História My Angel - Capítulo 24


Escrita por: ~ e ~idksuckers

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Cher Lloyd, Cody Simpson, Dylan O'Brien, Francisco Lachowski, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Dylan O'Brien, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Drama, Escola, Família, Festa, Luta, Novela, Romance, Shoujo Romântico, Violencia
Visualizações 667
Palavras 2.771
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyy, espero que gostem!
NÃO SE ESQUEÇAM DE DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS!! **VEJAM AS NOTAS FINAIS!**
BEIJOS^-^

Capítulo 24 - Caitlin Beadles


Fanfic / Fanfiction My Angel - Capítulo 24 - Caitlin Beadles

Emma’s Pov On

Fazia 2 semanas desde meu acidente, tudo andava perfeito mas havia sempre aquela dúvida sobre o rapaz do hospital, não via ele desde esse dia o que me estava deixando cada vez mais curiosa. Tentei perguntar pros meninos mas nenhum me queria dizer sempre falando que isso teria que sua iniciativa pra me explicar.

 Mary, Chaz e Chris estavam em minha casa enquanto eu fui buscar alguns bolinhos pros gordos comerem, entrei numa lanchonete bem bonita por sinal e fiquei esperando meu pedido quando sinto um leve toque em meu braço que me fez desviar meu olhar.

- Oi!- um rapaz bem bonito por sinal, respirei fundo tentando não ficar muito vermelha.

- Oi?- perguntei um pouco confusa por conta da sua abordagem.

- Deve se tar perguntando “ Porque um idiota ta falando pra mim se nem me conhece?” bem eu gosto de correr meus riscos e te vi de lá da mesa e decidi vir falar consigo.- seus sorriso, meu deus queria estar morta.- Aceita sentar comigo?

- Bem... é sabe.. eu tenho que ir, meus amigos tão me esperando.- disse sorrindo de volta, eu tou achando que tava mais vermelha que um pimentão, meu deus que vergonha.

- Juro que não vou tirar muito do seu tempo.- o mesmo disse pegando meu pedido e levando pra mesa, folgado hein?!

- Tudo bem, só um pouquinho.

- Bem, você é daqui? Nunca a vi por aqui?- porra pro garota não parava de sorrir e eu tava querendo me enconder num buraco viu?! Mas seu sorriso não me parecia estranho.

- Sou, vivo lá no outro quarteirão. – disse apontando pro mesmo.

- Hm, pra ser sincero eu achei você muito gata e tava ganhando coragem pra pegar seu número. – disse enquanto esfregava sua mão no cabelo, eu não tava nem sabendo como respirar.

- É... eu não sei.- disse cada vez mais envergonhada.

- Fazemos assim você confia em mim e me dá seu número e eu te ligo pra depois combinar algo consigo, tabom?- tornou a sorrir e eu tornei a parecer um pimentão, ainda faz pouco tempo que sai do hospital e este garoto me quer meter lá de novo meu deus. – Não aceito não como resposta!

- Tudo bem, vou confiar.- sorri de volta lhe dando o meu número e pegando minhas coisas me dirigindo á porta.

- Depois eu mando mensagem pra você.- disse me abraçando e depositando um beijo em minha bochecha.

- Até. Fico esperando.- disse sorrindo, e sai depressa (lê-se correndo pra ele não ver o quanto eu tava vermelha.)

Eu juro que sua cara não me era estranha só não tó vendo quem ele era, deve ser só idiotice minha, deixa pra lá.

- ALELUIA TAVA MORRENDO DE FOME AQUI!- disse Chaz, babaca como sempre.

- Cala boca, você vai encher minha cozinha, pois sempre que vem aqui come tudo.- disse pousando os bolinhos que foram devorados por todos.

Ficamos vendo alguns filmes e rindo quando Chaz e Chris começavam brigando um com outro por conta de comida. Mas havia algo que não me saia da cabeça, sim se você tá pensando no rapaz do hospital tá certo. Eu nunca cheguei perguntando seu nome, apenas era o rapaz do hospital. Mary e Chaz tinham adormecido no sofá então decidi aproveitar e tirar minhas dúvidas.

- Chris?- o mesmo me encarou.

- Hm?

- Me diga uma coisa... eu sei que você não vai falar pra mim quem ele é, mas me pode dizer seu nome?- perguntei encarando meus pés.

- Emma.- disse revirando seus olhos.

- Emma nada, por favor Chris.- disse fazendo beiço.

- Para com essa merda, isso é jogo baixo.- disse autoritário.

- Por favor.Por favorzinho. Eu te amo daqui até á lua seu pónei louco.- ri com a minhas últimas palavras.

- Pónei louco? Que coisa gay emma.- continuei fazendo beiço até ele ceder.- TABOM PORRA! Eu digo pra você o nome dele.- comecei aos pulinhos.- Ele se chama Jacinto.- disse tentando não se rir.

- Tou falando sério. Idiota.- disse dando um tapa leve em seu braço.

- Ai porra, tabom tabom eu digo. Justin Bieber.- No momento que seu nome foi dito uma memória passou por minha cabeça.

Justin, seu nome era Justin Bieber, o rapaz do hospital, aquela mémoria de eu rindo enquanto esse rapaz brincava comigo no que parecia ser um lago. Quem era ele, e como eu o conhecia, eu precisava saber tudo. Eu precisava falar com ele e isso não passaria de hoje. Eu não podia esperar mais pra ter as respostas a todas minhas perguntas.

- Emma? EMMA PORRA!- disse Chris estalando os dedos na minha cara.

- CARALHO! Não precisa gritar viu?

- Você tava viajando.- disse encolhendo seus ombros.

- Chris?- perguntei receosa.

- Porra você chata mesmo. – disse revirando seus olhos, isso pega nas pessoas? Pensei que era só eu.

- Cala a boca idiota.- disse e ele se riu.- Posso só te pedir um favorzinho bem pequenino assim.- disse mostrando a medida imaginária com minhas mãos.

- Fala.- disse bufando.

- Ligapraeleperguntandoseeletáemcasaemelevaláporfavorzinho.- disse tudo muito rápido por conta da vergonha.

- O QUE? Emma fala como uma pessoa normal por favor.- disse confuso.

- Ok. Liga pra ele perguntando se ele tá em casa e me leva lá por favorzinho.

- Como é?!

- Chris.- disse fazendo cara triste, o mesmo revirou seus olhos e pegou seu celular.- Mas não diga que sou eu perguntando, finge que é você que quer saber.- o mesmo bufou e eu ri com isso, esperei ele terminar a chamada.

- Ele tá em casa.- disse sério.- Posso saber o que você vai fazer?

- Noe.

- Já sei, não é da minha conta.- disse irritado.

- Tá ficando esperto viu!- disse rindo.- Agora me leva pónei louco.

- Anda antes que eu mude de ideias.- corri para a porta sem olhar para trás e fui em direção ao carro.

- Não vai avisar pra eles que vamos sair?

- Não precisa, do jeito que eles são vai ficar dormindo aí até amanhã de manhã.- Chris assentiu e logo deu partida. Fiquei encarando a rua pensando como ia perguntar pra ele, e quais seriam suas respostas, o que ele era pra mim antes de tudo isto acontecer.

--Me diz o que você ta pensando. – disse me tirando dos meus pensamentos.

—Nada. — disse encolhendo meus ombros.

—Eu te conheço. — disse chris me olhando. É, ele me conhece bem, bem demais até.- Me fala ou volta pra casa.

—Me parece que quem tá fazendo jogo baixo agora é você. — disse revirando meus olhos.

—Fala. — disse sem tirar seus olhos da estrada.

— Eu apenas quero saber Chris. — suspirei. — Eu só quero saber o que ele era pra mim.

Chris ficou em silêncio durante toda a viagem e eu fiz o mesmo. Chegamos no que parecia ser a casa dele e mais memórias me vieram na cabeça, cenas pequenas em que eu discutia com ele. O que tá acontecendo, eu não entendo.

— Emma tá tudo bem? — perguntou chris ao perceber que fiquei um pouco sentida.

—Tá, só uma dor na cabeça. Chegamos?

— Sim, vou dizer pro segurança te deixar entrar e te abrir a porra. — disse saindo do carro, fiz o mesmo.

—Obrigada. — disse o abraçando forte.

—Já sabe que sempre que precisar eu tô aqui. — disse sorrindo e me depositando um beijo na cara.

Suspirei e logo segui o segurança que me acompanhava por aquela enorme mansão, me abriu a porta e eu estava por minha conta. A cada passo que dava pequenos flashbacks me vinham na cabeça, fui subindo as escadas e chegando num corredor enorme. Suspirei de novo por conta dos nervos e fui olhando em todos os quartos que se encontravam vazios, só restava uma porta fechada, presumi que ele estivesse ai. Bati na porta e ouvi sua voz soar do outro lado.

--JÁ FALEI QUE NÃO QUERO FALAR PRA NINGUÉM!- ganhei coragem e abri a porta.

—Nem comigo? — o mesmo levantou seu olhar e ficou me encarando surpreso.

Sua cara estava completamente inchada, seus olhos vermelhos, parecia que ele não cuidava mais de si. Mas porque ele tava desse jeito?

—Como...mas eu n... emma? — disse se levantando.

—É desculpa entrar assim em sua casa. — disse desviando meu olhar.

—O que você tá fazendo aqui? — disse ficando em minha frente.

—Eu preciso saber. — disse olhando em seus olhos, eles me prendiam do mesmo jeito que fizeram no hospital, e isso me fazia crer mais que eu o conhecia e que todos as memórias que vieram á minha cabeça eram reais.

—Emma você fica melhor sem saber. — disse encarando o chão, cheguei mais perto dele por impulso e puxei levemente sua cabeça pra cima o fazendo me olhar.

—Eu quero saber. — o mesmo suspirou.

—Ok. Me segue. — o mesmo pegou minha mão e senti um frio subir minha espinha e meu corpo arrepiar.

Me levou pelo corredor até chegar num quarto, cada vez mais flashbacks vinham em minha cabeça, o que estava me confundindo cada vez mais. O mesmo fez sinal pra eu me sentar na cama e puxou uma cadeira se sentando na minha frente.

—Meu nome é Justin. Nós nos conhecemos numa boate quando você entornou sua bebida por cima de mim que fez eu ficar puto da vida. Pensei que seria a última vez que iria ver você mas descobri que você era amiga de Chris e Chaz. Colocando isto de forma mais fácil entender. Eu vivo picando você e fudendo com sua vida, sempre magoando você pois não consigo me exprimir do jeito que devia, você foi parar no pior local pra se apaixonar. Ficamos nos odiando mas ao mesmo tempo não aguentamos ficar um sem o outro. Você é a rapariga doce e eu o mostro. — todas suas palavras me atingiam como se me estivessem torturando, senti uma lágrima escorrer em meu rosto e logo a limpei.- Você teve o acidente depois de uma discussão comigo e saiu correndo, o que fez aquele carro bater em você.- todas as memórias me vieram na cabeça e tudo fazia sentido. Justin. O meu Justin. — Emma eu... — cheguei mais perto e limpei sua lágrima o que fez ele me olhar, dei um leve sorriso.- Me desculpa, me desculpa eu não sei como expressar esta porra de sentimentos. — Justin tinha suas mãos na cabeça onde escondia suas lágrimas que agora caiam sem parar.

Tirei suas mãos o cheguei mais pra mim o abraçando. Ficamos assim por um tempo. Eu estava magoada, mas ao mesmo tempo feliz por lembrar dele. Ele podia ser a pessoa mais errada deste mundo, mas pra mim era certo. Eu lembrava de toda vez que tivemos juntos e ele me fazia rir e me fazia sentir bem, mas por outro lado também me fazia sentir triste deixando um vazio em mim. Eu estava confusa mas sabia que estava fazendo o correto, e só isso interessava agora.

—Não tinha como você saber que aquele carro iria passar. — disse me soltando dele colocando minhas mãos em sua cara deixando apenas uma mera distância entre nós.

— Me perdoa. — disse me olhando.

—Não tem nada pra perdoar. -disse sorrindo e depositando um beijo em sua bochecha, o mesmo me olhou e começou se juntando mais a mim até não haver quase distância entre nós.

Meu coração parecia que ia saltar fora, minha respiração estava descompassada e nossa respiração se cruzava, senti seus lábios nos meus, eu poderia até não lembrar de nada, mas agora sabia que nunca tinha esquecido seu beijo. Seu beijo fazia meu estômago revirar, minhas pernas falhar e meu mundo desabar. Seu beijo tinha saudade e desejo e eu retribuía do mesmo jeito.

Eu nunca me iria esquecer do seu beijo. Nunca ninguém me tinha feito sentir assim. Apenas ele, apenas Bieber.

 

Justin’s Pov on

Não sei o que está acontecendo comigo, o que aconteceu ao Justin de antes? Aquele que fodia com todas as garotas que lhe apareciam á frente? Alguma coisa na Emma que mexe comigo e eu não sei explicar mas me deixa louco. Nunca fui garoto ficar preso a alguém deste jeito depois da minha última experiência pois eu deixei de acreditar no amor.

Então vou contar pra vocês, ela se chamava Caitlin Beadles, se você se tá perguntando sim era irmã de Chris, o amor da minha vida (pelo menos era o que eu pensava) a melhor garota que eu conheci em toda a minha vida, eu a amava mais do que me amo a mim mesmo (brincadeira todo mundo sabe que isso é impossível), na época andavamos na escola , eu realmente me tinha apegado , eramos um dos casais mais populares da escola, mas a partir de um tempo passamos a ficar mais distantes. Ela começou se dando com os grupos maus me levando junto. Mas havia um garoto especialmente que eu odiava: Mason , ele era o garoto mais popular da escola tinha todas as garotas de volta dele e se atirava a todas, incluindo Caitlin.

Flashback on

Era dia 14 de Março faziamos dois anos desde que começamos namorando e eu tinha combinado me encontrar com ela em sua casa depois da escola. Tinha comprado um ramo de rosas, as suas favoritas.

Chegando á sua casa ia tocar na campainha mas a porta estava aberta por isso entrei sem me questionar o porque. Estava tudo escuro então fui subindo as escadas mas sempre ouvindo barulhos que pareciam ser gemidos, começei lacrimejando tentando  acreditar que aquela não seria Caitlin mas meu pior pesadelo se tornou real.

Caitlin estava na cama com Mason, sim esse mesmo a pior pessoa com quem ela podia se ter envolvido. Fiquei destroçado, a pessoa que eu amei e dediquei dois anos de minha vida estava me traindo, a pessoa que eu botei toda minha confiança estava com outra pessoa. Depois disso deixei a poeira assentar, sempre tentando evitar Caitlin e Mason que se esfregavam toda vez que eu passava.

Estava na esquina da escola esperando que o Mason saisse para poder pôr em pratica o meu plano, eu iria me vingar. Finalmente a besta saiu e o segui até casa, com a arma que estava em meu bolso, de costas para mim a coloquei em seu pescoço.

—Justin? Que você ta fazendo!? —disse Mason com medo. — Pensa no que você vai fazer!

—Agora você tem medo seu filho da puta? — disse com um sorriso doentio, naquele momento me senti bem vendo ele com medo nos seus olhos.

—Mano me desculpa eu não queria mas você tem uma namorada puta de gostosa.

—Ta pedindo pra morrer né seu corno?— encostei minha arma mais profunda em seu pescoço o fazendo gemer de dor.

—Você está alterado cara calma, eu nem gosto assim tanto dela.— senti meu sangue ferver.

— Mais uma razão pra não ter feito o que fez. Últimas palavras?

Ele ia falar algo mas eu nem dei tempo e apertei o gatilho vendo seu corpo cair na minha frente. Me senti como nunca me tinha sentido, a adrenalina corria em minhas veias e um sorriso brotava em minha cara, foi nesse momento que eu soube o que realmente me faria feliz.

Flashback off

Passei a ser quem sou hoje um cara frio sem piedade e sem remorços de nada nem ninguém, passei a matar todos aqueles que não me respeitavam ou simplesmente porque queria e podia, não liguei a nenhuma garota a não ser pra me satisfazer, deixei de acreditar no amor pois a única pessoa que eu amava de verdade apartir daquele momento seria  minha mãe, pois era a única mulher digna do meu amor.

Caitlin tentou várias vezes falar comigo sem ainda saber que tinha sido eu o culpado da morte de Mason, mas sem sorte.

Todo mundo me procurava mas eu era esperto e saí sem deixar rasto. Nunca mais tive qualquer contato com ela nem pretendo pois sei que se a vir de novo a próxima a sofrer vai ser ela, segundo sei pelo que Chris falou ninguém sabe dela, ela apenas desapareceu como um fantasma.

 

Mas tinha que aparecer Emma e foder com tudo, não sei mas acho que posso estar me apaixonando por ela, nunca pensei vir a dizer isto de novo depois de tudo, mas meu orgulho é tanto que eu não consigo expressar o que sinto e a maneira de me expressar acaba sempre sendo grosso com todo o mundo, mas o melhor de tudo é que eu sei que ela não se lembra de mim e eu vou fazer de tudo para que ela se lembre de novo ou não me chamo Justin Drew Bieber.


Notas Finais


Espero que tenham gostado não se esqueçam de deixar seus comentários! xx

WATTPAD: https://www.wattpad.com/324793469-my-angel-one-more-day-in-hell
TRAILER:https://www.youtube.com/watch?v=FvUe7cpS60Y


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...