História My Pleasure - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baby Boy, Centric!chanyeol, Chanbaek, Daddy, Exo, Romance, Yaoi
Visualizações 528
Palavras 1.227
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia amores meus.

Mais uma delícia de Chanbaek pra vocês ❤

Capítulo 1 - Daddy Park, Baby Byun


Byun Baekhyun era um garoto que eu poderia usar e abusar que ele seria fielmente controlado. Ver aquele garoto franzino todos os dias me servindo café, me fazia imaginar o fodendo em cima da minha mesa, o fazendo usar apenas uma gravata com a qual ele estava acostumado e uma cueca boxer preta nada mais. Eu poderia fode-lo com toda a força que eu tinha no corpo, todos os dias. Aquele moleque me fazia pirar com o seu jeito doce e meigo, sorrindo para mim e logo as imagens dele tocando meu corpo com a delicadeza que ele usava para colocar o café em minha xícara, veio em minha mente. Era só uma oportunidade que faltava, pois, percebia que o desejo partia dele também, porém, a condição de patrão e empregado ainda falava mais alto. Byun sabia que se eu o pegasse de jeito, o faria gritar feito uma cadela no cio, implorando mais e mais, como sou um bom patrão, era claro que atenderia aos desejos do meu funcionário predileto.

A oportunidade faria a ocasião, me daria aquela chance que precisava para ter o garoto de cabelos castanhos que veio a mim a tanto tempo atrás, pedindo emprego. Ele era mais novo naquela época, quieto e tímido, mas seus olhares para mim quando eu precisava trocar a camisa por conta do incômodo do tempo quente me diziam que ele me queria.

Não sentia vergonha alguma por me trocar perto dele, pois, sei que aguçava sua imaginação pelas mordidas que ele dava em sua própria boca.

Então a oportunidade fez o ladrão...

Estava humildemente em minha sala sem aquela maldita camisa que me fazia transpirar como se eu tivesse feito sexo o dia todo quando o pequeno entrou segurando sua bandeja e nela, um belo copo de suco de laranja com gelo para me servir.

O olhei de cima a baixo passando o dedo polegar em meu lábio sorrindo ladino.

— Pode colocar em cima da mesa Byun... obrigado.

O garoto colocou o copo na mesa, se curvando em seguida para sair.

— Não dei permissão para você se retirar.

Ainda com a cabeça abaixada, ele se virou em minha direção se desculpando.

— Me desculpe senhor Park. O senhor precisa de algo mais?

Sua voz saiu falhada e mais baixa que o normal, me levantei caminhando até a frente da minha mesa com as mãos nos bolsos da calça preta de linho. Me encostei na mesa o encarando.

— Quem vê em sua frente Byun?

Ainda com a cabeça baixa, pensando no que responder claro, ele levantou a face lentamente olhando para o meu rosto primeiro, então seu olhar escorregou devagar para o meu tórax trabalhado em muitas sessões de musculação, logo depois se fixou em meu abdômen, me fazendo engolir seco naquele momento passando a língua em meus lábios pelo seu olhar fodendo o meu psicológico, mas eu ainda tinha o controle em minhas mãos.

— Quem você vê Byun? — Perguntei novamente, todavia um pouco mais arrogante, digamos assim. Ele titubeou em dizer dando apenas um passo em minha direção. Eu estava louco para ouvi-lo dizer.    “Vejo o homem que vai me jogar contra a parede arrancando a minha roupa e vai me foder tanto que vou precisar usar uma almofada bem macia para poder me sentar, isso é, se eu conseguir me sentar”.

— Vejo o meu patrão.

Ouvi aquilo, meu sangue ferveu feito vulcão em erupção, arqueei a sobrancelha tirando as mãos dos bolsos e levando elas de encontro com o meu membro por cima da calça. Escutei um arfar saindo de seus lábios naquele momento então sorri. Ele pensava que brincava com a minha sanidade, mas quem o fazia estava ali na sua frente e eu ia conseguir o que tanto queria.

Caminhei em sua direção lentamente, ouvia-se apenas os meus passos e a sua respiração ofegante devido a minha proximidade. Tomei a liberdade de tirar a bandeja de suas mãos suadas, e a coloquei em um canto qualquer da mesa. Tornei a perguntar, dessa vez estava cara a cara com ele, com o seu rosto a altura do meu peito desnudo, além da camisa, também de vergonha na cara que não tinha mesmo.

— Ainda vê o seu patrão?

Percebi ele engolindo a saliva com dificuldade, erguendo a cabeça para me olhar nos olhos, lentamente ele levantou uma das mãos para tocar meu peito mordendo seu lábio inferior e eu sabia que ia realizar a minha fantasia mais íntima. Foder Byun Baekhyun.

Ao me tocar, ele me deu o sinal verde para fazer dele o que quisesse, porque ele queria, estava escrito em seus olhos. O segurei pela camisa logo lhe dando uma bela mordida no pescoço, no qual ficaria bastante tempo marcado. Ele gemeu manhoso arranhando meu peito, desmanchei sua gravata prata, praticamente arrancando a sua camisa branca, arrebentando todos os botões que me impediam de tocar sua pele.

O puxei para o meu colo o sentando sobre a mesa, então o beijei sedento e alvoroçado, quase arrancando seus lábios com meus dentes. O deitei desabotoando sua calça, impaciente para ter seu membro em minhas mãos tão quentes quanto o meu corpo estava, abaixei sua peça até a altura dos joelhos, percebi que o mais novo tremia as latitudes do seu corpo.

— Diga quem vê agora Byun? — Queria ouvi-lo dizer coisas sórdidas, picantes para aguçar cada vez mais o meu instinto e poder que conseguia ter sobre ele. Senti seu respirar profundo, logo depois um sorriso safado se formou em seus lábios junto aquela mordida no lábio que pude presenciar tantas vezes ao me ver sem camisa.

— Vejo a pessoa que fode completamente o meu psicológico, mas estou louco para ele foder outra coisa nesse exato momento.

Aquilo foi realmente música aos meus ouvidos e como eu era um bom patrão, eu deixaria o meu funcionário predileto feliz não é?

Soltei uma risada o tirando de cima da mesa, o colocando em pé de costas para mim. Desabotoei minha calça tirando meu membro para fora já completamente excitado, sem ao menos esperar qualquer tempo para que ele desistisse, entrei com tudo em seu interior, o fazendo gritar feito cadela no cio como sempre quis.

Sem piedade alguma, desferia tapas em sua bunda deixando a minha marca avermelhada para ele sempre se lembrar que deveria ser um bom menino quando eu perguntasse quem ele estava vendo em sua frente, todo o seu corpo arqueava ao ser estocado em seu interior com tanta força e pelos belos tapas que levava.

Estocava sua profundidade com firmeza ouvindo seus gemidos altos e ele apenas segurava as laterais da mesa, provavelmente procurando refúgio, mas eu não daria a ele uma escapatória até porque se ele gemia daquele jeito é porque estava adorando ser perfeitamente fodido pelo patrão.

Aumentei a velocidade das estocadas chegando ao limite do meu cansaço, quando senti meu ápice, sai dele o virando de frente para mim e derramei todo o líquido que havia guardado especialmente para ele em seu corpo, o lambuzando totalmente.

— Sempre que eu te perguntar quem você vê a sua frente, responda corretamente, ou terei que castiga-lo outra vez.

— Talvez eu possa me esquecer na próxima vez...

Ele falou se levantando ofegante, enquanto eu sorria sentindo aquela satisfação de transa perfeita.

No entanto, não ficaria só naquilo e disso eu tinha certeza...


Notas Finais


Então... é isso kkkkkkkk

Espero que tenham gostado ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...