos encontrarmos em seu local de trabalho até porquê eu só venho aqui caso eu tenha problemas, mas eu estava com saudades pois não o via desde o ano passado, já que nas minhas férias de fim de ano eu passei com a família de San.

— Agora que chegou podemos conversar direito.

— Bom dia papai, também senti saudades. — Respondi sarcástico puxando uma das cadeiras para me sentar.

— Se estar com saudades visite seus pais, Taeyong sente sua falta e ficou triste por você não ter participado do natal. — Abriu uma pasta retirando um papel de lá colocando-o sobre a mesa. — Mas deixando questões familiares para depois poderia me explicar direito o que aconteceu?

— Também aceito ouvir, já que era tão importante que não poderia me dizer por telefone e ter que me fazer vir correndo. — Descansei minhas mãos em meu colo esperando a resposta de Hongjoong que ainda estava pertubado.

— O meu pai saiu da penitenciária, e ameaçou a gente de morte. — Apontou para si e para mim. — Ele me ligou hoje de manhã e... — Respirou fundo retirando o celular do bolso. — Esse áudio vai explicar melhor do que eu. — Deixou o celular na mesa com um áudio aberto, o mais velho clicou no play se aproximando para ouvirmos juntos.

Senti meu interior se revirar completamente no final daquele áudio. 


.。゚ ..。 🌻 ゚ ..。*゚


Hongjoong's vision


Depois de fazer um boletim de ocorrência e ouvir todas as medidas de proteção que deveríamos executar nas próximas semanas - meses talvez - retornamos para a faculdade, enquanto Wooyoung foi encontrar uma lavanderia para lavar as roupas do menino que ele esbarrou ontem - muito bonito o jovem por sinal - e eu fui para o dormitório.

Seonghwa estava largado na cama com o notebook no colo digitando algo, adentrei o quarto jogando meu casaco na cadeira e me jogando na cama, estava com sono, mas acho que não daria para cair no sono antes do almoço, minha aula era uma hora em ponto.

— Podemos conversar? — Graças à aquela frase já desanimei com o sono imaginando uma longa conversa, era sempre assim.

— Pode começar. — Ele me olhou confuso e correspondi entediado. — Fale o que precisa falar, aproveite que estou querendo ouvir. — Eu não queria mais lembrar do acontecimento de mais cedo, seria melhor escutá-lo, e ajudá-lo talvez.

Mesmo depois de tantos anos eu continuo sendo um idiota por esse babaca, entre ignorá-lo e conversar com ele prefiro a segunda opção, entre ajudá-lo e deixar ele decidir por conta própria eu prefiro a primeira opção. Mesmo depois de toda aquela merda que aconteceu durante o ensino médio. Eu creio que ele tenha mudado, espero muito isso, mas ainda não consigo entender uma coisa, por que ele se apresentou no primeiro dia? Por que há tantas coisas que parecem simplesmente terem sumido da memória dele?

Havia algo de errado com Park Seonghwa, e eu iria descobrir o que era.

•°•°•°•°•°•

Dream talk

Com palavras duras
Facilmente você deixa cicatrizes em meu coração
Sem pedir desculpas de novo
Eu estou me confortando
Sempre nervoso
Com medo de você me deixar
Eu só quero que você fique

Seu rosto inexpressivo, tentando me ignorar
Eu sussurro no espelho: Isso vai passar
Você não me valoriza
Mas você é assim
E mesmo assim fique, fique, fique comigo

— Stay (Blackpink)


Notas Finais


To surtando muito com essas fotos concept do comeback deles, tá muito lindo.😔✊

!! Agora falando sério: !!
Em respeito à minha saúde mental, e principalmente à vocês, eu não irei trazer capítulo amanhã.
Eu estou tendo que escrever os capítulos de Mistakes de madrugada porquê de dia é insuportável tentar escrever algo por causa do barulho daqui de casa, e por tentar sempre escrever de madrugada ou pela parte tarde da noite isso está me desgastando muito.
Os últimos três capítulos postados eu não gostei, mas eu não iria apagar, então pensei em escrever algo que eu gostasse e trazer aqui para vocês, mas meu desgaste não permitiu.
E por isso eu estarei adiando o capítulo que iria sair amanhã para TALVEZ domingo ou segunda, não sei, mas eu preciso tirar um dia para mim.
Prometo recompensar vocês furamente com um especial e com um capítulo grande, mas para isso acontecer eu preciso dar uma pausa agora. Espero que compreendam.

Abraços — Byeol 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...